Satisfaction of users in chronic conditions within the scope of secondary health care

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13288

Keywords:

Chronic disease; Patient satisfaction; Quality of health care.

Abstract

Objective: to evaluate the degree of satisfaction of users in chronic conditions who use biological therapy in a secondary health care service. Method: Quantitative, descriptive and exploratory research, carried out in a Polyclinic of the State of Rio de Janeiro, in the months of November and December 2017, with 70 users with chronic conditions monitored in the specialties of rheumatology, gastroenterology, allergy and pneumology that make use of biological therapy. A questionnaire with variables related to the characteristics of users and satisfaction with the service was used. Results: Users evaluated the service as satisfactory in terms of reception, care from the nursing and health team, as well as feeling feelings of security and trust in the team during the service. Conclusion: the evaluation proved to be positive in the different dimensions, which enables decision making, based on the knowledge of the service's performance under the user's view. An excellent degree of user satisfaction promotes motivation of the professionals who assist them and allows the manager to create strategies for continuity and improvements in the processes aimed at welcoming and assisting these subjects.

Author Biographies

Gabrielle Borges da Silva , Hospital Naval Marcílio Dias da Marinha do Brasil

Enfermeira. Hospital Naval Marcílio Dias da Marinha do Brasil. Residente de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Alessandra Sant’anna Nunes , Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica da Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Helena Ferraz Gomes , Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora Assistente do Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica da Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Carla Tatiana Garcia Barreto Ferrão, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira. Doutora em Epidemiologia em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Enfermeira da Policlínica Piquet Carneiro

Ellen Marcia Peres, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira. Doutora em Saúde Coletiva pelo IMS/UERJ. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora Associada do Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica da Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. E-mail: ellenperes@globo.com. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0003-4262-6987

 

Bruna Maiara Ferreira Barreto Pires, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira. Doutora em Ciências do Cuidado em Saúde. Professora Adjunta do Departamento de Fundamentos de Enfermagem da Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. 

Priscila Cristina da Silva Thiengo de Andrade, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Assistente do Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Carolina Cabral Pereira da Costa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Assistente do Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Patrícia Ferraccioli Siqueira Lemos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem em Saúde Pública da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Thaísa Goulart Lambranho de Azevedo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda de Enfermagem. Voluntária do Projeto de Extensão Cuidados Inovadores na Policlínica Piquet Carneiro, Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Nívia Mariana de Souza Nunes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda de Enfermagem. Bolsista do Projeto de Extensão Planejamento estratégico situacional em enfermagem como ferramenta gerencial na Policlínica Piquet Carneiro, Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Beatriz Camargo Horsts Pereira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda de Enfermagem. Voluntária do Projeto de Extensão Planejamento estratégico situacional em enfermagem como ferramenta gerencial na Policlínica Piquet Carneiro, Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Daniele Pinto Freire, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda de Enfermagem. Voluntária do Projeto de Extensão Cuidados Inovadores na Policlínica Piquet Carneiro, Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Vivian Sarah Fernandes Vianna Santana, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda de Enfermagem. Voluntária do Projeto de Extensão Cuidados Inovadores na Policlínica Piquet Carneiro, Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Tainá Ferreira Santos Vilhegas, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduanda de Enfermagem. Voluntária do Projeto de Extensão Cuidados Inovadores na Policlínica Piquet Carneiro, Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, RJ, Brasil

References

Araújo, Y. B. de, Neusa, C, Gomes, I. P, & Nóbrega, R. D da. (2011). Enfrentamento do adolescente em condição crônica: importância da rede social. Rev. bras. enferm. 1 64(2): 281-286. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672011000200010.

Ayach, C. (2015). A visão do usuário sobre o serviço público odontológico e a autopercepção em saúde bucal. 121 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Odontologia de Araçatuba, 2015.

Azevedo, P. R. A., Sousa, M. M., Sousa, N. F., & Oliveira, S. H. dos S. (2018). Ações de educação em saúde no contexto das doenças crônicas: revisão integrativa. Rev Fund Care Online. 10(1):260-267. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v10.5013.

Brandão, O. S., Pierantoni, C. R., Gouvea, C. S. D. & França, T. (2015). O desempenho da maternidade da Santa Casa de Angra dos Reis face aos critérios de qualidade do Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde. In: Pierantoni, C. R., Viana, C.M., Parada, R. (Org.). Gestão de Sistemas de Saúde no Rio de Janeiro. 1ed.Rio de Janeiro: CEPESC, 1, 161-192. Brasil.

Brasil. Ministério da Saúde (2008). Secretaria de Vigilância à Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes e recomendações para o cuidado integral de doenças crônicas não-transmissíveis: promoção da saúde, vigilância, prevenção e assistência. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde (2010). Portaria nº 4.279, de 30 de dezembro de 2010. Diário Oficial da União, Brasília-DF, Seção 1, p. 89, 31 dez. 2010. Estabelece diretrizes para a organização da Rede de Atenção à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 31 dez. 2010, Seção 1.

Brasil. Ministério da Saúde (2011). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. Ministério da Saúde (2012). Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, Diário Oficial da União, 12 dez. 2012.

Brasil. Ministério da Saúde (2013). Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Brasília-DF, 2013.

Cruz, I. L. C. M., Parente, A. S., Mesquita, F. O. S., & Jerônimo, A. S. (2017). Satisfação dos usuários com os serviços do Sistema Único de Saúde – SUS em um município do sertão de Pernambuco. Id online Rev. Mult. Psic. 11(39).

Erdmann, A. L., Andrade, S. R. de., Mello, A. L. S. F de. & Drago, L. C. (2013). A atenção secundária em saúde: melhores práticas na rede de serviços. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 21(spe): 131-139. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692013000700017.

Ferreira, G. M. M. (2012). O Processo de trabalho do enfermeiro na atenção secundária do Sistema Único de Saúde, p. 50. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Graduação em Enfermagem do Centro de Ciências da Saúde. Universidade Regional de Blumenau. Santa Catarina.

Ferreira, P. H. C., Guedes, H., Moreira, A. S., Baracho, V. S., Caldeira, A. B. R., Guedes, C. F., Ferreira, T. S., & Ribeiro, L. C. C. (2016). Satisfação dos clientes externos quanto aos cuidados de enfermagem. Revista Mineira de Enfermagem. Minas Gerais, 20,e975.

Holman H., & Lorig K. (2000). Patients as partners in managing chronic disease. Partnership is a prerequisite for effective and efficient health care. BMJ. 320(7234):526-7. https://doi.org/10.1136/bmj.320.7234.526.

Malta, D. C., Bernal, R. T. I., Lima, M. G., Araújo, S. S. C. de., Silva, M. M. A. da., Freitas, M. I. F., & Barros, M. B. A. (2017). Doenças crônicas não transmissíveis e a utilização de serviços de saúde: análise da Pesquisa Nacional de Saúde no Brasil. Revista de Saúde Pública, 51(1), 4s. https://doi.org/10.1590/s1518-8787.2017051000090

Marques, I. P., Andrade, V. L., Oliveira Júnior, L. B. de., Costa, F. M. da. (2016). Pesquisa de satisfação do usuário do SUS realizada no Hospital Universitário da UFJF. HU Revista, Juiz de Fora. 42(1),.67-74.

Organização Mundial da Saúde (2003). Cuidados inovadores para condições crônicas: componentes estruturais de ação: relatório mundial. Brasília: OMS, 2003.

Paiva, M. B. P. de, Mendes, W., Brandão, A. L., Campos, C. E. A. (2015). Uma contribuição para a avaliação da Atenção Primária à Saúde pela perspectiva do usuário. Physis; 25(3): 925-950. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312015000300013.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Pereira, F. J. & Scitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM.

Polit, D. F., Beck, C. T. & Hungler, B. P. (2004). Fundamentos de pesquisa em enfermagem: métodos, avaliação e utilização. (5a ed.), Artmed.

Protasio, A. P. L., Gomes, L. B, Machado, L. S, Valença, A. M. G. (2017) Satisfação do usuário da Atenção Básica em Saúde por regiões do Brasil: 1º ciclo de avaliação externa do PMAQ-AB. Ciênc. saúde coletiva. 22(6): 1829-1844. https://dx.doi.org/10.1590/1413-81232017226.26472015.

Schmidt, M. I., Duncan, B. B., Azevedo e Silva, G., Menezes, A. M., Monteiro, C. A., Barreto, S. M., Chor, D., & Menezes, P. R. (2011). Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet. 4; 377(9781):1949-61. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(11)60135-9

World Health Organization. (2014). Global status report on noncommunicable diseases 2014. Switzerland: WHO, 2014.

Published

14/03/2021

How to Cite

SILVA , G. B. da .; NUNES , A. S. .; GOMES , H. F. .; FERRÃO, C. T. G. B. .; PERES, E. M. .; PIRES, B. M. F. B. .; ANDRADE, P. C. da S. T. de .; COSTA, C. C. P. da .; LEMOS, P. F. S. .; AZEVEDO, T. G. L. de .; NUNES, N. M. de S. .; PEREIRA, B. C. H. .; FREIRE, D. P. .; SANTANA, V. S. F. V. .; VILHEGAS, T. F. S. . Satisfaction of users in chronic conditions within the scope of secondary health care. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e25010313288, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13288. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13288. Acesso em: 14 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences