Systematization of Nursing Care in Health Units: An integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13814

Keywords:

Nursing; Nursing process; Health centers; Nursing team; Nursing care; ILP; Primary care.

Abstract

Objective: To analyze Brazilian articles on the Systematization of Nursing Assistance (SAE). Methodology: integrative review, with a narrative approach. Data collection was performed by searching the Scielo (Scientific Electronic Library Online) and Lilacs (Latin American and Caribbean Literature in Health Sciences) databases using the terms "Nursing", "Nursing Process", ”“ Health Centers ”,“ Nursing Team ”,“ Nursing Care ”,“ ILP ”and“ Primary Care ”, articles published until 2021. Results: Sixteen articles were listed and analyzed, which addressed the guiding question and criteria of inclusion. The study served to highlight the importance of SAE in Health Units, as well as highlighting the means of implementation used in the researched articles. Conclusion: This study showed in the articles published between 2004 and 2021, and in all of them difficulties and possible solutions for the application of SAE in Health Units were pointed out. Despite the obstacles that nurses face to implement SAE , their significant contributions must be taken into account, proposing a moment for reflection by nursing professionals, especially nurses. The Systematization of Nursing Assistance is a commitment and humanization of care, and the effort to implement it in basic units, ILPS and hospital units is of great value.

References

Amante, L. N, Rosseto, A. P., & Schneider, D. G. (2009). Sistematização da Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva sustentada pela Teoria de Wanda Horta. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, 43(1), 54-64,

Barreto, M. S. et al (2020). Sistematização da assistência de enfermagem: a práxis do enfermeiro de hospital de pequeno porte. Rev Esc. Anna Nery, 24(4).

Barros, D. G., & Chiesa, A. M. (2007). Autonomia e necessidades de saúde na Sistematização da Assistência de Enfermagem no olhar da saúde pública. Rev Esc Enferm USP.,41,:793-98.

Bittar, D. B, Pereira, L. V & Lemos, R. A (2006). Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente crítico: proposta de instrumento de coleta de dados. Rev Texto contexto - enferm., 15(4), 617-628.

Casafus, K. C. U et al (2013). Entre o êxito e a frustração com a Sistematização da Assistência de Enfermagem. Esc Anna Nery, 2(17), 313- 321.

Carvalho, E. C et al (2009). Processo de enfermagem: resultados e consequências da utilização para a prática de enfermagem. Acta Paul Enferm. 22, 554-7.

Chaves, R. R., Silva, C. F, Motta, E. Ribeiro, E. D., & Andrade, Y. N (2016). Sistematização da Assistência de Enfermagem: visão geral dos enfermeiros. Rev.Enferm UFPE, 10(4),1280-5.

Chizzotti, A. (1991). Pesquisa em ciências humanas e sociais. Cortez.

Cofen (2009). Resolução COFEN nº 358/2009. Conselho Federal de Enfermagem.

Corbellini, B., Costa, A., & Pissaia, L. (2019). Sistematização da assistência de enfermagem em pacientes com câncer de mama: a atuação do enfermeiro. Res., Soc, 8(9).

Coren-sp (2000). Decisão COREN-SP DIR/001/2000. Normatiza no Estado de São Paulo os princípios gerais para ações que constituem a Documentação de Enfermagem. São Paulo.

Coren- sp (2015). Principais legislações para o exercício da Enfermagem. Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo.

Dal Sasso, G. T. M., et al (2013). Computerized nursing process: methodology to establish associations between clinical assessment, diagnosis, interventions, and outcomes. Rev Esc Enferm USP. 47(1):238-45.

Domingos, C. S., et al (2017). A aplicação do processo de enfermagem informatizado: revisão integrativa. Enfer Global 16(4):620-36.

Figueiredo, R. M et al (2005). Caracterização da produção do conhecimento sobre sistematização da assistência de enfermagem no Brasil. Rev Esc Enferm USP, 40(2): 299-303.

Garcia, T. R (2016). Sistematização da assistência de enfermagem: aspecto substantivo da prática profissional. Esc. Anna Nery, 20(1), 5-10.

Gengo, et al (2018). Linkages of nursing diagnoses, outcomes, and interventions performed by nurses caring for medical and surgical patients using a decision support system. Int J Nurs Knowl, 29(4):269-75.

Giel, C., Costa, A., Pissaia, L., & Moreschi, C. (2016). A equipe de Enfermagem frente ao processo de implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem. Rev.Enferm atenção à Saúde. 5(2), 87-95.

Gutiérrez, M. G., & Morais, S. C. (2017). Sistematização da assistência de Enfermagem e a formação da identidade profissional. Rev. Bras Enferm. 70(2), 436-41.

Hermida, P. M. & Araújo, I. E. (2006). Sistematização da assistência de Enfermagem: subsídios para implantação. Rev.Bras Enferm. 59(5), 675-9.

Hermida, P. M (2004). Desvelando a implementação da Sistematização da Assistência de Enfermagem. Rev. bras. enferm., Brasília, 57(6), 733-737.

Hohlfeld, T., Ritzhaupt, A. D., & Barron, A. E. (2013). Are gender differences in perceived and demonstrated technology literacy significant? it depends on the model. Educ Technol Res Dev. 61(4):639-63.

Kang, Y., Hwang, W. J., & Choi, J. (2019). A concept analysis of traditional Korean (Hanbang) nursing. Int J Nurs Knowl., 30(1):4-11.

Krauzer, I. M, Adamy, E..K, Ascari, R. A, Ferraz, L, Trindade, L. L & Neiss, M (2015). Sistematização de enfermagem na atenção básica: o que dizem os enfermeiros? Ciencia Y Enfermeria, 21, (2): 31- 38.

Jesus, I. S, Sena, E, Meira, E. C, Gonçalves, L. H & Alvarez, A. M (2010). Cuidado sistematizado a idosos com afecção demencial residentes em instituição de longa permanência. Rev. Gaúcha Enferm., 31(2), 285-92.

Matté, V. M, Thofehrn, M. B., & Muniz, R. M. (2001). Opinião dos enfermeiros quanto à aplicabilidade do processo de enfermagem em unidade de tratamento intensivo. Revista Gaúcha de Enfermagem, 22(1):101-21.

Matiello, I., Costa, A., Lohmann, P., & Lavall, E. (2020). Cuidados paliativos relacionados às doenças crônicas na terceira idade: uma revisão integrativa da literatura. Research, Society and Development, 9(7), e980974929.

Medeiros, A., Santos, S., & Cabral, R. (2012). Sistematização da Assistência de Enfermagem na perspectiva dos enfermeiros: uma abordagem metodológica na teoria fundamentada. Rev. Gaúcha Enferm, 33(3), 174-181.

Menezes, S., Priel, M., & Pereira, L. (2011). Autonomia e vulnerabilidade do enfermeiro na prática da Sistematização da Assistência de Enfermagem. Rev. esc. enferm. USP, 45(4), 953-958.

Morais, G., Brasil, T., Tolfo, G., Costa, A, & Lohmann, P. (2020). A Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) a um paciente com obesidade e hipertensão: relato de experiência. Research, Society and Development, 9(9), e962997940.

Oliveira, M. et al (2019). Sistematização da assistência de enfermagem: percepção e conhecimento da enfermagem Brasileira. Rev. Bras Enferm. Brasília, 72(6), 1547-1553.

Pereira, P, Dos Santos, F & Rodrigues, M et al (2016). A família no cuidado ao idoso após o acidente por quedas. Rev Fund Care Online. 8(3):4717-4724.

Ribeiro, G & Padoveze, M (2018). Sistematização da Assistência de Enfermagem em unidade básica de saúde: percepção da equipe de enfermagem. Rev. esc. enferm. USP, 52, e03375.

Salvador, P et al (2018). Validação de objeto virtual de aprendizagem para apoio ao ensino da sistematização da assistência de enfermagem. Rev. Bras. Enferm., 71(1), 11-19.

Santana, E et al (2021). Diagnósticos de enfermagem da taxonomia NANDA-I para idosos em instituição de longa permanência. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro , 25(1), e20200104.

Silva, E et al (2011). O conhecimento do enfermeiro sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem: da teoria à prática. Rev. esc. enferm. USP, 45(6), 1380-1386.

Silva, E., Gomes, E., & Anselmi, M. (1993). Enfermagem: realidade e perspectiva na assistência e no gerenciamento. Rev Lati no Am Enferm, 1(1):59-63.

Silva, R et al (2018). Linkagesofnursing diagnoses, outcomes, andinterventionsperformedby nurses caring for medical andsurgicalpatientsusing a decisionsupport system. Int J NursKnowl., 29(4), 269-75.

Silva, T, Santos, R, Crispim, L & Almeida, L (2016). Conteúdo dos registros de enfermagem em hospitais: contribuições para o desenvolvimento do processo de enfermagem. Rev. Enfermagem em Foco. 7(1).

Soares, M et al (2015). Sistematização da assistência de enfermagem: facilidades e desafios do enfermeiro na gerência da assistência. Esc. Anna Nery, 19(1), 47-53.

Somariva, V., Birolo, I., Tomasi, C., & Soratto, J. (2019). Percepções das equipes de enfermagem na Atenção Básica frente a Sistematização da Assistência de Enfermagem. Rev Enferm Foco, 10 (4): 142-147.

Souza, L., Santana, I., & Jesus, S. (2017). Capacidade funcional de idosos residentes em uma instituição de longa permanência. Acta Biomed Bras.,8(2):101-10.

Souza, N., Costa, B., Carneiro, D., Barbosa, H., & Santos, I. (2015). Sistematização da Assistência de Enfermagem: dificuldades referidas por enfermeiros de um hospital universitário. Revista de Enfermagem- UFPR, 3(9). 7104-10.

Published

01/04/2021

How to Cite

MARTINS, G.; COSTA, A. E. K. da .; SANTOS, F. dos . Systematization of Nursing Care in Health Units: An integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e8610413814, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13814. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13814. Acesso em: 14 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences