The possible consequences of exposure to pesticides: a systematic review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.10219

Keywords:

Use of pesticides; Consequences; Systematic review.

Abstract

Pesticides or agrochemicals are groups of substances that act in the agricultural environment, in order to control different elements that harm the cultivation of plantations. Brazil is one of the largest consumers of pesticides in the world, which concerns the different sectors of health surveillance. The present work has the general objective of identifying and knowing the pathophysiological consequences of human exposure to pesticide residues. As for the methodology, it is a simple systematic review, which was carried out in August of 2020, with a bibliographic survey through electronic search of articles indexed in the Scientific Eletronic Library - Scielo, Digital Library of Theses and Dissertations of USP and Google Scholar, based on keywords: pesticides; exposure to pesticides; effects of pesticides on the physiological changes of cells; classification of pesticides, with thirty-two papers found for publication. The results obtained showed that pesticides are chemical substances with biocidal characteristics, which are used to control pests and different diseases; cause numerous intoxications that culminate in different changes in the physiological mechanism of cells, whether through digestive, respiratory, dermal and / or eye contact, which causes sets of symptoms with acute, subacute or chronic characteristics. Pesticide poisoning can be acute and chronic, and the acute one generally manifests itself in a milder or more moderate form, reaching severe cases, since the chronic causes effects of mutagenicity, carcinogenicity and reproductive toxicity in humans and animals.

References

Alves, D. (2017). Ações De Saúde A Produtores De Tabaco Expostos A Agrotóxicos: Estudo Em Um Município De Atividade Econômica Predominantemente Agrícola. f.59. Monografia (Graduação em Bacharel em Enfermagem). Santa Cruz do Sul.

Almeida, V. E. S., Friedrich, K., Tygel, A. F., Melgarejo, L., Carneiro, F. F. (2017). Uso de sementes geneticamente modificadas e agrotóxicos no Brasil: cultivando perigos. Ciência & Saúde Coletiva, 22(10), 3333-3339.

Altenhofen. S., Nabinger, D. D., Wiprich, M. T., Pereira, T. C. B., Bogo, M. R., Bonan, C. D. (2017). Tebuconazole Alters Morphological, Behavioral and Neurochemical Parameters in Larvae and Adult Zebrafish (Danio Rerio). Chemosphere, 180, 483-490.

Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. (2019). Resolução Da Diretoria Colegiada - RDC Nº 294, DE 29 DE JULHO DE 2019: (Publicada no DOU nº 146, de 31 de julho de 2019). Brasília.

Araújo, C. R. M., Santos, V. L. A., Gonsalves, A. A. (2016). Acetilcolinesterase - AChE: Uma Enzima de Interesse Farmacológico. Rev. Virtual Quim, 8(6), 1818-1834.

Bellei, T. T. (2017). O Uso De Agrotóxicos E A Prevalência De Neoplasias No Município De Vacaria/RS. 2017, 126f. Dissertação de mestrado do Programa de Pós-graduação em Engenharia e Ciências Ambientais da Universidade de Caxias do Sul. Caxias do Sul, RS.

Berne, R. M., Levy, M. N. (2015). Fisiologia / editores Bruce M. Koeppen, Bruce A. Stanton; tradução Soraya Imon de Oliveira. (7ª ed.), Rio de Janeiro: Elsevier.

Brasil. Ministério Da Saúde. (2015). Linha de cuidado para a atenção às pessoas com transtornos do espectro do autismo e suas famílias na Rede de Atenção Psicossocial do Sistema Único de Saúde. Brasília-DF.

Brasil. Ministério da Saúde. (2019). Resolução Da Diretoria Colegiada - Rdc Nº 294, De 29 De Julho De 2019. Ministério da Saúde – MS, Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, Brasília.

Bochner, R. (2015). Óbito ocupacional por exposição a agrotóxicos utilizado como evento sentinela: quando pouco significa muito. Vigilância sanitária debate;3(4),39-49.

Cattelan, M. D. P. (2017). Avaliação Do Perfil Bioquímico, Hematológico, Oxidativo E Mutagênico E Uso De Agrotóxicos Por Trabalhadores Rurais Do Município De Santiago, RS. 2017, 72f. Dissertação do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Farmacêuticas da Universidade Federal do Pampa. Uruguaiana.

Carneiro, F. F. (2015). Dossiê Abrasco – Um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro: ABRASCO.

Credidio, G. C. (2020). Caracterização Da Exposição De Trabalhadores Rurais A Agrotóxicos Em Um Município Da Bahia. 2020, 110f. Trabalho de Conclusão de Curso do Colegiado de Farmácia da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, como requisito para obtenção do título de Bacharel em Farmácia. Salvador-Ba.

Datasus. (2020). Dados da Bahia de Intoxicação Exógena. Brasília. Recuperado de <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sinannet/cnv/Intoxba.def>.

Fernandino, S. S. G. (2019). (IN) Visibilidade Dos Agrotóxicos Na Saúde Integral De Mulheres Rurais, 149f. Dissertação da Universidade Federal de Viçosa, Programa de Pós-Graduação em Agroecologia. Viçosa, Minas Gerais.

Gil, A. C. (2011) Metodologia do ensino superior. (4a ed.), São Paulo: Atlas.

Hall, J. E., Guyton, A. C. (2017). Guyton & Hall tratado de fisiologia médica. (13a ed.), Rio de Janeiro: Elsevier.

Jallouli, M. (2016). Disruption of steroidogenesis after dimethoate exposure and efficacy of N-acetylcysteine in rats: an old drug with new approaches. Environmental Science and Pollution Research, 23, 7975–7984.

Jacobsen-Pereira, C. H. (2017). Avaliação Da Instabilidade Genômica E Do Estresse Oxidativo Em Agricultores Expostos A Agrotóxicos Em Um Município Do Estado De Santa Catarina. 121f. Dissertação de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Farmácia da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

Klein, B. N., et al. (2018). Análise Do Impacto Do Uso De Organofosforados E Carbamatos Em Trabalhadores Rurais De Um Município Da Região Noroeste Do Estado Do Rio Grande Do Sul. Acta De Toxicologica Argentina. Vol 26, No 3.

Linhares, A. G. (2014). Efeito de pesticidas organofosforados e carbamatos sobre a acetilcolinesterase eritrocitária humana e seu potencial uso como biomarcador da exposição ocupacional. 95f. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco. Pós-graduação em Ciências Biológicas, Pernambuco.

Lima, R. M. (2017). Avaliação Da Radiação Uvc, Processos Uv/H2o2 E Foto-Fenton Na Degradação Do Agrotóxico Clorpirifós Com Acompanhamento Da Ecotoxicidade. 94f. Dissertação de mestrado em Ciências Ambientais, do Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental –Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Curitiba.

Lima. C. M. (2019). Exposição Gestacional A Agrotóxicos Como Fator De Risco Para O Desenvolvimento Do Transtorno Do Espectro Autista (TEA). 2019, 91f. Dissertação de mestrado na Universidade de Cuiabá no programa de pós-graduação em Ambiente e Saúde. Cuiabá-MT.

Lopes, C. V. A., Albuquerque, G, S. C. (2018). Agrotóxicos e seus impactos na saúde humana e ambiental: uma revisão sistemática. Saúde Debate | Rio De Janeiro, 42(117), 518-534.

Manual De Intoxicação Por Agrotóxicos. (2018). Material Técnico Intoxicações Agudas Por Agrotóxicos Atendimento Inicial Do Paciente Intoxicado. Secretário de Estado da Saúde do Paraná.

Manyilizu, W. B., et al. (2016). Association of Long-Term Pesticide Exposure and Biologic Parameters in Female Farm Workers in Tanzania: A Cross Sectional Study. Toxics, 4, 25.

Marques, P. V., Caixeta, B. T. (2016). A Importância da Avaliação das Dosagens das Colinesterases em Casos de Intoxicações Por Organofosforados. Psicologia e Saúde em Debate. 2(1).

Melo, J. B., Gonçalves, S. J. C. (2014). Fatores que predispõem a intoxicação por agrotóxicos no município de Paty do Alferes. Revista Pró- UniverSUS, Rio de Janeiro, 4(2),25-35, 2014.

Murussi, C., et al. (2014). Changes in oxidative markers, endogenous antioxidants and activity of the enzyme acetylcholinesterase in farmers exposed to agricultural pesticides - a pilot study. Ciência Rural, Santa Maria, 44(7), 1186-1193.

Nerilo, S. B., Martins, F. A., Nerilo, L. B., Salvadego, V. E. C., Endo, R. Y., Rocha, G. H. O., Mossini, S. A. G., Janeiro, V., Nishiyana, P., Machinski Junior, M. (2014). Pesticide use and cholinesterase inhibition in small-scale agricultural workers in southern Brazil. Braz. J. Pharm. Sci., 50(4).

Pignati, W. A., et al. (2017). Distribuição espacial do uso de agrotóxicos no Brasil: uma ferramenta para a Vigilância em Saúde. Ciênc. saúde coletiva. 22(10), 3281-3293.

Queiroz, P. R., Lima, K. C., Oliveira, T. C., Santos, M. M., Jacob, J. F., Oliveira, A. M. B. (2019). Sistema de Informação de Agravos de Notificação e as intoxicações humanas por agrotóxicos no Brasil. Rev Bras Epidemiol. 22: E190033.

Sanabria-Castro, A., Alvarado-Echeverría I., Monge-Bonilla, C. (2017). Molecular Pathogenesis of Alzheimer's Disease: An Update. Ann Neurosci. 24(1), 46-54.

Sinitox. (2019). O Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sinitox). Informações tóxico-farmacologica. Rio de Janeiro. Recuperado de <https://sinitox.icict.fiocruz.br/>.

Silva, S. M. S. (2015). Intoxicações Por Inibidores Da Acetilcolinesterase: Etiologia, Diagnóstico E Tratamento, 47f. Trabalho Final Do 6º Ano Médico Com Vista À Atribuição Do Grau De Mestre No Âmbito Do Ciclo De Estudos De Mestrado Integrado Em Medicina, Faculdade De Medicina Da Universidade De Coimbra.

Taveira, B. L. S., Albuquerque, G. S. C. (2018). Análise das notificações de intoxicações agudas, por agrotóxicos, em 38 municípios do estado do Paraná. Saúde Debate, Rio De Janeiro, 42(4), 211-222.

Vale A., LottI, M. (2015). Organophosphorus and carbamate insecticide poisoning. Handbook of Clinical Neurology. 131, 149-68.

Yin, R. (2015). Estudo de caso: planejamento e métodos. (5a ed.), Porto Alegre: Bookman, 2015.

Published

21/11/2020

How to Cite

Barbosa, R. S. ., Souza, J. P. de, Almeida, D. J. de ., Santos , J. B. dos ., Paiva, W. dos S. ., & Porto, M. de J. . (2020). The possible consequences of exposure to pesticides: a systematic review. Research, Society and Development, 9(11), e45191110219. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i11.10219

Issue

Section

Health Sciences