Access for patients with special needs in Sergipe's CEOs

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13829

Keywords:

Dentistry; Public health dentistry; Public health; Disabled persons.

Abstract

The National Oral Health Policy was instituted as a tool to enable comprehensive health actions for the population. The Dental Specialty Centers (CEO) are essential establishments, within secondary care, for the continuity of the provision of specialized dental services and the effectiveness of oral health care. Thus, the present study aimed to assess the correlation between the socioeconomic and demographic characteristics of patients with special needs (PNE) in Sergipe and access to the services of State CEOs of Sergipe. Data from FUNESA (State Health Foundation), e-Manager and CECAD (Consultation, Selection and Extraction of Information from CadÚnico) were used. Seven State CEOs (2018) were evaluated and there was a statistically significant correlation for: oral health coverage and special patients receiving family allowance (p = 0.0007; r = -0.397); oral health coverage and distance from the municipality to the CEO's headquarters (p = 0.0322; r = -0.2563); oral health coverage and population of the municipality with monthly income per capita up to R $ 178.00 (p = <0.0001; r = -0.5418). Most of the care provided to patients takes place within the host city itself. There is difficulty in accessing patients with special needs in terms of referral and assistance in percentage of oral health coverage. The low percentage of oral health coverage and referral makes it difficult for PNE to access dental care. Socioeconomic and demographic conditions interfere with PNE access to CEOs in Sergipe.

References

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção À Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal, 2004. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_brasil_sorridente.htm

Brasil. Ministério da Saúde. Secretária de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de Atenção Básica. 2008. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_bucal.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 599, de 23 de março de 2006. Define a implantação de Especialidades Odontológicas (CEOs) e de Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias (LRPDs) e estabelecer critérios, normas e requisitos para seu credenciamento.

Brasil. Ministério da Saúde. Centro de Especialidades Odontológicas. Ministério da Saúde, 2017. https://www.saude.gov.br/acoes-e-programas/politica-nacional-de-saude-bucal/atencao-especializada/centro-de-especialidades-odontologicas

Brasil A. Ministério da Saúde. Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde. DATASUS. Ministério da Saúde. 2020. http://cnes.datasus.gov.br/pages/estabelecimentos/consulta.jsp

Brasil B. Ministério da Saúde. Secretária de Atenção Primária. Relatório Histórico de Cobertura. e-Gestor. Ministério da Saúde, 2020 https://egestorab.saude.gov.br/paginas/acessoPublico/relatorios/relHistoricoCobertura.xhtml

Brasil C. Ministério da Cidadania. Secretária de Avaliação e Informação. Cadastro Único. CECAD 2.0. Ministério da Saúde, 2020. https://aplicacoes.mds.gov.br/sagi/cecad20/painel03.php

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Implantação das Redes de Atenção à Saúde e Outras Estratégias da SAS. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/implantacao_redes_atencao_saude_sas.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Decreto nº 6135, de 26 de junho de 2007. Dispõe sobre o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/D6135.htm

Brasil. Ministério da Saúde. Princípios do SUS. Saúde. Ministério da Saúde; 2017. https://www.saude.gov.br/sistema-unico-de-saude/principios-do-sus

Carreiro, D. L., Souza, G. S., Coutinho, L. M., Haikal, D. S., & Martins, M. E. V. L. (2019). Acesso aos serviços odontológicos e fatores associados: estudo populacional domiciliar. Ciência & Saúde Coletiva, 24(3):1021-1032.

Castro, S. S., Lefèvre, F., Lefèvre, A. M. C. & Cesar, C. L. G. (2010). Acessibilidade aos serviços de saúde por pessoas com deficiência. Revista de Saúde Pública,45(1):99–105.

Costa, S. M., Nickel, D. A., Borges, C. M., Campos, A. C. V., & Verdi M. I. M. (2012). Política Nacional de Saúde Bucal e bioética da proteção na assistência integral. Revista Bioética, 20(2):342–8.

Couto, G. R., Santo, M. A. L., Paiva, S. M., Prado, E. F. & Amaral, R. C. (2021). Análise de desempenho da atenção odontológica especializada em rede de cuidados a pessoa com necessidades especiais. Research, Society and Development, 10 (2), e35710212678.

Herkrath, F. J., Herkrath, A. P. C. Q., Costa, L. N. B. S.& Gonçalves, M. J. F. (2013). Desempenho dos Centros de Especialidades Odontológicas frente ao quadro sociodemográfico dos municípios do Amazonas, Brasil, 2009. Saúde debate,37( 96 ): 148-158.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. IBGE. IBGE, 2013. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/19897-sintese-de-indicadores-pnad2.html?edicao=18331&t=sobre

Mendes, E. V. (2011). As redes de atenção à saúde. Organização Pan-Americana de Saúde. https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&category_slug=servicos-saude-095&alias=1402-as-redes-atencao-a-saude-2a-edicao-2&Itemid=965.

Santos, C. (2014). Perfil epidemiológico dos pacientes com necessidades especiais atendidos em um centro de especialidades odontológicas do interior baiano. Revista Baiana de Saúde Pública,38(1):83–94.

Sergipe. Secretaria de Estado da Saúde. Fundação Estadual de Saúde. Centro de Especialidades Odontológicas. Protocolo dos Centros de Especialidades Odontológicas Estaduais. Editora Funesa; 2019. https://www.funesa.se.gov.br/wp-content/uploads/2019/02/Protocolo-de-Atendimento-CEOs.pdf

Souto, A. P. C., Bastos, B. C., Pimenta, R. M. C. & Santos, L. P. S (2016). Avaliação da produtividade dos Centros de Especialidades Odontológicas do Extremo Sul da Bahia. Revista de Saúde Coletiva da UEFS,9,119–27.

Travassos, C., &Martins, M.(2004). Uma revisão sobre os conceitos de acesso e utilização de serviços de saúde. Cad. Saúde Pública, 20(2), S190-S198.

Published

27/03/2021

How to Cite

ANDRADE, R. A. R. .; MEIRELES, A. C. N. .; ALMEIDA, A. A. G. de .; AMARAL, R. C. do. Access for patients with special needs in Sergipe’s CEOs. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 3, p. e56610313829, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i3.13829. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13829. Acesso em: 18 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences