Vulnerabilities of adolescents to sexually infections: An integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11867

Keywords:

Health vulnerability; Adolescent; Sexually transmitted diseases.

Abstract

The adolescence is a period of heterogeneous growth that marks the transition from childhood to adulthood, being associated with the development of sexual behavior, which may lead to an increased risk of sexually transmitted infections due to unprotected sex. The purpose of this study is to analyze the scientific production on the vulnerabilities of adolescents to sexually transmitted infections. The research was based on the methods of  an integrative review of the literature, which allows for the incorporation of evidence, a selection of studies was carried out in health databases such as: Lilacs, Scielo and Scopus. The inclusion criteria were: scientific articles, published between the years of 2013 to 2020. The collection period occurred in June of the year 2020. The research showed that the adolescents are in an individual vulnerability process to be used methods of preventing STIs in an irregular manner, such as condoms, associated with a lack of information on issues related to sexuality in adolescence such as: body; sex; genre; prevention of STIs. It was reported on the importance of the family to guide adolescents about sexuality and health, as well as the nurse for being a professional who act on educational actions in health in the health services. There is a need to expand and strengthen prevention actions among adolescents within schools, as proposed by the Health in School Program, involving students, teachers, families and the community in general. Strengthen educational health actions by building strategies that reach adolescents to reduce infections in this group.

References

Almeida, et al. (2014). Adolescência e sexualidade: scripts sexuais a partir das representações social. Revista Brasileira de Enfermagem, 109- 109

Almeida, et al. (2017). Conhecimento de adolescentes relacionados às doenças sexualmente transmissíveis e gravidez. Revista Brasileira de Enfermagem, 70, 1087- 1094

Ayres, (2018). Entrevista com Jose Ricardo Ayres. Revista Saúde e Sociedade, 27 (1), 51-60

Aracelly, V. & Lucia, S. T. (2016). Prevalência de infecciones da transmision sexual y factores de riesgo para la salud sexual de adolescentes escolarizados Medellin, Colômbia. 29, 05-17

Barreto, S. (2014). A vulnerabilidade da adolescente às doenças sexualmente transmissíveis: contribuições para a prática da enfermagem. Revista Research – Investigación. 809-816

Ministério da Saúde. (2009). Caderno de Atenção Básica - Saúde na Escola nº 24. Brasília. http://dab.saude.gov.br/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad24.pdf

Ministério da Saúde. (2016). Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico – Sífilis. Brasília, 47 (35)

Ministério da Saúde. (2017). Secretaria de Vigilância em Saúde, Boletim Epidemiológico- Sífilis. Brasília, 48 (36)

Ministério da Saúde. (2017). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Boletim Epidemiológico HIV AIDS 2017 - Aids e IST - Ano V - nº 1 - 27ª a 53ª - semanas epidemiológicas - julho a dezembro de 2016 - Ano V - nº 1 - 01ª a 26ª - semanas epidemiológicas - janeiro a junho de 2017

Ministério da Saúde. (2018). Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico - Sífilis; Brasília, 49 (45)

Ministério da Saúde. (2018). Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico – Hepatites Virais; Brasília, 49 (31)

Bibb, S. C., & Wanzer, L. J. (2008). Determining the evidence in the perioperative environment: standardizing research process tools for conducting the integrative literature review. Perioper Nurs Clin, 3(1), 1-17

Carvalho, P. M. R., et al. (2015). Prevalência de sinais e sintomas e conhecimento sobre doenças sexualmente transmissíveis. Acta Paulista de Enfermagem, 28(1), 95-100.

Cooper, J. M., Michelow, I. C., Wozniak, P. S., & Sánchez, Pablo J. (2016). In time: the persistence of congenital syphilis in Brazil - More progress needed!. Revista Paulista de Pediatria, 34(3), 251-253

Comins, C. A. et al. (2020). Vulnerability profiles and prevalence of HIV and other sexually transmitted infections among adolescent girls and young women in Ethiopia: A latent class analysis. PLoS ONE, 15(5), e0232598

Costa, M. I. F. et al. (2019). Social determinants of health and vulnerabilities to sexually transmitted infections in adolescents. Rev. Bras. Enferm, 72 (6), 1595-1601.

Galvão, C. M., Mendes, K. D. S., & Silveira, R. C. C. P. Revisão integrativa: método de revisão para sintetizar as evidências disponíveis na literatura. In: Brevidelli, M. M., Sertório, S. C. M. (2010). Trabalho de conclusão de curso: guia prático para docentes e alunos da área da saúde. São Paulo: Iátrica, 105-26.

Andrade, L. D. F. et al. (2015). Promovendo Ações Educativas Sobre Sífilis Entre Estudantes De Uma Escola Pública: Relato De Experiência. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 18(2), 161-166.

Macedo, et, al. (2013). Adolescência e sexualidade: scripts sexuais a partir das representações sociais; Revista Brasileira de Enfermagem, 66, 103- 109.

Mann, J., Tarantola, D. J. M., & Netter, T. (1993). Como avaliar a vulnerabilidade à infeção pelo HIV e AIDS. In: Parker R. A AIDS no mundo. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 276-300.

Malta E. C., Martins M. R., & Almeida M. F. Avaliação do conhecimento dos adolescentes sobre infecções sexualmente transmissíveis. Rev enferm UFPE on line., 7(esp), 7042-7047.

Mathur, S. et al. (2020). HIV vulnerability among adolescent girls and young women: a multicountry latent class analysis approach. International Journal of Public Health, [S. l.], 1-13.

Melnyk, B. M., & Fineout-Overholt, E. Making the case for evidence-based practice. In: Melnyk BM, Fineout-Overholt E. Evidence-based practice in nursing & healthcare. A guide to best practice. Philadelphia: Lippincot Williams & Wilkins; 2005. 3-24.

Moreira, W. C. et al. (2015). Ações educativas do enfermeiro na promoção da saúde sexual e reprodutiva do adolescente. R. Interd, 8 (3), 213-220.

Neves, R. G., et al. (2017). Simultaneidade de comportamentos de risco para infecções sexualmente transmissíveis em adolescentes brasileiros, 2012. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 26(3), 443-454

Paula, T. C. S., Moreira, F. G, & Andreoli, S. B. (2016). Efetividade do atendimento psicossocial na continuidade escolar de adolescentes em vulnerabilidade social. Revista Epidemio. Serv. Saúde, 789-798

Reis, et al. (2014). Vulnerabilidades à saúde na adolescência: condições socioeconômicas, redes sociais, drogas e violência. Revista Latino-Am. Enfermagem, 01-09

Ribeiro, L. L, Sousa, E. G., & Sousa, M. C. P. (2015). Vulnerabilidade de adolescentes as dst/hiv/aids associado ao uso de bebidas alcoólicas. Teresina - PI: UNINOVAFAPI

SÁ, et al. (2015). Infecções sexualmente e factores de risco nas adolescentes e jovens: Dados de um Centro de Atendimento a Jovens. Revista Nascer e Crescer, 29(2), 64-69

Sentís, A. et al. (2019). Sexually transmitted infections in young people and factors associated with HIV coinfection: an observational study in a large city. BMJ Open, 9, e027245

Sevalho, G. (2018). O conceito de vulnerabilidade e a educação em saúde fundamentada em Paulo Freire. Revista Interface, 177- 188

Silva, et al. (2015). Nurses’ perceptions of the vulnerabilities to STD/AIDS in light of the process of adolescence. Revista Gaúcha de Enfermagem, 72-78

Silva, et al. (2014). Vulnerabilidade na saúde do adolescente: questões contemporâneas. Revista Temas Livres Free Themes, 619 à 627

Souza, C. N. P. et al. (2014). Regressão logística aplicada aos casos de sífilis congênita no estado do Pará. Revista da Estatística UFOP, 3 (3)

Silva, et al. (2014). Vulnerabilidade na saúde do adolescente: questões contemporâneas. Ciência & Saúde Coletiva, 19(2), 619-627

Ursi, E. S., & Galvão, C. M. (2006). Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Rev Latino-Am Enfermagem, 14(1), 124-31

Published

28/01/2021

How to Cite

SOUZA, A. T. da S. .; FREITAS, F. R. N.; SILVA, M. F. G. .; SOUSA, M. da C. P. de .; PEREIRA, M. dos S. .; NASCIMENTO, S. B. do .; BARROS, D. F. de .; FREITAS, D. J. N. .; FORTES JÚNIOR, E. J. .; ALVES, M. C. S. .; SANTOS, N. D. de S. .; ALMEIDA, R. C. P. de .; OLIVEIRA, D. M. de M. .; SILVA, A. J. S. da .; PEDROSA, J. I. dos S. . Vulnerabilities of adolescents to sexually infections: An integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e59910111867, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11867. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11867. Acesso em: 1 mar. 2021.

Issue

Section

Review Article