Model of health care provided in the female prison system

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13619

Keywords:

Women's health; Nursing; Delivery of health care; Prisons.

Abstract

Objective: to analyze the health care models provided in the care of women in situations of prison. Methodology: a descriptive, exploratory study with a qualitative approach carried out with the health professionals who attend the female prison in Alagoas. Results: despite all the advances in health care for women in situations of prison, a predominantly biomedical care model predominates, aimed at resolving / curing diseases and the main comorbidities presented by the demand for existing cases. This reality makes valid the discussion that structural changes and in the training of professionals are necessary to guarantee social reintegration and reintegration in its broadest and most effective concept. Conclusion: a preventive model in the recluse environment and its interference in the health-disease context contribute to the reduction of diseases, greater health promotion and increase in the quality of life, in such a way that the persistence in a biological assistance, centered on the cure of diseases, the reintegration of these women into social life.

References

Barros, M. A. R., Cavalcanti, S. D. C., Galiza, D. D F., & Machado, A. L. G. (2016). Situação socioeconômica e reprodutiva de mulheres presidiárias. Rev Fund Care Online, 8 (4), 4980-4985.

Brasil, Ministério da Saúde. (2004). Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário. Portaria Interministerial no 1.777 de 09 de novembro de 2003. Brasília; DF, 1-64.

Brasil, Ministério da Saúde. (2012). Política Nacional de Atenção Básica / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília, 1-114.

Brasil, Ministério da Saúde. (2014). Portaria Interministerial nº 1, de 2 de janeiro de 2014. Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, 2014.

Brasil, Ministério da Saúde. (2017). Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União.

Capelas, B. E. & Oliveira, F. M. (2018). Inovação tecnológica em saúde: o centro de atenção psicossocial como transformação do modelo assistencial. Argumentum (Vitória), 10 (1), 180-197.

Diuana, V. Ventura, M., Simas, L., Larouzé, B. & Correia, M. (2016). Direitos reprodutivos das mulheres no sistema penitenciário: tensões e desafios na transformação da realidade. Cien Saude Colet, 21 (7), 2041-2050.

Farias, J. M & Minghelli, L. C. & Soratto, J. (2020). Promoção da saúde: discursos e concepções na atenção primária à saúde. Cad. saúde colet, 28 (3), 381-389.

Fertonani, H. P., Pires, D. E. P. & Biff, D. & Scherer, M. D. A. (2015) Modelo assistencial em saúde: conceitos e desafios para a atenção básica brasileira. Ciência e Saúde Coletiva, 20 (6), 1869-1878.

Geremia, D. S. (2020). Atenção Primária à Saúde em alerta: desafios da continuidade do modelo assistencial. Physis, 30 (1), 1-3.

Ludke, M. & Andre, M. E. D. A. (2013). Pesquisa em educação: uma abordagem qualitativa. (2a ed.), EPU.

Oliveira, K. R. et al. (2019). Comportamentos de saúde nas experiências sexuais de mulheres em situação de cárcere. Revista Brasileira de Enfermagem, 72 (3), 88-95.

Pereira, A. S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM.

Salci, M. A. Meirelles, B. H. S. & Silva, D. M. G. V. (2017). Atenção primária às pessoas com diabetes mellitus na perspectiva do modelo de atenção às condições crônicas. Rev. Latino-Am. Enfermagem, 25 (2882), 1-8.

Soares Filho, M. M. & Bueno, P. M. M. G. (2016). Demography, vulnerabilities and right to health to Brazilian prison population. Cien Saude Colet, 21 (7), 1999-2010.

Terra, L. S. V. & Campos, G. W. S. (2019). Alienação do trabalho médico: tensões sobre o modelo biomédico e o gerencialismo na atenção primária. Trabalho, Educação e Saúde, 17 (2), 1-19.

Vasconcelos, A. C. F., Stedefeldt, E. & Frutuoso, M. F. P. (2016). Uma experiência de integração ensino-serviço e a mudança de práticas profissionais: com a palavra, os profissionais de saúde. Interface, 20 (56), 147-158.

Published

25/03/2021

How to Cite

SILVA, J. K. A. M. da .; SANTOS, A. A. P. dos; SILVA, N. A. dos S. .; PEREIRA, D. C. A. S. .; ROCHA, A. C. da S. .; COSTA, A. V. . Model of health care provided in the female prison system. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e53610313619, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13619. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13619. Acesso em: 12 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences