Suggestion for progress water supply quality of Rosario-Maranhão-Brasil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11496

Keywords:

Water potability; Monitoring; Water quality; Improvement proposal.

Abstract

The water may be contaminated in the capture of the aquatic resources or during the treatment, distribution and reservation. For this reason, the objective of this study was to characterize the supply, monitoring and quality of water for human consumption in the municipality of Rosário-MA, so that there is support for new decision-making and changes to improve environmental quality and population health, and also aimed to propose an alternative water treatment. For this, data were collected on the supply, quality and monitoring of municipal water, through four stages: characterization of the water supply system, analysis of the procedures adopted, survey of the quality of the water in the wells and of the water distributed to population and intervention to improve the supply system. Thus, the presence of total coliforms was found between 11% to 32% of the collected samples and the presence of E. coli from 3% to 9% of the well samples, varying between the years 2007 and 2017. In the distribution network, most of the samples were in non-compliance with the legislation, with total coliforms between 52.9% to 100% of the samples and E. coli from 13.33% to 68.48% of the samples. The monitoring and quality of drinking water in the municipality of Rosário-MA, are not in accordance with the legislation, thus requiring the implementation of corrective measures proposed in this work.

References

Agência Nacional Das Águas (2007). A História do Uso da Água no Brasil. Do Descobrimento ao Século XX.

Alves W. S., Silva T. I., Marrom D. A. S., Santos T. M., & Santos H. R. (2017). Avaliação da qualidade da água do abastecimento público do município de Juazeiro do Norte, CE. Revista Desafios 4(2).

Augusto, L. G. S., Gurgel, J. G. D., Neto, H. F. C., Melo, C. H., & Costa, A. M. O (2012). Contexto global e nacional frente aos desafios do acesso adequado a água para consumo humano. Ciência e Saúde Coletiva, 17(6),1511-1522.

Barreto, R.L., Pedreira, M.M., & Will, R.M. (2015). Monitoramento da qualidade da água para consumo humano no estado da Bahia no ano 2014. Revista Baiana de Saúde Pública, 39,31-40.

Bevilacqua P. D., Carmo R.F., Melo C. M., & Bastos R. K. X. (2014). Vigilância da qualidade da água para consumo humano no âmbito municipal: contornos, desafios e possibilidades. Saúde Soc. São Paulo, 23(2), 467-483.

Bezerra, A. S. (2016). Vigilância ambiental em saúde relacionada à qualidade da água para consumo humano no município de Queimadas. 2016. 28f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Química Industrial) Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

Decreto Nº 24.643, de 10 de julho de 1934. Decreta o Código de Águas. 1934.

Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Manual de controle da qualidade da água para técnicos que trabalham em ETAS. Fundação Nacional de Saúde. – Brasília. DF: Funasa 2014.

Ministério da Saúde. Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília. 2004.

Ministério da Saúde. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, Brasília. 2011.

Companhia De Saneamento De Minas Gerais. Água não tratada é porta aberta para várias doenças. 2010.

Instituto Brasileiro De Geografia E Estátistica (IBGE) –. 2010. Censo Demográfico.

Libânio, M. (2010). Fundamentos de qualidade e tratamento de água. Campinas: Átomo.

Mazepa, H. H. S. (2012). Mapeamento da Qualidade da Água para Consumo Humano em Santa Catarina sob o olhar da Vigilância Sanitária. Florianópolis. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

Mesquita Neto, M. C. (2010). Cenários do abastecimento de água na zona urbana do município de Rosário, Maranhão: um subsídio para a sustentabilidade no fornecimento de água. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade dos Ecossistemas, Universidade Federal do Maranhão, São Luís.

Ministério Da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Diretriz Nacional do Plano de Amostragem da Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. – Brasília: Ministério da Saúde, 2016.

Ministério Da Saúde. Portaria de Consolidação Nº 2, de 28 de setembro de 2017. Dispõe sobre a consolidação das normas sobre as políticas nacionais de saúde do Sistema Único de Saúde.

Oliveira, C. N., Nascimento S. A.M., & Campos V. P. (2017). Análise comparativa de índices de qualidade da água subterrânea. XIX Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas.

Pacheco G., Costa A. B., Silveira E. O., Deprá B., & Lobo, E. A. (2016). Calibração de um índice de qualidade de águas subterrâneas (iqnas) para a região do Vale do Rio Pardo, RS, Brasil: nova ferramenta tecnológica para o monitoramento ambiental. Águas Subterrâneas 30(3), 440-454.

Pereira A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Pereira, L. D. A. (2012). De onde vem a água que nós bebemos? Revista Eletrônica de Ciências. (50). http://www.cdcc.sc.usp.br/ciencia/artigos/art_50/agua.html

Pinto-Coelho, R. M., & Havens, K. (2016). Gestão de recursos hídricos em tempos de crise. Porto Alegre: Artmed, 228.

Rasella, D (2013). Impacto do Programa Água para Todos (PAT) sobre a morbi-mortalidade por diarreia em crianças do Estado da Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 29(1), 40-50.

Santos, R. N. (2011). Teor de sódio e outros íons em águas subterrâneas do município de Rosário (MA) e suas possíveis implicações na saúde da população. 2011. Dissertação (Mestrado em Saúde e Ambiente) Universidade Federal do Maranhão, São Luís.

World Health Organization – WHO 920130. Water supply, sanitation and hygiene development.

Published

03/01/2021

How to Cite

CALVET FILHO, T. E. .; GONÇALVES, M. F. . Suggestion for progress water supply quality of Rosario-Maranhão-Brasil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e8810111496, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11496. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11496. Acesso em: 9 mar. 2021.

Issue

Section

Engineerings