Postpartum experiences in relation to childbirth assisted by obstetric nurses

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11830

Keywords:

Humanized childbirth; Obstetric nurse; Humanization of care.

Abstract

The aim of the study was to analyze the experience of the puerperal woman regarding humanized delivery performed by obstetric nurses. It was a descriptive exploratory research with a qualitative approach, with a survey of the number of puerperal women, who had vaginal births attended by obstetric nurses at a Maternity School located in the countryside of Rio de Janeiro, in the period between September 2018 to September 2019. A final sample of 13 postpartum women was obtained. The interviews and reports were analyzed and categorized. The characterization of the study sample was composed by the predominance of women in the age group between 18 and 36 years old, mixed race, single, multiparous and with incomplete high school. From the analysis and reports of the parturient women, four categories of study analysis were selected, namely: 1) Welcoming the pregnant woman as a differential in the assistance of the obstetric nurse; 2) Assistance to labor and technologies used for pain relief; 3) Birth assisted by the obstetric nurse and the golden hour as a bond between the binomial and 4) The perception and experience of the puerperal woman in relation to humanized childbirth. It was concluded with the research that the experience lived by the puerperal woman regarding the humanized delivery assisted by the obstetric nurse maintains the autonomy, freedom and uniqueness of the woman during the parturition process and guaranteeing the humanized labor.

Author Biography

Carlos Marcelo Balbino, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em Ciências do Cuidado em Saúde pela Universidade Federal Fluminense. Mestre em Enfermagem Assistencial pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente é Professor no Curso de graduação em Enfermagem da Universidade de Vassouras, Professor da Fundação Educacional de Volta Redonda - FEVRE e FAETEC do Estado do Rio de Janeiro.

References

Alves, D. F. C., Mourão, L. F., Marques, A. D. B., de Oliveira Branco, J. G., da Costa Cavalcante, R., & de Sousa Albuquerque, R. A. (2017). Processo de humanização na assistência de enfermagem à parturiente: revisão integrativa. SANARE-Revista de Políticas Públicas, 16(2), 68-76.

Brasil. (1986). Lei Nº 7.498/86, de 25 de Junho de 1986-Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Brasília (DF): Governo Federal.

Brasil. (2000). Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Programa Humanização do Parto: humanização no pré-natal e nascimento. Brasil. Ministério da Saúde.

Brasil. (2010). Ministério da Saúde (BR), Ministério da Saúde (BR), & Secretaria de Atenção à Saúde. Parto e nascimento domiciliar assistidos por parteiras tradicionais: o programa trabalhando com parteiras tradicionais e experiências exemplares.

Brasil. (2014) Humanização do parto e do nascimento. Universidade Estadual do Ceará. – Brasília: Ministério da Saúde, 465 p. v. 4.

Brasil. (2013). Ministério da Saúde. Portaria nº 371, de 7 de Maio de 2014. Institui diretrizes para a organização da atenção integral e humanizada ao recém-nascido (RN) no Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil, 151(86 Seção 1).

BRASIL. (2016) Resolução COFEN nº 516/2016 – alterada pela Resolução COFEN nº 524/2016. Brasília, 24 de junho de 2016. Normatiza a atuação e a responsabilidade do Enfermeiro, Enfermeiro Obstetra e Obstetriz na assistência às gestantes, parturientes, puérperas e recém-nascidos nos Serviços de Obstetrícia, Centros de Parto Normal e/ou Casas de Parto e outros locais onde ocorra essa assistência; estabelece critérios para registro de títulos de Enfermeiro Obstetra e Obstetriz no âmbito do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 80 (Seção 1).

Brasil. (2017). Ministério da Saúde. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: versão resumida.

Costa, P. D. S. I., Galdino, C. V., Balbino, C. M., Silvino, Z. R., dos Santos, L. M., & Joaquim, F. L. (2020). Gravidez no puerpério: os fatores que contribuem para uma gestação no ciclo puerperal. Research, Society and Development, 9(8), e547985440-e547985440.

Duarte, M. R., Alves, V. H., Rodrigues, D. P., Souza, K. V. D., Pereira, A. V., & Pimentel, M. M. (2019). Tecnologias do cuidado na enfermagem obstétrica: contribuição para o parto e nascimento. Cogitare enferm.[internet], 24, e54164.

Ferreira, K. M., Machado, L. V., & do Amparo Mesquita, M. (2014). Humanization normal child birth: a review of literature. Saúde em Foco, 1(2), 134-148.

Fujita, J. A. L. D. M., & Shimo, A. K. K. (2014). Parto humanizado: experiências no sistema único de saúde. Revista Mineira de Enfermagem, 18(4), 1006-1015.

Gomes, A. R. M., de Sousa Pontes, D., Pereira, C. C. A., Brasil, A. D. O. M., & Moraes, L. D. C. A. (2014). Assistência de enfermagem obstétrica na humanização do parto normal. Revista Recien-Revista Científica de Enfermagem, 4(11), 23-27.

Leal, M. D. C., & Gama, S. G. N. D. (2014). Nascer no brasil. Cadernos de Saúde Pública, 30, S5-S5.

Minayo, M. C. S., Deslandes, S. F., & Gomes, R. (2011). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Editora Vozes Limitada.

ONU, Organização das Nações Unidas. (2014). Cai a mortalidade materna no mundo, aponta OMS; redução no Brasil chega a 43%. https://nacoesunidas.org/cai-a-mortalidade-materna-no-mundo-aponta-oms-reducao-no-brasil-chega-a-43/

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. Ed. UAB/NTE/UFSM. https://repositorio. ufsm. br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica. pdf.

Pereira, M. S. (2016). Associação das Parteiras Tradicionais do Maranhão: relato da assistência ao parto. Saúde e Sociedade, 25, 589-601.

Progianti, J. M., & Porfírio, A. B. (2012). Participação das enfermeiras no processo de implantação de práticas obstétricas humanizadas na maternidade Alexander Fleming (1998-2004). Escola Anna Nery, 16(3), 443-450.

Ramos, W. M. A., Aguiar, B. G. C., Conrad, D., Pinto, C. B., & Mussumeci, P. A. (2018). Contribuição da enfermeira obstétrica nas boas práticas da assistência ao parto e nascimento. J Res Fundam Care, 10(1), 173-9.

Ricci, S. S. (2015). Enfermagem materno-neonatal e saúde da mulher. Grupo Gen-Guanabara Koogan.

Silva, L. N. M. D., Silveira, A. P. K. F., & Morais, F. R. R. D. (2017). Programa de humanização do parto e nascimento: aspectos instituicionais na qualidade da assistência. Rev. enferm. UFPE on line, 3290-3294.

Silva, I. A., Andrade, É. W. O. F., De Morais, F. F., Silva, R. S. D. S., & Oliveira, L. S. (2017). Percepção das puérperas acerca da assistência de enfermagem no parto humanizado. Revista Uningá, 53(2).

Vargens, O. M. D. C., Silva, A. C. V. D., & Progianti, J. M. (2017). Contribuição de enfermeiras obstétricas para consolidação do parto humanizado em maternidades no Rio de Janeiro-Brasil. Escola Anna Nery, 21(1).

Vendrúscolo, C. T., & Kruel, C. S. (2015). A história do parto: do domicílio ao hospital; das parteiras ao médico; de sujeito a objeto. Disciplinarum Scientia| Ciências Humanas, 16(1), 95-107.

Published

22/01/2021

How to Cite

SEVERO, R. D. .; TORRINHA, S. A. .; GALDINO, C. V. .; BALBINO, C. M.; SILVINO, Z. R. .; SANTOS , L. M. dos. Postpartum experiences in relation to childbirth assisted by obstetric nurses. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e42810111830, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11830. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11830. Acesso em: 1 mar. 2021.

Issue

Section

Health Sciences