Care to the polytraumatized patient from the perspective of a rescue nurse

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.12981

Keywords:

Emergency service hospital; Multiple trauma; Emergency nursing.

Abstract

Objectives: To describe the nurses’ perception of the care provided to polytrauma patients in an Emergency Room (ER). Methodology: Qualitative, descriptive and exploratory study. The data were collected through semi-structured interviews and analyzed according to thematic analysis. Results: Seven nurses from an Emergency Room located in the south of Rio Grande do Sul participated in this study. The nurses perceive leadership as a differential in their category, with initiative during assistance and the ability to coordinate management and assistance actions. The absence of protocols was mentioned, however, they highlight that they carry out training and improvement courses to fill this lack. All nurses refer to poor infrastructure as a negative factor in care. In relation to easinesses in care, the performance of team activities stood out. Final considerations: The importance of investing in the improvement of these professionals is highlighted. The precarious infrastructure, with reduced spaces, became evident as a difficulty to perform the health care.

References

Amaral, E. M. S., Contim, D., Vieira, D. S., Chavaglia, S. R. R., & Ohl, R. I. B. (2017). Percepções sobre o trabalho da equipe de enfermagem em serviço hospitalar de emergência de adultos. Revista Mineira de Enfermagem; 8: 68- 87. http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20170033

Amestoy, S. C., Lopes, R. F., Santos, B. P., Dornelles, C., Fuculo Junior, P. R. B., & Santos, E. A. (2016). Exercício da liderança do enfermeiro em um serviço de urgência e emergência. Revista Eletrônica Gestão & Saúde; 7(1): 38- 51. file:///C:/Users/User/Downloads/Dialnet-ExercicioDaLide rancaDoEnfermeiroEmUmServicoDeUrgen-5555878.pdf

Araszewski, D., Bolzan, M. B., Montezelli, J. H., & Peres, A. M. (2014). O exercício da liderança sob ótica de enfermeiros de Pronto Socorro. Cogitare enferm; 19(1): 41- 47. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v19i1.35933

Brasil. (2014). Portaria Nº 354, de 10 de março de 2014. Ministério da Saúde. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt0354_10_03_2014.html

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. (2012). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012, no 12, Seção 1. https://bvsms.saude.gov.br/bv s/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Carvalho, I. C. C. M., & Saraiva, I. S. (2015). Perfil das vítimas de trauma atendidos pelo serviço de atendimento móvel de urgência. Rev. Interd; 8(1): 137-148. https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/392

Corrêa, A. R., Silva, B. P. A. R., & Santiago, P. S. N. (2018). Atendimento pré-hospitalar: fatores facilitadores e dificultadores da assistência prestada por um grupo de regaste voluntário. Rev. enferm. Cent.-Oeste Min; 8: e2298. http://seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/2298. https://docs.bvsalud.org/biblioref/2017/12/876137/4013-17985-1-pb.pdf

Lemos, C. L. S. (2016). Educação Permanente em Saúde no Brasil: educação ou gerenciamento permanente? Ciência & Saúde Coletiva; 21(3):913-922. https://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015213.08182015

Lima, K. C. O. (2014). Cuidado do enfermeiro prestado ao indivíduo politraumatizado em unidade de emergência: uma revisão de literatura. (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, SC.

Mattos, J. C. O., & Balsanelli, A. P. (2019). A liderança do enfermeiro na atenção primária à saúde: revisão integrative. Enferm. Foco; 10 (4): 164-171. http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/2618

Minayo, M. C. S. (2010). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. (12a ed.), Hucitec, p.407.

Miranda, V. M., Mendes, J. R., Oliveira, A. D. S., & Santos, A. M. R. (2018). Assistência do enfermeiro ao politraumatizado: revisão integrativa. Rev. Enferm. UFPI [internet]; 7(2):79-85. http://www.ojs.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/6593/pdf.

National Association of Emergency Medical Technicians. (2016). Prehospital Trauma Life Support (PHTLS) atendimento pré-hospitalar ao traumatizado. Porto Alegre, RS: Grupoa.

National Association of Emergency Medical Technicians. (2019). PAC: PHTLS 9E: PREHOSP Trauma course manual w/nav ebook. Artmed.

Neto, V. L. S., Costa, M. A. D. J., & Mendonça, A. E. O. (2014). Abordagem propeudêuticas de enfermagem ao paciente com trauma raquimedular no pronto atendimento. Rev. Univ. Vale Rio Verde 12(2): 716-724. http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v12i2.1529

Pereira A. S., Shitsuka D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/h andle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Praça, W. R., Matos, M. C. B., Magro, M. C. S., Fioravanti, R. K., & Hermann, P. R. S. (2017). Perfil epidemiológico e clínico de vítimas de trauma em um hospital do Distrito Federal. Rev. Prev. Infec. Saúde; 3(1):1-7. https://revistas.ufpi.br/index.php/nupcis/article/view/6219

Rodrigues, M. S., Santana, L. F., & Galvão, I. M. (2017). Utilização do ABCDE no atendimento do traumatizado. Rev. med. (São Paulo); 96(4):278-80. http://dx.doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v96i4p278-280

Santos, J. L. G., Lima, M. A. D. S., Pestana, A. L., Colomé, I. C. S., & Erdmann, A. L. (2016). Estratégias utilizadas pelos enfermeiros para promover o trabalho em equipe em um serviço de emergência. Rev. gaúch. Enferm; 37(1):e50178. http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2016.01.50178

Santos, M. A. S. S., Santos, L. G. E., Oliveira, G. F. S. M., & Miranda, L. N. (2018). Assistência de enfermagem ao paciente politraumatizado. Ciências Biológicas e de Saúde Unit; 4(2):11-22. https://periodicos.set.edu.br/fitsbiosaude/article/view/4648/2777

Silva, D. S., Bernardes, A., Gabriel, C. S., Rocha, F. L. R., & Caldana, G. (2014). A liderança do enfermeiro no contexto dos serviços de urgência e emergência. Rev. Eletr. Enf. [Internet]; 16(1):211-9. http://dx.doi.org/10.5216/ree.v16i1.19615.

Sontag R. (2014). A estruturação da Rede de Urgência e Emergência na “13ª Região da diversidade”: Um relato de experiência [Monografia] Departamento de Enfermagem: Universidade Federal de Santa Catarina. https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/173506

Sueoka, J. S, & Abgussen, C. M. B. (2019). Cinemática do Trauma. APH resgate: emergência em trauma. Elsevier.

Tibola, T. S. A., Cordeiro, A. L. P., Stacciarin, T. S. G., Engel, R. H., Costa, D. G., & Haas, V. J. (2019). Fatores que influenciam a participação dos profissionais de enfermagem na educação permanente em hospital público. Enferm Foco [Internet]; 10(2): 11-16. http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/2044/532

Werlang, S. L., Badke, M. R., Freitag, V. L., Silva, G. S., Federizzi, D. S., & Ribeiro, M. V. (2017). Enfermagem na Assistência ao Traumatismo Cranioencefálico em um Hospital Universitário. J Health Sci; 19(2):177-82. https://docs.bvsalud.org/biblioref/2017/12/876137/4013-17985-1-pb.pdf

Will, R. C., Farias, R. G., Jesus, H. P., & Rosa, T. (2020). Cuidados de enfermagem aos pacientes politraumatizados atendidos na emergência. Nursing 23(262): 3766-3777. http://www.revistanursing.com.br/revistas/263/pg109.pdf

Zappas, Z., Costa, A. E. K da, & Pissaia, L. F. (2018). Qualidade de vida em enfermeiros atuantes em uma instituição hospitalar. Revista Espaço Ciência & Saúde; 6(3): 3-13. http://revistaeletronicaocs.unicruz.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/6757

Published

03/03/2021

How to Cite

AMELN, R. S. V. .; AZEVEDO , N. A. .; NEVES, J. de L.; AMARAL , D. E. D. do .; PINTO, A. A. . Care to the polytraumatized patient from the perspective of a rescue nurse. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e1110312981, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.12981. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12981. Acesso em: 12 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences