Steps in the identification and compliance process of patient data in the emergency room

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11923

Keywords:

Patient Identification Systems; Patient safety; Nursing; Emergency Medical Services.

Abstract

Objectives: To investigate whether the identification data of patients' wristbands of emergency units correspond to what the Patient Identification Protocol recommends, and verify whether the health team performs the steps of the patient identification process at Emergency Room Units. Methods: descriptive, observational, quantitative and cross-sectional study, carried out between July and September 2017. The sample consisted of 240 patients with more than 24 hours in the emergency room of three public university hospitals in the South of Brazil. Data were collected in a form filled at the bedside. In the analysis, the chi-square test was applied for the categorical variables. The level of significance was α = 0.05. Results: The overall data identification wristband compliance was 85.7%. Among the stages of the identification process, the best result occurred in the "Identification conditions" phase (96.2%). The "Adherence to the identification data conference" (48.3%) was the least executed step. Conclusion: The prevalence and compliance of the patient identification data were high, but, in the identification process, the team's data check phase was low.

Author Biographies

Suelen Cristina Zandonadi Bernal, Universidade Estadual de Maringá

Chefe da Divisão de Internamento do Hospital Universitário de Maringá - HU/UEM. Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual de Maringá - UEM (2006). Especialização em Enfermagem nas Emergências pela PUC-PR (2008). Mestrado em Enfermagem pela UEM (2018). Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem na urgência e emergência.

Daiane Cortez Raimondi, Universidade Estadual de Maringá

Mestre em Enfermagem pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) (02/2018). Especialista em Auditoria em Saúde pela Faculdade Ingá (2012). Especialista em Docência do Ensino Superior pela Unicesumar - Centro Universitário Cesumar (2020). Graduada em Enfermagem pela Universidade Paranaense - UNIPAR, laureada melhor aluna do Curso de Enfermagem da Universidade Paranaense (2010). Foi professora assistente (Tempo Integral - 2013 - 2015) dos Cursos de Enfermagem, Farmácia e Fisioterapia; Coordenadora do Curso de graduação em Enfermagem da Universidade Paranaense - UNIPAR - Unidade Universitária Toledo -PR (2013-01/2015); . Docente dos Cursos de Enfermagem e Medicina da Unipar - Umuarama (2019). Atualmente é Docente e Coordenadora do Curso de Enfermagem da UNIPAR e Gestora Pedagógica dos Cursos de Especialização na Área da Saúde e Desportivo na modalidade de Ensino à Distância - EAD da UNIPAR - Unidade Universitária de Umuarama - PR. Atua na área de atenção primária à saúde e saúde da mulher. Enfermeira da Estratégia Saúde da Família no Município de Umuarama - PR 

Greice Westphal, Universidade Estadual de Maringá

Aluna regular de Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM/UEL. Bolsista ATP-A/CNPQ Projeto: 443353/2016-6 Ensaio de Eficácia de um Programa de Orientação para Mudança de Hábitos alimentares e de Atividade Física em Adultos com Sobrepeso e Obesidade Abdominal de Três Países da América do Sul: Estudo BRAASUL, vinculado a Universidade Estadual de Maringá, pelo Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade-NEMO/HUM/UEM. Mestre pelo Curso de Ciências do Movimento Humano da Faculdade de Ciências de Saúde, pela Universidade Metodista de Piracicaba (2017) - Linha de pesquisa Avaliação e Reabilitação Funcional - Foi bolsista da(o): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Especialista em Educação Física Escolar, Recreação, Fisiologia do Exercício e Saúde pela Associação Catarinense de Ensino Faculdade Guilherme Guimbala (2011). Graduada em Educação Física pela Universidade do Vale do Itajaí (2010). Atualmente participa do Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade (NEMO) na Universidade Estadual de Maringá (UEM) como membro do grupo de pesquisa. É integrante da Canadian Obesity Network (CON). É Coordenadora de Engajamento no programa ?Otimizando o Tratamento e Gerenciamento da Obesidade (OPTiMO)? em parceria com o MDBriefCase, em Toronto - Canadá. Bolsista técnica do laboratório NEMO pelo projeto: Ensaio de eficácia de um programa de orientação para a mudança de hábitos alimentares e de atividade física em adultos com sobrepeso e obesidade abdominal de três países da América do Sul: Estudo BRAASUL (Colômbia, Brasil e Chile). Atua principalmente nos seguintes temas: Obesidade, Fisiologia do Exercício, Avaliação e Reabilitação Funcional e Atividade Física.

Nelson Nardo Junior, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - FCT - Pres. Prudente-SP (1994), mestrado em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - IB - Rio Claro-SP (1998) e doutorado em Nutrição Humana Aplicada pela Universidade de São Paulo (2005). Realizou, no período de 2011-2012, estágio de pós-doutorado na University of Ottawa-Canada na Behavioral and Metabolic Research Unit e no ano de 2015 no Research Institute do Children's Hospital of Eastern Ontario. Professor associado da Universidade Estadual de Maringá, Coordenador do Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física UEM/UEL no período 2012-2014, Coordenador do Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade (NEMO) e integrante da Canadian Obesity Network (CON). Diretor adjunto do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Maringá (2016-2020). Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase na área da Atividade Física relacionada à Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: Promoção da Saúde, prevenção e tratamento de doenças cronicas não transmissíveis, tratamento multiprofissional da obesidade e doenças associadas, atividade física, aptidão física, composição corporal e controle metabólico.

Carlos Alexandre Molena Fernandes, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (2003), Especialização em Promoção à Saúde do Homem (2004), Mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Maringá (2006) e Doutorado em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Estadual de Maringá (2010). Docente Adjunto C da UNESPAR (Universidade Estadual do Paraná - Campus de Paranavaí). Atualmente é professor permanente no programa de Pós-Graduação Stricto Sensu (Mestrado e Doutorado em Enfermagem) da Universidade Estadual de Maringá - UEM. Ministra as Disciplinas de Fisiologia do Exercício; Nutrição Esportiva; Epidemiologia, Bioestatística e Prevenção e Tratamento não Farmacológico das Doenças Crônicas. Líder do Grupo de Pesquisa NEPEMAAS (Núcleo de Estudos e Pesquisas Multidisciplinares em Políticas, Avaliação e Atenção em Saúde). Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Promoção à Saúde do Homem, atuando principalmente nos seguintes temas: Epidemiologia, Produtos Naturais, Doenças Crônicas (Diabetes, Hipertensão, Obesidade e Síndrome Metabólica), Atividade física e Saúde e Fisiologia do Exercício.

Laura Misue Matsuda, Universidade Estadual de Maringá

Possui Graduação em Enfermagem pela Fundação Faculdade de Educação Ciências e Letras de Cascavel. Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado em Enfermagem Fundamental, pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo - USP. Atualmente é professora Associada da Universidade Estadual de Maringá, atua nos Curso de Graduação e Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado) e; é líder do Núcleo de Pesquisa, Prática e Ensino em Gestão em Saúde (NUPPEGES), certificado pelo CNPq em julho de 2015. Tem experiência na área de ensino e pesquisa em Enfermagem, com ênfase em Administração/Gestão em Saúde/Enfermagem e atua principalmente nos seguintes temas: Gestão da Qualidade em Saúde/Enfermagem e Segurança do Paciente. É membro do Comitê de Ética em Pesquisas da Universidade Estadual de Maringá e bolsista Produtividade do CNPq

References

AHRQ, A. for H. R. and Q. (2001). Annual Report on Research and Management. Florida Fish and Wildlife . Conservation Com-mission. http://www.ahrq.gov/about/annrpt01/

Andy Field. (2009). Discovering Statistics using SPSS Statistics. SAGE Publications, 66, 822. http://www.amazon.com/Discovering-Statistics-using-IBM-SPSS/dp/1446249182

Bates, D. W., Larizgoitia, I., Prasopa-Plaizier, N., & Jha, A. K. (2009). Global priorities for patient safety research. BMJ (Online), 338(7705), 1242–1244. https://doi.org/10.1136/bmj.b1775

Brasil, M. da S. (2006). Política Nacional de Atenção as Urgências. (M. da Saúde (org.); 3o ed).

Brasil, M. da S. (2013). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Portaria no 36, de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências.

Hoffmeister, L. V., & Moura, G. M. S. S. de. (2015). Use of identification wristbands among patients receiving inpatient treatment in a teaching hospital. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 23(1), 36–43. https://doi.org/10.1590/0104-1169.0144.2522

Howanitz, P. J., Renner, S. W., & Walsh, M. K. (2002). Continuous Wristband Monitoring Over 2 Years Decreases Identification Errors. Archives of Pathology & Laboratory Medicine, 126(7), 809–815. http://www.archivesofpathology.org/doi/abs/10.1043/0003-9985%282002%29126%3C0809%3ACWMOYD%3E2.0.CO%3B2

Latham, T., Malomboza, O., Nyirenda, L., Ashford, P., Emmanuel, J., M’baya, B., & Bates, I. (2012). Quality in practice: Implementation of hospital guidelines for patient identification in Malawi. International Journal for Quality in Health Care, 24(6), 626–633. https://doi.org/10.1093/intqhc/mzs038

Martínez-Ochoa, E. M., Cestafe-Martínez, A., Soledad Martínez-Sáenz, M., Belío-Blasco, C., Caro-Berguilla, Y., & Rivera-Sanz, F. (2010). Evaluación de la implantación de un sistema de identificación inequívoca de pacientes en un hospital de agudos. Medicina Clínica, 135, 61–66. https://doi.org/10.1016/S0025-7753(10)70022-1

Padilha, E. F., Haddad, M. D. C. F. L., & Matsuda, L. M. (2014). Qualidade Dos Registros De Enfermagem Em Terapia Intensiva: Avaliação Por Meio Da Auditoria Retrospectiva. Cogitare Enfermagem, 19(2). https://doi.org/10.5380/ce.v19i2.32103

Prade Hemesath, M., Barreto dos Santos, H., Schroder Torelly, E., Bolzan Motta, M., Silveira Pasin, S., & Muller de Magalhães, A. (2015). Avaliação e gestão da adesão dos profissionais à verificação da identificação do paciente. Revista Acreditação, 5(9), 45–54.

Souza, C. C. de, Toledo, A. D., Tadeu, L. F. R., & Chianca, T. C. M. (2011). Classificação de risco em pronto-socorro: concordância entre um protocolo institucional brasileiro e Manchester. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 19(1), 26–33.

Suñol, R., Vallejo, P., Groene, O., Escaramis, G., Thompson, A., Kutryba, B., & Garel, P. (2009). Implementation of patient safety strategies in European hospitals. Quality and Safety in Health Care, 18(SUPPL. 1). https://doi.org/10.1136/qshc.2008.029413

Tase, T. H., & Tronchin, D. M. R. (2015). Sistemas de identificação de pacientes em unidades obstétricas e a conformidade das pulseiras. Acta Paulista de Enfermagem, 28(4), 374–380. https://doi.org/10.1590/1982-0194201500063

Teasdale Graham, Allan, D., Brennan, P., McElhinney, E., & Mckinnon, L. (2014). Forty years on: updating the Glasgow Coma Scale. Nursing Times, 110(42), 12–16.

WHO, W. H. O. (2003). Patient Identification: The Foundation for a Culture of Patient Safety. Journal of Nursing Care Quality, 18(1), 73–79. https://doi.org/10.1097/00001786-200301000-00010

World Health Organization WHO. (2006). Quality of care: A process for making strategic choices in health systems. The Journal of the American Medical Association, 267, 1–50. https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/43470/9241563249_eng.pdf%0Afile:///E:/THESIS WENNY/Jurnal/Quality of Care_B.Def WHO.pdf

Zanelatto, D. M., & Dal Pai, D. (2010). Práticas de acolhimento no serviço de emergência: a perspectiva dos profissionais de enfermagem. Ciência, Cuidado e Saúde, 9(2). https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v9i2.9390

Published

14/01/2021

How to Cite

BERNAL, S. C. Z. .; RAIMONDI, D. C. .; WESTPHAL, G.; NARDO JUNIOR, N. .; FERNANDES, C. A. M. .; MATSUDA, L. M. . Steps in the identification and compliance process of patient data in the emergency room. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e33910111923, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11923. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11923. Acesso em: 1 mar. 2021.

Issue

Section

Health Sciences