Alterations on blood pressure and glycemia between education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13946

Keywords:

Occupational nursing; Noncommunicable diseases; Worker's health.

Abstract

Objective: to describe the cases of changes in blood pressure and capillary glycemia among university education workers. Methodology: observational, sectional descriptive epidemiological study. Data collection took place during 2018. The study sample consisted of university college workers. The total number of participants was 106 professionals. Results: among the employees, 47 (44.9%) had altered blood pressure, and 12 (11.3%) had high blood glucose. In the bivariate analysis, between blood pressure and sociodemographic, occupational and health aspects, an association was observed between males (p = 0.007), age above the mean of 38 years (p = 0.005), time in the sector above 4 years (p = 0.004), high abdominal circumference (p = 0.009) and overweight and obesity (p = 0.001). There was no statistical significance between capillary blood glucose and the variables investigated. Conclusion: male gender, age, abdominal circumference and overweight stand out as characteristics that are related to high blood pressure levels. Measures to promote health and quality of life should be encouraged among the group of workers.

Author Biographies

Jorge Luiz Lima da Silva, Universidade Federal Fluminense

Docente. Depto. Materno infantil e psiquiatria - Univ. Federal Fluminense- UFF.

Doutor em Saúde Pública - Ensp /Fiocruz.

Programa de Pós-Graduação Strictu Senso em Saúde Coletiva/ UFF. 

Jonathan Henrique Anjos de Almeida, Universidade Federal Fluminense

Graduado e licenciado em Enfermagem pela Universidade Federal Fluminense (2014). Especialista em Enfermagem em Saúde Coletiva, nos moldes de residência, pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense (2019). Possui experiência em saúde pública, vigilância em saúde e assistência hospitalar. Atua como enfermeiro na vigilância das PVHIV do município de Niterói através do projeto da Cooperação Interfederativa. 

Cláudia Maria Messias , Universidade Federal Fluminense

Pós Doutora Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa-EEAC/UFF,Doutora em Enfermagem da Escola de Enfermagem Anna Nery-UFRJ, Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO . Possui Especialização em Centro Cirúrgico, Enfermagem Obstétrica; Docência do Ensino Superior, MBA em Gestão Avançada em Sistema de Saúde e Docência na Saúde. Graduada em Enfermagem e Obstetricia pela Faculdade de Enfermagem e Obstetricia de Barra Mansa - RJ. Atua como avaliadora Ad-Hoc de periódicos científicos na área de Enfermagem e Educação É membro da Red Iberoamericana de Investigación en Educación en Enfermería (RIIEE), vinculada à Organização Pan-Americana da Saúde (OPS). É coordenadora da RIIEE Rio de Janeiro. Membro do Grupo de pesquisa GEPI-LabQualiSeg-Segurança do paciente, Tecnologias e Gestão do cuidado seguro- Segurança do paciente em maternidade, membro do Grupo de Tecnologia de Informação e Comunicação nos processos de Educação em Saúde/CNPq e do Grupo Prática Pedagógica no Ensino Superior de Enfermagem e no cuidado à saúde do Adulto/PRAPEC/EEUSP. Membro efetivo do do Núcleo de Pesquisa em Trabalho, Saúde e Educação/NUPETSE/ UFF. Professor permanente do Mestrado Profissional Ensino na Saúde (MPES) na linha de pesquisa Educação Permanente em Saúde. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal Fluminense/ EEAAC-UFF, Departamento Materno Infantil e Psiquiatrica atuando principalmente nos seguintes temas: Consulta de Enfermagem, Ensino, Educação Permanente, Tecnologias na Saúde da Mulher e Segurança do paciente em maternidade.

Mayara Souza Monnerat, Universidade Estadual do Rio de Janeiro

Residente de Terapia Intensiva da Universidade Estadual do Rio de Janeiro.

Larissa Murta Abreu , Universidade Federal Fluminense

Graduada em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense. Atuou na função de monitora da disciplina de Fundamentos de Enfermagem vinculada ao Departamento de Fundamentos de Enfermagem e Administração no ano de 2019. Além disso, integral ou projeto Espaço Aberto para Saúde UFF na qualidade de voluntária durante o ano de 2019. Atualmente é carteira de pesquisas de apoio às atividades acadêmicas ausentes - PROPPI e voluntária do Projeto de Ensino Saúde na Universidade (PENSU) onde exerce ações de planejamento.

Gabriella Filippini da Silva Ramos, Universidade Federal Fluminense

Acadêmica de enfermagem na Universidade Federal Fluminense

Vitor Gabriel de França e Silva, Universidade Federal Fluminense

Acadêmico de enfermagem na Universidade Federal Fluminense. 

References

Barreto, M. S., Mendonça, R. D., Pimenta, A. M., Garcia-Vivar, C. & Marcon, S. S. (2018). Não utilização de consultas de rotina na Atenção Básica por pessoas com hipertensão arterial. Ciência & Saúde Coletiva, 23(3), 795-804. http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018233.12132016.

Bahia, L. R. & Araújo, D. V. (2014). Impacto econômico da obesidade no Brasil. Rev HUPE, 13 (1): 13-7. https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistahupe/article/view/9793.

Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil. (2018). Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2017_vigilancia_fatores_riscos.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. (2013). Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. (Cadernos de Atenção Básica, n. 37). http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_pessoa_doenca_cronica.pdf.

Carvalho, C. J., Marins, J. C. B., Amorim, P. R. S., Fernandes, M. F., Reis, H. H. T., Sales, S. S., Miranda, M. R. & Lima, L. M. (2016). Altas taxas de sedentarismo e fatores de risco cardiovascular em pacientes com hipertensão arterial resistente. Medicina, 49(2), 124-33. https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v49i2p124-133.

Correia, A. A., Lima, M., Lucena, A. L. R. & Silva, C. C. (2017). Identificando fatores de risco para a hipertensão arterial sistêmica em professores da rede pública. Rev Enferm UFPE, 11: 264-271. http://dx.doi.org/10.5205/reuol.7995-69931-4-SM.1101sup201703.

Cruz, R. M. & Lemos, J. C. (2005). Atividade docente, condições de trabalho e processos de saúde. Motrivivência, 24(17):59-80.

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes. (2017-2018). Editora Clannad. https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/2017/diretrizes/diretrizes-sbd-2017-2018.pdf.

Gasparini, S. M., Barreto, S. M & Assunção, A. A. (2005). O professor, as condições de trabalho e os efeitos sobre sua saúde. Educação e Pesquisa, 31(2):180-199.

Guerreiro, N. P., Nunes, E. F. P. A., Gonzalez, A. D. & Mesas, A. E. (2016). Perfil sociodemográfico, condições e cargas de trabalho de professores da rede estadual de ensino de um município da região do sul do Brasil. Trab. Ed. Saúde, 14(1), 197-217. https://doi.org/10.25247/P1982-999X.2011.v1n2.p%25p.

Hosmer, D. W. & Lemeshow, S. (1989). Applied Logistic Regression. John Wiley & Sons.

Malachias, M. V. B., Souza, W. K. S. B., Plavnik, F. L., Rodrigues, C. I. S., Brandão, A. A., Neves, M. F. T. et al. (2016). 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arq Bras Cardiol, 107 (3): 1-83. http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2016/05_HIPERTENSAO_ARTERIAL.pdf.

IBGE. (2019). Cor ou raça. https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18319-cor-ou-raca.html

Klein, C. H. & Bloch, K. V. (2006). Estudos seccionais. In Epidemiologia (cap. 9). Editora Atheneu.

Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica (2014). Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_pessoa_doenca_cronica_cab35.pdf

Morais, H. C. C., Cavalcante, S. N., Nascimento, L. B., Mendes, I. C., Nascimento, K. P. & Fonseca, R. (2018). Fatores de risco modificáveis para doenças crônicas não transmissíveis entre estudantes universitários. Rev Rene. 19:e3487. https://doi.org/10.15253/2175-6783.2018193487.

Moreira, O.C., Oliveira, R. A. R., Andrade Neto, F., Amorim, W., Oliveira, C. E. P., Doimo, L. A., Amorim, P. R. S., Laterza, M. C., Monteiro, W. D. & Marins, J. C. B. (2011). Associação entre risco cardiovascular e hipertensão arterial em professores universitários. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 25(3), 397-406. http://dx.doi.org/10.1590/S1807-55092011000300005.

Oliveira, R. A. R., Júnior, R. J. M., Tavares, D. D. F., Moreira, O. C. & Marins, J. C. B. (2015). Fatores associados à pressão arterial elevada em professores da educação básica. Rev Educ Fís, 1: 119-129. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v26i1.24693.

Pereira, N. D., Rodrigues, T. F. C. S., Sanches, R. C. N., Scardoelli, M. G. C., Trevisan, F. G., Rêgo, A. S. & Radovanovic, C. A. T. (2018). Socio-demographic and clinical profile of hypertensive patients accompanied by the Family Health Strategy. O Mundo da Saúde, 42(4), 974-991. http://dx.doi.org/10.15343/0104-7809.20184204974991.

Santos, A. G. Fernandes, E. C. R., Barbosa, E. M. P., Figueiredo, K. A. & Andrade D. B. (2017). Arterial hypertension and associated risk factors in teachers. Rev Enferm UFPI, 6 (3): 37-44. https://doi.org/10.26694/reufpi.v6i3.5880.

Santos, M. N. & Marques, A. C. (2013). Condições de saúde, estilo de vida e características de trabalho de professores de uma cidade do sul do Brasil. Ciên Saúde Coletiva, 18 (3): 837-846. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000300029.

Saraiva, F. V., Freitas, R. W. J. F., Sousa, V. E. C., Araújo, M. F. M., Silva, A. R. V. & Damasceno M. M. C. (2011). Sobrepeso e obesidade em docentes: um estudo de prevalência. Revista de Enfermagem UFPE on line, 5(2), 193-198.

Silva, E. C, Martins, M. S. A. S, Guimarães, L. V., Segri, N. J., Lopes, M. A. L & Espinosa, M. M. (2016). Prevalência de hipertensão arterial sistêmica e fatores associados em homens e mulheres residentes em municípios da Amazônia Legal. Revista Brasileira de Epidemiologia, 19(1), 38-51. http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201600010004.

Silva, G. V. (2017). Variabilidade da pressão arterial: mais uma peça do quebra-cabeça. Brazilian Journal of Nephrology, 39(2), 102-103. https://doi.org/10.5935/0101-2800.20170025.

Silva, J. L. L., Andrade, L. A. F., Pereira, L. C. L. & Silva, P. R. B. (2010). Estresse e fatores de risco para a hipertensão arterial entre docentes de uma escola estadual de Niterói, RJ. Rev Enferm UFPE on line, 4(3): 1347-1356. http://dx.doi.org/10.5205/reuol.906-8483-1-LE.0403201002.

Vasconcelos, M. O. (2011). Trabalho, o homem e a sociedade: uma reflexão filosófica a partir de Alceu Amoroso Lima. Ágora filosófica, 1(2). https://doi.org/10.25247/P1982-999X.2011.v1n2.p%25p.

Xavier, F. A., Barboza, L. F., Monteiro, A. M. P., Santos, L. C. & Oliveira, D. R. (2010). Fatores de risco cardiovascular entre docentes de uma universidade pública de Minas Gerais. Revista Mineira de Enfermagem, 14(4), 465-472.

Published

15/04/2021

How to Cite

SILVA, J. L. L. da .; ALMEIDA, J. H. A. de .; MESSIAS , C. M. .; MONNERAT, M. S. .; ABREU , L. M. .; RAMOS, G. F. da S. .; SILVA, V. G. de F. e . Alterations on blood pressure and glycemia between education . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e39610413946, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13946. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13946. Acesso em: 8 may. 2021.

Issue

Section

Health Sciences