Basal metabolic rate for adolescents with overweight or obesity

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.11964

Keywords:

Indirect calorimetry; Basal metabolism; Metabolic Rest Rate; Electrical Bioimpedance; Obesity.

Abstract

The basal metabolic rate (BMR) represents the main component of energy expenditure (SG) in humans and, therefore, has great relevance in obesity treatment programs. Despite this, there are few studies that present data related to BMR of overweight or obese adolescents. Therefore, the objective of the present study is to present information about BMR of adolescents aged between 10 and 18 years old, of both sexes, with a BMI between 25.3 and 52.5 kg / m2. 91 adolescents were evaluated using the indirect calorimetry (CI) method, 37 boys and 54 girls. The prevalence of overweight was 23.0%, obesity 36.3% and severe obesity (40.6%). The median BMR was 2,150.9 and 1,548.4 for boys and girls, respectively (p <0.05). Despite this, there was no significant difference in BMR per unit of mass (TMB / Kg) or per unit of lean mass (TMB / MM). In addition, a significant correlation (p <0.000) was found between BMR measured by CI and that estimated by multifrequency electrical bioimpedance.

Author Biographies

Greice Westphal, Universidade Estadual de Maringá

Aluna regular de Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM/UEL. Bolsista ATP-A/CNPQ Projeto: 443353/2016-6 Ensaio de Eficácia de um Programa de Orientação para Mudança de Hábitos alimentares e de Atividade Física em Adultos com Sobrepeso e Obesidade Abdominal de Três Países da América do Sul: Estudo BRAASUL, vinculado a Universidade Estadual de Maringá, pelo Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade-NEMO/HUM/UEM. Mestre pelo Curso de Ciências do Movimento Humano da Faculdade de Ciências de Saúde, pela Universidade Metodista de Piracicaba (2017) - Linha de pesquisa Avaliação e Reabilitação Funcional - Foi bolsista da(o): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Especialista em Educação Física Escolar, Recreação, Fisiologia do Exercício e Saúde pela Associação Catarinense de Ensino Faculdade Guilherme Guimbala (2011). Graduada em Educação Física pela Universidade do Vale do Itajaí (2010). Atualmente participa do Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade (NEMO) na Universidade Estadual de Maringá (UEM) como membro do grupo de pesquisa. É integrante da Canadian Obesity Network (CON). É Coordenadora de Engajamento no programa ?Otimizando o Tratamento e Gerenciamento da Obesidade (OPTiMO)? em parceria com o MDBriefCase, em Toronto - Canadá. Bolsista técnica do laboratório NEMO pelo projeto: Ensaio de eficácia de um programa de orientação para a mudança de hábitos alimentares e de atividade física em adultos com sobrepeso e obesidade abdominal de três países da América do Sul: Estudo BRAASUL (Colômbia, Brasil e Chile). Atua principalmente nos seguintes temas: Obesidade, Fisiologia do Exercício, Avaliação e Reabilitação Funcional e Atividade Física.

Geison Schmidt Soares, Universidade Estadual de Maringá

Graduado em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), iniciou suas experiências profissionais com atuação nas áreas de Natação, Musculação, Treinamento Funcional, Personal Trainer e Avaliação Física. Pós-graduado na especialização Lato Sensu em Educação Especial: Atendimento às Necessidades Especiais, pelo Instituto de Estudos Avançados e Pós-graduado na especialização Lato Sensu em Saúde Mental na Atenção Primária à Saúde, pela Escola de Saúde Pública do Paraná (ESPP). Atualmente participa do Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade (NEMO) na Universidade Estadual de Maringá (UEM) como membro do grupo de pesquisa. Atua também como Profissional de Educação Física da Saúde no Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF - AB), pela Secretaria Municipal de Saúde de Maringá/PR. Em 2018, foi vice-presidente da CIPA - PSF/NASF. Atualmente, permanece atuando como Personal Trainer e também integra a Diretoria de Assistência e Promoção à Saúde como Gerente de Promoção e Prevenção em Saúde e Coordenação de NASF-AB no município de Maringá, bem como, coordena, integra e/ou intermedia a Rede de Assistência à Violência (RAV) de Maringá; Comitê de Prevenção e Pósvenção ao Suicídio; Comitê de Aleitamento Materno; Conselho Municipal de Esporte e Lazer (CMEL); Projeto Vida no Trânsito (PVT) no município de Maringá/PR e Projeto NEMO/HUM/UEM com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Maringá/PR. Atua principalmente nos seguintes temas: Promoção e Prevenção em Saúde, Obesidade, Fisiologia do Exercício, Avaliação e Reabilitação Funcional e Atividade Física.

Bruno de Souza Vespasiano, Universidade Metodista de Piracicaba

Doutor em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Mestre em Educação Física pela UNIMEP. Possui Especializações em: Reabilitação Cardíaca e Grupos Especiais (FEFISO), Fisiologia do Exercício (UGF), Bioquímica do Exercício (UGF) e Cinesiologia e Biomecânica (ESTÁCIO DE SÁ). Graduado em Educação Física (FKB) e Pedagogia (UNINOVE). Professor na Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva (FAIT). Professor convidado nos cursos de Especialização (Latu Sensu) nas Universidades: Estácio de Sá, FMU, UNIFAE, UNITOLEDO, UNEAC, UNIMEP e Faculdade INSPIRAR. Professor de educação física escolar (ensino fundamental e médio) na escola pública e privada.

Heloá Costa Borim Christinelli, Universidade Estadual de Maringá

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Mestre em Tecnologia em Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR (2016). Possui graduação em Enfermagem pela Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí (2010), especialização em Assistência na Urgência e Emergência pela Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí (2013) e em Enfermagem do Trabalho pela Faculdade Itecne de Cascavel (2014). Docente do Colegiado de Enfermagem da UNESPAR - Campus de Paranavaí. Atuou como Docente no Departamento de Enfermagem na Universidade Estadual de Maringá e no curso de Medicina da UNICESUMAR. Possui experiência como Enfermeira na Estratégia Saúde da Família e na Assistência de Enfermagem Hospitalar.

Igor Alisson Spagnol Pereira, Universidade Estadual de Maringá

Aluno regular de Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM/UEL. Graduado em Educação Física (Licenciatura) pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Bolsista de Iniciação Científica pela Universidade Estadual de Maringá - UEM (2017 - 2018). Bolsista de Iniciação Cientifica pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq (2018 - 2019). Integrante do Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade (NEMO-UEM-HUM) vinculado ao Departamento de Educação Física UEM. 

Mario Moreira Castilho, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá- PR - (1992), Mestrado em Promoção da Saúde - Envelhecimento Ativo com o tema: Influência do Envelhecimento Sobre o Condicionamento Físico de Bombeiros Militares de Maringá - PR.- (2013). Orientador Professor Dr. Joaquim Martins Júnior. Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Física da UEM com o tema: Efeitos de um Programa Multiprofissional de Tratamento da Obesidade de Longa Duração Sobre Parâmetros Bioquímicos e de Aptidão Física em Adultos com Obesidade Severa. Orientador Professor Dr. Nelson Nardo Júnior. Participante do NEMO (Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade). Atualmente é Sargento - Polícia Militar do Estado do Paraná. Tem experiência na área de Educação Física, atuando principalmente nos projetos de: Obesidade, Maratona de Revezamento, Bombeiros por 24 horas, Prova Rústica Tiradentes, Dia Desafio e DUATLHON.

Fernando Malentaqui Martins, Universidade Estadual de Maringá

Aluno regular de Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM/UEL Graduado em Educação Física pela Universidade Paranaense (2007). Especialização em Educação Especial. Atualmente participa do Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade (NEMO) na Universidade Estadual de Maringá (UEM) como membro do grupo de pesquisa no projeto 443353/2016-6 Ensaio de Eficácia de um Programa de Orientação para Mudança de Hábitos alimentares e de Atividade Física em Adultos com Sobrepeso e Obesidade Abdominal de Três Países da América do Sul: Estudo BRAASUL, vinculado a Universidade Estadual de Maringá, pelo Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade-NEMO/HUM/UEM Coordenado pelo Prof° Dr.° Nelson Nardo Júnior.

Nelson Nardo Junior, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - FCT - Pres. Prudente-SP (1994), mestrado em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - IB - Rio Claro-SP (1998) e doutorado em Nutrição Humana Aplicada pela Universidade de São Paulo (2005). Realizou, no período de 2011-2012, estágio de pós-doutorado na University of Ottawa-Canada na Behavioral and Metabolic Research Unit e no ano de 2015 no Research Institute do Children's Hospital of Eastern Ontario. Professor associado da Universidade Estadual de Maringá, Coordenador do Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física UEM/UEL no período 2012-2014, Coordenador do Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade (NEMO) e integrante da Canadian Obesity Network (CON). Diretor adjunto do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Maringá (2016-2020). Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase na área da Atividade Física relacionada à Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: Promoção da Saúde, prevenção e tratamento de doenças cronicas não transmissíveis, tratamento multiprofissional da obesidade e doenças associadas, atividade física, aptidão física, composição corporal e controle metabólico. 

References

Andy Field. (2009). Discovering Statistics using SPSS Statistics. SAGE Publications, 66, 822. http://www.amazon.com/Discovering-Statistics-using-IBM-SPSS/dp/1446249182

Barak, N., Wall-Alonso, E., Cheng, A., & Sitrin, M. D. (2003). Use of bioelectrical impedance analysis to predict energy expenditure of hospitalized patients receiving nutrition support. Journal of Parenteral and Enteral Nutrition, 27(1), 43–46. https://doi.org/10.1177/014860710302700143

Brunetto, B. C., Guedes, D. P., & Brunetto, A. F. (2010). Taxa metabólica basal em universitários: comparação entre valores medidos e preditos. Revista de Nutricao, 23(3), 369–377. https://doi.org/10.1590/S1415-52732010000300005

Clark, H. D., & Hoffer, L. J. (1991). Reappraisal of the resting metabolic rate of normal young men. American Journal of Clinical Nutrition, 53(1), 21–26. https://doi.org/10.1093/ajcn/53.1.21

Cole, T. J., Bellizzi, M. C., Flegal, K. M., & Dietz, W. H. (2000). Establishing a standard definition for child overweight and obesity worldwide: international survey. Bmj, 320(table 1), 1–6. https://doi.org/10.1136/bmj.320.7244.1240

Cruz, C. M., Da Silva, A. F., & Dos Anjos, L. A. (1999). A taxa metabólica basal é superestimada pelas equações preditivas em universitárias do Rio de Janeiro, Brasil. Archivos Latinoamericanos de Nutricion, 49(3), 232–237.

Heyward, V. (2001). ASEP methods recommendation: Body composition assessment. Journal of Exercise Physiology Online, 4(4), 1–12.

Johnstone, A. M., Murison, S. D., Duncan, J. S., Rance, K. A., & Speakman, J. R. (2005). Factors influencing variation in basal metabolic rate include fat-free mass, fat mass, age, and circulating thyroxine but not sex, circulating leptin, or triiodothyronine. American Journal of Clinical Nutrition, 82(5), 941–948. https://doi.org/10.1093/ajcn/82.5.941

Lazzer, S., Bedogni, G., Lafortuna, C. L., Marazzi, N., Busti, C., Galli, R., De Col, A., Agosti, F., & Sartorio, A. (2010). Relationship between basal metabolic rate, gender, age, and body composition in 8,780 white obese subjects. Obesity, 18(1), 71–78. https://doi.org/10.1038/oby.2009.162

Luy, S. C. R., & Dampil, O. A. (2018). Comparison of the harris-benedict equation, bioelectrical impedance analysis, and indirect calorimetry for measurement of basal metabolic rate among adult obese filipino patients with prediabetes or type 2 diabetes mellitus. Journal of the ASEAN Federation of Endocrine Societies, 33(2), 152–159. https://doi.org/10.15605/jafes.033.02.07

Mascarenhas, L. P. G., Salgueirosa, F. de M., Nunes, G. F., Martins, P. Â., Stabelini Neto, A., & Campos, W. de. (2005). Relação entre diferentes índices de atividade física e preditores de adiposidade em adolescentes de ambos os sexos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 11(4), 214–218. https://doi.org/10.1590/s1517-86922005000400002

McDuffie, J. R., Adler-Wailes, D. C., Elberg, J., Steinberg, E. N., Fallon, E. M., Tershakovec, A. M., Arslanian, S. A., Delany, J. P., Bray, G. A., & Yanovski, J. A. (2004). Prediction equations for resting energy expenditure in overweight and normal-weight black and white children. American Journal of Clinical Nutrition, 80(2), 365–373. https://doi.org/10.1093/ajcn/80.2.365

Ng, M., Fleming, T., Robinson, M., Thomson, B., Graetz, N., Margono, C., Mullany, E. C., Biryukov, S., Abbafati, C., Abera, S. F., Abraham, J. P., Abu-Rmeileh, N. M. E., Achoki, T., Albuhairan, F. S., Alemu, Z. A., Alfonso, R., Ali, M. K., Ali, R., Guzman, N. A., … Gakidou, E. (2014). Global, regional, and national prevalence of overweight and obesity in children and adults during 1980-2013: A systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2013. The Lancet, 384(9945), 766–781. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(14)60460-8

Olejníčková, J., Forejt, M., Čermáková, E., & Hudcová, L. (2019). Factors influencing basal metabolism of czechs of working age from South Moravia. Central European Journal of Public Health, 27(2), 135–140. https://doi.org/10.21101/cejph.a5103

Quenouille, M., Boyne, A., Fisher, W., & Leitch, I. (1951). Statistical Studies of Recorded Energy Expenditure of Man. Basal Metabolism Related to Sex, Stature, Age, Climate, and Race. Commonwealth Bureau of Animal Nutrition. Technical Communication No. 17. Aberdeen: Commonwealth Agricultural Bureau, 17.

Reichman, C. A., Shepherd, R. W., Trocki, O., Cleghorn, G. J., & Davies, P. S. W. (2002). Comparison of measured sleeping metabolic rate and predicted basal metabolic rate during the first year of life: Evidence of a bias changing with increasing metabolic rate. European Journal of Clinical Nutrition, 56(7), 650–655. https://doi.org/10.1038/sj.ejcn.1601372

Schneider, P., & Meyer, F. (2005). As equações de predição da taxa metabólica basal são apropriadas para adolescentes com sobrepeso e obesidade? Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 11(3), 193–196. https://doi.org/10.1590/s1517-86922005000300008

Sun, M., Gower, B. A., Bartolucci, A. A., Hunter, G. R., Figueroa-Colon, R., & Goran, M. I. (2001). A longitudinal study of resting energy expenditure relative to body composition during puberty in African American and white children. American Journal of Clinical Nutrition, 73(2), 308–315. https://doi.org/10.1093/ajcn/73.2.308

van Mil, E. G., Westerterp, K. R., Kester, A. D., & Saris, W. H. (2001). Energy metabolism in relation to body composition and gender in adolescents. Archives of disease in childhood, 85(1), 73–78. https://doi.org/10.1136/adc.85.1.73

Wahrlich, V., Anjos, L. A., Going, S. B., & Lohman, T. G. (2007). Basal metabolic rate of Brazilians living in the Southwestern United States. European Journal of Clinical Nutrition, 61(2), 290–294. https://doi.org/10.1038/sj.ejcn.1602498

Wahrlich, Vivian, & Anjos, L. A. dos. (2001). Aspectos históricos e metodológicos da medição e estimativa da taxa metabólica basal: uma revisão da literatura. Cadernos de Saúde Pública, 17(4), 801–817. https://doi.org/10.1590/s0102-311x2001000400015

Wong, W. W., Butte, N. F., Hergenroeder, A. C., Hill, R. B., Stuff, J. E., & Smith, E. O. B. (1996). Are basal metabolic rate prediction equations appropriate for female children and adolescents? Journal of Applied Physiology, 81(6), 2407–2414. https://doi.org/10.1152/jappl.1996.81.6.2407

Zanella, P. B., Ávila, C. C., & de Souza, C. G. (2018). Estimating Resting Energy Expenditure by Different Methods as Compared With Indirect Calorimetry for Patients With Pulmonary Hypertension. Nutrition in Clinical Practice, 33(2), 217–223. https://doi.org/10.1177/0884533617727731

Published

17/01/2021

How to Cite

WESTPHAL, G.; SOARES, G. S. .; VESPASIANO, B. de S. .; CHRISTINELLI, H. C. B. .; PEREIRA, I. A. S. .; CASTILHO, M. M. .; MARTINS, F. M. .; NARDO JUNIOR, N. . Basal metabolic rate for adolescents with overweight or obesity. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e35010111964, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.11964. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11964. Acesso em: 1 mar. 2021.

Issue

Section

Health Sciences