Analysis of the production process and understanding of the medical record in the hospital environment

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13349

Keywords:

Nursing professionals; Nursing records; Hospitals.

Abstract

This study aimed to analyze, through the literature, the scientific evidence that involves the processes of production and understanding of the nursing record in the hospital environment. It is an integrative literature review, in which the following question was asked: “What is the scientific evidence about the process of production and understanding of the nursing record in the hospital environment?”. A PICo strategy was set up, in which, through descriptors and keywords, the databases of the National Library of Medicine were consulted; VHL (Virtual Health Library), and CINAHL (Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature). Thirteen studies were included in this review. Most studies dealt with the key components for the elaboration of the medical record, emphasizing its purpose, quality and use in the hospital environment; the main conformities and non-conformities; the implications under rules and regulations; and the difficulties encountered by professionals regarding the sector and the assistance phase. Regarding the flaws in the nursing records, studies cited that most professionals are unaware of the institution's requirements, the current legislation and the code of ethics. It is concluded that nursing professionals must adopt permanent training measures for correct adherence to medical records, seek resolution on fragmented service, and learn from their own mistakes, so that there are no complications in the actions to be performed with regard to the patient hospitalized.

Author Biographies

Thalia Jeovana da Silva Pereira, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Discente de Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão, Brasil

Wenderson Costa da Silva, Universidade Estadual do Maranhão

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Biodiversidade, Ambiente e Saúde (PPGBAS) pelo Centro de Estudos Superiores de Caxias da Universidade Estadual do Maranhão - CESC/UEMA

Hálmisson D’Árley Santos Siqueira, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Mestre em Farmacologia pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Professor do Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão (UNIFACEMA). 

Rogério Cruz Mendes, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Bacharel em Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Marta Valeria Soares Chaves, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Discente de Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Brunna Matos Sousa, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Bacharel em Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Railson Muniz de Sousa, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Bacharel em Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Karen Laís Azevêdo Oliveira Sousa, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Discente de Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Lisianne Natália Santos Silva, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Bacharel em Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Tatila Shinaira Soares Chaves, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Bacharel em Nutrição pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Linccon Fricks Hernandes, Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória

Mestre em Políticas Públicas de Desenvolvimento Local pela Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória

Maria Gabrielle Sobral da Silva, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Discente de Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Melissa Torres Soares Rabêlo , Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Discente de Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Layse Siqueira Costa Miranda, Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

Bacharel em Enfermagem pelo Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão

References

Alves, K. Y. A., Oliveira, P. T. C., Chiavone, F. B. T., Barbosa, M. L., Saraiva, C. O. P. O., Martins, C. C. F., & Santos, V. E. P. (2018). Identificação do paciente nos registros dos profissionais de saúde. Acta Paulista de Enfermagem, 31(1), 79-86.

Araújo, A. T. M., Rechmann, I. L., & Magalhães, T. A. (2019). O sigilo do prontuário médico como um direito essencial do paciente: uma análise a partir das normativas do conselho federal de medicina. Cadernos Ibero-americanos de Direito Sanitário, 8(1), 95-109.

Araujo, M. M., Diniz, S. O. S., & Silva, P. S. (2017). Registros de enfermagem: reflexões sobre o cotidiano do cuidar. Abcs Health Sciences, 42(3), 161-165.

Azevedo, O. A., Guedes, É. S., Araújo, S. A. N., Maia, M. M., & Cruz, D. A. L. M. (2019). Documentação do processo de enfermagem em instituições públicas de saúde. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 53, e03471.

Azzolini, E., Furia, G., Cambieri, A., Ricciardi, W., Volpe, M., & Poscia, A. (2019). Quality improvement of medical records through internal auditing: a comparative analysis. J Prev Med Hyg, 60, 250-255.

Barboza, V. S. (2018). A gestão documental na tramitação do prontuário do paciente na unidade de prontuário e estatística: observação e análise do arquivo médico do Hospital Universitário de Sergipe HU/UFS (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal de Sergipe, Sergipe, São Cristóvão, SE, Brasil.

Barreto, J. A., Lima, G. G., & Xavier, C. F. (2016). Inconsistências das anotações de enfermagem no processo de auditoria. Revista de Enfermagem do Centro-oeste Mineiro, 6(1), 2082-2093.

Borges, F. F. D., Azevedo, C. T., Amorim, T. V., Figueiredo, M. A. G., & Ribeiro, R. G. M. (2017). Importância das anotações de enfermagem segundo a equipe de enfermagem: implicações profissionais e institucionais. Revista de Enfermagem do Centro-oeste Mineiro, 7, e1147.

Borges, M. S. (2016). O prontuário como sistema de informação em saúde: fatores que interferem na qualidade do preenchimento (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal Fluminense, Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, RJ, Brasil.

Bork, A. M. T. (2005). Enfermagem baseada em evidencias: Guanabara Koonga.

Caldeira, M. M., Souza, T. V., Morais, R. C. M., Moraes, J. R. M. M., Nascimento, L. C. N., & Oliveira, I. C. S. (2019). Anotações da equipe de enfermagem: a (des)valorização do cuidado pelas informações fornecidas. J. res.: fundam. care. Online, 11(1), 135-141.

Camargo, L. R. L., & Pereira, G. R. (2017). Análise dos registros realizados pela enfermagem e o possível impacto na auditoria: uma revisão da literatura nacional. Revista de Administração em Saúde, 17(68), 1-11.

Candido, A. S. G., Cunha, I. C. K. O., & Munhoz, S. (2018). Informações de Enfermagem registradas nos prontuários frente às exigências do Conselho Federal de Enfermagem. Rev Paul Enferm, 29(1), 31-8.

Carneiro, S. M., Dutra, H. S., Costa, F. M., Mendes, S. E., & Arreguy-Sena, C. (2016). Use of abbreviations in the nursing records of a teaching hospital. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 17(2), 208-16.

Carvalho, R. C. (2017). Aplicação de técnicas de mineração de texto na recuperação de informação clínica em prontuário eletrônico do paciente (Dissertação de mestrado). Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, SP, Brasil.

Ciocca, I. G. (2014). O prontuário do paciente na perspectiva arquivística (Dissertação de mestrado) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, SP, Brasil.

Coltri, M. V., & Silva, R. H. A. (2019). Prontuário do paciente: comentários à lei nº 13.787/2018. Revista Brasileira de Odontologia Legal, 6(2), 89-105.

Dias, E. G., Faria, M. L. S., Fleury, A. T. S., Jorge, I. L., & Nascimento, A. A. (2018). Análise das anotações de enfermagem de um hospital público. Revista Diálogos & Ciência (D&C), 1, (41): 11-21.

Diniz, S. O. S., Silva, P. S., Figueiredo, N. M. A., & Tonini, T. (2015). Qualidade dos registros de enfermagem: reflexões analíticas em suas formas e conteúdos. Rev enferm UFPE on line, 9(10), 9616-23.

Dutra, H. S., Mendes, S. E., Carneiro, S. M., Costa, F. M., Barboza, R. C. P., & Ribeiro, L. C. (2016). Nursing records at a teaching hospital: a quasi-experimental study. Online braz j nurs, 15(3), 351-360.

Euzebio, A. M., Ceretta, L. B., & Soratto, M. T. (2017). Avaliação dos registros de enfermagem em prontuários de pacientes internados em clínica cirúrgica. RIES, 6, n. (1), 188-199.

Ferreira, L. L., Chiavone, F. B. T., Bezerril, M. S., Alves, K. Y. A., Salvador, P. T. C. O., & Santos, V. E. P. (2020). Analysis of records by nursing technicians and nurses in medical records. Revista Brasileira de Enfermagem, 73(2), e20180542.

Garcia, T. T., Ferreira, W. F. S., & Silva, A. (2018). Processo de auditoria em enfermagem e suas dimensões na assistência ao paciente: uma revisão sistemática de literatura. Revista Eletrônica da FAINOR, 11(1), 1-30.

Garritano, C. R. O., Junqueira, F. H., Lorosa, E. F. S., Fujimoto, M. S., & Martins, W. H. A. (2020). Avaliação do Prontuário Médico de um Hospital Universitário. Revista Brasileira de Educação Médica, 44(1), e009.

Gomes, D. C., Cubas, M. R., Pleis, L. E., Shmeil, M. A. H., & Peluci, A. P. V. D. (2016). Termos utilizados por enfermeiros em registros de evolução do paciente. Revista Gaúcha de Enfermagem, 37(1), e53927.

Hammes, A. H. (2019). Avaliação do preenchimento de prontuários médicos em um hospital geral (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal da Fronteira Sul, Passo Fundo, RS, Brasil.

Lima, J. R., Pimenta, C. J. L., Frazão, M. C. L. O., Da Silva, C. R. R., Viana, L. R. C., & Salviano, G. R. (2018). Auditoria de enfermagem: revisão integrativa da literatura. Revista Nursing, 21(247), 2531-2534.

Loureiro, L. H., Da Costa, L. M., Marques, V. L., & Hoyashi, C. M. T. (2018). Como a auditoria de enfermagem pode influenciar na qualidade assistencial. Revista Práxis, 9(2), 91-102.

Martins, L., Sartor, G. D., & Silva, M. P. (2019). Prontuário Eletrônico do Paciente: Adoção de novas tecnologias de acesso. J. Health Inform., 11(3), 67-73.

Meneses, L. B. A., Bezerra, A. F., Trajano, F. M. P., & Soares, M. J. G. O. (2015). Prontuário do paciente: qualidade dos registros na perspectiva da equipe multiprofissional. Rev enferm UFPE on line, Recife, 9(10), 9485-91.

Oliveira, F. B. M., Costa, A. C. A. L., Alves, D. L., França, J. F., Macedo, M. S., & Santos, R. D. (2016). Relação entre a sobrecarga de trabalho e erros de administração de medicação na assistência hospitalar. Revista Ciências & Saberes, 2(2), 325-334.

Oyeleye, O. A. (2019). Examining Board Discipline of Nurse Practitioners for Medical Records Infractions. The Journal For Nurse Practitioners, 15(9), 613-617.

Rago, C. A. P., & Zucchi, P. (2017). Prontuário Eletrônico do Paciente: como a teoria da difusão de inovações pode colaborar na sua implantação. J Health Inform., 9(2), 57-61.

Santana, L. C., & Araújo, T. C. (2016). Análise da qualidade dos registros de enfermagem em prontuários. Revista Acreditação: ACRED, 6(11), 59-71.

Santos, L. L. (2019). Auditoria de enfermagem e os registros de enfermagem: uma revisão de literatura (Trabalho de Conclusão de Curso). Faculdade de Ciências da Educação e Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Silva, A. G. I., Dias, B. R. L., & Leite, M. R. (2019). A elaboração de evoluções de enfermagem e possíveis dificuldades: percepção do enfermeiro. Revista Nursing, 22 (254), 3039-42.

Silva, L. C. S., Prado, M. A., Barbosa, M. A., Ribeiro, D. P. O., L ima, F. H. A., Andrade, L. Z., & Silva, A. P. B. (2017). Inconformidades acerca dos registros em prontuários: percepção dos trabalhadores de saúde da região central do Brasil. Anais do Congresso Ibero-Americano de Investigação Qualitativa, Lisboa, Portugal, 6.

Tiburcio, A. P. N., Sousa, L. A. A., & Santos, R. F. (2019). A importância do enfermeiro auditor nas instituições hospitalares. Psicologia e Saúde em Debate, 5(1), 50-59, 15.

Trindade, B. M. S., & Lopes, A. (2019). Importância das anotações de enfermagem no processo de auditoria. Revista InterSaúde, 1(1), 47-58.

Vaidotas, M., Yokota, P. K. O., Negrini, N. M. M., Leiderman, D. B. D., Souza, V. P., Santos, O. F. P., & Wolosker, N. (2019). Medication errors in emergency departments: is electronic medical record an effective barrier? Einstein, 17(4), eGS4282.

Published

14/03/2021

How to Cite

PEREIRA, T. J. da S.; SILVA, W. C. da .; SIQUEIRA, H. D. S. .; MENDES, R. C. .; CHAVES, M. V. S. .; SOUSA, B. M. .; SOUSA, R. M. de .; SOUSA, K. L. A. O. .; SILVA, L. N. S. .; CHAVES, T. S. S.; HERNANDES, L. F.; SILVA, M. G. S. da .; RABÊLO , M. T. S. .; MIRANDA, L. S. C. . Analysis of the production process and understanding of the medical record in the hospital environment. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e23910313349, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13349. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13349. Acesso em: 13 may. 2021.

Issue

Section

Review Article