Molecular Monopoly for Genetics teaching

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13890

Keywords:

DNA; Didactic game; Board; Replication; Transcription.

Abstract

Molecular Monopoly is a board game proposal to develop students learning Genetics concepts, who will work in groups and exchange information with each other. The challenge is to answer the game's questions correctly, earn the most coins, and buy nucleotides to form the largest DNA molecule. The greater the amount of coins purchased, the greater the number of nucleotides and, consequently, the possibility for the group to win the game, and improve their knowledge of the Genetics topics addressed. In this study, we present our educational product for teaching Science and Biology, as well as evaluating the gameplay of this board. Thus, Molecular Monopoly proved to be a good material for teaching and that contributes to the creative and motivating process in teaching and learning about certain concepts of Genetics in high school. This game proposal contributed to the collective construction of knowledge, as well as the development of other relevant skills for the formation of a student, such as teamwork, leadership and collaboration. Thus, we conclude that the game meets its proposal, as it is a facilitating and playful didactic tool for the teaching of Genetics and also contributes as a teaching methodological alternative in view of the various possible applications.

References

Amorim, A. S. (2013). A influência do uso de jogos e modelos didáticos no ensino de biologia para alunos de ensino médio. Monografia - Universidade Aberta do Brasil, Beberibe, Ceará.

Barnir, G. D. S. (2010). A importância e o sentido de estudar genética para estudantes do terceiro ano do ensino médio em uma escola da rede estadual de ensino em Gaspar (SC). Dissertação de mestrado - Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, Santa Catarina, Brasil.

Benedetti, J., Diniz, R. & Nishida, S. (2005). O jogo de representação (RPG) como ferramenta de ensino. Anais do I Encontro Nacional de Ensino de Biologia e III Encontro Regional de Ensino de Biologia da Regional, Rio de Janeiro.

Borém, A. & Santos, F. R. (2001). Biotecnologia Simplificada. Viçosa: Editora Suprema.

Brandão, G. O. & Ferreira, L. B. M. (2009). O ensino de Genética no nível médio: a importância da contextualização histórica dos experimentos de Mendel para o raciocínio sobre os mecanismos da hereditariedade. Filosofia e História da Biologia, 4, 43-63.

Brasil (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC.

Brasil. (2013). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC/SEF.

Brussi, M. T. C. E. (2014). O Design Thinking como metodologia no processo de escolha e uso dos instrumentos de Comunicação Organizacional. (Trabalho de Conclusão, Universidade de Brasília, Brasília). https://bdm.unb.br/bitstream/10483/9347/1/2014_MariaThaisChavesEscobarBrussi.pdf

Bugallo, R. A. (1995). La Didáctica de la Genética: Revisión Bibliográfica. Enseñanza de las Ciencias, 3(13), 379-385.

Campos, L. M. L., Bortolotto, T. M. & Felício, A. K. C (2003). A produção de jogos didáticos para o ensino de ciências e biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Caderno dos Núcleos de Ensino, 3548, 47-60.

Carboni, P. B. & Soares, M. A. M. (2011). A genética molecular no ensino médio. http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/producoes_pde/artigo_patricia_berticelli_carboni.pdf

Conceição, A. R., Mota, M. D. A. & Barguiu, P. M. (2020) Jogos didáticos no ensino e na aprendizagem de Ciências e Biologia: concepções e práticas docentes. Research Society and Development, 9(5), 1-26.

Fumagalli, L. (1998). O Ensino Fundamental de Ciências Naturais no Nível Fundamental da Educação Formal: Argumentos a seu favor. In: WEI.

Gil, A. C. (2017). Como elaborar projetos de pesquisa (5° ed.). São Paulo: Atlas.

Jann, P. N. & Leite, M. F (2010). Jogo do DNA: um instrumento pedagógico para o ensino de ciências e biologia. Ciênc. Cogn., 15 (1), 282-293.

Lewis, J. & Wood-robinson, C. (2000). Genes, chromosomes, cell division and inheritance – do students see any relationship? International Journal of Science Education, 22(2), 177-195.

Luna, A. L. (2011). A importância do ensino de genética para o mundo atual. Trabalho de conclusão de curso, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná. https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/32800

Moratori, P. B. (2003). Por que utilizar jogos educativos no processo de ensino aprendizagem. Trabalho de Conclusão, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Baía de Guanabara, Rio de Janeiro.

Moreira, M.C.A. & Silva, E.P. (2001). Concepções prévias: uma revisão de alguns resultados sobre Genética e Evolução. Anais do I Encontro regional de biologia, Niterói.

Neves, J. P., Campos, L. L. & Simões, M. G. (2008). Jogos como recurso didático para o ensino de conceitos paleontológicos básicos aos estudantes do ensino fundamental. Terra plural, 2(1), 103-114.

Pedroso, C. V. (2009). Jogos didáticos no Ensino de Biologia: Uma proposta metodológica baseada em módulo didático. Anais do IX Congresso Internacional de Educação - EDUCERE, Curitiba, Paraná, Brasil.

Santos, R. O., Silva, P. S. & Lima, J. L. S. (2018). Modelo didático como recurso para o ensino de ciências: sua influência como ferramenta facilitadora no processo de ensino aprendizagem. Vivências em ensino de Ciências, 2, 177-185.

Silveira, L. F. S. (2008). Uma contribuição para o ensino de genética. Dissertação de mestrado, Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio grande do Sul, Brasil. https://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/3036

Silvia, J. C. S. & Bianco, G. (2020). Jogos didáticos: a formação educativa através de uma aprendizagem significativa e um currículo adaptado por projetos. Research Society and Development, 9(9), 1-17.

Souza, J. P. P., Araújo, C. P., Zuza, H. O. B. B. & Costa, I. A. S. (2013). Uso de jogos e modelos didáticos em Biologia: Uma proposta para consolidar conteúdos sobre microrganismos. IV Congresso Internacional de Educação, Porto Seguro, Bahia, Brasil.

Veloso, A. J. B (2003). Das ervilhas de Mendel à dupla hélice de Watson e Crick. Medicina Interna, 10 (3).

Published

01/04/2021

How to Cite

SANTOS, J. A. C. .; LIMA, J. R. de .; SILVA, A. P. B. da; MELO, R. K. de F.; SILVA, V. A. da; SILVA, J. M. da .; SILVA, M. A. da; ROHDE, C.; GARCIA, J. E. Molecular Monopoly for Genetics teaching. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e10310413890, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13890. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13890. Acesso em: 20 apr. 2021.

Issue

Section

Educational Objects