Seasonal survey of gastrointestinal nematodes in a milk sheep flock

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13315

Keywords:

Endoparasitosis; Epidemiology; Haemonchus sp.; Helminths; Seasonal variation; Trichostrongylus sp.

Abstract

The epidemiology of gastrointestinal nematodes was studied in 120 breeds sheep of races Lacaune, Creole and their crosses in a semi-intensive grazing regime in private property, in Santana do Livramento, West Frontier of Rio Grande so Sul. The climate in the region is Cfa and the experimente was conducted for twelve months, crossing for four seasons of the year. The animals had natural infection by distincts species of helminths and the work was based on the egg count per gramo f feces (OPG) of 30 animals, on average, and these, made up a pool of faces of the tem most infected for coproculture, in order to indicate the most prevalent generas in these samples. The data were analyzed using the Analysis of Variance test and the means were compared using the Skott-Knott test, a significance level of 5%. The most prvalent genera was Haemonchus sp. OPG data indicates that the peak of eggs production was in the spring. In addition, there was a tendency for parasites to resist anthelmintics in this property. In conclusion, there are more prevalente nematódeos generas in sheep farming avaible and was observed difference in the epidemiological distribution according to the season.

Author Biographies

Thais Moreira Osório, Universidade Federal do Pampa

Graduada em Ciências Biológicas pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) e Mestra em Biotecnologia e Biociências pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Responsável técnica pelos laboratórios da Unidade de Santana do Livramento da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Ciências Biológicas (PPGCB) do Campus São Gabriel, em estudo que visa a produção de biofármacos.

Leonardo de Melo Menezes, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Médico Veterinário pela Universidade Federal de Pelotas (2007), Especialista em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas - FGV/RJ (2010), Mestre em Zootecnia (2010) e Doutor em Zootecnia (2014) pela Universidade Federal de Pelotas. Graduando em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Pampa (2018 - atual). Atualmente é professor na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS) para os cursos de Agronomia, Desenvolvimento Rural e Gestão Agroindustrial e para o curso de pós graduação (especialização) em Desenvolvimento Territorial e Agroecologia, na unidade de Santana do Livramento. Líder de grupo de pesquisa cadastrado no Cnpq (GEPAFO - Grupo de Estudos em Pecuária e Agricultura da Fronteira Oeste). Tem experiência em Produção Animal, com ênfase na produção de bovinos de corte e ovinos, atuando nos seguintes temas: produção de leite, sistemas de produção, comportamento animal, eficiência técnico-econômica, gestão da produção. 

Karoline Barcellos da Rosa, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Atualmente cursando Agronomia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), membro do grupo de pesquisa cadastrado no Cnpq Grupo de Estudos em Pecuária e Agricultura da Fronteira Oeste (GEPAGO), Diretora de Gestão de Pessoas e Finanças na Empresa Ecorural Jr e membro do Centro Acadêmico da Agronomia da UERGS, unidade Santana do Livramento. 

Rodrigo Flores Escobar, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Graduado em Administração de Empresas pelo Centro Universitário da Região da Campanha (URCAMP) e pós-graduado em Agronegócio pela Faculdade Metodista Centenário (FAMES). Atualmente cursando graduação em Agronomia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Tenho experiência na área de Administração e Gestão Rural. 

Gianny de Mello Maydana, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul

Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Produção Animal. Acadêmica do 8º semestre de Agronomia, integrante do Grupo de Estudos em Pecuária e Agricultura da Fronteira Oeste - GEPAFO desde 2018.

Velci Queiroz de Souza, Universidade Federal do Pampa

Velci Queiróz de Souza concluiu o pós-doutorado em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas em 2008 - área de concentração em Melhoramento Genético Vegetal. Atualmente é Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação da Universidade Federal do Pampa. Atua na área de Agronomia, com ênfase em Estatística Experimental e Melhoramento Genético. Em suas atividades profissionais, interagiu com mais de 30 colaboradores em coautorias de trabalhos científicos. Em seu currículo Lattes os termos mais frequentes na contextualização da produção científica e tecnológica são: melhoramento genético vegetal, estatística experimental, seleção de progênies, interação genótipo e ambiente, e resistência a fatores bióticos e abióticos. 

References

Amarante, A. F. T., Bassetto, C. C., Silva, B. F. & Fernandes, S. (2009). Contaminação da pastagem com larvas infectantes de nematoides gastrintestinais após o pastejo de ovelhas resistentes ou susceptíveis à verminose. Rev. Bras. Parasitol. Vet., Jaboticabal, 18(4), 63-68. 10.4322/rbpv.01804012

Amarante, A. F. T., Ragozo, A. M. A. & Silva, B. F. (2014). Os parasitos de ovinos. 266p. São Paulo: Editora Unesp Digital. http://editoraunesp.com.br/catalogo/9788568334423,os-parasitas-de-ovinos.

Aquino, R. S., Lemos, C. G., Alencar, C. A., Silva, E. G., Silva, L. R., Gomes, J. A. F. & Silva, A. F. (2016). A realidade da caprinocultura e ovinocultura no semiárido brasileiro: um retrato do sertão do Araripe, Pernambuco. PUBVET, 10, 271-281. https://.org/10.22256/pubvet.v10n4.271-281

Buriol, G. A., Estefanel, V., Chagas, A. C. & Kuinchtner, A. (2019). Relação da vegetação natural do Estado do Rio Grande do Sul com as disponibilidades climáticas. Ciênc. Florest., Santa Maria, 29(1), 233-242. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-50982019000100233&lng=en&nrm=iso

Braga, R. M. (1986). Sobrevivência de larvas infectantes de nematódeos gastrintestinais de bovinos, sob condições naturais. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 8, 186- 188. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&ref=000048&pid=S0103-8478200500060003900002&lng=pt

Cardoso, M. V., Pino, F. A., Federsoni, I. F. P., Filho, A. L. & Felicio, A. L. (2015). Caracterização da caprinocultura e ovinocultura no estado de São Paulo. Arquivo do Instituto Biológico, São Paulo, 82, 1-15. https://.org/10.1590/1808-1657000592013

Cezar, A. S., Vogel, F. S. F., Sangioni, L. A., Antonello, A. M., Camillo, G., Toscan, G. & Araujo, L. O. (2010). Ação anti-helmíntica de diferentes formulações de lactonas macrocíclicas em cepas resistentes de nematódeos de bovinos. Pesquisa veterinária brasileira, 30, 523-528. https://www.scielo.br/pdf/pvb/v30n7/a02v30n7.pdf

Costa, P. T., Costa, R. T. & Vaz, R. Z. (2017). Eficácia anti-helmíntica comparativa do nitroxinil, levamisol, closantel, moxidectina e fenbendazole no controle parasitário em ovinos. Boletim de Indústria Animal, 74(1), 72-78. https://.org/10.17523/bia.v74n1p72.

Domingues, L. F., Giglioti, R., Feitosa, K. A., Fantatto, R. R., Rabelo, M. D., De Sena Oliveira, M. C., Bechara, G. H., De Oliveira, G.P., Barioni Junior, W. & De Souza Chagas, A. C. (2013). .In vitro and in vivo evaluation of the activity of pineapple (Ananas comosus) on Haemonchus contortus in Santa Inês sheep. Vet Parasitol. 197(1-2):263-70. 10.1016/j.vetpar.2013.04.031.

Gordon, II. Mc. & Whitlock, H. V. A new technique for counting nematode eggs in sheep facces. (1939). J. Coune. lndust Res., 12(1):50-2. http://hdl.handle.net/102.100.100/339340?index=1

Heck, I., Leandro, A. S., Leite, C. T., Gindri, J. K., Souza, M. B. M., Depner, R. & Molento, M. B. (2005). Efeito do clima sobre a infecção parasitária em bezerros e presença de larvas em manejo rotativo de pasto em Santa Maria, RS, Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, 35(6), 1461-1464. https://.org/10.1590/S0103-84782005000600039

IBGE. (2018). Censo Agropecuário 2017. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodi cos/3093/agro_2017_resultados_preliminares.pdf.

Kate, R.C. (1965). Ecological aspects of helminth transmission in domesticated animals. Am. Zoologist 5:95-130. In: Fonseca, H. A. & Neto, M. P. Epidemiologia das helmintoses pulmonares e gastrintestinais Epidemiologia das helmintoses pulmonares e gastrintestinais de bezerros em região de baixada do Estado do Rio de Janeiro. Pesq. Vet. Bras. 22(4):148-152, 2002. https://www.scielo.br/pdf/pvb/v22n4/14288.pdf

Keith, R. K. (1953). The diferentiation of the infective larvae of some commom nematode. Australian Journal of Zoology, Victoria, 1(2), 223-235.

Lacerda, M. J. R., Rocco, V. V. B., Guimarães, K. C., Souza, P. P. S. & Fernandes, L. H. (2010). Routes of applying Closantel as a gastrointestinal anthelmintic in sheep. Archivos Latinoamericanos de Producción Animal, 17, 55-59, In: Silva, D. G., Pilatti, J. A., Menezes, B. M., Brum, L. P., Netto, C. G. & Martins, A. A. (2017). Eficácia anti-helmíntica comparativa entre diferentes princípios ativos em ovinos jovens. PUBVET, 11(4), 356-362. http://www.pubvet.com.br/artigo/3748/eficaacutecia-anti-helmiacutentica-comparativa-entre-diferentes-princiacutepios-ativos-em-ovinos-jovens

Leme, M. E., Peixoto, E. C. T. M., Yoshihara, E., Kakimori, M. T. A., Portes, E. A., Paiva, M. M. & Silva, M. A. A. (2020). Ação in vitro do extrato do botão floral da bananeira (Musa spp.) sobre nematódeos gastrintestinais de ovinos. Research, Society and Development, 9(8), e965986594. https://.org/10.33448/rsd-v9i8.6594

Lopes, B., Ribeiro, A., Correia, L., Camilo, D. J. & Cesco, G. (2016). Levantamento de parasitas gastrointestinais em ovinos sob lotação continua. Synergismus Scyentifica UTFPR, 11, 43-46. http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/SysScy/article/view/2093/1502

Martins, A. C. (2016). Estudo de resistência anti-helmíntica ao monepantel em propriedades de ovinos de uma microrregião em torno de Jaboticabal-SP. Tese (Doutorado – Área de Concentração em Medicina Veterinária) – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Jaboticabal. https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/134368/martins_ac_dr_jabo.pdf?sequence=3

Mederos, A. E., Ramos, Z. & Banchero, G. E. (2014). First report of monepantel Haemonchus contortus resistance on sheep farms in Uruguay. Parasites & Vectors, 7, 598. https://parasitesandvectors.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13071-014-0598-z

Mena, E. O. G. (2017). A silvicultura uruguaia e o índice pluviométrico do município de Dom Pedrito. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Ciências da Natureza) – Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), Campus Dom Pedrito. http://cursos.unipampa.edu.br/cursos/cienciasdanatureza-dp/files/2018/03/a-silvicultura-uruguaia-e-o-indice-pluviometrico-do-municipio-de.pdf

Menezes, L. M., Amaral, F. P., Zardin, M., Farias, G.D., Farias, L. B., Araújo, F. B., Barbosa silveira, I.D. &Silva, S. S. (2011). Caracterização de resistência anti-helmíntica a moxidectina a 1% em ovinos criados no Sul do Brasil. Congresso Brasileiro de Medicina Veterinária. Anais..In: CD-Room..Florianópolis. http://www.sovergs.com.br/BKP/site_/38conbravet/resumos/980.pdf

Mottin, V. D, Cruz, J. F., Teixeira Neto, M. R., Marisco, G., Figueredo, J. S. & Sousa, L. S. (2019). Efficacy, toxicity, and lethality of plants with potential anthelmintic activity in small ruminants in Brazil. Rev. bras. saúde prod. anim., 20, e0232019. http://www.scielo.br/scielo .php?script=sci_arttext&pid=S1519-99402019000100806&lng=en&nrm=iso

Nova, L. E. V., Costa, M. E., Melo, P. G. C. F., Cunha Filho, L. F. C., Junior, F. A. B., Silva, L. C., Okano, W. & Bogado, A. L. G. (2014). Resistência de nematoides aos anti-helmínticos nitroxinil 34% e ivermectina 1% em rebanho ovino no município de São João do Ivaí, Paraná. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, 8, 159-171. http://.org/10.5935/1981-2965.20140011

Osório, T. M., Menezes, L. M., Rosa, K. B., Escobar, R. F., Santos, R. M. L., Maydana, G. M. & Souza, V. Q. (2020). Resistência anti-helmíntica em nematódeos gastrointestinais na ovinocultura: uma revisão. Braz. J. of Develop, Curitiba, 6(11), 89194-89205. 10.34117/bjdv6n11-368

Pimentel Neto, M. (1976). Epizootiologia da haemoncose em bezerros de gado de leite no estado do Rio de Janeiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 11, 101-114.

Pereira A. S., Shitsuka, D. M., Pereira, F. J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/hand le/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Ramos, C. I., Bellato, V., Souza, A. P., Avila, V. S., Coutinho, G. C. & Dalagnoll, C. A. (2004). Epidemiologia das helmintoses gastrintestinais de ovinos no Planalto Catarinense. Ciência Rural, 34(6), 1889- 1895. https://www.scielo.br/pdf/cr/v34n6/a34v34n6.pdf

Roberto, F. F. S., Difante, G. S., Zaros, L. G. & Gurgel, A. L. C. (2018). Nematoides gastrintestinais na ovinocultura de corte sob regime de pastejo. PUBVET. 12(4), a65, pa1-12. file:///C:/Users/Cliente/Downloads/nematoides-gastrintestinais-na-ovinocult%20(1).pdf

Rocco, V. V. B., Lacerda, M. J. R., Fernandes, L. H., Souza, P. P. S. & Guimarães, K. C. (2012). Diferentes princípios ativos no controle de helmintos gastrintestinais em ovinos. Global Science and Technology, 5, 194-200.

Salgado, J. A. & Santos, C. P. (2016). Overview of anthelmintic resistance of gastrointestinal nematodes of small ruminants in Brazil. Rev. Bras. Parasitol. Vet., Jaboticabal, v. 25, n. 1, p. 3-17. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-29612016000100003&lng=en&nrm=iso

Silva, D. G., Menezes, B. M., Bettencourt, A. F., Frantz, A. C., Corrêa, M. R., Ruszkowski, G., Martins, A. A., Brum, L. P. & Hirschmann, L. C. (2017). Método FAMACHA® como ferramenta para verificar a infestação parasitária ocasionada por Haemonchus spp. em ovinos. PUBVET, 11, 1015-1021. http://www.pubvet.com.br/artigo/3748/eficaacutecia-anti-helmiacutentica-comparativa-entre-diferentes-princiacutepios-ativos-em-ovinos-jovens

Souza, M. F. (2013). Recuperação de larvas infectantes, carga parasitária e desempenho de cordeiros terminados em pastagens com distintos hábitos de crescimento. 107f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Pós-graduação em Zootecnia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 107 f. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/72786/000886123.pdf?sequence=1

Tariq, K. A., Chisthi, M. Z., Ahmad, F. & Shawl, A. S. (2008). Evaluation of anthelmintic activity of Iris hookeriana against gastrointestinal nematodes of sheep. Journal of Helminthology, 82, 135-141. https://.org/10.1017/S0022149X08912360

Vieira, L.S. (2008). Métodos alternativos de controle de nematoides gastrintestinais em caprinos e ovinos. Revista Tecnologia & Ciência Agropecuária. 2, 28-31. https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/42340/1/AAC-Metodos-alternativos.pdf

Vieira, L. S., Cavalvante, A. C. R. & Zaros, L. G. (2011). Manejo sanitário de doenças parasitárias. Embrapa Caprinos e Ovinos, 15, 355-383. https://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/bitstream/doc/924341/1/PLManejosanitario.pdf

Published

18/03/2021

How to Cite

OSÓRIO, T. M. .; MENEZES, L. de M. .; ROSA, K. B. da .; ESCOBAR, R. F. .; SANTOS, R. M. L. dos .; MAYDANA, G. de M. .; SOUZA, V. Q. de . Seasonal survey of gastrointestinal nematodes in a milk sheep flock. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e34410313315, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13315. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13315. Acesso em: 12 apr. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences