Physical Education professional's performance in the multidisciplinary team of the Consultancy on the Street in Aracaju/SE: Experience report

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13638

Keywords:

Primary health care; Higher education; Street office; Physical education.

Abstract

This study aims to present the experiences lived by a Physical Education Professional (PEF) in the exercise of their functions in a team of Consultório na Rua (CR). It is an experience report, about the experiences of a Multiprofessional resident PEF in Mental Health while working at the RC in Aracaju/Sergipe/Brazil, between August 2019 and February 2020. For data collection, participant observation with the data being prepared in a field diary. We identified situations of prejudice and discrimination on the part of society regarding the homeless population; difficulties in accessing the Health Care Network (RAS); extreme social vulnerability and notorious gaps between public health policies and their applicability. The importance of the work of the CoR team was verified - a work of care and assistance developing actions integrated with the services of the SAN. In addition, the relevance of the insertion of the PEF in the CR is highlighted as an agent that acts from the perspective of comprehensive care, developing health promotion strategies beyond its specificity core. Furthermore, it acts in the face of the different health problems and needs of that population, including the active search for users who drugs, also contributing to the realization of matrix support, reception, health education, intersectoral articulation and strategies harm reduction. Therefore, the Residence, becomes a powerful strategy to provide teaching and learning processes with a view to continuing education.

Author Biographies

Jadisson Gois da Silva, Universidade Federal de Sergipe

Graduado em Educação Física Licenciatura (2016) e Bacharelado (2018) pela Faculdade Estácio de Sergipe (FASE). Especialização em Docência e Gestão do Ensino Superior pela Universidade Estácio de Sá (UNESA/2018).  Atualmente é discente do Programa de Pós-graduação (Lato sensu) em caráter de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Mental pelo Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS), em que esteve lotado nos seguintes equipamentos de saúde: Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III) Liberdade; CAPS infanto-juvenil Ivone Lara, Consultório na Rua e atualmente lotado no CAPS AD (álcool e outras drogas) Primavera e Projeto de Redução de Danos (PRD) - Aracaju/SE. Alem disso, é pós-graduando em Atenção à Saúde das Pessoas com Sobrepeso e Obesidade pelo Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em parceria com a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS) Possui experiência em Educação Física Escolar com ênfase no processo de ensino e aprendizagem inclusivo e experiência em atividade física relacionada a saúde e melhora da qualidade de vida. Tem interesse nos temas: Educação Física Escolar, Práticas Corporais e Promoção da Saúde; Saúde Coletiva e Atividade Física no processo de saúde-doença-cuidado.

Rosa Luciana Prado, Centro Universitário Estácio de Sergipe

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal de Sergipe (2003) e mestrado em Saúde e Ambiente pela Universidade Tiradentes (2009). Atualmente é professor horista do Centro Universitário Estácio de Sergipe e professor educação básica - Secretaria de Estado da Educação e Desporto. Tem experiência na área de Educação Física escolar e no ensino superior com as disciplinas de Prática de ensino e estagio curricular obrigatório, Aprendizagem e Controle Motor, Medidas e Avaliação em Educação Física, Metodologia do ensino da Educação Física, Didática, Metodologia dos esportes coletivos e Ergonomia e Ginástica Laboral

Flávia Menezes Almeida, Universidade Federal de Sergipe

Graduada em Farmácia pela Universidade Federal de Sergipe (2017). Especialista em Saúde da Família pela Universidade Federal de Sergipe - Lagarto. Atua como farmacêutica residente pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental /UFS. Tem experiência com Práticas Integrativas e Complementares (Auriculoterapia, Ventosaterapia e Fitoterapia).

Maria de Lourdes Barros Avelino, Universidade Federal de Sergipe

Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) - Cursando Residência Multiprofissional em Saúde Mental do Hospital Universitário da UFS. Especialista em Educação em Gênero e Direitos Humanos - Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Gestão das Políticas Sociais - Faculdade Jardins. 

Jayane Pinheiro Trindade, Universidade Federal de Sergipe

Possui graduação em Psicologia - Pio Décimo - Campus III (2010) e mestrado em Psicologia Social pela Universidade Federal de Sergipe (2015). Atualmente é apoiadora institucional - Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju. Tem experiência na área da docência, saúde mental e psicologia social.

Tharciano Luiz Teixeira Braga da Silva, Centro Universitário Estácio de Sergipe

Graduado em Educação Física pela Universidade Tiradentes/Sergipe (2005). Especialista em Fisiologia do Exercício Resistido na Saúde, na Doença e no Envelhecimento pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2007). Mestre e Doutor em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Sergipe (2011 e 2015). Foi coordenador Adjunto do curso de Educação Física do Centro Universitário Estácio de Sergipe (2016-2019). Atualmente é docente do curso de Educação Física do Centro Universitário Estácio de Sergipe e colabora diretamente com os cursos de Biomedicina, Enfermagem e Fisioterapia. Pesquisador colaborador do Grupo de Pesquisa Biotecnologia e Inovação Terapêutica da Universidade Federal de Sergipe (Coordenador: Prof. Dr. Lucindo José Quintans Júnior) e do Grupo de Pesquisa em Fisiologia e Bioquímica do Exercício da Universidade Estácio de Sá (Coordenador: Prof. Dr. Roger de Moraes). Possui experiência principalmente nas seguintes áreas de atuação: Exercício Físico, Medidas e Avaliações, Treinamento Desportivo, Esportes de Combate, Metodologia da Musculação, Anatomia (sistêmica e do aparelho locomotor), Cinesiologia e Biomecânica, Fisiologia (humana e do exercício), Farmacologia Cardiovascular, Educação Física Hospitalar, Prevenção e/ou Tratamento de doenças crônicas.

Cristiano Mezzaroba, Universidade Federal de Sergipe

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED/UFS). Coordenador do GEPESCEF – Grupo de Estudos e Pesquisas Sociedade, Cultura e Educação Física/UFS. Aracaju – SE, Brasil. Também atua como pesquisador no Grupo de Estudos Corpo e Política (UFS), no Laboratório de Pesquisas Sociológicas Pierre Bourdieu (LAPSB/UFSC) e no Núcleo de Estudos e Pesquisas Educação e Sociedade Contemporânea (UFSC/CNPq)

References

Akerman, M., & Feuerwerker, L. (2016). Estou me formando (ou me formei) e quero trabalhar: que oportunidades o Sistema de Saúde me oferece na Saúde Coletiva? Onde posso atuar e que competências precisos desenvolver? In: Campos, G.W.S., et al. (Org.). Tratado de Saúde Coletiva: Hucitec, p. 183-198. https://professor-ruas.yolasite.com/resources/Tratado%20de%20Saude%20Coletiva.pdf

Anjos, T., & Duarte, A. C. G. O. (2009). Educação Física e a Estratégia Saúde da Família: Formação e atuação profissional. Physis, 19(4), 1127-1144. https://doi.org/10.1590/S0103-73312009000400012.

Ayres, J. R. C. M. (2006). Cuidado e humanização das práticas de saúde. In: Deslandes, S. F. (Org.). Humanização dos cuidados em saúde: conceitos, dilemas e práticas: Fiocruz, 49-84. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042016000400312

Barros, L. M. (2015) Saúde Coletiva. Série Bibliográfica. UNIT, 1, 160.

Carvalho, Y. M. (2001). Atividade física e saúde: onde está e quem é o sujeito da relação? Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 22(2), 9-21. http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/409

Carvalho, Y. M., & Ceccim, R. B. (2006). Formação e educação em saúde: aprendizados com a saúde coletiva. In: CAMPOS, G.W. et al (Org.). Tratado de saúde coletiva. (2a ed.): Hucitec-Fiocruz, 1, 137-70.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Congresso Nacional. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Cruz, M. S., & Ferreira, S. M. B. (2007). O vínculo necessário entre a saúde mental e o Programa de saúde da família na construção da rede de atenção integral aos problemas relacionados ao uso de álcool e outras drogas. In.: Cadernos IPUB, Rio de Janeiro, v.XIII, n. 24.

Decreto Presidencial nº 7.053, de 23 de dezembro de 2009. Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento, e dá outras providências. Diário Oficial da União, dez. Seção 1, 24. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d7053.htm

Furtado, R. P. et al. (2015). O trabalho do professor de educação física no CAPS: aproximações iniciais. Movimento, 21(1), 41-52. https://doi.org/10.22456/1982-8918.43457

Godoy, A. S. (1995). Introdução à Pesquisa Qualitativa e suas Possibilidades. Revista de Administração, 35(2), 57-63. https://www.scielo.br/pdf/rae/v35n2/a08v35n2.pdf

Goellner, S. V. (2010). A educação dos corpos, dos gêneros e das sexualidades e o reconhecimento da diversidade. Cadernos de Formação RBCE, 1(2), 71-83. http://revista.cbce.org.br/index.php/cadernos/article/view/984

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_atencao_basica_diretrizes_nasf.pdf

Junqueira, L. A. P. (2000). Intesetorialidade, transetorialidade e redes sociais na saúde. Revista de Administração Pública, 34(6), 35-45. http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6346.

Kessler, M. et al. (2019). Longitudinalidade do cuidado na atenção primária: avaliação na perspectiva dos usuários. Acta Paulista de Enfermagem, 32(2). 186-93. http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201900026

Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 1990: [Lei Orgânica da Saúde]. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18.055. https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1990/lei-8080-19-setembro-1990-365093-publicacaooriginal-1-pl.html

Machado, M. et al. (2007). Integralidade, formação de saúde, educação em saúde e as propostas do SUS – Uma revisão conceitual. Revista Ciência e Saúde Coletiva, 12(2), 335-42. https://doi.org/10.1590/S1413-81232007000200009.

Melo, Z. M. (2000). Estigma: espaço para exclusão social. Revista Symposium, 4, 18-22. https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/2457/2457.pdf

Minayo, M. C. de S. (2004). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. (8a ed.): Hucitec.

Moura, M. S. S., & Giannella, V. (2016). A arte de escutar: nuances de um campo de práticas e de conhecimento. Revista Terceiro Incluído, 6(1), 9-24. https://doi.org/10.5216/teri.v6i1.40739

Oliveira, B., & Wachs, F. (2018). Educação Física, atenção primária à saúde e organização do trabalho com apoio matricial. Revista Brasileira de Ciências Esporte. Porto Alegre, 41(2). https://doi.org/10.1016/j.rbce.2018.09.003

Oliveira, C. M., Marques, V. F., & Schreck, R. S. C. (2017). Aplicação de metodologia ativa no processo de ensino aprendizagem: relato de experiência: Estágio em Nutrição em Saúde Coletiva. Revista Eletrônica Pesquiseduca, 9(19), 674-684. https://periodicos.unisantos.br/pesquiseduca/article/view/633

Portaria GM n°154 de 24 de Janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. Brasília: Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt0154_24_01_2008.html

Santos, F. T. et al. (2014). O papel desinstitucionalizador da educação física na saúde mental. Motrivivência, Florianópolis, 26(42), 281-292. https://doi.org/10.5007/2175-8042.2014v26n42p281

Schuh, L. et al. (2015). A inserção do profissional de educação física nas equipes multiprofissionais da estratégia saúde da família. Saúde, Santa Maria, 41(1), 29-36. http://dx.doi.org/10.5902/2236583410514

Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes do NASF: Ministério da Saúde.

Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Residência multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. Brasília. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/residencia_multiprofissional.pdf

Silva, J. G., & Matos, F. C. S. (2020). O currículo da Educação Física e a formação profissional para atuação no NASF. Revista Journal of Health Connections, 9(2). 1-14. http://revistaadmmade.estacio.br/index.php/journalhc/article/viewFile/5947/47966689

Silveira, F. (2012). A formação em Educação Física e as práticas de integralidade do cuidado na saúde coletiva. 111f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Sergipe. Aracaju, 2012. https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/3767/1/Favia_Cristina_Santos_Matos_Silveira.pdf.

Varela, S. H., & Oliveira, B. N. (2018). Alongamento? Dinâmica? Chama o Professor de Educação Física! LICERE – Revista do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, 21(1), 313-340. https://doi.org/10.35699/1981-3171.2018.1780

Vasconcelos, E. V. P. (2015). Caracterização da População em situação de rua no município de Aracaju-sergipe. Trabalho de Conclusão do Curso de Especialização em Saúde da Família Submetido à Universidade Federal de Sergipe. Universidade Aberta do SUS. https://ares.unasus.gov.br/acervo/html/ARES/12075/1/Edney%20Vander%20Pacheco%20de%20Vasconcelos%20TCC.pdf

Vinadé, T. F., Cruz, M. S., & Barbeito M. M. Capítulo 5. (2014). Estratégias de Redução de Danos: da atenção primária à secundária. In: Souza, M. L. O. S. Atenção Integral na rede de saúde: módulo 5. (5a ed.), Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, p. 91-107.

Waal, M. et. al. (2009). Evaluation of community level interventions to address social and structural determinants of health: a cluster randomised controlled trial. BMC Public Health. 9, 9-207. https://doi:10.1186/1471-2458-9-207

Wachs, F., Almeida, U., & Brandão, F. F. (2016). Educação física e saúde coletiva: cenários, experiências e artefatos culturais: Rede UNIDA. http://historico.redeunida.org.br/editora/biblioteca-digital/serie-interlocucoes-praticas-experiencias-e-pesquisas-em-saude/educacao-fisica-e-saude-coletiva-cenarios-experiencias-e-artefatos-culturais-pdf

Zappelini, L. D., & Oliveira, C. S. (2007). O processo de acolhimento em saúde mental: construindo mudanças. Boletim da Saúde, 21(2), 67-80. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-98932015000401340&script=sci_abstract&tlng=pt

Published

28/03/2021

How to Cite

SILVA, J. G. da .; PRADO, R. L. .; ALMEIDA, F. M. .; AVELINO, M. de L. B. .; TRINDADE, J. P. .; SILVA, T. L. T. B. da .; MEZZAROBA, C. . Physical Education professional’s performance in the multidisciplinary team of the Consultancy on the Street in Aracaju/SE: Experience report. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e0610413638, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13638. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13638. Acesso em: 11 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences