Socioeconomic diagnosis of small farmers in the Tracateua community, Municipality of Moju, Pará, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11883

Keywords:

Sustainable development; Rural family production; Amazon region; Familiar agriculture; Rural diagnosis.

Abstract

Family farming is fundamental for the sustainable economic development of rural areas (Lima & Wilkinson, 2002), having great importance in the absorption of labor, in the generation of jobs and in the local, territorial food, nutritional and productive production of peoples. rural and urban areas (Gomes, 2017). The works developed in the Brazilian agrarian communities are of fundamental importance for the country's economy, essentially, in the contemporary world, for small rural communities. Starting from this point, the objective of this work was to identify and evaluate the socioeconomic characteristics and the profile of farmers in the Tracateua community, located in the municipality of Moju (PA). The study was developed in the Tracateua community, municipality of Moju, State of Pará, which is located at the Embrapa branch, at km 30 of PA 150, located approximately 38 km from the municipality's headquarters (Moju) and 295 km from the city of Belém In the community of Tracateua, municipality of Moju, there is no reserve of labor to dedicate to family farming. The products most produced in the community are cassava, corn, beans, rice and passion fruit, with cassava being the main product, sold in the form of flour. As for the relationship between the studied variables, the correlation between them can be considered average. The main socioeconomic factors that stand out the most are: the relationship of time in the community with the family's monthly income, other incomes, size of the property, education of the head of the family and area of cultivation and the Age of the head of the family influences the number of children.

References

Alves, R. N. B., & Modesto Júnior, M. S (2012). Roça sem fogo e trio da produtividade da mandioca. Inclusão Social, 6 (1), 191-200.

Aquino, J. R., Freire, J. A., & Carvalho, A. C. A. T. (2017). Importância, heterogeneidade e pobreza da agricultura familiar no estado do Rio Grande do Norte. Revista Geotemas, 7 (2), 66-92.

Bianchini, P. C., Takagi, M., Piraux, C., Tonneau, J. P., Bianchini, F., Ferreira, M. A. J. F., & Silva, P. C. G. (2016). Agricultura Familiar, Territórios e Políticas Públicas: Diretrizes para uma agenda de Pesquisa. https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1057606/agricultura-familiar-territorios-e-politicas-publicas-diretrizes-para-uma-agenda-de-pesquisa.com

Buza, G. A. (2006). Potencialidades e perspectivas socioeconômicas sistemas agroflorestais no município de Buco Zau, província de Cabinda, República de Angola. Tese de Doutorado em Ciências Agrárias, Universidade Federal Rural da Amazônia e Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA, Brasil.

Carvalho, D. C. M., & Monteiro, M. S. L. (2015). (Des) Construção teórica da agricultura familiar, 9 (1), 134-143.

Corrar, L. J., Paulo, E., & Dias filho, J. M. (2009). Análise multivariada: Para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. Atlas.

Duarte, G. B., Sampaio, B., & Sampaio, Y. (2009). Programa Bolsa Família: impacto das transferências sobre os gastos com alimentos em famílias rurais. Revista de Economia e Sociologia Rural, 47 (4), 903-918.

Figueiredo filho, D. B., & Silva júnior, J. A. (2010). Visão além do alcance: uma introdução à análise fatorial. Opinião Pública, 16 (1), 160-185.

Finatto, A. A., & Salamoni, G. (2008) Agricultura familiar e agroecologia: perfil da produção de base agroecológica do município de Pelotas/RS. Sociedade & Natureza, 20 (2), 199-217.

Gomes, F. L., & Duarte, A. G. (2017). Quintais produtivos e resiliência alimentar nos espaços. Revista Craibeiras de Ecologia, 1 (1), 1-4.

Guanziroli, C., Romeiro, A., Buainain, A. M., Di sabbato, A., & Bittencourt, G. (2001). Agricultura familiar e reforma agrária no século XXI (1ª ed.): Garamond.

Hair, F. J., Black, W. C., Babin, B., Anderson, R. E., & Tathan, R. L. (2009). Análise multivariada de dados (6a ed.): Bookman.

Hébette, J., & Navegantes, R. S. (2000). CAT-Ano décimo: etnografia de uma utopia. UFPA.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2001). SIDRA, Sistema IBGE de recuperação automática: Banco de dados Agregados. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/ protabl.asp?.

Leff, E. (2002). Epistemologia ambiental: Revista ambiente e sociedade.

Lima. D. M. A., & Wilkinson, J. (2002). Inovação nas Tradições da Agricultura Familiar: CNPq Paralelo.

Loureiro, V. R., & Pinto, J. N. A. (2005). A questão fundiária na Amazônia. Estudos Avançados, 19 (54), 77-98.

Maciel, R. C. G., & Gomes, K. P. C. C. (2013). Agricultura familiar no Acre: considerações a partir do censo agropecuário. Sociedade e desenvolvimento rural, 7(2), 1-15.

Maciel. R. C. G., Campos. K. P. C., & Souza. E. F. (2010). Diagnóstico socioeconômico da produção familiar rural nos pólos agroflorestais do Acre. SOBER, 1, 1-17.

Melo, R. M. S., & Duarte, G. B. (2010). Impacto do Programa Bolsa Família sobre a frequência escolar: o caso da agricultura familiar no Nordeste do Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, 48 (3), 635-656.

Modesto Júnior, M. S., Alves, R. N. B., & Silva, E. S. A. (2009). Produtividade de agricultores de mandioca do Baixo Tocantins. Embrapa, 23. https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/576549/produtividade-de-mandioca-de-agricultores-familiares-do-baixo-tocantins-para.com.

Mota, D. M., Meyer, G., Sato, R. B., & Vieira, P. R. (2007). Ocupação e desmatamento no Alto Moju versus conservação e mudanças no uso de seus recursos naturais. EMBRAPA, 1 (1), 9-25.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UAB/NTE/UFSM.

Pimenta, L., Beltrão, N., Gemaque, A., & Pontes, A. (2018). Dinâmica do uso e cobertura da terra em municípios prioritários: uma análise no município de Moju, Pará no período de 2008 a 2014. Revista de Geografia e Ordenamento do Território, 1(14), 267-281.

Pompeu, G. S. S., Rosa, L. S., Araújo, S. L. F., Araújo, A. B. B., & Silveira, E. L. (2011). Influência das características socioeconômicas de agricultores familiares na adoção de sistemas agroflorestais. Revista de ciências Agrárias, 54 (1), 33-41.

Rocha, J. F. (2015). A formação de novas territorialidades. Tese de mestrado, Belém, PA, Brasil.

Romeiro, A. R., Guanziroli, C., Palmeira, M., & Leite, S. (1994). Reforma Agrária: produção emprego e renda o relatório da FAO em debate (1ª ed.): Vozes.

Rosa, L. A. B., & Guimarães, M. F. (2011). Diagnóstico socioeconômico em assentamentos rurais no município de Tamarana – PR. Semina. Ciências Agrárias, 32 (3), 809-828.

Rosa, L. S. (2002). Limites e possibilidades do uso sustentável dos produtos madereiros e não madereiros na Amazônia brasileira: o caso dos pequenos agricultores da Vila Boa Esperança, em Moju, no Estado do Pará. Tese de Doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico úmido,Universidade Federal do Pará/Naea, Belém, PA, Brasil.

Santana, A. C. (2005). Elementos de economia, agronegócio e desenvolvimento local: UFRA.

Santos, P. L., Silva, J. M. L., Silva, B. N. R., Santos, R. D., & Rego, G. S. (1985). Levantamento semidetalhado dos solos e avaliação da aptidão agrícola das terras para culturas de dendê e seringueira. https://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/handle/doc/970228 192.com.

Santos, P. L., Silva, J. M. L., Silva, B. N. R., Santos, R. D., & Rego, G. S. (2003) Caracterização e potencialidade dos solos do Campo Experimental de Moju. EMBRAPA, 1 (1).

Secretaria de Estado de Integração Regional. (2010). Atlas de Integração Regional do Estado do Pará. https://livroaberto.ufpa.br/jspui/bitstream/prefix/127/1/Livro_AtlasGeograficoEscolar.pdf.

Sousa, R. P. (2002). Granja Marathon: a luta pela terra e a organização do trabalho em um assentamento rural no nordeste do Pará. Dissertação de Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável, Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural, Universidade Federal do Pará e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Belém, PA, Brasil.

Tourrand, J. F., & Veiga, J. B. (2003). Viabilidade de Sistemas Agropecuários na Agricultura Familiar da Amazônia (1ª ed.): Embrapa Amazônia Oriental.

Vieira, T. A., Rosa, L. S., & Santos, M. M. L. S. (2013). Condições socioeconômicas para o manejo de quintais agroflorestais em Bonito, Pará. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 8 (3), 58-463.

Vieira, T. A., Rosa, L. S., Vasconcelos, P. C. S., Santos, M. M., & Modesto, R. S. (2007). Adoção de sistemas agroflorestais na agricultura familiar, em Igarapé-Açu, Pará, Brasil. Revista de Ciências Agrárias, 47 (1), 9-22.

Published

18/01/2021

How to Cite

SILVA, S. P. da; VIÉGAS, I. de J. M. .; NOGUEIRA, A. K. M. .; LIMA, S. K. dos S. de; SILVA, D. A. S.; VIÉGAS, S. de F. S. da S. . Socioeconomic diagnosis of small farmers in the Tracateua community, Municipality of Moju, Pará, Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e37010111883, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11883. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11883. Acesso em: 1 mar. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences