"Home: home, sweet home or house prison?" a phenomenological perspective according to codependents of users of psychoactive substances

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11590

Keywords:

Codependency psychological; Family relations; Substance-related disorders; Primary health care.

Abstract

The objective was to reflect on the home environment of codependents as an environment of coexistence with addicts of psychoactive substances in a phenomenological perspective. Descriptive investigation, outlined in the phenomenological approach in the light of Michel Maffesoli's theoretical-methodological-philosophical framework, carried out in a Basic Health Unit in Minas Gerais, Brazil, with 08 codependents. Characterization data were collected and recorded individual in-depth interviews were conducted. Data treatment with phenomenological content analysis supported by SPSS software version 24 and NVivo Pro11. All ethical and legal aspects of research were met. The eight participants were 100% women. It was understood that this “home” can become a real “house arrest” when the everyday reality is marked by the multiple roles occupied by the participants who are managed together with the care of the chemical dependent family member. Stressful, painful situations that generate bad feelings such as fear, insecurity, sadness, and family conflicts must be the target of nursing care.

References

Alvarez, S. Q., Gomes, G. C., & Xavier, D. M. (2014). Causas da Dependência Química e suas Consequências para o Usuário e a Família. Rev. enferm. UFPE On Line., 8(3): 8-641.

Arreguy-Sena, C., Marangon, A. M. G., Gomes, A. M. T., Melo, L. D. D., Martins, R., Fontes, F. L. D. S. (2020). Representações Sociais sobre Esquecimento e Depressão por Pessoas Idosas: Abordagem Processual. Enferm. foco (Brasília), 57-62.

Azevedo, C. C. A., Hirdes, A., & Vivian, A. G. (2020). Repercussões emocionais no contexto da gestação de alto risco. International Journal of Development Research, 10(09), 40216-40220.

Baptista, M. C. F., & Melancolia. (2011). Depressão e a Dor de Existir. Rev. Hosp. Univer. Pedro Ernesto (UERJ)., 10(2):6-11.

Beattie, M. (2017). Codependência nunca mais [recurso eletrônico] / Melody Beattie; tradução Marília Braga. - 1. ed. - Rio de Janeiro: Best Seller. Disponível em: https://codependentes.files.wordpress.com/2016/03/codependencia-nunca-mais.pdf.

Brasil. (2020). Juiz de Fora, Minas Gerais. Plano Diretor Participativo. Análise Física e Socioeconômica. Juiz de Fora, Minas Gerais. Recuperado de: http://www.planodiretorparticipativo.pjf.mg.gov.br/pddu/index.htm

Brasil, Ministério da Saúde - Política Nacional sobre Drogas - Decreto nº 9.761, 11 de abril de 2019. Brasília: Ministério da Saúde, 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/decreto/D9761.htm. Acesso em: 13 abr. 2019.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988, 292 p.

Carvalho, R. C. N., Nantes, R. F. P., & Costa, M. L. (2020). Estratégia familiar de cuidado em saúde mental. Brazilian Journal of Development, 6(7), 50256-50271.

Costa, F. A. (2018). Mulher, trabalho e família: os impactos do trabalho na subjetividade da mulher e em suas relações familiares. Pretextos-Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, 3(6), 434-452.

Costa, E. F. (2017). Uma Introdução Psicanalistica sobre A adicção.Rev.PsicoLogia.PT. Disponível em: http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1106.pdf.

Costa, A. P. S., Oliveira, D. A., Rodrigues, M. P., & Ferreira, M. A. F. (2015). Violência Doméstica e Abuso de Álcool e Drogas na Adolescência. Rev. Ciência Plural, 1(2), 48-56.

Domingues, D. F., Dessen, M. A., & Queiroz, E. (2015). Luto e enfrentamento em famílias vitimadas por homicídio. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 67(2): 61-74.

Gonçalves, A. M. C., Teixeira, M. T. B., Gama, J. R. A., Lopes, C. S., silva, G. A., Gamarra, C. J., et al. (2018). Prevalência de depressão e fatores associados em mulheres atendidas pela Estratégia de Saúde da Família. Rev. J Bras. Psiquiatr., 62 (2): 101-9.

Maffesoli, M. (2010). O Conhecimento comum: Introdução à sociologia compreensiva. Traduzido por Aluízio Ramos Trinta [Internet]. - Porto Alegre: Sulina. 295 p.

Meira, E. C., Souza, S. S., Silva, T. A., Costa, L. C., Oliveira Vieira, L., Galvão, G. A., et al. (2020). Mulheres codependentes em convivência com familiar alcoolista. Revista Enfermagem Atual In Derme, 94(32): 1-9.

Melo, C.F, & Cavalcante, I. S. (2019). A Codependência em Familiares de Adictos. Rev Fund Care Online.,11(n.esp):304-310.

Melo, L. D., da Silva Jeremias, J., Shubo, A. F. M. F., Taroco, F. E., Spindola, T., Gomes Filho, et al. (2020a). Tabagismo, Hipertensão Arterial Sistêmica e Pandemia da COVID-19: uma Análise Psicanalítica Freudiana. Research, Society and Development, 9(11), e57891110240-e57891110240.

Minayo, M. C. S. (2017). Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Revista Pesquisa Qualitativa., 5(7):1-12.

Nistchke, R., Tholl, A. D., Potrich, T., Silva, K. M., Michelin, S. R., Laeureano, D. D. (2017). Contributions of Michel Maffesoli’s Thinking to Research in Nursing and Health. Texto e Contexto em Enfermagem., 26(4):1-12.

Oliveira, P. P., Viegas, S. M. F., Santos, W. J., Silveira, E. A. A., & Elias, S. C. (2015). Mulheres Vítimas de Violência Doméstica: Uma Abordagem

Fenomenológica. Texto Contexto Enferm, 24(1): 196-203.

Pereira, A. M. L., & Lima, L. D. D. S. C. (2017). A Desvalorização da Mulher no Mercado de Trabalho. Revista Eletrônica Organizações e Sociedade, 6(5), 133-148.

Ramalho, N. M. G., Ferreira, J. D. L., Lima, C. L. J., Ferreira, T. M, C., SOUTO, S. L. U., & Maciel, G. M. C. (2017). Violência Doméstica contra a Mulher Gestante. Rev enferm UFPE on line., 11(12): 4999-5008.

Reis, L. M., & Oliveira, M. L. L. (2015). Drogas e violência: percepção social em uma comunidade. Rev. Eletr. Enf. [Internet].,17(3):1-5.

Rodrigues, T. F. C. S., Sanches, R. C. N., Oliveira, M. L. F., Pinho, L. B., & Radovanovic, C. A. T. (2018). Sentimentos de famílias na dependência de drogas: à luz da sociologia compreensiva. Rev. Bras. Enferm., 71(5):2272-9.

Sales, C. C. F., Silva, L. F. F., Reis, L. M., Decesaro, M. N., Marcon, S. S., Oliveira, M. L. F. (2019). Social Risk for The Family of Drug Users Hospitalized Due to Physical Injury. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 11(2), 510-516.

Soccol, K. L. S., Terra, M. G., Ribeiro, D. B., Teixeira, J. K. S., Siqueira, D. F., & Mostardeiro, S. C. T. (2014). O cotidiano das relações familiares com individuo dependente químico. Cogitare Enfermagem, 19, (1): 121-132.

Tavares, A. D., & Barbosa, R. B. (2015). A Mulher e a Tripla Jornada de Trabalho: Como esta Mulher Vivencia as Atividades Profissional, Familiar e Doméstica?. Psicologia em Foco, 5(1): 510-516.

Published

04/01/2021

How to Cite

DIAS , L. M. .; ALVES, M. da S. .; PEREIRA, M. O. .; ARREGUY-SENA, C. .; MELO, L. D. de .; ASSIS, C. C. G. de .; SPINDOLA, T. .; TAROCO , F. E. . "Home: home, sweet home or house prison?" a phenomenological perspective according to codependents of users of psychoactive substances. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e12610111590, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11590. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11590. Acesso em: 22 jan. 2021.

Issue

Section

Health Sciences