Humanized department: Nursing behaviors in Primary Health Care

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.12820

Keywords:

Primary Health Care; Prenatal Care; Humanized birth.

Abstract

Objective: to describe how nurses' behavior in PHC helps in the humanization of childbirth. Methodology: it is a descriptive and qualitative field research. The entire protocol carried out in the research was approved by the ethics committee on research with human beings under number 2,935,584. The total number of participants was 10 nurses working in the FHS of the municipality of Piripiri Piauí. Results: through data analysis, some similar points were highlighted, which stood out in 4 categories: understanding of humanization by nurses; nursing behavior in face of the humanization of childbirth in PHC; barriers identified in the process of humanizing childbirth in PHC and the nurse's duties in PHC regarding the humanization of childbirth. The results show that the nurse who works in the ESF assumes, among the different attributions, the role of responsible for the prevention, promotion and rehabilitation of the individual. The act of caring is relevant for actions planned in a different way, in which interventions are carried out in a humanized way. Conclusion: Thus, it is concluded that the health professional exerts an important influence on women during pregnancy, especially in prenatal care, as it is a time when the professional must be guiding the pregnant woman about the entire gestational process and as to the type of delivery.

References

Alves, G. G., & Aerts, D. (2011). As práticas educativas em saúde e a Estratégia Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, 16(1), 319-325. https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000100034.

Fernandes, M. C. P., & Backes, V. M. S. (2010). Educação em saúde: perspectivas de uma equipe da Estratégia Saúde da Família sob a óptica de Paulo Freire. Revista Brasileira de Enfermagem, 63(4), 567-573. https://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672010000400011

Gonçalves, M. F., Teixeira, E. M. B., Silva, M. A. S., Corsi, N. M., Ferrari, R. A. P., Pelloso, S. M., & Cardelli, A. A. M. (2017). Pré-natal: preparo para o parto na atenção primária à saúde no sul do Brasil. Revista Gaúcha de Enfermagem, 38(3), e0063. https://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2017.03.2016-0063.

Guimarães, P. R. F., Silva, A. N., Cristhiane, R. R., & Taneda, M. Zaniolo, L. M. (2015). O papel do enfermeiro no pré- natal humanizado no PSF. Revista Saúde AJES-SAJES, 1(1). http://www.revista.ajes.edu.br/index.php/SAJES/article/view/28.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017). Censo demográfico, 2017. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pi/piripiri/panorama

Lavras, C. (2011). Atenção primária à saúde e a organização de redes regionais de atenção à saúde no Brasil. Saúde e Sociedade, 20(4), 867-874. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902011000400005

Medeiros, R. M. K., Teixeira, R. C., Nicolini, A. B., Alvares, A. S., Corrêa, A.C.P. & Martins, D.P. (2016). Cuidados humanizados: a inserção de enfermeiras obstétricas em um hospital de ensino. Revista Brasileira de Enfermagem, 69(6), 1091-1098. https://doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0295

Ministério da Saúde. Conselho Nacional De Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União, 2013. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html.

Ministério da Saúde. Conselho Nacional De Saúde. Resolução nº 580, de 22 de março de 2018. http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2018/Reso580.pdf.

Ministério da Saúde. Portaria nº 569. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2000/prt0569_01_06_2000.html.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde Bucal. Cadernos de Atenção Básica, n. 17.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_pre_natal_baixo_risco.pdf.

Ministério da Saúde. Secretária de Políticas Públicas. Guia Prático do Programa de Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde. http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/guia_pratico_saude_familia_psf2.pdf

Possati, A. B., Prates, L. A., Cremonese, L., Scarton, J., Alves, C. N., & Ressel, L. B. (2017). Humanização do parto: significados e percepções de enfermeiras. Escola Anna Nery, 21(4), e20160366. Epub August 07, 2017. https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2016-0366

Prodanov, C. C., & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Novo Hamburgo-Rs: Universidade FEEVALE. 276 p. http://www.feevale.br/Comum/midias/8807f05a-14d0-4d5b-b1ad1538f3aef538/E-book%20Metodologia%20do%20Trabalho%20Cientifico.pdf.

Roecker, S., Budo, M. L. D., & Marcon, S. S. (2012). Trabalho educativo do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: dificuldades e perspectivas de mudanças. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 46(3), 641-649. https://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000300016

Santos, L. M., & Pereira, S. S. C. (2012). Vivências de mulheres sobre a assistência recebida no processo parturitivo. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 22(1), 77-97. https://doi.org/10.1590/S0103-73312012000100005

Silva, V. G., Motta, M. C. S., & Zeitoune, R. C. G. (2010). A prática do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: o caso do município de Vitória/ES. Revista Eletrônica de Enfermagem, 12(3), 441 – 448, 2010. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v12i3.5278.

Souza, T. G., Gaíva, M. A. M., & Modes, P. S. S. A. (2011). A humanização do nascimento: percepção dos profissionais de saúde que atuam na atenção ao parto. Revista Gaúcha de Enfermagem, 32(3), 479-486. https://doi.org/10.1590/S1983-14472011000300007

Souza, V. B., Roecker, S., & Marcon, S. S. (2011). Ações educativas durante a assistência pré-natal: percepção de gestantes atendidas na rede básica de Maringá-PR. Revista Eletrônica de Enfermagem, 13(02), 199-210. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v13i2.10162.

Starfield, B. (2002). Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde. 726p. http://www.unesco.org/ulis/cgibin/ulis.pl?catno=130805&set=4B9DF121_1_50&gp=0&lin=1&ll=1.

Tostes, N. A., & Seidl, E. M. F. (2016). Expectativas de gestantes sobre o parto e suas percepções acerca da preparação para o parto. Temas em Psicologia, 24(2), 681-693. https://dx.doi.org/10.9788/TP2016.2-15

Viellas, E. F., Domingues, R. M. S. M., Dias, M. A. B., Gama, S. G. N., Theme, F. M. M. Costa, J. V., Bastos, M. H., & Leal, M. D. C. (2014). Assistência pré-natal no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 30(Suppl. 1), S85-S100. https://doi.org/10.1590/0102-311X00126013

Zampieri, M. F. M., & Erdmann, A. L. (2010). Cuidado humanizado no pré-natal: um olhar para além das divergências e convergências. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, 10(3), 359-367. https://doi.org/10.1590/S1519-38292010000300009

Published

07/03/2021

How to Cite

NERY, S. B. M. .; BEZERRA, G. M. D. .; MELO, G. A. de .; MENDES, J. S. A. .; MEDEIROS, F. L. R. .; SOUZA , C. M. de A. .; FREITAS, J. F. de M. .; OLIVEIRA, G. A. L. de; LEAL, E. S. . Humanized department: Nursing behaviors in Primary Health Care. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e7810312820, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.12820. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12820. Acesso em: 13 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences