Planning and organization of nutritional care in confronting excess weight and obesity in the City of Recife

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13902

Keywords:

Health Management; Overweight And Obesity; Intersectoriality; Food And nutrition security.

Abstract

Objective: This study sought to investigate the prevalence of overweight and obesity in the city of Recife, to analyze the process of Planning and Organization of Nutritional Care in SUS, in combating overweight and obesity and to encourage empowerment for practices of self-care and social participation. Methodology: using an ecological method, with an analytical character and a qualitative approach from the perspective of the intersectoriality of Public Food and Nutrition Policies, using secondary data and public reports on the nutritional status of individuals monitored by Primary Care teams at Health registered at SISVAN Web, aged between 20 and 59 years. Results: It was observed that the prevalence of overweight and obesity in the municipality has been increasing between the years 2010 to 2019, in both sexes, being more frequent in the male population. Final Considerations: Knowledge of the local reality can help to better define the priorities of the government's agenda.

References

Abeso (2016). Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes Brasileiras de Obesidade.(4a ed.), https://abeso.org.br/wp-content/uploads/2019/12/Diretrizes-Download-Diretrizes-Brasileiras-de-Obesidade-2016.pdf .

Alvarenga. M (2015). Nutrição comportamental, Manole, 549 p.

Amadei. J. R. P., & Ferraz. V. C. T. (2019) Guia para elaboração de trabalhos acadêmicos (Trabalhos de conclusão de curso): ABNT NBR 14724:2011. Bauru, 51p.

Aries (2019). Agência Recife para Inovação e Estratégia. Prefeitura da Cidade do Recife RECIFE 500. Olinda-PE.

Bastos, P. F. (2015). Território e redes de atenção à saúde no Recife: relação entre a Atenção Básica e os serviços de maior complexidade assistencial do SUS. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015. https://repositorio.ufpe.br/bitstr eam/123456789/1 5526/1/TESE%20Priscila%20Felix%20Bastos.pdf.

Brandão, A. L., et al (2020). Estrutura e adequação dos processos de trabalhos no cuidado à obesidade na Atenção Básica brasileira. Saúde em Debate, 44(126), 678-693. https://doi.org/10.1590/0103-1104202012607

Brasil (2014). Ministério da Saúde. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: obesidade. Cadernos de Atenção Básica, n. 38. Pag. 63– Brasília: Ministério da Saúde. Pg. 37. http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_38.pdf.

Brasil (2020). Ministério da Saúde. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Departamento de Informática do SUS. Consulta Estabelecimento. http://cnes.datasus.gov.br/.

Brasil (2014). Ministério da Saúde. Guia Alimentar para a População Brasileira. (2a ed.), Ministério da Saúde. http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/ novembro/05/Guia-Alimentar-para-a-pop-brasiliera-Miolo-PDF-Internet.pdf.

Brasil (2014). Ministério da Saúde. Perspectivas e desafios no cuidado às pessoas com obesidade no SUS: resultados do Laboratório de Inovação no manejo da obesidade nas Redes de Atenção a Saúde/Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana da Saúde. – Brasília: Ministério da Saúde. 116 p. il. – (Serie Técnica Redes Integradas de Atenção a Saúde, v. 10). http://ecos-redenutri.bvs.

Brasil (2011). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/orientacoes_coleta_analise_dados_antropometricos.pdf.

Brasil (2014). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: obesidade / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde. 212 p. (Cadernos de Atenção Básica, n. 38). http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_doenca_cronica_obesidade_cab38.pdf.

Brasil (2019). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigitel Brasil 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2018 – Brasília: Ministério da Saúde. 132.: il. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2018_vigilancia_fatores_risco.pdf.

Brasil (2007). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Vigitel Brasil 2006: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico – Brasília: Ministério da Saúde. 297 p. : il. – (Série G. Estatística e Informação em Saúde). bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2006.pdf.

Brasil (2020). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Vigitel Brasil 2019: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico – Brasília. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2019.pdf.

Brasil (2020). Ministério da Saúde. Sistema de Nota Técnica do DESF. Departamento Saúde da Família – DSF. Coordenador Geral de Informação da Atenção Primária. Consulta Municipal, Relatório Municipal. http://sisaps.saude.gov.br/notatecnica/frmListaMunic.php.

Carvalho, A. de O. & Eduardo. M. de P (1998). Sistemas de Informação em Saúde para Municípios, volume 6. São Paulo. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Série Saúde & Cidadania.

CFN. Conselho Federal de Nutricionistas (2015). O papel do nutricionista na atenção primária à saúde. Recine E., Leão M., Carvalho M. F., [organização Conselho Federal de Nutricionistas]. (3a ed.), Brasília, DF: Conselho Federal de Nutricionistas. https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2015/11/livreto-atencao_primaria_a_saude-2015.pdf .

Cruz, D. K., Albuquerque, G., & Damascena, W. Programa Academia da Cidade do Recife: minimizando contrastes sociais. Recife (PE): Portal DSS Nordeste. http://dssbr.org/site/experiencias/programa-academia-da-cidade-do-recife-minimizando-contrastes-sociais.

Eickemberg, M., et al (2020). Obesidade abdominal no ELSA-Brasil: construção de padrão-ouro latente e avaliação da acurácia de indicadores diagnósticos. Ciência & Saúde Coletiva, 25(8), 2985-2998. https://doi.org/10.1590/1413-81232020258.20992018

Ferreira, A. P. de S., et al (2019). Prevalência e fatores associados da obesidade na população brasileira: estudo com dados aferidos da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Revista Brasileira de Epidemiologia, 22, e190024. Epub April 01, 2019. https://doi.org/10.1590/1980-549720190024.

Ibge (2016). Pesquisa nacional por amostra de domicílios: síntese de indicadores 2015 / IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento. - Rio de Janeiro: IBGE. 108p. https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98887.pdf.

Lira, P. I. C. (2020). Professor da UFPE coordena projeto de enfrentamento e cuidado da obesidade em PE. Iniciativa atende demanda do Ministério da Saúde e foi aprovado pelo CNPq junto com mais 22 projetos. Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. https://www.ufpe.br/agencia/noticias/-/asset_publisher/VQX2pzmP0mP4/content/professor-da-ufpe-coordena-projeto-de-enfrentamento-e-cuidado-da-obesidade-em-pe/40615.

Ministério Da Saúde – MS (2019). Secretaria de Atenção Primária à Saúde- SAPS. Ministério da saúde lança carteira de serviços da Atenção Primária à saúde– Brasília (DF). https://aps.saude.gov.br/noticia/6694.

Ministério Da Saúde – MS (2020). Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde – SCTIE. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias e Inovação em Saúde – DGITIS. Coordenação de Gestão de Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas – CPCDT, elaboração da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde – Conitec. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Sobrepeso e Obesidade em Adultos – Brasília (DF). http://conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2020/Relatorio_PCDT_Sobrepeso_Obesidade_em_Adultos_CP_25_2020.pdf.

Opas (2019). Organização Pan-Americana da Saúde. O Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília (DF). https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5799:desigualdade-exacerba-fome-desnutricao-e-obesidade-na-america-latina-e-no-caribe&Itemid=839.

Opas (2017). Organização Pan-Americana da Saúde. Sistemas alimentares e nutrição: a experiência brasileira para enfrentar todas as formas de má nutrição. Brasília, DF: OPAS. https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/2017/09/oms.pdf.

Passos, R. S. (2018). Legislação do SUS, Saúde Pública e Epidemiologia para Concursos e Residências. João Pessoa, PB: Editora Brasileira & Passos.

Pinho, C. P. S., et al (2011). Excesso de peso em adultos do Estado de Pernambuco, Brasil: magnitude e fatores associados. Cadernos de Saúde Pública, 27(12), 2340-2350. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2011001200006.

Pinto, L. F, Freitas, M. P. S. de, F., & André W. S. A. de. (2018) Sistemas Nacionais de Informação e levantamentos populacionais: algumas contribuições do Ministério da Saúde e do IBGE para a análise das capitais brasileiras nos últimos 30 anos. Ciênc. saúde coletiva, 23(6), 1859-1870. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232018000601859&lng=pt&nrm=iso.

Pinto, L. F., et al (2018). Sistemas Nacionais de Informação e levantamentos populacionais: algumas contribuições do Ministério da Saúde e do IBGE para a análise das capitais brasileiras nos últimos 30 anos. Ciência & Saúde Coletiva, 23(6), 1859-1870. https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.05072018.

Pof (2011). Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil / IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento. - Rio de Janeiro: IBGE. 150 p. Acompanha um CD-ROM, em bolso.

Prefeitura Do Recife (2018). Secretaria de Saúde. Plano Municipal de Saúde do Recife: 2018-2021. Recife. http://www2.recife.pe.go v.br/taxonomy/term/16627?op=MTMz.

Estevam. T. (2012). Recife comemora informatização de toda a Rede Municipal de Saúde. Prefeitura do Recife. http://www2.recife.pe.gov.br/noticias/12/09/2012/recife-comemora-informatizacao-de-toda-rede-municipal-de-saude.

Silva, E. C., et al (2016). Prevalência de hipertensão arterial sistêmica e fatores associados em homens e mulheres residentes em municípios da Amazônia Legal. Revista Brasileira de Epidemiologia, 19(1), 38-51. https://doi.org/10.1590/1980-5497201600010004.

Ward, J., et al (2015). Associação de fatores socioeconômicos com índice de massa corporal, obesidade, atividade física e fatores dietéticos em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: The BH Health Study. Cadernos de Saúde Pública, 31 (Supl. 1), 182-194. https://doi.org/10.1590/0102-311X00126914

Warmling, D, Araújo C. A. H, & Sebold L. F. Reconhecendo o sobrepeso e a obesidade no contexto da atenção primária à saúde. Universidade Federal de Santa Catarina, 2019. 57 p : il. www.unasus.ufsc.br.

Published

04/04/2021

How to Cite

COSTA, L. Y. A.; OLIVEIRA, F. S. da S. .; SANTOS , R. M. dos .; MORAIS, V. M. S. de .; BEZERRA, G. K. de A.; BARBOSA, M. S. da S.; BARBOSA, S. M. da S.; OLIVEIRA, D. C. de. Planning and organization of nutritional care in confronting excess weight and obesity in the City of Recife. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e15710413902, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13902. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13902. Acesso em: 11 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences