Clinical and epidemiological profile of patients with pressure injuries: a comparative study between public and private hospitals

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13176

Keywords:

Risk factors; Pressure injury; Hospitals.

Abstract

Pressure injury (LP) occurs when a tissue is compressed by a bone prominence in contact with a surface. Their presence may aggravate the patient's state of health, generating pain and systemic impairment. The high rates of incidence, prevalence, mortality and costs from this condition, represent a serious public health problem. This study aimed to know the clinical and epidemiological profile of patients who acquired the LP during the hospitalization period, comparing the characteristics between the public and private hospitals. This is an analytical, comparative study with a quantitative approach, carried out by analyzing medical records, of adult patients who acquired LP during hospitalization in public and private hospitals. The general clinical profile of patients who acquired pressure injury in the hospital setting was: 50% female and 50% male; elderly (62%); with short hospital stay <1 month (64%), who received multidisciplinary care (97%) and physiotherapy (86%) and died (68%). The socio-demographic and clinical reality of the patients who acquired LP in both hospitals were similar, which shows that the risk factors are not related to the type of public or private assistance, except in relation to the age group and associated disease. We emphasize the high incidence of death found in the studied population, which demonstrates the necessity to extend the preventive.

References

Abuchaim, S., Eidt, L. M., Viegas, K. Úlceras por pressão, nutrição e envelhecimento cutâneo. In: Schwanke, C. H. A., Gomes, I., Antunes, M. T., Closs, V. E. (2010). Atualizações em Geriatria e Gerontologia III nutrição e envelhecimento (3ª ed). Porto Alegre, RS: Editora EdiPUCRS, 312p.

Andrade, M. G. L., Camelo, C. N., Carneiro, J. A., Terêncio, K. P. (2013). Evidências de alterações do processo de cicatrização de queimaduras em indivíduos diabéticos: revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Queimaduras, 12(1), 42-48.

Barbosa, A. S., Oliveira, E. S., Leite, M. G., Feitosa, D. S. L. L., Studart, L. M. B., Cavalcante, T. M. C., Oliveira, P. M. P. (2019). Perfil clínico dos pacientes acometidos por lesão por pressão. Revista Enfermagem Atual in Derme, 88(26), 01-09.

Bezerra, S. M. G. (2010). Prevalência de úlceras por pressão em pacientes acamados e cuidados dispensados em domicílio (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI, Brasil. Recuperado de: https://www.revistaestima.com.br/index.php/estima/article/view/336.

Borba, P. N. (2018). Tipos de curativos utilizados durante o tratamento da úlcera por pressão. Revista Científica Semana Acadêmica, 124(1), 1-38.

Diccini, S., Camaduro, C. & Lida, L. I. S. (2009). Incidência de úlcera por pressão em pacientes neurocirúrgicos de hospital universitário. Acta Paulista de Enfermagem, 22(2), 205-209.

Duarte, A. V., & Alves, M. A. (2013). Úlcera de pressão: fatores de risco em pacientes hospitalizados. Revista Diálogos Acadêmicos, 2(2), 102-108.

Fernandes, L. M., Caliri, M. H. L., & Haas, V. J. (2008). The effect of educative interventions on the pressure ulcer prevention knowledge of nursing professionals. Acta Paulista de Enfermagem; 21(2), 305-311.

Freitas, K. S., Kimura, M., & Ferreira, K. A. S. L. (2007). Necessidades de familiares de pacientes em unidades de terapia intensiva: Análise comparativa entre hospital público e privado. Revista Latino-americana Enfermagem; 15(1), 84-92.

Furieri, F. P. M., Uessugui, H. M., Oliveira, R. R., & Fagundes, D. S. (2015). Atuação fisioterapêutica na úlcera por pressão: uma revisão. Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, 6, 69-80.

Lourenço, T. M., Lenardt, M. H., Kletemberg, D. F., Seima, M. D., Tallmann, A. E. C., & Neu, D. K. M. (2012). Capacidade funcional no idoso longevo: uma revisão integrativa. Revista Gaúcha de Enfermagem, 33(2), 176-185.

Luz, S. R., Lopacinski, A. C., Fraga, R., & Andrade, C. (2010). Úlceras de pressão. Revista Brasileira Geriatria & Gerontologia; 4(1), 36-43.

Macedo, J. L., Pereira, I. C., Oliveira, A. S. S., & Magalhães, M. J. S. (2017). Eficácia da fitoterapia no processo de cicatrização tecidual de pacientes com diagnóstico de diabetes mellitus. Revista Ciência & Saberes - Facema, 3(1), 396-400.

Marini, M. F. V. (2016). Úlceras de Pressão. In: Freitas, E.V., Py. L., Cançado, F., Doll, J., & Gorgoni, M. L. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 981-991.

Mata, M. S., & Costa, I. C. C. (2019). Composição do índice de iniquidade em saúde a partir das desigualdades na mortalidade e condições socioeconômicas em uma capital Brasileira. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 25(5), 1629-1640.

Matos, L. S., Duarte, N. L. V., & Minetto, R. C. (2010). Incidência e prevalência de úlcera por pressão no CTI de um hospital Público do DF. Revista Eletrônica de Enfermagem, 12(4), 719-726.

Miyazaki, M. Y., Caliri, M. H. L., & Santos, C.B. (2010). Conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre prevenção da úlcera por pressão. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 18(6), 1-10.

National Pressure Injury Advisory Panel (NPIAP). [acessado em 09 jan de 2020]. Disponível em: https://npiap.com/page/PressureInjuryStages.

Pessoa, E., Rocha, J., & Bezerra, S. (2011) Prevalência de úlcera por pressão em pacientes acamados, cadastrados na Estratégia de Saúde da Família: um estudo de enfermagem (tese). Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI, Brasil. Recuperado de: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/revistainterdisciplinar/v4n1/pesquisa/p2_v4n1.pdf.

Prado, Y. S., Tiengo, A., & Brasil, A. C. (2017). A influência do estado nutricional no desenvolvimento de lesões por pressão em pacientes suplementados. RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, 11(68), 699-709.

Rocha, J. A., Miranda, M. J., & Andrade, M. J. (2006). Abc, tratamento da úlcera por pressão por enfermeiros de um hospital geral. Revista Eletrônica de Enfermagem, 11(1), 70-77.

Rocha, S. S., Pontes, E. D. S., Rocha, S. R. S., Falcone, A. P. M. (2020). Análise da presença de lesão por pressão em pacientes hospitalizados e as principais comorbidades associadas. Reserch Society and Development, 9(4), 1-14.

Santos, V. L. C. G., Azevedo, M. A. J., Silva, T. S., Carvalho, V. M. J., & Carvalho V. F. (2005). Adaptação transcultural do pressre ulcer scale for healing (PUSH) para a língua portuguesa. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 13(3), 305-313.

Santos, M. L., Silva, A. M. M., Vinagre, L. M F., Júnior, J. N. B. S., Miranda, Y. A. S., Silva, C. R. R., Brito, F. M. B., Anísio, B. K. F. (2019). Cicatrização de lesão por pressão: relato de caso. Revista de enfermagem UFPE on line, 13, 1-7.

Say, K. G., Gonçalves, R. C., Rennó, A. C. M., & Parizotto, N. A. (2003). O tratamento fisioterapêutico de úlceras cutâneas venosas crônicas através da laserterapia com dois comprimentos de onda. Revista Fisioterapia Brasil, 4(1), 40-49.

Serpa, L. F., Santos, V. L. C. G. (2008). Desnutrição como fator de risco para o desenvolvimento de úlcera por pressão. Revista Acta Paulista de Enfermagem, 21(2), 367-369.

Silva, E. W. N. L., Araújo, R. A., Oliveira, E. C., & Falcão, V. T. F. L. (2010). Aplicabilidade do protocolo de prevenção de úlcera de pressão em unidade de terapia intensiva. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 22(2), 175-185.

Sokem, J. A. S., Bergamaschi, F. P. R., & Watanabe, E. A. M. T. (2018). O uso do jogo como ferramenta pedagógica para o ensino sobre dermatite associada à incontinência em ambiente hospitalar. Anais do Simpósio Ibero-Americano de Tecnologias Educacionais, 362-369.

Souza, C. A., Santos, L., & Silva, L. D. (2006). Aplicando recomendações da Escala de Braden e prevenindo úlceras por pressão – evidências do cuidar em enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, 59(3), 279-284.

Souza, D. M. S. T., & Santos, V. L. C. G. (2007). Risk factors for pressure ulcer development in institutionalized elderly. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 15(5), 958-964.

Souza, N. R., Freire, D. A., Souza, M. A. O., Melo, J. T. S., Santos, L. V., & Bushatsky, M. (2017). Fatores predisponentes para o desenvolvimento da lesão por pressão em pacientes idosos: uma revisão integrativa. Revista Estima, 15(4), 229-239.

Published

04/04/2021

How to Cite

BASTOS, I. W. R. de M. .; COSTA, L. F. de M. .; FERREIRA, M. F. de A. .; CARVALHO, L. W. T. de .; ZIMPEL, S. A.; ALVES, P. G. J. M. .; CALUMBY, R. J. N. .; SILVA, J. C. . Clinical and epidemiological profile of patients with pressure injuries: a comparative study between public and private hospitals. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e18010413176, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13176. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13176. Acesso em: 11 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences