The influence of Corporate Governance on the profitability of Financial Institutions

Authors

  • Laura Oliveira de Souza Faculdade Divinópolis
  • Isabela Lorrayni Deodato Pedreiro Faculdade Divinópolis
  • Ana Luísa Moreira Alves Barbosa CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA
  • Willian Antônio de Castro Centro Universitário – UNA Divinópolis

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v8i8.1179

Keywords:

Corporate Governance; Accountancy; Financial Statements; Financial Indicators; Financial Institutions.

Abstract

This article has as main objective to analyze the Corporate Governance (CG) as a determinant of performance for the 27 Financial Institutions listed on the banking segment of Brasil, Bolsa, Balcão (B3) in 2018. Finding out, if these corporations obtained better indicators of profitability, liquidity and market by the fact of being members of the special levels of Corporate Governance (Level 1, Level 2 and New Market). According to Fernandes, Dias and Cunha (2010), and Vinhado (2010), the CG would diminish the agency conflicts that are maximized by the extra risk presented on this segment, and it would also increase their performances seeing the special levels are more burocratic. For analysis, the information were collected through the Balance Sheet, Income Statement, Cash Flow Statement and Explanatory Notes, from 2010 to 2017. All indicators were calculated and classified in two different groups: one with special Corporate Governance, and the other one without it. The hypothesis were tested using the t-Student test, checking if there is difference between the means of the two groups, in a confidence level of 95%. The results refused the hypothesis of that belonging to a Corporate Governance special level guarantees better liquidity and profitability indicators, with the exception of the Profit margin that is higher on this case. However, it was confirmed that companies in the CG special levels have better EBITDA. Therefore, it is concluded that financial and economic results of banking operations are not positively impacted by CG, as opposed to market performance.

References

B3 2015. Índice de Governança Diferenciada (IGC). Metodologia do IGC. Disponível em: http://www.b3.com.br/pt_br/market-data-e-indices/indices/indices-de-governanca/indice-de-acoes-com-governanca-corporativa-diferenciada-igc.htm

B3 2016. Regulamento de Listagem do Nível 1. Disponível em: http://www.b3.com.br/data/files/B8/C5/5D/71/C6E3861012FFCD76AC094EA8/Regulamento%20de%20Listagem%20do%20N%C3%ADvel%201%20(San%C3%A7%C3%B5es%202019).pdf

B3 2016. Regulamento de Listagem do Nível 2. Disponível em: http://www.b3.com.br/data/files/1B/B5/A5/87/46E3861012FFCD76AC094EA8/Regulamento%20de%20Listagem%20do%20N%C3%ADvel%202%20(San%C3%A7%C3%B5es%202019).pdf

B3 2016. Regulamento do Novo Mercado. Disponível em: http://www.b3.com.br/data/files/B7/85/E6/99/A5E3861012FFCD76AC094EA8/Regulamento%20do%20Novo%20Mercado%20-%2003.10.2017%20(Sancoes%20pecuniarias%202019).pdf

Bortoluzzi, S.C., Ensslin, S.R., Ensslin, L. & Chaves, L.C. (2014). Indicadores de Desempenho Propostos em Pesquisas Nacionais e Internacionais para Avaliar Redes de Pequenas e Médias Empresas (PMEs). Revista Espacios. Vol. 35, nº2. P. 17. Disponível em: http://www.revistaespacios.com/a14v35n02/14350218.html

Coelho, F.S. (2004). EBITDA: a busca de uma melhor compreensão do maior vox Populi do mercado financeiro. Prêmio Contador Geraldo de La Rocque, abr.2004. Disponível em: <http://www.atena.org.br/revista/ojs-2.2.3-06/index.php/pensarcontabil/article/viewFile/66/66>

Crespo, A.A. (2009). Estatística Fácil. 19ª ed. atual., São Paulo, SP. Ed. Saraiva.

Fernandes, N.A. C., Dias, W.O. & Cunha, J.V.A. (2010). Governança Corporativa no contexto brasileiro: um estudo do desempenho das companhias listadas nos níveis da BM&FBOVESPA. Organizações em Contexto, 11(1):22-44

Fontenelles, M.J., Simões, M.G., Farias, S.H. & Fontenelles R.G.S. (2009). Metodologia da pesquisa científica: Diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. UNAMA, Belém/PA. Disponível em: <https://cienciassaude.medicina.ufg.br/up/150/o/Anexo_C8_NONAME.pdf>

Gil, A.C. (2008). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, SP. Atlas.

Lameira, V. (2005). (Coord) Negócios em Bolsa de Valores. São Paulo: Alaúde Editorial.

Lima, R. E.A., Amaral, M. B. V. & Hudson, F. (2008). Conflitos de Agência: Um estudo comparativo dos aspectos inerentes a Empresas Tradicionais e Cooperativas de Crédito, Identidade, Valores e Governança das Cooperativas. V Encontro de Pesquisadores Latino-americanos de Cooperativismo. Ribeirão Preto, SP.

Marion, J.C. (2007). Contabilidade Básica, 8ª Ed, São Paulo, SP. Atlas.

Martins, E. (2005). Análise crítica de balanços - Parte 1. Boletim IOB. Temática Contábil e Balanços. Bol. 26.

Matarazzo, D.C. (2008). Análise Financeira de Balanços, Abordagem Básica e Gerencial. 6ª Ed, São Paulo, SP. Atlas.

Nassiff, E., Souza, C.L. (2013). Conflitos de agencia e governança corporativa. Caderno de administração. Revista do departamento de administração da FEA – PUC (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). São Paulo. Vol. 7. n.1. Jan – Dez, p. 01 – 20

Níveis de Governança Corporativa – Entenda a importância. Trading Bolsa. 2018. Disponível em: <https://www.investimentonabolsa.com/2014/12/niveis-de-governanca-corporativa.html>.

Oliveira, D.P.R. (2006). Governança Corporativa na Prática: integrando acionistas, conselho de administração e diretoria executiva na geração de resultados. São Paulo. Atlas.

Oliveira, D.P.R. (1990). Sistemas, organização & métodos: uma abordagem gerencial. 4 ed. São Paulo. Atlas.

Padoveze, C.L.B., & Gideon, C. (2010). Análise das Demonstrações Financeiras. 3. ed. São Paulo. Cengage Learning.

Paula, L.F., Oreio, J.L. & Basilio, F. A.C. (2013). Estrutura do Setor bancário e o ciclo recente de expansão do crédito: O papel dos bancos públicos federais. Nova Economia. Belo Horizonte. Minas Gerais. v.23, n. 3, set./dez.

Pereira, A.S., Shitsuka, D.M., Parreira, F.J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. Editora UAB/NTE/UFSM, Santa Maria/RS. Disponível em: http://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Ribeiro, J.F. (2017). Gerenciamento de resultados e indicadores de desempenho em empresas brasileiras de capital aberto. UEPB - Universidade Estadual da Paraíba. Campina Grande, PB.

Sant’ana, F.A.M. (2015). A importância da governança corporativa para as instituições financeiras. IBRACON Instituto dos auditores independentes do Brasil. Disponível em: .

Santos, J.O. & Pedreira, E.B. (2004). Análise da relação entre o índice de governança corporativa e o preço das ações de empresas do setor de papel e celulose. Administração em Diálogo - PUC (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), São Paulo. v.6, p. 87-99

Soares, M., Lyra, R.L.W. C., Hein, N. & Kroenke, A. (2011). O emprego da análise de balanços e métodos estatísticos na área pública: o ranking de gestão dos municípios catarinenses. Revista de Administração Pública - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas. Rio de Janeiro, Brasil. Vol. 45. Nº 5. Sep./ Out. pp. 1425-1443.

Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S003476122011000500008&script=sci_abstract&tlng=pt>

Silva, E.C. (2010). Governança corporativa nas empresas: guia prático de orientação para acionistas, executivos, gestores, analistas de mercado e pesquisadores. 2ª ed. São Paulo. Atlas.

Silva, T.M. (2014). Teste t-Student: Teste de igualdade de variâncias. UFP-Universidade Federal do Pará. Belém, PA.

Terence, A.C. F. & Escrivão Filho, E. (2006). Abordagem quantitativa, qualitativa e a utilização da pesquisa-ação nos estudos organizacionais. XXVI ENEGEP - ABEPRO. Fortaleza, CE. Out

Thiollent, M. (2009). Metodologia de Pesquisa-ação. São Paulo: Saraiva

Vieira, C.B. H., Verde, I.O.L., Bezerra, R.L., Rodrigues, P.N. & Ismael, V.S. (2011). Índices de Rentabilidade: Um estudo sobre os Indicadores ROA, ROE de Empresas do Subsetor De Tecidos, Calçados e Vestuários, Listadas na Bovespa. – Convibra VIII Congresso Virtual Brasileiro – Administração. Disponível em: <http://www.convibra.com.br/upload/paper/adm/adm_3052.pdf>.

Vinhado, F.S. (2010). Determinantes da rentabilidade das instituições financeiras no Brasil: uma aplicação em painel dinâmico. Universidade Católica de Brasília. Brasília/DF. Disponível em: <https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/123456789/624>

Published

30/05/2019

How to Cite

SOUZA, L. O. de; PEDREIRO, I. L. D.; BARBOSA, A. L. M. A.; CASTRO, W. A. de. The influence of Corporate Governance on the profitability of Financial Institutions. Research, Society and Development, [S. l.], v. 8, n. 8, p. e09881179, 2019. DOI: 10.33448/rsd-v8i8.1179. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/1179. Acesso em: 24 sep. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences