Neglected and Underutilized Species in the perspective of Food and Nutritional Security promotion in Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13306

Keywords:

Food plants; Biodiversity; Nutrition; Health promotion.

Abstract

The diet of the world’s population has been increasingly characterized by the predominance of industrialized foods and low consumption of vegetables, including native plants. These species are rich in nutrients and show a potential to diversify diets, possibly contributing to the promotion of food security of many Brazilian families. In this sense, this work aims to systematize knowledge about the relevance of inserting Neglected and Underutilized Species (NUS) in the Brazilian population’s diet, in the perspective of Food and Nutritional Security (FNS) promotion. For this purpose, a narrative review was conducted, by means of consultations in databases and websites of scientific research, covering the following contents: 1. the current Brazilian dietary pattern; 2. Neglected and Underutilized Species and nutritional contributions; and 3. Neglected and Underutilized Species in promoting FNS. Studies point out that the Brazilian population has been replacing traditional foods with processed foods, which is a risk factor for the development of chronic non-communicable diseases. Additionally, studies reveal that NUS are rich in nutrients, can play an important role in perpetuating healthier eating habits, and the incorporation of these vegetables in national food and nutrition policies is an excellent strategy in the perspective of promoting FNS. In the face of the findings, it has been concluded that appreciation of NUS and stimulation of the consumption of these vegetables have become important for the promotion of biodiversity and sustainability, strengthening governmental actions for food security in the country.

References

Almeida, M. E. F., Junqueira, A. M. B., Simão, A. A., & Corrêa, A. D. (2014). Caracterização química das hortaliças não-convencionais conhecidas como ora-pro-nóbis. Bioscience Journal, 30(Supplement 1), 431-439. Recuperado de http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/17555/14557.

Belik, W. (2020). Estudo sobre a Cadeia de Alimentos. Recuperado em 03 de março, 2021, de https://www.ibirapitanga.org.br/wp-content/uploads/2020/10/EstudoCadeiaAlimentos_%C6%92_13.10.2020.pdf.

Bezerra, A. S., Stankievicz, S. A., Kaufmann, A. I., Machado, A. A. R., & Uczay, J. (2017). Composição nutricional e atividade antioxidante de plantas alimentícias não convencionais da região sul do Brasil. Arquivos Brasileiros de Alimentação, 1(1), 182-188. Recuperado de http://www.journals.ufrpe.br/index.php/ABA/article/view/1479.

Bezerra, J. A., & Brito, M. M. (2020). Potencial nutricional e antioxidantes das Plantas alimentícias não convencionais (PANCs) e o uso na alimentação: Revisão. Research, Society and Development, 9(9), e369997159. doi: 10.33448/rsd-v9i9.7159.

Borokini1, F. B., Olaleye, M. T., & Lajide, L. (2017). Nutritional and chemical compositions of two underutilized Vegetables in Nigeria. Bangladesh Journal of Scientific and Industrial Research, 52(3), 201-208. doi: 10.3329/bjsir.v52i3.34156.

Botrel, N., Freitas, S., Fonseca, M. J. O., Melo, R. A. C., & Madeira, N. (2020). Valor nutricional de hortaliças folhosas não convencionais cultivadas no Bioma Cerrado. Brazilian Journal of Food Technology, 23, e2018174. doi: 10.1590/1981-6723.17418.

Brasil (2003). Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 10.696, de 2 de julho de 2003. Dispõe sobre a repactuação e o alongamento de dívidas oriundas de operações de crédito rural, e dá outras providências. Recuperado em 03 de agosto, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.696.htm.

Brasil (2009). Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica e dá outras providências. Recuperado em 02 de fevereiro, 2020, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l11947.htm.

Brasil (2010). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secret. de Desenv. Agropecuário e Cooperativismo. Hortaliças não-convencionais (tradicionais). Brasília: MAPA/ACS. Recuperado em 03 de fevereiro, 2021, de https://www.abcsem.com.br/docs/cartilha_hortalicas.pdf.

Brasil (2011). Presidência da República. Lei nº 12.512, de 14 de outubro de 2011. Institui o Programa de Apoio à Conservação Ambiental e o Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais; altera as Leis nº 10.696, de 2 de julho de 2003, 10.836, de 9 de janeiro de 2004, e 11.326, de 24 de julho de 2006. Recuperado em 28 de janeiro, 2021, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12512.htm.

Brasil (2012). Ministério do Meio Ambiente. Departamento de conservação da biodiversidade. Caatinga: contexto, características e estratégias de conservação. Recuperado em 03 de outubro, 2019, de http://www.mma.gov.br/component/k2/itemlist/category/55-caatinga?start=15.

Brasil (2013a). Ministério da Saúde. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Recuperado em 06 de fevereiro, 2021, de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_alimentacao_nutricao.pdf.

Brasil (2013b). Ministério da Saúde. O direito humano à alimentação adequada e o sistema nacional de segurança alimentar e nutricional. Recuperado em 06 de fevereiro, 2021, de http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/seguranca_alimentar/DHAA_SAN.pdf.

Brasil (2013c). Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução nº 26 de 17 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Recuperado em 11 de fevereiro, 2018, de https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/30683767/do1-2013-06-18-resolucao-n-26-de-17-de-junho-de-2013-30683763.

Brasil (2014). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado em 20 de fevereiro, 2020, de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf.

Brasil (2015). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Alimentos regionais brasileiros. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado em 03 de fevereiro, 2021, de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/alimentos_regionais_brasileiros_2ed.pdf.

Brasil (2016). Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Aquisição de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar. 2 ed. Brasília: FNDE. Recuperado em 15 de janeiro, 2021, de https://www.fnde.gov.br/index.php/programas/pnae/pnae-area-gestores/pnae-manuais-cartilhas/item/8595-manual-de-aquisi%C3%A7%C3%A3o-de-produtos-da-agricultura-familiar-para-a-alimenta%C3%A7%C3%A3o-escolar.

Brasil (2018). Ministério do Meio Ambiente. Portaria Interministerial nº 284, de 30 de maio de 2018. Institui a lista de espécies da sociobiodiversidade, para fins de comercialização in natura ou de seus produtos derivados, no âmbito das operações realizadas pelo Programa de Aquisição de Alimentos-PAA. Recuperado em 01 de outubro, 2019, de http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/29306868/do1-2018-07-10-portaria-interministerial-n-284-de-30-de-maio-de-2018-29306860.

Brasil (2020). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis. Vigitel Brasil 2019: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Recuperado em 31 de janeiro, 2021, de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2019_vigilancia_fatores_risco.pdf.

Caetano, C. M., Cuellar, R. D. P., Juajibioy, J. L. M., Ávila, L. N. V., Nunes, D. G. C., & de Pazdiora, B. R. C. N. (2015). Mejoramiento participativo: herramienta para la conservación de cultivos subutilizados y olvidados. Acta Agronómica, 64(3sup), 307-327. doi: 10.15446/acag.v64n3sup.50550.

Camargo, R. A. L., Baccarin, J. G., & Silva, D. B. P. (2013). O papel do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) no fortalecimento da agricultura familiar e Promoção da Segurança Alimentar. Temas de Administração Pública, 8(2). Recuperado de https://www.fcav.unesp.br/Home/departamentos/economiarural/josegiacomobaccarin1559/artigo-temas-versao-publicada.pdf.

Cecchetto, F.H., Pena, D. P., & Pellanda, L. C. (2017). Playful interventions increase knowledge about healthy habits and cardiovascular risk factors in children: the CARDIOKIDS randomized study. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 109(3), 199-206. doi: 10.5935/abc.20170107.

Chacha, J. S., & Laswai, H. S. (2020). Micronutrients potential of underutilized vegetables and their role in fighting hidden hunger. International Journal of Food Science, ID 9408315. doi: 10.1155/2020/9408315.

Chaves, M. S (2016). Plantas alimentícias não convencionais em comunidades ribeirinhas na Amazônia. (Dissertação de mestrado em Agroecologia). Universidade Federal de Viçosa, Programa de Pós-Graduação em Agroecologia, Viçosa/MG. Recuperado de https://locus.ufv.br//handle/123456789/8252.

Conti, I. L., Bazotti, A., & Radomsky, G. F. W. (2015). Agricultura familiar e segurança alimentar e nutricional: um estudo sobre a relação produção-consumo nos municípios de Toledo (PR) e Contagem (MG). Revista Extensão Rural, 22(1), 56-86. doi: 10.5902/2318179611935.

Da Cunha, M. A., Paraguassú, L. A. A., Assis, J. G. A, Silva; A. B. P. C., & Cardoso, R. C. V. (2020). Urban gardening and neglected and underutilized species in Salvador, Bahia, Brazil. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, 16(67), 1-16. doi: 10.1186/s13002-020-00421-0.

Dutra, L. V. (2013). Insegurança alimentar e nutricional e produção para o autoconsumo na zona rural de São Miguel do Anta, Minas Gerais. (Dissertação de Mestrado em Agroecologia). Universidade Federal de Viçosa, Programa de Pós-Graduação em Agroecologia, Viçosa/MG. Recuperado de https://locus.ufv.br//handle/123456789/2009.

EPAMIG (2012). Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais. Hortaliças não-convencionais: Sabores e Saberes. Recuperado em 23 de março, 2018, de http://www.epamig.br/download/cartilha-hortalicas-nao-convencionais-saberes-e-sabores/.

Fabri, R. K. (2013). Uso de alimentos regionais da agricultura familiar na alimentação escolar: um estudo de caso em Santa Catarina. (Dissertação de Mestrado em Nutrição). Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Florianópolis-SC. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/107563.

FAO - Food and Agricultural Organization of the United Nations. (2017). Promoting neglected and underutilized crop species. Recuperado em 08 de julho, 2019, de http://www.fao.org/news/story/en/item/1032516/icode/.

Figueira, T. R., Lopes, A. C. S., & Modena, C. M. (2016). Barreiras e fatores promotores do consumo de frutas e hortaliças entre usuários do Programa Academia da Saúde. Revista de Nutrição, 29(1), 85-95. doi: 10.1590/1678-98652016000100009.

Flora do Brasil – REFLORA (2020). Plantas do Brasil: Resgate Histórico e Herbário Virtual para o Conhecimento e Conservação da Flora Brasileira. Recuperado em 14 de agosto, 2020, de http://floradobrasil.jbrj.gov.br.

Garcia, J. A., Corrêa, R. C, Barros, L., Pereira, C., Abreu, R. M., Alves, M. J., Calhelha, R. C., Bracht, A., Peralta, R. M., & Ferreira, I. C. F. R. (2019). Phytochemical profile and biological activities of' Ora-pro-nobis' leaves (Pereskia aculeata Miller), an underexploited superfood from the Brazilian Atlantic Forest. Food Chemistry, 294, 302-308. doi: 10.1016/j.foodchem.2019.05.074.

Garzillo, J. M. F. (2019). A alimentação e seus impactos ambientais: abordagens dos guias alimentares nacionais e estudo da dieta dos brasileiros. (Tese de Doutorado em Ciências). Universidade de São Paulo, Programa: Saúde Global e Sustentabilidade, São Paulo/SP. Recuperado de https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6140/tde-13022019-082545/pt-br.php.

Hunter, D., Borelli, T., Beltrame, D. M. O., Oliveira, C. N. S., Coradin, L., Wasike, V. W., Wasilwa, L., Mwai, J., Manjella, A., Samarasinghe, G. W. L., Madhujith, T., Nadeeshani, H. V. H., Tan, A., Tuğrul Ay, S., Güzelsoy, N., Lauridsen, N., Gee, E., & Tartanac, F. (2019). The potential of neglected and underutilized species for improving diets and nutrition. Planta, 250, 709-729. doi: 10.1007/s00425-019-03169-4.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2018). Pobreza aumenta e atinge 54,8 milhões de pessoas em 2017. Recuperado em 27 de novembro, 2020, de https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/23299-pobreza-aumenta-e-atinge-54-8-milhoes-de-pessoas-em-2017.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). Pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018: primeiros resultados. Recuperado em 03 de maço, 2021, de https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101670.pdf.

Izzo, S., & Domene, S. M. A. (2021). Aceitabilidade de preparações culinárias com ora-pro-nóbis por escolares atendidos pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde, 16, e53372. doi: 10.12957/demetra.2021.53372.

Jacob, M. C. M (2020). Biodiversidade de plantas alimentícias não convencionais em uma horta comunitária com fins educativos. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde, 15, e43568. doi: 10.12957/demetra.2020.44037.

Kelen, M. E. B., Nouhuys, I. S. V., Kehl, L. C. K., Brack, P., & Silva, D. B. (2015). Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC): hortaliças espontâneas e nativas. 1 ed. Porto Alegre: UFRGS. Recuperado em 11 de novembro, 2020, de https://www.ufrgs.br/viveiroscomunitarios/wp-content/uploads/2015/11/Cartilha-15.11-online.pdf.

Kinupp, V. F. (2007). Plantas alimentícias não-convencionais da região metropolitana de Porto Alegre, RS. (Tese de Doutorado em Fitotecnia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Agronomia, Porto Alegre/RS. Recuperado de https://lume.ufrgs.br/handle/10183/12870.

Kinupp, V. F., & Barros, I. B. I. (2008). Teores de proteínas e minerais de espécies nativas, potenciais hortaliças e frutas. Food Science and Technology, 28(4), 846-857. doi: 10.1590/S0101-20612008000400013.

Kinupp, V. F., & Lorenzi, H. (2014). Plantas Alimentícias Não Convencionais (Panc) no Brasil. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora.

Leal, M. L., Alves, R. P., & Hanazaki, N. (2018). Knowledge, use, and disuse of unconventional food plants. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, 14(6), 1-9. doi: 10.1186/s13002-018-0209-8.

Louzada, M. L. D. C., Martins, A. P. B., Canella, D. S., Baraldi, L. G., Levy, R. B., Claro, R. M., Moubarac, J-C., Cannon, G., & Monteiro, C. A. (2015). Alimentos ultraprocessados e perfil nutricional da dieta no Brasil. Revista de Saúde Pública, 49(38), 1-11. doi: 10.1590/S0034-8910.2015049006132.

Louzada, M. L. C., Ricardo, C. Z., Steele, E. M., Levy, R. B., Cannon, G., & Monteiro, C. A. (2017). The share of ultra-processed foods determines the overall nutritional quality of diets in Brazil. Public Health Nutrition, 21(1), 94-102. doi: 10.1017/S1368980017001434.

Marchioni, D. M. L., Mendes, A., Gorgulho, B., Stella, R. H., & Fisberg, R. M. (2012). Densidade energética da dieta e fatores associados: como está a população de São Paulo?. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, 56(9), 638-645. doi: 10.1590/S0004-27302012000900007.

Martinevski, C. S., Oliveira, V. R., Rios, A. D. O., Flores, S. H., & Venzke, J. G. (2013). Utilização de bertalha (Anredera cordifolia (TEN.) Steenis) e ora-pro-nobis (Pereskia aculeata Mill.) na elaboração de pães. Alimentos e Nutrição Araraquara, 24(3), 1-6. Recuperado de http://200.145.71.150/seer/index.php/alimentos/article/viewArticle/267.

Martini, F. A. N., Borges, M. B., & Guedes, D. P. (2014). Hábito alimentar e síndrome metabólica em uma amostra de adultos brasileiros. Archivos Latinoamericanos de Nutrición, 64(3), 161-173. Recuperado de http://ve.scielo.org/pdf/alan/v64n3/art03.pdf.

Monego, E. T., Alexandre, V. P, Sousa, L. M., Martins, K. A., Rosa, J. Q. S., Souza, P. L. C., & Assis, J. N. (2013). Produção e potencial agrícolas de alimentos destinados à alimentação escolar em Goiás e no Distrito Federal, na Região Centro-Oeste do Brasil. Revista de Nutrição, 26(2), 233-241. doi: 10.1590/S1415-52732013000200011.

Oliveira, V. S., Augusta, I. M., Braz, M. V. C., Riger, C. J., Prudêncio, E. R, Sawaya, A. C. H. F., Sampaio, G. R., Torres, E. A. F. S., & Saldanha, T. (2020). Aroeira fruit (Schinus terebinthifolius Raddi) as a natural antioxidant: Chemical constituents, bioactive compounds and in vitro and in vivo antioxidant capacity. Food Chemistry, 315, 126274. doi: 10.1016/j.foodchem.2020.126274.

Ortolan, A. V., Eing, K. K. C., Santos, M. M. R., Candido, C. J., Santos, E. F., & Novello, D. (2016). Adição de farinha de baru em cupcakes: caracterização físico-química e sensorial entre crianças. O Mundo da Saúde, 40(2), 213-220. doi: 10.15343/0104-7809.20164002.

Padulosi, S. (2017). Bring NUS back to the table! Recuperado em 06 de julho, 2019, de https://www.bioversityinternational.org/e-library/publications/detail/bring-nus-back-to-the-table/.

Paula Filho, G. X. (2013). Frutas alimentícias não convencionais da zona rural de Viçosa, Minas Gerais: levantamento etnobotânico e valor nutricional. (Dissertação de Mestrado em Agroecologia). Universidade Federal de Viçosa, Programa de Pós-Graduação em Agroecologia, Viçosa/MG. 2013. Recuperado de https://locus.ufv.br//handle/123456789/8540.

Ribeiro, S. M., Bógus, C. M., & Watanabe, H. A. W. (2015). Agricultura urbana agroecológica na perspectiva da promoção da saúde. Saúde e Sociedade, 24(2), 730-743. doi: 10.1590/S0104-12902015000200026.

Santos, G. M. G. C. D., Silva, A. M. R., Carvalho, W. O. D., Rech, C. R., & Loch, M. R. (2019). Perceived barriers for the consumption of fruits and vegetables in Brazilian adults. Ciencia & saude coletiva, 24, 2461-2470. doi: 10.1590/1413-81232018247.19992017.

Saraiva, E. B., Silva, A. P. F., Sousa, A. A., Cerqueira, G. F., Chagas, C. M. S., & Toral, N. (2013). Panorama da compra de alimentos da agricultura familiar para o Programa Nacional de Alimentação Escolar. Ciên. & Saúde Colet., 18(4), 927-936. doi: 10.1590/S1413-81232013000400004.

Sato, R., Cilli, L. P. D. L., Oliveira, B. E. D., Maciel, V. B. V., Venturini, A. C., & Yoshida, C. M. P. (2019). Nutritional improvement of pasta with Pereskia aculeata Miller: a non-conventional edible vegetable. Food Science and Technology, 39(Suppl. 1), 28-34. doi: 10.1590/fst.35617.

Silva, C. L., & Costa, T. H. M. (2013). Barreiras e facilitadores do consumo de frutas e hortaliças em adultos de Brasília. Scientia Medica (Porto Alegre), 23(2), 68-74. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/scientiamedica/article/view/13047/9667.

Singh, S., Singh, D. R., Banu, S., & Salim, K. M. (2013). Determination of bioactives and antioxidant activity in Eryngium foetidum L.: a traditional culinary and medicinal herb. Proceedings of the National Academy of Sciences, India Section B: Biological Sciences, 83, 453–460. doi: 10.1007/s40011-012-0141-y.

Soares, J. M., Santos, M. M. R, Candido, C. J., Santos, E. F., & Novello, D. (2016). Cookies adicionados de farinha de jatobá: composição química e análise sensorial entre crianças. Brazilian Journal of Health Research, 18(3), 74-82. Recuperado de https://periodicos.ufes.br/rbps/article/view/15746.

Sperandio, N., Rodrigues, C. T., Franceschini, S. D. C. C., & Priore, S. E. (2017). The impact of the Bolsa Família Program on food consumption: a comparative study of the southeast and northeast regions of Brazil. Ciencia & Saude Coletiva, 22, 1771-1780. doi: 10.1590/1413-81232017226.25852016.

Tebkew, M., Gebremariam, Y., Mucheye, T., Alemu, A., Abich, A., & Fikir, D. (2018). Uses of wild edible plants in Quara district, northwest Ethiopia: implication for forest management. Agriculture & Food Security, 7(12), 1-14. doi: 10.1186/s40066-018-0163-7.

Triches, R. M., & Schneider, S. (2010). Alimentação escolar e agricultura familiar: reconectando o consumo à produção. Saúde e Sociedade, 19(4), 933-945. Recuperado de https://www.scielosp.org/pdf/sausoc/2010.v19n4/933-945/pt.

Venskutonis, P. R., & Kraujalis, P. (2013). Nutritional components of amaranth seeds and vegetables: a review on composition, properties, and uses. Comprehensive Reviews in Food Science and Food Safety, 12(4), 381-412. doi: 10.1111/1541-4337.12021.

Viana, M. M. S. (2013). Potencial nutricional, antioxidante e atividade Biológica de hortaliças não convencionais. (Dissertação de Mestrado em Ciências Agrárias). Universidade Federal de São João del Rei, Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias, Sete Lagoas/MG. Recuperado de https://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/ppgca/Dissertacao%20Mayara%20Marcia%20Sarsur%20Viana%20UFSJ(1).pdf.

Wang, J., Seyler, B. C., Ticktin, T., Zeng, Y., & Ayu, K. (2020). An ethnobotanical survey of wild edible plants used by the Yi people of Liangshan Prefecture, Sichuan Province, China. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, 16(10), 1-27. doi: 10.1186/s13002-019-0349-5.

WHO - World Health Organization (2014). Global status report on noncommunicable diseases 2014. Geneva: WHO. Recuperado em 11 de fevereiro, 2021, de https://www.who.int/nmh/publications/ncd-status-report-2014/en/.

WHO - World Health Organization (2018). Noncommunicable Diseases (NCD) Country Profiles 2018. Geneva: WHO. Recuperado em 11 de fevereiro, 2021, de https://www.who.int/publications/i/item/ncd-country-profiles-2018.

Yeşil, Y., Çelik, M., & Yılmaz, B. (2019). Wild edible plants in Yeşilli (Mardin-Turkey), a multicultural area. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, 15(52), 1-19. doi: 10.1186/s13002-019-0327-y.

Published

12/03/2021

How to Cite

CUNHA, M. A. da; PINTO, L. C.; SANTOS, I. R. P. dos; NEVES, B. M.; CARDOSO, R. de C. V. Neglected and Underutilized Species in the perspective of Food and Nutritional Security promotion in Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e20610313306, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13306. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13306. Acesso em: 13 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences