Visceral Leishmaniasis and Human Immunodeficiency Virus Coinfection: epidemiological profile of cases reported in São Luís-Maranhão, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13317

Keywords:

Visceral leishmaniasis; HIV; Epidemiology; Coinfection.

Abstract

Visceral Leishmania is the clinical form of leishmaniasis that is most associated with HIV/AIDS. The co-infection Leishmania sp/HIV has been considered as an emerging disease in several regions of the world due to the geographical overlap of the two infections, as a consequence of the urbanization of leishmaniasis and the ruralization of HIV infection. The present work aims to study the epidemiological profile of reported cases of co-infection of visceral leishmaniasis and human immunodeficiency virus in the years 2010 to 2019 in São Luis, Maranhão State. All data were collected in November 2020 through the Acute Notification Information System (SINAN) made available on the website of the Department of Informatics of the Unified Health System (DATASUS), taking into account the variables chosen as age, education, gender, ethnicity and diagnosis. The Acute Notification Information System (SINAN) between the years 2010 and 2019 were notified 1994 cases of visceral leishmaniasis in São Luis Maranhão, of which 321 had co-infection with HIV. We can observe that between 2010 and 2019 a percentage of 83.80% reported were male, between the ages of 40-59, especially individuals of black race / color with low education. Based on the analysis we can observe that the most affected population are vulnerable people with a reduced level of education which makes them more susceptible, and action is needed to raise health awareness aimed at such population in order to direct the control of the disease and make the control more effective.

Author Biography

Evaldo Hipólito de Oliveira, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal da Paraíba (1990), graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal da Paraíba (1991), graduação em Direito pela Universidade Federal do Piauí (1999), Doutorado em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários (2010), mestrado em Administração pela Universidade Federal da Paraíba (2002), especialização em Vigilância Sanitária e Epidemiológica (1997) e Citologia Clínica (2005). Foi Diretor do Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Piauí-LACEN-PI (2003 a 2007). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal do Piauí de microbiologia clínica e imunologia clínica (1994). Tem experiência na área de Farmácia (Interdisciplinaridade), atuando principalmente nos seguintes temas: análises clínicas ( bacteriologia, virologia, imunologia, citologia e hematologia ) e Vírus Linfotrópico de Células T Humanas-1/2-HTLV-1/2, HIV, HBV e HCV (Epidemiologa, Imunologia e Análise Molecular).

References

Barbosa, I. R. et al., (2013). Aspectos da coinfecção leishmaniose visceral e HIV no nordeste do Brasil. Revista Baiana de Saúde Pública. 37(3), 72-687.

Brasil. (2014) Ministério da Saúde. Manual de vigilância e controle de leishmaniose visceral. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2015). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Manual de recomendações para diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes com a coinfecção leishmania-HIV: Ministério da Saúde.

Carvalho, F. L. et al., (2013). Perfil epidemiológico dos indivíduos HIV positivo e coinfecção HIV-Leishmania em um serviço de referência em São Luís, MA, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 18(5):1305-1312.

Desjeux, P & Alvar, J (2003). Leishmania/HIV co-infections: epidemiology in Europe. Ann Trop Med Parasitol 97 (1): 3-15.

Ferreira, A. F., de Souza, E. A., Lima, M., García, G., Corona, F., Andrade, E., Neto, S., Filha, C. R., Dos Reis, A., Teixeira, L. G., & Ramos, A. N., Jr (2019). Mortalidade por hanseníase em contextos de alta endemicidade: análise espaço-temporal integrada no Brasil [Mortality from leprosy in highly endemic contexts: integrated temporal-spatial analysis in BrazilMortalidad por lepra en zonas de alta endemicidad: análisis espacio-temporal integrado en Brasil]. Revista panamericana de salud publica = Pan American journal of public health, 43, e87. https://doi.org/10.26633/RPSP.2019.87

Fernandez-Guerrero, M. L., Robles, P., Rivas, P., Mojer, F., Muniz, G., &, G. M. (2004). Visceral leishmaniasis in immunocompromised patients with and without Aids: a Comparison of clinical features and prognosis. Acta. Trop., 90(1), 11- 6. http://doi.org/10.1016/j.

Gomes, M. L. S. et al., (2011). Coinfecção Leishmania-HIV no Brasil: aspectos epidemiológicos, clínicos e laboratoriais. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 20(4):519-526.

Lindoso, J. A. L. et al. (2016). Leishmaniasis–HIV coinfection: current challenges. Hiv/aids - Research And Palliative Care, 8, 147-156, out. Informa UK Limited. http://dx.doi.org/10.2147/hiv.s93789.

Lira, J. L. M. ., Calado, M. F. ., & Oliveira, L. de L. (2020). Perfil epidemiológico da coinfecção por HIV e leishmaniose visceral no estado de Alagoas, 2009 – 2019. Research, Society and Development 9(10), e7249109203. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.9203

Lopez-Velez, R., Perez-Molina, J. A., Guerrero, A., Baquero, F., Villarrubia, J., Escribano, L., Bellas, C., Perez-Corral, F., Alvar, J.(1998).

Características clínico-epidemiológicas, fatores prognósticos e análise de sobrevida de pacientes co-infectados com o vírus da imunodeficiência humana e Leishmania em uma área de Madri, Espanha. Am. J. Trop. Med. Hyg., 58(4), 436-43. https://doi.org/10.4269/ajtmh.1998.58.436

Maia-Elkhoury A, A WA, S., M., S.,et al., (2008). Visceral leishmaniasis in Brazil: trends and challenges. Cadernos de Saúde Pública, 24(12):2941-2947. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2008001200024

Nery, S. D. de P. (2016). Geoprocessamento aplicado à análise espaço-temporal da leishmaniose visceral no município de São Luís – MA. Dissertação Mestrado Universidade Federal da Paraíba/CCEN. João Pessoa.

Oliveira, C. B. da S. (2016). Atividade dos constituintes da saliva de flebotomíneos na infecção por Leishmania e sua possível utilização no controle da Leishmaniose: uma revisão. 2016. 63 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina) Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Pereira, A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Sousa, E. P. et al., (2020). Evolução da leishmaniose visceral em São Luís, Maranhão: uma análise epidemiológica e temporal dos casos. Research, Society and Development, 9 (2), e167922197. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i2.2197

Souza, E. C., et al., (2020). Apresentação clínica da leishmaniose visceral em pacientes portadores do HIV: Análise dos Fatores Relacionados ao Aparecimento da Doença / Apresentação clínica da leishmaniose visceral em pacientes com HIV: Análise de fatores relacionados à doença. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, 3(2), 1766-1777.

Pantoja, G. K. C. et al., (2020). Perfil epidemiológico da coinfecção de pacientes com HIV e Leishmaniose Visceral no período de 2015 a 2018 atendidos no município de Marabá-Pará. Brazilian Journal of DevelopmentBraz. 6(5), 2 9420-29432.

Published

29/03/2021

How to Cite

COSTA, R. K. E. da .; HOLANDA, E. C. .; ANDRADE, S. M. de .; NASCIMENTO, M. do S. V. do .; SOARES, L. F. .; OLIVEIRA, E. H. de . Visceral Leishmaniasis and Human Immunodeficiency Virus Coinfection: epidemiological profile of cases reported in São Luís-Maranhão, Brazil. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e2310413317, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13317. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13317. Acesso em: 20 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences