Analysis of the collection for the use of water resources in Union-dominated waters: Case study of the Doce river watershed (MG)

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13785

Keywords:

Collection of water resources; Doce river watershed; Management instrument.

Abstract

The intensive use of natural resources has caused increasing impacts on the environment. Water is one of the most affected resources, because the various human activities depend on it for its operation, and this endangers its availability in quantity and quality. On the possibility of scarcity, it was necessary to recognize water as a limited natural resource and, therefore, endowed with economic value. The water use charge instrument is based on this principle, established by Law 9.433/1997, which established the National Water Resources Policy. The present work had as objective the study of this instrument, particularly in waters under the domain of the Doce River Basin Union. The research was based on the collection, systematization and interpretation of information through documentary and bibliographical research. The results showed that despite the advances made with the instrument, there are still limitations to be resolved, such as default in the basin under study, insufficient amounts collected to perform actions in the watershed and low efficiency of disbursed resources. Thus, an environment of constant consolidation and improvement of the instrument should be created, in fact to induce and stimulate conservation, integrated management and recovery of water resources.

References

Almeida, J. R. (2018). A cobrança pelo uso da água como instrumento de gestão de bacias hidrográficas: um estudo dos modelos de cobrança aplicados no Brasil e na França. Monografia de Graduação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2011). Contrato n. 072-2011: Contrato de Gestão que entre si celebram a Agência Nacional de Águas e o Instituto BioAtlântica.

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2013). Alternativas organizacionais para gestão de recursos hídricos. Cadernos de Capacitação em Recursos Hídricos, v.3, Brasília. Recuperado de https://capacitacao.ead.unesp.br/.

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2014). Agência de Água – o que é, o que faz e como funciona? Cadernos de Capacitação em Recursos Hídricos, v.4, Brasília. Recuperado de: https://capacitacao.ead.unesp.br/.

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2016). Encarte Especial sobre a Bacia do Rio Doce: Rompimento da barragem em Mariana/MG. Recuperado de: http://arquivos.ana.gov.br/RioDoce/EncarteRioDoce_22_03_2016v2.pdf.

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2017). Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil 2017: relatório pleno. Recuperado de: http://conjuntura.ana.gov.br/.

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2018a). Nota Técnica n. 12/2018. Nota Técnica nº 12/2018/CSCOB/SAS: subsídios ao CNRH para definição dos mecanismos e valores a serem cobrados pelo uso de recursos hídricos de domínio da União na Bacia Hidrográfica do Rio Doce.

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2018b). Informativos de Cobrança. Recuperado de: https://www.ana.gov.br/gestao-da-agua/cobranca/informativos-da-cobranca.

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2018c). Nota Informativa nº 5/2018/CSCOB/SAS. Diálogo Político OCDE/Brasil: Definição e Governança dos Instrumentos Econômicos para a Política De Recursos Hídricos – Coordenação de Sustentabilidade Financeira e Cobrança (CSCOB).

ANA - Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico. (2019). Notícias: ANA abre audiência pública sobre procedimentos para cobrança pelo uso da água de domínio da União. 2019. Recuperado de: https://www.ana.gov.br/noticias/ana-abre-audiencia-publica-sobre-procedimentos-para-cobranca-pelo-uso-da-agua-de-dominio-da-uniao.

Bernardes, F. S. & Broch, S. (2015). O Histórico de cobrança pelo uso de água em bacias hidrográficas de domínio da união. In Anais XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. Brasília. Recuperado de: http://www.evolvedoc.com.br/sbrh/.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Organizado por Cláudio Brandão de Oliveira. Rio de Janeiro: Roma Victor.

Brasil. (1997). Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989.

Brasil. (2011a). Resolução CNRH n .123, de 29 de junho de 2011. Aprova os valores e mecanismos para cobrança pelo uso dos recursos hídricos na bacia hidrográfica do rio Doce.

Brasil. (2011b). Deliberação CBH-Doce n. 26, de 31 de março de 2011. Dispõe sobre mecanismos e valores de cobrança pelo uso de recursos hídricos na bacia hidrográfica do rio Doce.

Brasil. (2013). Resolução n. 1346, de 18 de novembro de 2013. Dispõe sobre os procedimentos administrativos atinentes à recuperação de créditos administrados pela Agência Nacional de Águas e abertura de processos de cobranças.

Brasil. (2015). Deliberação ad referendum n. 48, de 01 de dezembro de 2015. Institui o Plano de Aplicação Plurianual da Bacia Hidrográfica do Rio Doce para o período de 2016 à 2020.

Brasil. (2018a). Tribunal de Contas da União – TCU. Acórdão n. 1749/2018, Processo 016.107/2016-0. Plenário, Rel. Min. Walton Rodrigues. Secretaria de Controle Externo no Estado de Minas Gerais – SECEX/MG.

Brasil. (2018b). Deliberação CBH-DOCE n. 69, de 12 de junho de 2018b. Dispõe sobre a atualização dos mecanismos e valores de cobrança pelo uso de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do rio Doce.

CBH-Doce - Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Doce. (2015). Cobrança e arrecadação 2015. Recuperado de: http://www.cbhdoce.org.br/documentos/cobranca-e-arrecadacao.

Fonseca, E. R., Modesto, F. A., Carneiro, G. C. A., Lima, N. F. S. & Monte-Mor, R. C. de A. (2020). Conflitos pelo uso da água na Bacia Hidrográfica do rio São Francisco – Estudos de caso no Estado da Bahia. Research, Society and Development, 9(9), e823997929. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7929.

Funarbe - Fundação De Apoio à Universidade Federal de Viçosa. (2013). Estudos de aprimoramento dos mecanismos de cobrança da bacia hidrográfica do rio Doce. Relatório Técnico. Viçosa, MG.

IBio - Instituto BioAtlântica. (2018). Relatório de gestão do exercício de 2018. Recuperado de http://www.cbhdoce.org.br/wp-content/uploads/2014/01/1.-Relat%C3%B3rio-deGest%C3%A3o_2018_-CG-ANA-072-2011.pdf.

Igam - Instituto Mineiro de Águas. (2010). Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Doce. Belo Horizonte, Convênio Igam/ANA/IEMA.

Leal, S. G. R. (2010). O impacto da cobrança pelo uso de recursos hídricos na irrigação. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil.

Mittermeier, R.A. et al.(2005). Hotspots revisitados: as regiões biologicamente mais ricas e ameaçadas do planeta: mata Atlântica e Cerrado. Rio de Janeiro: Conservação Internacional. Recuperado de: http://www.conservation.org/global/brasil/publicacoes/Documents/capa_hots

pots.pdf.

Munck, R. C. (2006). Uso dos recursos hídricos: o caso da cobrança na bacia do Rio Paraíba do Sul. Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

OCDE - Organisation for Economic Cooperationand Development. (2017). Cobranças pelo uso de recursos hídricos no Brasil: caminhos a seguir. Paris: Éditions OCDE.

Pessoa, C. A. P. (2002). Cobrança sobre os usos da água como instrumento econômico de gestão: o caso do reservatório de Salto Grande. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Carlos, SP, Brasil.

Prodanov, C. C. & Freitas, E. C. (2013). Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. [e-book]. Novo Hamburgo: Feevale. https://aedmoodle.ufpa.br/pluginfile.php/291348/mod_resource/content/3/2.1-E-book-Metodologia-do-Trabalho-Cientifico-2.pdf

Rosa, D. W. B. (2019). Aprimoramento da cobrança pelo uso de recursos hídricos no estado de minas gerais: perspectivas dos integrantes do sistema estadual de gestão de recursos hídricos. Revista de Gestão de Água da América Latina, 16 (4). Recuperado de https://www.abrh.org.br/OJS/index.php/REGA/article/view/235.

Silva, A. C. R. (2003). Metodologia da pesquisa aplicada à contabilidade - orientações de estudos, projetos, artigos, relatórios, monografias, dissertações, teses. São Paulo: Atlas.

Silva, T. S. (2020). A cobrança pelo uso de recursos hídricos no Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Araguari – MG. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil.

Thomas, P.T. (2002). Proposta de uma metodologia de cobrança pelo uso da água vinculada à escassez. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Turrioni, J. B. & Mello C. H. P. (2012). Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de processos. Rio de Janeiro: Elzevir.

Vera, F. H. A. (2014). Atuação da cobrança pelo uso da água de domínio da união como instrumento de gestão de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Yassuda, E. R. (1993). Gestão de recursos hídricos: fundamentos e aspectos institucionais. Revista Administração Pública. 27 (2), 5-11. Recuperado de: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/viewFile/8663/7394.

Published

30/03/2021

How to Cite

MIRANDA, C. C.; MAIA, J. L. .; SILVA, J. P. O. .; VIEIRA, E. M. . Analysis of the collection for the use of water resources in Union-dominated waters: Case study of the Doce river watershed (MG). Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e5610413785 , 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13785. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13785. Acesso em: 11 apr. 2021.

Issue

Section

Exact and Earth Sciences