Contributions of prenatal care in Primary Health Care in Brazil to prevent maternal mortality: An integrative review from 2015 to 2019

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13207

Keywords:

Primary Health Care; Prenatal Care; Maternal mortality.

Abstract

Objective: to present the results of the Integrative Review on the contributions of prenatal care in Primary Health Care (PHC) in the prevention of Maternal Death. Methods: Integrative review carried out in the VHL and SciELO databases, between January 2015 and December 2019, using the descriptors: “primary health care”, “prenatal care” and “maternal death” mediated by Boolean operator 'and', in search of articles written in Portuguese, English and Spanish, available in electronic form, in full, after peer review. Results: eight articles were identified in the SciELO database and six in the VHL, published in journals on public health, epidemiology, maternal and child health and other areas of health. The results showed that there is no consensus on the expansion of access to prenatal care in Brazil, given that only a few studies have arguably increased coverage in recent decades. A high level of inadequacy of services persists, which is reflected in childbirth and puerperal care, resulting in high rates of maternal mortality in some regions of Brazil. Conclusion: Prenatal care in Brazil is supported by specific legislation and work processes developed to guarantee PHC in a resolution that has not yet been reached, leaving the Public Power, organized Civil Society and Scientific Academy with a joint effort of reflection and planning of new actions to improve care.

References

Andrade, U. V., Santos, J. B. & Duarte, C. (2019). A Percepção da Gestante sobre a Qualidade do Atendimento Pré-Natal em UBS, Campo Grande, MS. Rev. Psicol. Saúde, 11(1):53-61.

Araújo, R. B., Anjos, M. R. R., Souza, C. L. O. & Rodrigues, T. S. (2019). Cuidados de enfermagem no pré-natal de baixo risco na Estratégia de Saúde da Família: uma análise em periódicos nacionais. Rev. UNINGÁ, 52(S2): 160-173.

Balsells, M. M. D., Oliveira, T. M. F., Bernardo, E. B. R., Aquino, P. S., Damasceno, A. K. C., Castro, R. C. M. B., Lessa, P. R. A. & Pinheiro, A. K. B. (2018). Avaliação do processo na assistência pré-natal de gestantes com risco habitual. Acta Paulista de Enfermagem, 31(3), 247-254. 10.1590/1982-0194201800036

Barbosa, M. M., Chaves, E. C. R., Leite, D. S., Quaresma, A. H. C., Albuquerque, G. P., Costa, I. L. O. F., Reis, A. P. O., Júnior, S. A. O., Mendonça, M. H. R. & Lima, S. B. A. (2021) Rede cegonha: avanços e desafios da gestão no ambiente hospitalar. Revista Eletrônica Acervo em Saúde. 13:e6486. 10.25248/reas.e6486.2021

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas para as Mulheres. (2004). Política Nacional de Atenção Integral a Saúde da Mulher: princípios e diretrizes; 82p. Brasília (DF).

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. (2009). Guia de Vigilância Epidemiológica do Óbito Materno; 84p. Brasília (DF).

Brasil. Ministério da Saúde. (2011). Portaria nº 1459, de 24 de junho de 2011. Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília (DF).

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. (2012). Gestação de Alto Risco. Manual Técnico; 302p. Brasília (DF).

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. (2013). Atenção ao Pré-natal de Baixo Risco. Manual Técnico; 318p. Brasília (DF).

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. (2017). Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília (DF).

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. (2020). Informações sobre Mortalidade Materna. https://tabnet.datasus.gov.br. Acesso em: 21 nov. de 2020.

Costa, I. L. O. F., Trindade, C. B. S., Chaves, E. C. R., Ferreira, I. P., Lima, S. B. A., Costa, F. B., Mendonça, M. H. R. & Silva Neto, R. L. (2020) A vigilância em saúde e o planejamento nas equipes de atenção primária em saúde: revisão narrativa. Revista Eletrônica Acervo em Saúde, 53:e3622. 10.25248/reas.e3622.2020

Costa, M. F. B., Malveira, S. S., Lima, S. B. A., Costa, I. L. O. F., Leite, D. K. M., Nunes, H. H. M., Rassy, M. E. C., Trindade, C. B. S., Pedreira, J. B. G. & Fonseca, A. F. F. (2021). Perfil nosológico da mortalidade materna: a gravidade da gravidez no Marajó II, Pará, Brasil, entre 2010 e 2019. Research, Society and Development, 10:e5410212188. 10.33448/rsd-v10i2.12188

Fonseca, S. C., Kale, P. L. & Silva, K. S. (2015). Pré-natal em mulheres usuárias do Sistema Único de Saúde em duas maternidades no Estado do Rio de Janeiro, Brasil: a cor importa? Rev. Bras. Saúde Matern. Infantil, 15(2): 209-217.

Garcia, E. S. G. F., Bonelli, M. C. P., Oliveira, A. N., Clápis, M. J. & Leite, E. R. P. C. (2018). As ações de enfermagem no cuidado à gestante: um desafio à atenção primária de saúde. Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online); 10(3):863-870.

Gasparin, V. A., Broch, D. & Betti, T. (2019). Internações por condições sensíveis à atenção primária: avaliação das doenças relacionadas ao pré-natal e parto. Rev. Fundam. Care online; 11 (4):1032-1048.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2015). Pesquisa Nacional de Saúde: 2013. Acesso e utilização dos serviços de saúde, acidentes e violências: Brasil, grandes regiões e unidades da federação, Coordenação de Trabalho e Rendimento; 100 p.

Jorge, H. M. F., Hipólito, M. C. V., Masson, V. A. & Silva, R. M. (2015). Assistência pré-natal e políticas públicas de saúde da mulher: revisão integrativa. Rev. Prom. Saúde, 28(1). DOI: 10.5020/18061230.2015.p140

Leal, M. C., Theme-Filha, M. M., Moura, E. C., Cecatti, J. G. & Santos, L. M. O. (2015). Atenção ao Pré-natal e Parto em mulheres usuárias do Sistema Público de Saúde residentes na Amazônia Legal e no Nordeste Brasileiro. Rev Bras. Saúde Matern, 15(1):91-104.

Lima, K. M. S. G, Santos, H. J., Pereira, J., Barbosa, L. P., Cabral, M. C. A. M., Silva, P. R., Santos, S. M. M. & Souza, S. J. G. (2019). Assistência de Enfermagem no Pré-natal de Alto Risco. Braz. J. Hea. Rev., 2(4):3183-3197.

Luz L. A., Aquino, R., Medina, M. G. (2018). Avaliação da qualidade da Atenção Pré-natal no Brasil. Saúde Debate, 42(spe2):111-126. DOI: 10.1590/0103-11042018s208

Maia, V. K. V., Lima, E. F. A., Leite, F. M. C., Sousa, A. I. & Primo, C. C. (2017). Avaliação dos indicadores de processo do programa de humanização no pré-natal e nascimento e da rede cegonha. Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online); 9(4): 1055-1060.

Martinelli, K. G., Santos Neto, E. T., Gama, S. G. N. & Oliveira, A. E. (2016). Acesso ao pré-natal: desigualdades em região de alta mortalidade materna do sudeste brasileiro. Ciência & Saúde Coletiva; 21(5):1647-1658.

Mendes, E. V. (2015). Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS. A Construção Social da Atenção Primária a Saúde. 193p. Brasília, DF.

Mendes, K. D. S, Silveira, R. C. C. P. & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem, 17(4):758-764. DOI: 10.1590/S0104-07072008000400018

Nunes, A. D. S., Amador, A. E., Dantas, A. P. Q. M., Azevedo, U. N. & Barbosa, I. R. (2017) Acesso à assistência pré-natal no Brasil: análise dos dados da Pesquisa Nacional de Saúde. Rev. Prom. Saúde, 30(3). DOI: 10.5020/18061230.2017.6158

Oliveira Júnior, S. A., Chaves, E. C. R., Lima, S. B. A., Leite, D. S., Cardoso, K. B., Costa, I. L. O. F., Reis, A. P. O., Sampaio, A. T. L., Mendonça, M. H. R & Oliveira, G. N. (2021) O olhar dos gestores municipais sobre a planificação da rede temática de atenção à saúde. Revista Eletrônica Acervo em Saúde, 13:e5385. 10.25248/reas.e5385.2021

Pereira A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. Recuperado de: em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Resende, L. V., Rodrigues, R. N. & Fonseca, M. C. (2015). Mortes Maternas em Belo Horizonte, Brasil: percepções sobre qualidade da assistência e evitabilidade. Rev Panam Salud Publica, 37(4/5):218-224.

Reis, A. P. O., Lopes, M. M. B., Beltrão-Lima, S. A. & Vasconcelos, M. C. C. (2018) Análise das Internações por Condições Sensíveis a Atenção Primária em saúde entre 2008 e 2015 no Estado do Pará. Revista Eletrônica Acervo em Saúde, 10:2266-2279, 2018. 10.25248/REAS292_2018

São Paulo (Estado). Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. (2018). Linha de cuidado gestante e puérpera: manual técnico do pré-natal, parto e puerpério. 234 p.

Silva, B. G. C., Lima, N. P., Silva, S. G., Antúnez, S. F., Seerig, L. M., Restrepo-Méndez, M. C. & Wehrmeister, F. C. (2016). Mortalidade materna no Brasil no período de 2001 a 2012: tendência temporal e diferenças regionais. Rev Bras Epidemiol, 19(3):484-493. 10.1590/1980-5497201600030002

UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, Carcereri, D. L., Santos, E. K. A., Tognoli, H., Oliveira, M. C. & Freitas, T. G. (2016). Unidade 3 – Atenção integral à saúde da mulher no ciclo gravídico-puerperal. IN: Atenção Integral à Saúde da Mulher. Medicina. (3a ed.), 120 p. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina.

Published

25/03/2021

How to Cite

COSTA, M. de F. B. da .; COSTA, I. L. de O. F. .; CHERMONT, A. G. .; CAMPOS, P. M. de A. .; CARNEIRO, I. C. do R. S. .; BASTOS, K. E. S. .; LOUREIRO, S. P. S. da C. .; NUNES, H. H. de M. .; LIMA, S. B. de A. .; FERREIRA, I. P. . Contributions of prenatal care in Primary Health Care in Brazil to prevent maternal mortality: An integrative review from 2015 to 2019. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e52810313207, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13207. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13207. Acesso em: 13 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences