Discourse of the Collective Subject and Content Analysis on qualitative aproach in Health

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i1.12098

Keywords:

Qualitative research; Content Analysis; Discourse of the Collective Subject; Social representations.

Abstract

The qualitative approach is related to subjectivity, including the perspective of the subjects involved through direct and personal contact between the researcher and the social agents. Some qualitative research are characterized by analyzes of information that can not be measured, but that aim at the understanding of language and its meanings in its forms and contexts of expression. In this article aimed at researchers who are new to the qualitative approach, the objective was to present the Collective Subject Discourse and Content Analysis in an articulated way to the use of the interview as options for the development of research of this nature. From a theoretical and comparative analysis, it was verified that there are methods that approach the possibility of responding to the intentions of the research, but there is no universal model applicable to all cases and sufficient. The key is that researchers take ownership of existing methods and techniques and make a conscious choice of the path in which the analysis will be conducted.

References

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Edições 70.

Bartholomew, K., Henderson, A. J. Z., & Márcia, J. E. Coding semistructured interviews in social psychology research. In: Reis, H. T.; Judd, C. M. (2000). Handbook of research methods in social and personality psychology. UK: Cambridge University Press.

Bosi, M. L. M. (2012). Pesquisa Qualitativa em Saúde Coletiva: Panoramas e Desafios. Ciência e Saúde Coletiva, 17(3), 575-586.

Bourdieu, P. Esboço da teoria da prática. In: Ortiz, R. (Org.) (1983). Pierre Bourdieu/Sociologia. Coleção Grandes Cientistas Sociais. Ática.

Bourdieu, P. (1989). O poder simbólico. Bertand Brasil AS/Difel.

Britto Junior, A. F., & Feres Junior, N. (2011) A utilização da técnica da entrevista em trabalhos científicos. Evidência, 7(7), 237-250.

Camargo Junior, K. R. de. (1997). A biomedicina. Physis. Revista de Saúde Coletiva, 7(1), 45-69.

Camargo Junior, K. R. (2008). A relevância do uso de técnicas qualitativas em pesquisas sobre a biomedicina. Ciência e Saúde Coletiva, 13(4), 1327-1330.

Campos, C. J. G. (2004). Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 57(5), 611-614.

Canesqui, A. M. (2018). Considerações sobre a experiência do adoecimento e do sofrimento. Ciência e Saúde Coletiva, 23(8), 2466.

Caregnato, R. C. A., & Mutti, R. (2006). Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto Contexto Enfermagem, 15(4), 679-684.

Cavalcante, R. B., Calixto, P., & Pinheiro, M. M. K. (2014). Análise de Conteúdo: considerações gerais, relações com a pergunta de pesquisa, possibilidades e limitações do método. Revista Informação e Sociedade, 24(1), 13-18.

Correia, T. (2013). Interpretação e validação científica em pesquisa qualitativa. Interface (Botucatu), 17(45), 263-74.

Creswell, J. W. (2010). Projeto de Pesquisa: Métodos Qualitativo, Quantitativo e Misto. (3a ed.), Artmed.

Duarte, R. (2004). Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar, 24, 213-225.

Fontanella, B. J. B., Ricas, J., & Turato, E. R. (2008). Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cadernos de Saúde Pública, 24(1), 17-27.

Fraser, M. T. D., & Gondim, S. M. G. (2004). Da fala do outro ao texto negociado: Discussões sobre a entrevista na pesquisa qualitativa. Paidéia, 14(28), 139-152.

Glaser, B. G., & Strauss, A. L. (1967). The discovery of grounded theory: strategies for qualitative research. Aldine de Gruyter.

Godoy, A.S. (1995). Introdução à Pesquisa Qualitativa e suas Possibilidades. Revista de Administração de Empresas, 35(2), 57-63.

Gondim, S.M.G., & Fischer, T. (2009). O discurso, a análise de discurso e a metodologia do discurso do sujeito coletivo na gestão intercultural. Cadernos Gestão Social, 2(1), 9-26.

Haguette, T.M.F. (2001). Metodologias qualitativas na sociologia. Vozes.

Horochovski, M.T.H. (2004). Representações Sociais: Delineamentos de uma categoria analítica. Revista Em Tese, 2(1), 92-106.

Jonsson, U. (2010). Competencia de paradigmas en la Nutrición aplicada: Ya no se trata de ciência, sino de ideologia y política. In: Observatorio del Derecho a la Alimentación y a la Nutrición.Reinheim: LokayDruck.

Kemmis, S., & Mctaggart, R. (2000). Participatory action research. In: Denzin; Lincoln, Y.S. (orgs.). Handbook of qualitative research. London: Sage Publications Inc.

Lambert, H., & Mckevitt, C. (2002). Anthropology in health research: from qualitative methods to multidisciplinarity. British Medical Journal, 325, 210-213.

Lefevre, F., & Lefevre, A. M. C. (2014). Discurso do Sujeito Coletivo: Representações Sociais e Intervenções Comunicativas. Texto Contexto Enfermagem, 23(2), 502-507.

Lefevre, F., & Lefevre, A. M. C. (2005a) Depoimentos e Discursos: uma proposta de análise em pesquisa social. Líber Livro Editora.

Lefevre, F., & Lefevre, A. M. C. (2005b). O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (desdobramentos). Edusc.

Lefevre, F., & Lefevre, A. M. C. (2003). O pensamento coletivo como soma qualitativa. http://www.fsp.usp.br/qualisaude/soma%20qualitativa%209%20de%20fevereiro%20de%202004.htm

Lefevre, F., & Lefevre, A. M. C. (2006). O Sujeito Coletivo que fala. Interface, 10(20), 517-524.

Lefevre, F., & Lefevre, A. M. C. (2012). Pesquisa de Representação Social: Um enfoque Qualiquantitativo. (2a ed.), Liber Livro Editora.

Lefèvre, F. et al. (2010). O discurso do sujeito coletivo como eu ampliado: aplicando a proposta em pesquisa sobre a pílula do dia seguinte. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum, 20(3), 798-808.

Machado, M. N. M. (2007). Entrevistas de pesquisa não-estruturadas e semi-estruturadas In: Administração, Metodologia, Organizações, Estratégia. (2a ed.), Curitiba: Juruá Editora.

Malterud, K. (2001). Qualitative research: standards, challenges, and guidelines. Lancet, 358, 483-8.

Mays, N., & Pope, C. (1995). Qualitative research: rigour and qualitative research. British Medical Journal, 311, 109-112.

Minayo, M. C. S. (2004). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. (8a ed.), Editora Hucitec.

Minayo, M. C. S., & Sanches, O. (1993) Quantitativo-Qualitativo: Oposição ou Complementaridade? Cadernos de Saúde Pública, 9(3), 239-262.

Morse, J. M., & Field, P. A. (2005). Qualitative research methods for health professionals. In: Turato, E. R. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Revista de Saúde Pública, 39(3), 507-514.

Moscovici, S. (2003). Representações Sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes.

Oliveira, D. C. de. (2008). Análise de Conteúdo Temático-Categorial: uma Proposta de Sistematização. Revista de Enfermagem da UERJ, 16(4), 569-576.

Santos, B. S. (2001). Um discurso sobre as ciências. (12a ed.), Edições Afrontamento.

Spink, M. J. P. (1995). O conhecimento no cotidiano: as representações sociais na perspectiva da psicologia social. Brasiliense.

Víctora, C. G. (2011). Uma Ciência Replicante: a ausência de uma discussão sobre o método, a ética e o discurso. Saúde e Sociedade, 20(1), 104-112.

Published

31/01/2021

How to Cite

ZERMIANI, T. C.; FREITAS, R. S.; DITTERICH, R. G.; GIORDANI, R. C. F. Discourse of the Collective Subject and Content Analysis on qualitative aproach in Health. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e57310112098, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i1.12098. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12098. Acesso em: 1 mar. 2021.

Issue

Section

Review Article