Scientific evidence on nursing care for patients diagnosed with stroke in the Intensive Care Unit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11601

Keywords:

Nursing care; Brain stroke; ICU.

Abstract

Analyze the scientific evidence on nursing care for patients diagnosed with stroke in the
Intensive care unit. This study deals with a bibliographic review of the integrative literature review method, carried out in the months of October and November 2020. The search was carried out, VHL, using the databases LILACS, BDENF, SCIELO, and through the Google Portal Academic, adhering to the descriptors: “Nursing care” AND “Stroke” AND “ICU”, crossed with the operator by booluding “AND”. The nurse is highlighted as the professional who has the greatest contact with the patient, therefore, he is responsible for most of the care and procedures performed. This professional works with the purpose of reducing the sequels caused by the disease and develops assistance focused on the mental, spiritual and physical state. The nurse is the most qualified professional, either because of the holistic nature of his education, or because of the simple and indisputable fact of being present for a longer time in patient care. In this way, the nursing guidelines for the companion / family member should include from more general aspects, related to the hospital dynamics to facilitate their adaptation to the environment, to more specific explanations about the equipment used and procedures to which the patients are submitted.

References

Araujo Silva, R. C., Monteiro, G. L., & dos Santos, A. G. (2015). O enfermeiro na educação de cuidadores de pacientes com sequelas de acidente vascular cerebral. Revista de Atenção à Saúde, 13(45), 114-120.

Araújo, A. R. C., de Paula, E. P., Cestari, V. R. F., Barbosa, I. V., & de Figueiredo Carvalho, Z. M. (2015). Classificação da dependência de cuidados de enfermagem dos pacientes acometidos por acidente vascular encefálico. Cogitare Enfermagem, 20(3).

Araujo, J. S., da Silva, S. E. D., de Santana, M. E., Vasconcelos, E. V., dos Santos, L. M. S., & Sousa, R. F. (2012). O perfil representacional dos cuidadores de pacientes acometido por acidente vascular cerebral. Revista Eletrônica Gestão e Saúde, (3), 574-586.

Barcelos, D. G., dos Santos, C. M., Manhães, L. S. P., & de Azevedo, A. S. (2016). Atuação do enfermeiro em pacientes vítimas do acidente vascular encefálico hemorrágico na Unidade de Terapia Intensiva. Biológicas & Saúde, 6(22).

Botelho, L. L. R., de Almeida Cunha, C. C., & Macedo, M. (2011). O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e sociedade, 5(11), 121-136.

Carvalho, I. A., & Deodato, L. F. F. (2016). Fatores de risco do acidente vascular encefálico. Revista Científica da FASETE, 180.

Costa Madeira, J., Rodrigues, I. R., Pinheiro, G. F. A., Alves, A. R., & de Sousa, A. A. S. (2020). Elaboração de um Instrumento para a Sistematização da Assistência de Enfermagem em uma Unidade de Acidente Vascular Cerebral. Research, Society and Development, 9(10), e2889108532-e2889108532.

Ercole, F. F., Melo, L. D., & Alcoforado, C. L. G. C. (2014). Revisão integrativa versus revisão sistemática . Rev Min Enferm, 18(1), 9-12.

Feitosa, M. C., Leite, I. R. L., & Silva, G. R. F. D. (2012). Demanda de intervenções de enfermagem a pacientes sob cuidados intensivos: nas-nursing activities score. Escola Anna Nery, 16(4), 682-688.

Gomes, S. R., & Senna, M. (2008). Assistência de enfermagem à pessoa com acidente vascular cerebral. Cogitare Enfermagem, 13(2).

Júnior, S. D. R. R., & Waters, C. (2019). Diagnósticos de enfermagem predominantes na assistência a pacientes com acidente vascular cerebral/Predominant nursing diagnoses in assistance to patients with stroke. Brazilian Journal of Health Review, 2(3), 1524-1544.

Lima, A. C. M. A. C. C., Silva, A. L. D., Guerra, D. R., Barbosa, I. V., Bezerra, K. D. C., & Oriá, M. O. B. (2016). Diagnósticos de enfermagem em pacientes com acidente vascular cerebral: revisão integrativa. Revista Brasileira de Enfermagem, 69(4), 785-792.

Melo, L. S., Emerick, L. M. S., Alves, P. N. M., Rocha, T. B., Goveia, V. R., Guimarães, G. L., & Mendoza, I. Y. (2016). Acidente vascular cerebral: achados clínicos e principais complicações. Revista de Atenção à Saúde, 14(48), 48-53.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. D. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto enfermagem, 17(4), 758-764.

Oliveira, B. C. D., Almeida, E. A., & da Silva Zambelan, M. (2020). O papel do enfermeiro nas três primeiras horas pós acidente vascular encefálico. Prospectus, 2(1), 177-189.

Oliveira, J. H. M., da Costa Cabanha, M. W., de Oliveira Pereira, T., Lescano, F. A., Lopes, E. F. B., da Silva, L. S. A., & Simões, E. A. P. (2019). Assistência de enfermagem ao paciente vítima de acidente vascular cerebral. Perspectivas Experimentais e Clínicas, Inovações Biomédicas e Educação em Saúde (PECIBES), 5(2), 44-44.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica.

Ribeiro, A. A. (2020). Cuidado de enfermagem sistematizado ao portador de acidente vascular encefálico de acordo com a teoria das necessidades humanas básicas. Enfermagem Brasil, 10(5), 302-308.

Santos, A. G., & da Costa Neto, A. M. (2012). Atendimento da equipe de saúde a pacientes vítimas de acidente vascular cerebral. Revista Rede de Cuidados em Saúde, 6(2).

Silva Gomes, G. L., Santos, J. C. O., dos Santos, M. C., & de Andrade Aoyama, E. (2019). Cuidados de enfermagem na unidade de terapia intensiva às vítimas de acidente vascular encefálico. Revista Brasileira Interdisciplinar de Saúde, 1(4).

Soares, C. B., Hoga, L. A. K., Peduzzi, M., Sangaleti, C., Yonekura, T., & Silva, D. R. A. D. (2014). Revisão integrativa: conceitos e métodos utilizados na enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 48(2), 335-345.

Sousa Carvalho, M. R., Miranda, N. M. S. S., Lustosa, V. R., Silva, B. G. S., Rodrigues, V. E. S., Oliveira, F. G. L., & de Sousa, J. R. (2019). Cuidados de Enfermagem ao Paciente acometido por Acidente Vascular Cerebral. ID on line Revista de Psicologia, 13(44), 198-207.

Sousa, L. M. M., Marques-Vieira, C. M. A., Severino, S. S. P., & Antunes, A. V. (2017). A metodologia de revisão integrativa da literatura em enfermagem. Nº21 Série 2-Novembro 2017, 17.

Souza, M. T. D., Silva, M. D. D., & Carvalho, R. D. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo), 8(1), 102-106.

Souza, R. C. S., & Arcuri, E. A. M. (2014). Estratégias de comunicação da Equipe de Enfermagem na afasia decorrente de acidente vascular encefálico. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 48(2), 292-298.

Published

15/01/2021

How to Cite

LEITE, A. C.; SILVA , M. P. B. .; ALVES, R. S. S. .; SILVA , M. de L. .; BARBOSA , F. N. .; LUZ , Álesson M. S. da .; ALMEIDA, D. S. .; SOUSA, M. da C. S. C. .; SOUSA , S. V. F. de .; BRITO, R. de A. de .; SANTOS , W. da S. .; SILVA, M. B. de S. .; BARBOSA , A. M. S. .; AVELINO , J. T. .; PRUDÊNCIO , L. D. .; COSTA, M. dos M. S. da .; SANTOS, M. H. de S. .; MOURA, L. C. de .; GURGEL, L. F. .; SANTOS, M. P. B. dos .; ALVES, A. A.; ANDRADE, T. M. de . Scientific evidence on nursing care for patients diagnosed with stroke in the Intensive Care Unit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e30510111601, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11601. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11601. Acesso em: 28 feb. 2021.

Issue

Section

Health Sciences