Principles of environmental rationality in teacher education for professional education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13366

Keywords:

Professional education; Teacher education; Environmental rationality.

Abstract

This paper aims to reflect on contributions of the Environmental Rationality to Professional Education. It attempts to contribute to teacher education in Professional Education institutions, particularly the Federal Institutes of Education, Science and Technology. The research is theoretical, with a hermeneutical approach, and interpretative and comprehensive potential. The basic elements of analysis are the following: Historical contexts of Professional Education; Epistemological assumptions about the genesis of the Federal Institutes; Organization of the Federal Institute of Rio Grande do Sul. The following ontological principles of Environmental Education have emerged from the analysis: Belonging to the field of knowledge; Pedagogical otherness; Comprehensive circles; Environmental care. The results have evidenced that the Environmental Rationality is in the genesis of the epistemological conception of the Federal Institutes, and that teacher education may potentialize Environmental Education in the institution. It has also been concluded that one of the main alternatives to Environmental Rationality in Professional Education is specific teacher education for Professional Education, i.e. contextualized according to its specificities.

Author Biographies

Márcia Madeira Malta, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande - PPGEA/FURG. Possui graduação em Pedagogia Licenciatura Plena pela Universidade Federal do Rio Grande (2000), Pós-graduação especialização em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande (2002), Mestrado em Educação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande(2004). Tem experiência em IES na docência em cursos de Licenciatura desde 2003 (FURG, UNIVALE, UNIPAC e IFRS) e na pós-graduação entre 2005 e 2009 (IMES e UCB). Prestou assessorias na área da Educação Ambiental às Secretarias Municipais de Educação de Governador Valadares e Tarumirim, ambas em Minas Gerais no ano de 2008. Atualmente é professora do IFRS Câmpus Rio Grande e foi Coordenadora do Programa Especial de Formação Pedagógica de Docentes para a Educação Profissional (Port. 155/2011), atuou comonde é presidente do Colegiado da Licenciatura (Port. 229/2013) e Coordenadora do Núcleo Docente Estruturante do curso (Port. 185/2011). Leciona nas seguintes áreas: Didática, História da Educação Profissional, Políticas e Legialação da Educação Profissional, Currículo e Estágio Supervisionado. Atuou também nos cursos superiores de Tecnologia e Engenharia Mecânica do IFRS com a disciplina Metodologia Científica.. É membro da Comissão de Gestão Institucional - CGI/COMFOR (Port. 1728/2013) e da Comissão de Ensino (Port. 140/2013). Faz parte dos Grupos de Pesquisa em Educação Profissional e Tecnológica - GPEPT/IFRS na condição de vice-líder e do Grupo de Escudos e Pesquisas em Educação Ambiental e Popular - GEFEAP/FURG pesquisando a Educação Ambiental, Racionalidade Ambiental e Hermenêutica.

Elisabeth Brandão Schmidt, Universidade Federal do Rio Grande

Doutora em Educação pela Universidade de Santiago de Compostela/Espanha (2000), com título revalidado pela UFRGS; pós-doutorado desenvolvido na Universidade Autônoma de Barcelona/Espanha (2008); especialista em Alfabetização; pedagoga, é professora Titular aposentada e atua como professora colaboradora na Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Integra o Centro Regional de Estudos, Prevenção e Recuperação de Dependentes Químicos ? CENPRE/FURG. Possui experiência de 23 anos na Educação Básica. Ministrou aulas nos cursos de Pedagogia, Enfermagem, Geografia e Artes Visuais. Exerceu funções junto à Pró-Reitoria de Graduação da FURG, de 2001 a 2004, como Superintendente de Apoio Pedagógico, participando de comissões e conselhos (Coordenadora da Comissão Permanente de Assessoria à Superintendência de Apoio Pedagógico, Coordenadora do Núcleo Pangea - grupo gestor das políticas de formação de professores na FURG- Comissão de Assessoria a projetos político-pedagógicos dos cursos e da instituição, Coordenadora Executiva da Comissão Permanente do Vestibular - COPERVE, entre outros. Coordenou o processo de (re)construção dos projetos dos cursos e do Projeto Pedagógico Institucional, tendo, para tanto, sido a responsável pela organização de vários fóruns como o I Fórum Rede de Educação Básica e Universidade. Exerceu atividades de assessoria junto aos cursos de Medicina e Enfermagem da FURG. Vinculada à Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação - a partir de agosto de 2002. Integrou a Rede Sulbrasileira de Investigadores da Educação Superior - RIES. É Vice-líder dos Grupos de Pesquisa CEAMECIM - Comunidades Aprendentes em Educação Ambiental, Ciências e Matemática/CNPq e do PhotoGraphein -CNPq. Publicou capítulos e organizou os seguintes livros: Perspectivas de Investigação no Campo da Educação Ambiental & Educação em Ciências; Sob o signo da cegueira: foto-graphando o cotidiano ; COPERVE - planejamento, execução e avaliação de um Processo Seletivo; entre outros. Tem participado de inúmeros eventos na área da educação, no Brasil e no exterior. Foi uma das editoras da revista Ambiente & Educação, de 2006 a 2015. Atualmente, ministra aulas no Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental ? PPGEA/FURG. Integra a Alianza de Redes Iberoamericanas de Universidades por la Sustentabilidad y el Ambiente (ARIUSA). Sua função como avaliadora institucional e de cursos de Pedagogia, designada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP (desde 2004), tem possibilitado significativos efeitos interativo-construtivos em sua jornada como educadora.

References

Albuquerque, F. M. & Galiazzi, M. C. (2011). A formação do professor em rodas de formação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 92(231), 386-398.

Boff, L. (1999). Saber cuidar: ética do humano, compaixão pela terra. Petrópolis, RJ: Vozes.

Boff, L. (2013). O cuidado necessário: na vida, na saúde, na educação, na ecologia, na ética e na espiritualidade. Petrópolis, RJ: Vozes.

Capponi, N. F. et al. (2021). Educação ambiental e agenda 2030: percepção dos gestores de uma rede de ensino básico e superior privado. Revista Research, Societyand Development, 10(3), e3210312895.

Claro, L. C. (2018). Horizontes compreensivos da educação ambiental do campo: contribuição às outridades do campo (Tese de doutorado). Universidade Federal do Rio Grande, RS, Brasil.

Cousin, C. S. (2010). Pertencer ao navegar, agir e narrar: a formação de educadores ambientais (Tese de doutorado). Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, Brasil.

Derrida, J. (2008). Adeus a Emmanuel Levinas. São Paulo: Perspectiva.

Freire, P. (2005). Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (2016). Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido(23nd ed.). São Paulo/Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Ghedin, E. & Franco, M. A. S. (2008). Questões de método na construção da pesquisa em educação. São Paulo: Cortez.

Grün, M. (2008). A importância dos lugares na educação ambiental. Revista do PPGEA/FURG-RS, especial, 1-11.

Guareschi, P. (1998). Alteridade e relação: uma perspectiva crítica. In: Arruda, A. Representando a alteridade(pp. 149-161). Petrópolis, RJ: Vozes.

Heidegger, M. (2015). Ser e tempo. Petrópolis, RJ: Vozes.

Levinas, E. (1980). Totalidade e infinito. Lisboa, Portugal: Edições 70.

Lima, C. A. (2011). O diário em roda, roda em movimento: formar-se ao formar professores no Proeja (Tese de doutorado). Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, Brasil.

Marandola Júnior, E., Holzer, W. & Oliveira, L. (orgs). (2014). Qual o espaço do lugar? Geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: Perspectiva.

Merleau-Ponty, M. (1999). Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes.

Pereira, A.S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria: Editora UAB/NTE/UFSM Recuperado de: https://rep ositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia – Pesquisa - Cientifica.pdf?sequence=1

Pereira, K. B., Dinardi, A. J. & Pessano, E. C. (2020). A abordagem da educação ambiental em um projeto pedagógico de um curso de ciências da natureza.Research, Societyand Development, 9(8), e101985200.

Pereira, V. A. (2016). Ecologia Cosmocena: a redefinição do espaço humano no Cosmos. Juiz de Fora, MG: Garcia Edizioni.

Relph, E. (2014). Reflexões sobre a emergência, aspectos e essência de lugar. In: Marandola Júnior, E., Holzer, W., & Oliveira, L. (orgs). Qual o espaço do lugar?Geografia, epistemologia, fenomenologia (pp. 17-32). São Paulo: Perspectiva.

Sá, L. M. (2005). Pertencimento. In: Ferraro Júnior, L. A. (org.). Encontros e caminhos: formação de educadoras(es) ambientais e coletivos educadores(pp. 245-255). Brasília: MMA.

Saraçol, P. V., Dolci, L. & Pereira, V.(2016).Hermenêutica e educação: um encontro com a pesquisa social. In: Pereira, V. A. Hermenêutica & educação ambiental: no contexto do pensamento pós-metafísico. Juiz de Fora, MG: Garcia Edizioni.

Vasconcelos, M. L. M. C. & Brito, R. H. P. (2011). Conceitos de educação em Paulo Freire: glossário. Petrópolis, RJ: Vozes.

Warschauer, C. (2001). Rodas em rede: oportunidades formativas na escola e fora dela. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Published

20/03/2021

How to Cite

MALTA, M. M. .; SCHMIDT, E. B. . Principles of environmental rationality in teacher education for professional education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e41110313366, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13366. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13366. Acesso em: 14 apr. 2021.

Issue

Section

Education Sciences