Prenatal care from the perspective of the pregnant woman

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.10117

Keywords:

Primary Health Care; Obstetrics; Prenatal Care; Pregnant Women; Public health.

Abstract

Objective: describe the pregnant woman's perception of prenatal care. Methods: It is an exploratory study, with qualitative approach, carried out with 15 pregnant women in a Basic Health Unit located in the city of Manaus/AM. Results: after analyzing the information obtained, five thematic categories were constructed that describe the understanding of the pregnant woman about the importance of prenatal care, the performance of professionals in the prenatal consultation, the accessibility to the exams recommended by the Ministry of Health, education in the promotion of self-care, and adequate care from the perspective of the pregnant woman. Conclusion: the study revealed that in the face of the prenatal care they receive, pregnant women have the understanding that they are getting good care, emphasizing cordiality, active listening and ease of access as relevant factors for this understanding. However, the information extracted from the questionnaires suggests how much they are being neglected in the health services.

Author Biographies

Milaine Nunes Gomes Vasconcelos , Universidade do Estado do Amazonas

Professora Mestra do Curso de Graduação em Enfermagem  da Universidade do Estado do Amazonas. 

José Rondinelli da Silva Prata, Secretaria de Estado de Saúde

Enfermeiro especialista em Urgência e Emergência. 

Marcos Lima do Nascimento, Universidade do Estado do Amazonas

Graduando do Curso de Enfermagem da Universidade do Estado do Amazonas. 

Membro das Ligas: Enfermagem em Terapia Intensiva (LAETI), Trauma e Emergência em Enfermagem (LATEENF) e Estomaterapia do Amazonas (LAESTAM). 

Ester Alves de Oliveira , Universidade do Estado do Amazonas

Graduanda do Curso de Enfermagem da Universidade do Estado do Amazonas e membro da Liga Amazonense de Enfermagem em Terapia Intensiva (LAETI).

Maria do Livramento Coelho Prata, Universidade do Estado do Amazonas

Professora Mestra do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade do Estado do Amazonas e Membro da Abenfo-AM.

References

Anjos, J. C., & Boing, A. F. (2016). Regional differences and factors associated with the number of prenatal visits in Brazil: analysis of the Information System on Live Births in 2013. Rev bras epidemiol, 19(5), 835-50. doi:10.1590/1980-5497201600040013.

Brasil. (2011). Ministério da Saúde. Portaria n° 1.459, de 24 de junho de 2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha. Diário Oficial da União da República Federativa do Brasil.

Carvalho, T. B., Ferreira, H. C., & Santos, L. R. O. (2020). Educação para o parto na atenção primária: uma revisão integrativa. Research, Society and Development, 9(4), 1-21. doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2945.

Coutinho, E. C., Silva, B. S., Chaves, C. M. B., Nelas, A. B., Pereira, V. B. C., & Duarte, J. C. (2014). Gravidez e parto: O que muda no estilo de vida das mulheres que se tornam mães? Rev.Esc. Enferm. USP, 48(esp2), 17-24. doi:10.1590/S0080-623420140000800004.

Cruz, R. S. B. L. C., Batista-Filho, M., Caminha, M. F. C., & Souza, E. S. (2016). Protocolos de atenção pré-natal à gestante com infecção por Zika e crianças com microcefalia : justificativa de abordagem nutricional. Rev Bras Saúde Matern Infantil, 16(1), 103-10. doi:10.1590/1806-9304201600s100008.

Dias, E. G., Santo, F. G. E., Santos, I. G. R., Alves, J. C. S., & Santos, T. M. F. (2015). Percepção das gestantes quanto a importância das ações educativas promovida pelo enfermeiro no pré-natal em uma unidade básica de saúde. Rev. Eletr. Gestão & Saúde, 6(3), 2695-2710. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/315 1#:~:text=Conclui-se%20que%20é%20necessário,ela%20possa%20vivenciar%2 0uma%20gestação.

Garcia, E. S. G. F., Bonelli, M. C. P., Oliveira, A. N., Clapis, M. J., & Leite, E. P. R. C. (2018). The Nursing Care Actions Toward the Pregnant women: Challenging the Primary Health Care. Rev Pesqui Cuid é Fundam Online,10(3), 863-870. doi:10.9789/2175-5361.2018.v10i3.863-870.

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. (6a ed.). São Paulo: Atlas.

Gonçalves, M. F., Teixeira, E. M. B., Silva, M. A. S., Corsib, N. M., Ferrari, R. A. P., Pelloso, S. M., & Cardelli, A. A. M. (2017). Prenatal care: preparation for childbirth in primary healthcare in the south of Brazil. Rev Gaúcha Enferm. 38(3), e2016-0063. doi:10.1590/1983-1447.2017.03.2016-0063.

Mellado, C. M., Yolanda, I., & Ávila, C. (2016). Factores de Necesidad Asocuados al Uso Adecuado del Control Prenatal. Rev Cuidarte,7(2), 2-10. doi:10.15649/cuidarte.v7i2.340.

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. (14a. ed.). São Paulo: Hucitec editora.

Ministério da Saúde. (2002). Programa de Humanização do Parto: Humanização do Parto e Nascimento. Secretaria Executiva. Brasília.

Ministério da Saúde. (2012). Atenção ao pré-natal de baixo risco. Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde. (2017). Diretrizes de Assistência ao Parto Normal. Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília.

Ministério da Saúde. Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (2016). Protocolos da Atenção Básica: Saúde das Mulheres. Brasília: Ministério da Saúde.

Moura, L. M. de ., Araújo, A. A. de ., Cerqueira, I. K. M. ., Steiner-Oliveira, C., Alves-Silva, E. G., Gomes, B. P. F. de A., Almeida-Gomes, R. F. de, & Alves, M. do S. C. F. (2020). Conhecimento e atitude sobre a saúde bucal materno-infantil. Research, Society and Development, 9(9), e91996969. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.6969.

Nunes, J. T., Gomes, K. R. O., Rodrigues, M. T. P., & Mascarenhas, M. D. M. (2016). Qualidade da assistência pré-natal no Brasil: revisão de artigos publicados de 2005 a 2015. Cad Saúde Coletiva, 24(2), 252–261. doi:10.1590/1414-462X201600020171.

Oliveira, D. W. D., Celestino, C. G. C., Corrêa G. V., Alencar, B. M., Flecha, O. D., Fernandes, D. R. F., & Gonçalves, P. F. (2014). Saúde bucal materna associada ao parto pré-termo e baixo peso dos recém-nascidos: um estudo transversal. Arq Odontol, 50(2), 78–85. doi: 10.7308/aodontol/2014.50.2.04.

Pereira, A. P. E., Leal, M. C., Domingues, R. M. S. M., Domingues, R. M. S. M., Schilithz, A. O. C., & Bastos, M. H. (2014). Determinação da idade gestacional com base em informações do estudo nascer no Brasil. Cad. saúde pública, 30(supl. 1), S59-S70. doi:10.1590/0102-311X00160313.

Silva, L. A., Alves, V. H., Vieira, B. D. G., Rodrigues, D. P., Santos, M. V., & Marchiori, G. R. S. (2018). The humanization of prenatal care under the pregnant women’s perspective. Rev Pesqui Cuid é Fundam Online, 10(4), 1014-1019. doi:10.9789/2175-5361.2018.v10i4.1014-1019.

Published

19/11/2020

How to Cite

Torres , L. G. M., Vasconcelos , M. N. G. ., Prata, J. R. da S. ., Nascimento, M. L. do, Oliveira , E. A. de ., Monteiro , A. N. ., Santos , A. C. F. D. ., & Prata, M. do L. C. . (2020). Prenatal care from the perspective of the pregnant woman. Research, Society and Development, 9(11), e41891110117. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.10117

Issue

Section

Review Article