Ergonomic risks to which the Nursing team is exposed in their work practices

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13259

Keywords:

Occupational Health; Ergonomic; Nursing.

Abstract

The objective of this study was to analyze the ergonomic risks to which the Nursing team is exposed in their work practices. This is a narrative review of the literature. The sources for searching the references included the database of the Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), the libraries Scientific Electronic Library Online (SciELO) and the Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) and the electronic search engine Google Scholar. The Nursing is one of the classes considered most conducive to the occurrence of occupational risks, especially ergonomic ones. The main ergonomic risks observed for professionals in this area are weight lifting, inadequate posture, as well as physical effort at work. The employee who is also exposed to intense working hours suffers from physical exhaustion that, over time, can become a health problem, causing stress, demotivation, drowsiness, drop in work quality and low self-esteem. Preventive measures based on ergonomics and continuing education are necessary to provide better working conditions and quality of life for professionals.

References

Andrade, B. B., Santos, L. F., & Torres, L. M. (2018) Os riscos ergonômicos no cotidiano das equipes de Enfermagem. Revista Relações Sociais, 1(3), 0498-0510.

Andrade, G. B., Siqueira, H. C. H., Yasin, J. C. M., Soares, L. S., Medeiros, A. C., & Silva, D. N. (2020). Ações de prevenção dos riscos à saúde e qualidade de vida do enfermeiro e usuário. Research, Society and Development, 9(4), e72943043.

Arcanjo, R. V. G., Christovam, B. P., Souza, N. V. D. O., Silvino, Z. R., & da Costa, T. F. (2018). Conocimientos y prácticas de los trabajadores de enfermería sobre riesgos laborales en la atención primaria de salud: un estudio de intervención. Enfermería Global, 17(3), 200-237.

Barbosa, B. S. T., Ferreira, L. G. S., Lima, J. C., Oliveira, R. M. M., Souza, L.A., Walsh, I. A. P. (2020). Síndrome de burnout, variáveis sociodemográficas, ocupacionais e satisfação no trabalho na equipe de Enfermagem hospitalar. Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social, 8(2), 232-241.

Bernal, D., Serna, J. C., Tobias, A., Prada, S. V., Benavides, F. G., Serra C. (2015). Work-related psychosocial risk factors and musculoskeletal disorders in hospital nurses and nursing aides: a systematic review and meta-analysis. International Journal of Nursing Studies, 52(2), 635-648.

Brasil. (2018). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Saúde do trabalhador e da trabalhadora. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (1983). Ministério do Trabalho e da Previdência Social. Norma Regulamentadora 10 (NR-10). Brasília: Ministério do Trabalho e da Previdência Social.

Brasil. (1990). Ministério do Trabalho e da Previdência Social. Norma Regulamentadora 17 (NR-17). Brasília: Ministério do Trabalho e da Previdência Social.

Carrara, G. L. R., Magalhães, D. M., & Lima, R. C. (2015). Riscos ocupacionais e os agravos à saúde dos profissionais de enfermagem. Revista Fafibe On-line, 8(1), 265-286.

Cavalcante, I. C. J. B, & Teles, N. S. B. (2012). Riscos ergonômicos aos quais os profissionais de enfermagem estão expostos em ambiente hospitalar: uma revisão da literatura. Revista Diálogos Acadêmicos, 1(1), 39-48.

Cordeiro, A. M., Oliveira, G. M., Rentería, J. M., & Guimarães, C. A. (2007). Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, 34(6), 428-431.

Dias, C., Damasceno, J., Silva, L., & Rocha, B. (2020). Saúde do profissional de Enfermagem: riscos ocupacionais em ambiente hospitalar. Saúde, 46(2), e34972.

Fonseca, F. F., Costa, F. M., Lima, C. A., Silva, S. S. S., Alves, J. P., & Carneiro, J. A. (2016). Caracterização do risco ocupacional entre trabalhadores da Estratégia Saúde da Família. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, 17(2), 89–97.

Freire, L. A., Soares, T. C. N., & Torres, V. P. S. (2017). Influência da ergonomia na biomecânica de profissionais de Enfermagem no ambiente hospitalar. Biológicas & Saúde, 7(24), 72-80.

Leite, H. C. M., Cariman, S. A. E., Silva, N., & Carvalho, A. (2017). Risco ocupacional entre profissionais de saúde do serviço de atendimento móvel de urgência - SAMU. Enfermagem em Foco, 7(3/4), 31-35.

Loro, M. M., Bittencourt, V. L. B., & Zeitoune, R. C. G. (2017). Pesquisa convergente assistencial: equipe de Enfermagem compartilhando saberes sobre riscos ocupacionais e propondo intervenções. Revista Mineira de Enfermagem, 21, e-1044.

Macinko, J., & Harris, M. J. (2015). Brazil's family health strategy--delivering community-based primary care in a universal health system. The New England Journal of medicine, 4,372(23), 2177-2181.

Marques, D. O., Pereira, M. S., Souza, A. C. S., Vila, V. S. C., Almeida, C. C. O. F., & Oliveira, E. C. (2015). O absenteísmo - doença da equipe de enfermagem de um hospital universitário. Revista Brasileira de Enfermagem, 68(5), 876-882.

Marques, Y. L. V., Barros, D. M., Santos, M. C. M. C., Balica, N. M. P., Santo, I. M. B. E., Bezerra, A. M. F. A. (2020). Exposição ocupacional por material biológico nas práticas assistenciais de Enfermagem. International Journal of Development Research, 10(11), 42470-42474.

Martins, E. A., Correa, C. S., & Vidal, P. C. V. (2017). Doenças osteomusculares relacionadas ao trabalho com destaque aos profissionais da área de Enfermagem. Revista Perspectiva: Ciência e Saúde, 2(2), 107-118.

Moss, M., Good, V. S., Gozal, D., Kleinpell, R., Sessler, C. N. (2016) An Official Critical Care Societies Collaborative Statement: Burnout Syndrome in Critical Care Healthcare Professionals: A Call for Action. Critical Care Medicine, 44(7), 1414-21.

Nascimento, T. R. L., Siqueira, J. C. F., Gonçalves, S. B., Silva, N. L., & Souza, E. L. (2019). Ergonomia: saúde ocupacional e qualidade de vida. Revista Ação Ergonômica, 13(1), 151-162.

Neves, D. R., Nascimento, R. P., Felix Júnior, M. S., Silva, F. A., & Andrade, R. O. B. (2018). Sentido e significado do trabalho: uma análise dos artigos publicados em periódicos associados à Scientific Periodicals Electronic Library. Cadernos EBAPE.BR, 16(2), 318-330.

Oliveira, J. M. C., Pelissari, V., & Pelissari, A. (2015). Movimentação e transporte de pacientes - riscos ergonômicos. Revista Engenharia & Construção Civil, 2(1), 19-28.

Organização Internacional do Trabalho (OIT). (2013). La prevención de las enfermedades profesionales. Genebra: OIT.

Pasa, T. S., Magnago S. T. S. B., Silva, R. M., Cervo, A. S., Beck, C. L. C., & Viero, N. C. (2015). Riscos ergonômicos para trabalhadores de Enfermagem ao movimentar e remover pacientes. Revista de Enfermagem da UFSM, 5(1), 92-102.

Paula, A. A., Sanchez, M. C. O., & Pereira, M. J. (2018). Lesões por Esforço Repetitivo/Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho: contribuições para a prevenção em trabalhadores de enfermagem. ACC CIETNA: Revista de la Escuela de Enfermería, 3(2), 6-18.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., Shitsuka, R. (2018). Metodologia da Pesquisa Científica. 1ª ed. Santa Maria: UFSM, NTE.

Rocha, R. O., Vieira, N. S., Santos, L. D., Pena, M. S. P., Madureira, T. R. (2016). A importância da ergonomia no trabalho do profissional de enfermagem relacionado ao cuidado com o paciente totalmente dependente. Revista de Trabalhos Acadêmicos, 2(1), 1-36.

Santana, R. S., Fontes, F. L. L., Morais, M. J. A., Costa, G. S., Silva, R. K., Araújo, C. S., Silva, A. L. B., Pereira, R. I. N. (2019). Occupational stress among emergency and urgent care nurses at a public hospital in Teresina, Piaui, Brazil. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, 17(1), 76-82.

Santos, E., Silva, R., & Passos, V. (2016). Contribuição do enfermeiro do trabalho na prevenção primária relacionado a riscos ergonômicos. Revista Uningá Review, 26(1), 68-73.

Silva, M. L., Silva, M. P. B., Leite, A. C., Oliveira, E. F. P., Fernandes, A. R. C. A., Jatobá, D. N. V. (2021). A ergonomia no ambiente de trabalho dos enfermeiros do SAMU: uma visão da Enfermagem. Research, Society and Development, 10(1), e30410111552.

Silva, V., Gracini, R., Melo, J. C., Tavares, P. H., Geribello, R., & Amarante, M. (2019). A correlação entre ergonomia e saúde ocupacional. Revista Pesquisa e Ação, 5(1), 109-126.

Souza, G. F., Ferreira, A. P., Moreira, M. F. R., Portela, L. F. (2017). Fatores de riscos ocupacionais e implicações à saúde do trabalhador em biotérios. Saúde em Debate, 41(S2), 188-199.

Souza, S. R. R. K. (2003). A rotatividade e as condições de trabalho dos profissionais de Enfermagem: um enfoque da ergonomia. Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis.

Souza, V., Cortez, E. A., & Carmo, T. G. (2017). Medidas educativas para minimizar os riscos ocupacionais na equipe de enfermagem da UTI. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 9(2), 583-591.

Valença, J. B. M., & Alencar, M. C. B. (2015). Distúrbios osteomusculares e o trabalho de técnicos e auxiliares de Enfermagem em instituições de idosos. O Mundo da Saúde, 39(3), 316-324.

Published

14/03/2021

How to Cite

SANTOS, A. O. dos .; SANTO, I. M. B. do E.; SILVA, H. L. L. da; BEZERRA, A. M. F. de A.; SANTOS, J. F. C. dos; LIRA, E. V. de H.; SENNA, S. B. B.; SANTOS, M. S. P. dos; COSTA, F. de A. V. .; AZEVÊDO, A. N. A.; COELHO, A. S. C.; SILVA, C. F. da .; SILVA, I. de S. e .; BARROS, D. de M.; FONTES, F. L. de L. Ergonomic risks to which the Nursing team is exposed in their work practices. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e24610313259, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13259. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13259. Acesso em: 13 apr. 2021.

Issue

Section

Review Article