Physicochemical evaluation during shelf life of UHT milk produced and marketed in Rio Grande do Sul State

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13193

Keywords:

UHT milk; Quality; Shelf life; Physicochemical parameters.

Abstract

The shelf life of food is important because it defines the period in which the food remains safe microbiologically and physicochemical and sensory quality suitable for consumption. In case of UHT milk, there are regulations that aim to determine parameters that denote quality and safety for processing and commercialization of the product, in order to avoid risks to the consumer's health. Therefore, the present study aimed to analyze the physicochemical characteristics over the shelf life of whole and skimmed UHT milk from nine brands marketed in the Vale do Taquari region, since its raw material produced in the state of Rio Grande do Sul. The experiments were carried out along the shelf life period of products (180 days), and physicochemical evaluations were carried out on the intervals of days 0, 45, 90, 120, 150 and 180 for pH, titratable acidity, stability, density, fat content, cryoscopic index and defatted dry extract (ESD). The results were statistically evaluated, and the samples showed, in general, a decrease in their parameters, except for acidity, which showed an increase as the storage time increased. These results allowed us to observe that some milk brands have presented non-conformities with the Brazilian legislation since the beginning of the analyzes, leading us to conclude that the raw material processed can be considered of low quality.

Author Biographies

Jeferson Aloísio Ströher, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Mestrando em Ciência dos alimentos

Marta Regina dos Santos Nunes, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Química Industrial pela Universidade de Santa Cruz do Sul, mestrado em Química pela Universidade Federal de Santa Maria e doutorado em Química Orgânica pela Universidade de São Paulo, tendo realizado ainda um pós-doutorado no grupo de oleoquímica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul de 2002 a 2004. No ano de 2018 realizou um pós-doutorado na Universidade da Califórnia em Davis / CA / EUA, em pesquisa sobre mulheres nas ciências naturais e exatas, engenharia e informática. Foi professora titular da Universidade de Caxias do Sul no período de 2006 a 2011. Atuou como consultor em nível de pós-graduação na área de biocombustíveis, com ênfase na produção de biodiesel. No ano de 2010 foi consultora em Projeto de Execução Nacional pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (ONU / PNUD). Atuou nos anos 2012-2013 como Técnica Ensino Superior de Licenciamento Ambiental na Prefeitura Municipal de Santa Maria. Desde 2013 é professora adjunta da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - UERGS. Exercer atividades combinadas em projetos culturais ligados a cultura negra, educação para diversidade étnico-racial e arte-educação. Tem na área de Química Orgânica e Bioquímica, atuando principalmente nos seguintes temas: óleos vegetais, reações enzimáticas, catalisadores heteogêneos p / transformação de moléculas orgânicas, meio ambiente e educação em química. educação para diversidade étnico-racial e arte-educação. Tem na área de Química Orgânica e Bioquímica, atuando principalmente nos seguintes temas: óleos vegetais, reações enzimáticas, catalisadores heteogêneos p / transformação de moléculas orgânicas, meio ambiente e educação em química. educação para diversidade étnico-racial e arte-educação. Tem na área de Química Orgânica e Bioquímica, atuando principalmente nos seguintes temas: óleos vegetais, reações enzimáticas, catalisadores heteogêneos p / transformação de moléculas orgânicas, meio ambiente e educação em química. 

Luís Carlos Oliveira dos Santos Junior, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Doutor em Engenharia de alimentos

References

Al-Saadi, J. M. S., & Deeth, H. C. (2008). Cross-linking of proteins and other changes in UHT milk during storage at different temperatures. Aut. J. Dairy Technol, 63 (3), 93-99.

Andrioli, A. S., Furtado, M. A. M., Vilela, M. A. P., & Meurer, V. M. (2001). Padrões físico-químicos de identidade do leite “longa vida” (UHT) comercializado na cidade de Juiz de Fora (MG). Revista do Instituto de Laticínios Candido Tostes, 56 (321), 50-54.

Arruda, P. M., Cruz A. G., Zoellner, S. S., Silva, R., Soares, M. M., Fernades, V. S., & Galvão A. P. G. L. K. (2007). Características físico-químicas do leite pasteurizado tipo C e leite Ultra Alta Temperatura comercializados na cidade do Rio de Janeiro. Revista do Instituto Adolfo Lutz, 66 (2), 125-129.

Batista, C. S. (2015). Estudo de correlação entre a qualidade do leite cru refrigerado e do leite UHT integral. 46 p. Dissertação (Mestrado profissional em Ciência e Tecnologia de Alimentos) – Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

Beloti, V., Mantovani, D., Silva, M. R., Tamanini, R., Garcia, D. T., & Silva, F. A. (2010). Alterações do ponto de congelamento do leite por adição do estabilizante citrato de sódio. In Anais do IV Congresso Brasileiro de Qualidade do Leite, Florianópolis, SC.

Bersot, L. S., Galvão, J. A., Raymundo, N. K. L., Barcellos, V. C., Pinto, J. P. A. N., & Maziero, M. T. (2010). Avaliação microbiológica e físico-química de leites UHT produzidos no Estado do Paraná - Brasil. Ciências Agrárias, 31 (3), 645-652.

Bhemer, M. L. A. (1999). Tecnologia do leite: produção, industrialização e análise. Nobel.

Brasil. (1984). Ministério da Agricultura e da Saúde. Resolução CISA/MA/MS nº 10, de 31 de julho de 1984. Dispõe sobre instruções para conservação nas fases de transporte, comercialização e consumo dos alimentos perecíveis, industrializados ou beneficiados, acondicionados em embalagens. http://www.cidasc.sc.gov.br/inspecao/files/2018/06/Anvisa-Legisla%C3%A7%C3%A3o-Resolu%C3%A7%C3%B5es.pdf

Brasil. (1997). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Fixação de Identidade e Qualidade do Leite UHT (UAT): aprovado pela Portaria nº 370, de 04 de setembro de 1997. http://extranet.agricultura.gov.br/sislegisconsulta/consultarLegislacao.do?operacao=visualizr&id=1252

Brasil. (2006). Ministério da Agricultura, Pecuária e abastecimento. Instrução Normativa nº 68, de 12 de dezembro de 2006. http://www3.servicos.ms.gov.br/iagro_ged/pdf/958_ged.pdf

Brasil. (2017). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Decreto nº 9.013, de 29 de março de 2017. Regulamenta a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei nº 7.889, de 23 de novembro de 1989, que dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/d9013.htm

Brasil. (2018). Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 76, de novembro de 2018. https://www.gov.br/agricultura/pt-br

Brasil. (2019). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Manual de Métodos Oficias para Análise de Alimentos de Origem Animal. https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/laboratorios/credenciamento-e-laboratorios-credenciados/legislacao-metodos-credenciados/arquivos-metodos-da-area-poa-iqa/ManualdeMtodosOficiaisparaAnlisedeAlimentosdeOrigemAnimal2ed.pdf

Brito, J. R. F., Furtado, M. A. M., Silva, P. H. F., & Abreu, L. R. (2004). Variações regionais e sazionais na composição do leite. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, 59, 24-31.

Bylund, G. (1995). Long life milk. In G. Bylund. Tetra Pak Dairy Processing Handbook (pp. 215-232). Lund: Tetra Pack Processing Systems AB.

Carvalho, B. M. A., Carvalho, L. M., Alcântra, L. A. P., & Bonomo, R. C. F. (2007). Método de detecção de fraude em leite por adição de soro de queijo. Revista Electrónica de Veterinária, 6(8), 1-7.

Codex Alimentarius. (2004). Codex General Standard for the labelling of prepackaged foods. http://www.fao.org/docrep/005/Y2770E/y2770e02.htm

Costa, A. M. C., Oliveira, M. B., & Moura, C. J. (2010). Avaliação de características físico-químicas de leites UAT produzido no estado de Goiás ao longo da estocagem. In Anais do IV Congresso Brasileiro de Qualidade do Leite, Florianópolis, SC.

Domareski, J. L., Bandiera, N. S., Sato, R. T., Aragon-Alegro, L. C., & Santana, E. H. W. (2010) Avaliação físico-química e microbiológica do leite UHT comercializado em três países do Mercosul (Brasil, Argentina e Paraguai). Archivos Latinoamericanos de Nutricion, 60 (3), 261-269.

Katsuda, M. S., Dias, L. F., & Souza, A. H. P. (2009). Caracterização físico-química do leite UHT comercializado no norte do Paraná. In Anais do 26º Congresso Nacional de Laticínios, 26, Juiz de Fora, MG.

Lewis, M., & Heppel N. (2000). Continous termal processing of foods: Pasteurization and UHT sterilization. Aspen Publisher, 331-368.

Luiz, D. J., Simões, B. N., Tamostu, S. R., Casale, A. A. L., & Walter, S. E. H. (2010). Avaliação físico-química e microbiológica do leite UHT comercializado em três países do Mercosul (Brasil, Argentina e Paraguai). Archivos Latinoamericanos de Nutrición, 60(3), 261-269.

Martins, A. M. C. V., Rossi Junior, O. D., Salotti, B. M., Bürger, K. P., Cortez, A. L. L., & Cardozo, M. V. (2008). Efeito do processamento UAT (Ultra Alta Temperatura) sobre as características físico-químicas do leite. Ciência Tecnologia de Alimentos, 28 (2), 295-298.

Oliveira, M. M. A. & Nunes, I. F. (2003). Análise Microbiológico e físico-químico do leite pasteurizado “tipo C” comercializado em Teresina, PI. Revista Higiene Alimentar, 17 (111), 92-94.

Pereira A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Pereira, P. C. (2014). Milk nutritional composition and its role in human health. Nutrition, 30(6), 619-627.

Prata, L. F. (2001). Fundamentos de ciência do leite. FUNEP.

Real, C. G. A., Alegro, L. C. A., Turate, M., Silva, L. C. C., Souza, C. H. B. & Santana, E. H. W. (2013). Avaliação da qualidade físico-química e microbiológica de leite UHT integral e determinação da proteólise durante armazenamento. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, 68(394), 5-10.

Robim, M. S. (2011). Avaliação de diferentes marcas de leite UAT comercializadas no Estado do Rio de Janeiro e o efeito da fraude por aguagem na fabricação, composição e análise sensorial de iogurte. 98 p. Dissertação (Mestrado em Higiene Veterinária e Processamento Tecnológico de Produtos de Origem Animal) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ.

Rodrigues, F. A., Santos, T. P., Araújo, E. G., Braga, K. M. S., & Pimenta, V. S. C. (2016). Citometria de fluxo: histórico, princípios básicos e aplicações em pesquisa. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, 13(23).

Seixas, F. N., Fagnani, R., Rios, E. A., Pereira, J. R., Tamanini, R., & Beloti, V. (2014). Comparação de métodos para detecção de fosfatase alcalina e peroxidase em leite. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, 69(1), 17-24. 10.14295/2238-6416.v69i1.302

Silva, P. H. F., Pereira, D. B. C., Oliveira, L. L., & Costa Junior, L. C. G. (1997). Físico-química do leite e derivados: métodos analíticos. Juiz de Fora: Oficina da Impressão Gráfica e Editora Ltda.

Singh, H. (2004). Heat stability of milk. International Journal of Dairy Technology, 57, 111-119.

Soares, M. M., Arruda, P. M., Cruz, A. G., Zoellner, S. S., Silva, R. Fernandes, V. S., & Galvão, A. P. G. L. K. (2007). Características físico-químicas do leite pasteurizado tipo C e leite ultra alta temperatura comercializados na cidade do Rio de Janeiro. Revista do Instituto Adolfo Lutz, 66(2), 126-129.

Souza, A. H. P., Katsuda, M. K., & Dias L. F. (2010). Avaliação físico-química do leite UHT e pasteurizado comercializado na cidade de Londrina – PR. Revista Brasileira de Pesquisa em Alimentos, 1(1), 39-42.

Statsoft, Inc. (2004). STATISTICA (data analysis software system), version 7. http:www.statsoft.com

Tamanini, R., Beloti, V., Ribeiro Junior, J. C., Silva, L. C. C., Yamada, A. K., & Silva, F. A. (2011). Contribuição ao estudo da qualidade microbiológica e físico-química do leite UHT. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, 66(382), 27-33.

Tronco, V. M. (2003). Manual para inspeção da qualidade do leite. UFSM.

Tronco, V. M. (2008). Manual para a inspeção da qualidade do leite. UFSM.

Walstra, P., Wouters, J. T. M., & Geurts, T. J. (2006). Dairy science and technology. CRC Press.

Published

12/03/2021

How to Cite

STRÖHER, J. A. .; NUNES, M. R. dos S. .; SANTOS JUNIOR, L. C. O. dos . Physicochemical evaluation during shelf life of UHT milk produced and marketed in Rio Grande do Sul State. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e19910313193, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13193. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13193. Acesso em: 16 apr. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences