Evaluation of Quality Management and its tools: applicability in the animal food industry

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11248

Keywords:

Consumer; Food safety; Legislation; Self-control programs.

Abstract

This research aims to evaluate the quality management and its tools in order to understand its applicability in food industries of animal origin. The methodology used for the development of this work was based on a qualitative approach with bibliographic survey in databases of the Ministry of Agriculture, Cattle and Supplying, Scielo, Pubmed and Google Scholar through agreement between terms. Among the tools available for the food industries of animal origin, the self-control programs established by Circular n. 175, of May 16, 2005 and Internal Standard n. 01, of March 8, 2017, both from the Ministry of Agriculture, Cattle and Supplying (MAPA), are procedures that meet the safety and food security conditions required by legislation, as they are based on systematic continuous inspections of all factors that may interfere in some way in the quality of products exposed to the population's consumption. In this way, the application and understanding of quality management and tools such as self-control programs align up with the results presented, since self-control programs ensure the condition of food security through its implementation, which is defined and controlled by quality management system, which ensures that the inspected elements will be identified and controlled in the process, with this, added to their beneficial use, since it converges with the recommended legislation, brings validation, safety and product quality, and consequently, achieves credibility when competing with foreign markets and support with the final consumer.

References

Bertolino, M. T. (2010). Gerenciamento da Qualidade na Indústria de Alimentos. São Paulo: Artmed.

Brasil (2009). Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Circular Nº 004, de 01 de outubro de 2009, Diretrizes para aplicação das Circulares nºs 175/2005/CGPE/DIPOA e 176/2005/CGPE/DIPOA nos estabelecimentos produtores de ovos comerciais e produtos derivados. Secretaria de Defesa Agropecuária. Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Coordenação Geral de Programas Especiais. Brasília, 2009.

Brasil (2005a). Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Circular n° 175 de 16 de maio de 2005. Procedimentos de Verificação dos Programas de Autocontrole (Versão preliminar). Secretaria de Defesa Agropecuária. Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Coordenação Geral de Programas Especiais, Brasília, 2005.

Brasil (2005b). Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Circular nº 176, de 16 maio 2005. Modificação das Instruções para Verificação PPHO, encaminhados pela Circular 201/1997/DCI/DIPOA e Aplicação dos Procedimentos de Verificação dos Elementos de Inspeção Previstos na Circular 175/2005 CGPE/DIPOA. Secretaria de Defesa Agropecuária. Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Coordenação Geral de Programas Especiais, Brasília, 2005.

Brasil (1998). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Portaria n° 46, de 10 de fevereiro de 1998. Institui a implantação gradativa do sistema de Análise e Pontos Críticos de Controle – APPCC nas indústrias de produtos de origem animal sob o regime do Serviço de Inspeção Federal – SIF. Diário Oficial da União, Brasília, 1998.

Brasil (1997a). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Portaria n° 368, de 4 de setembro de 1997. Aprova o regulamento técnico sobre as condições higiênico-sanitárias e de boas práticas de elaboração para estabelecimentos elaboradores / industrializadores de alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, 1997.

Brasil (2017a). Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Norma Interna DIPOA/SDA nº 01, de 08 de março de 2017. Aprova os modelos de formulários, estabelece as frequências e as amostragens mínimas a serem utilizadas na inspeção e fiscalização, para verificação oficial dos autocontroles implantados pelos estabelecimentos de produtos de origem animal registrados (SIF) ou relacionados (ER) junto ao DIPOA/SDA, bem como o manual de procedimentos. Boletim de Pessoal e de Serviços do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Brasília, n. 007, 2017.

Brasil (1997b). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Portaria n° 326, de 30 de julho de 1997. Aprova o Regulamento Técnico sobre "Condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores /Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, 1997.

Brasil (2002). Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Resolução n° 275, de 21 de outubro de 2002. Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/ Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/ Industrializadores de Alimentos. Diário Oficial da União, Brasília, 2002.

Brasil (2017b). Presidência da República, Decreto n° 9.013, de 29 de março de 2017. Regulamenta a Lei nº 1283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei nº 7.889, de 23 de novembro de 1989, que dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal - RIISPOA. Diário Oficial da União, Brasília, 2017.

Coletto, D. (2012). Gerenciamento da Segurança dos Alimentos e da Qualidade na Indústria de Alimentos (Monografia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil. Recuperado de https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/72762/000870926.pdf

Cruz, A. G., Cenci, S. A., & Maia, M. C. A. (2006). Pré-Requisitos para Implementação do Sistema APPCC em uma Linha de Alface Minimamente Processada. Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos, 26(1). 104-109.

Dahmer, A. M. (2006). Avaliação da Gestão da Qualidade na Indústria de Leite do Estado do Mato Grosso do Sul (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, Brasil.

Figueiredo, V. F., & Costa Neto, P. L. O. (2001). Implantação do HACCP na Indústria de Alimentos. Gestão & Produção, 8 (1), 100-111.

Gobis, M. A. & Campanatti, R. (2012). Os benefícios da aplicação de ferramentas de gestão de qualidade dentro das indústrias do setor alimentício. Revista Hórus, 7(1), 26-40.

Lobo, R. N. (2020). Gestão da Qualidade. Érica: São Paulo.

Lopes, J. C. C. (2014). Gestão da Qualidade: Decisão ou Constrangimento Estratégico (Dissertação de mestrado). Universidade Europeia Laureate International Universities, Lisboa, Portugal. Recuperado de https://core.ac.uk/download/pdf/62705662.pdf

Ribeiro-Furtini, L. L., & Abreu, L. R. (2006). Utilização de APPCC na Indústria de Alimentos. Ciência e Agrotecnologia, 30(2).

Santos, A. B., & Antonelli, S. C. (2011). Aplicação da abordagem estatística no contexto da gestão da qualidade: um survey com indústrias de alimentos de São Paulo. Ges. Prod., 18(3).

Scalco, A. R., & Toledo, J.C. (2002). Gestão da Qualidade em Laticínios do estado de São Paulo: situação atual e recomendações. Revista de Administração USP, 37(2), 17-25.

Toledo, J. C. (2001). Gestão da Qualidade na Agroindústria. In: M. O. Batalha, (Coord.). Gestão Agroindustrial: GEPAI: grupo de estudos e pesquisas agroindustriais (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Published

07/01/2021

How to Cite

ARTILHA-MESQUITA, C. A. F.; STAFUSSA, A. P.; PARAISO, C. M. .; RODRIGUES, L. M. .; SILVA, L. A. da .; SANTOS, S. S. dos .; MARINS, A. R. .; MADRONA, G. S. . Evaluation of Quality Management and its tools: applicability in the animal food industry. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e20210111248, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11248. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11248. Acesso em: 19 jan. 2021.

Issue

Section

Review Article