Health management in Brazil: Challenges of managers and health professionals waste

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13960

Keywords:

Health personnel; Waste management; Medical waste; Infection control; Cross infection.

Abstract

Objective: to analyze in scientific productions the evidence related to the challenges of the multidisciplinary team in the management of health waste in the prevention and control of hospital infection. Method: What are the challenges of the multidisciplinary team in the management of health waste aiming at the prevention and control of hospital infection? Integrative Review of qualitative approach, searching for articles in the databases that make up the Virtual Health Library. Results: 10 articles were included, for the construction of this integrative review and ordered by didactic similarity according to the challenges of the multidisciplinary team. Conclusion: Evidence shows that the multidisciplinary team faces structural and compliance challenges in waste management. However, it is worth mentioning that both permanent education aimed at training employees and managers and the management of appropriate RSS, contribute to infection control, ensuring safety and reducing threats of exposure to human health.

References

Agência Nacional de Vigilância Sanitária [ANVISA]. (2018). Resolução da Diretoria Colegiada RDC nº 222, de 28 de março de 2018. Regulamenta as Boas Práticas de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e dá outras providências. http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271855/RD C+222+de+Mar%C3%A7o+de+2018+COMENTADA/edd85795-17a2-4e1e-99ac-df6bad1e00ce

Alves, D. C. I., & Lacerda R. A. (2015). Avaliação de programas de controle de infecção relacionada a assistência à saúde. Revista Escola de Enfermagem, 49(Esp), 65-73. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342015000700065.

Amarante, J.A.S., Rech, T. D., & Siegloch, A. E. (2017). Avaliação do gerenciamento dos resíduos de medicamentos e demais resíduos de serviços de saúde na Região Serrana de Santa Catarina. Revista Engenharia Sanitária Ambiental, 22(2), 317-326. https://www.scielo.br/pdf/esa/v22n2/1809-4457-esa-s1413_41522016150080.pdf

Bento, D. G., Costa, R., Luz, J. H., & Klock, P. (2017). O gerenciamento de resíduos de serviço de saúde sob ótica dos profissionais de saúde. Texto e contexto Enfermagem, 26(1):e6680015. https://www.scielo.br/pdf/tce/v26n1/pt_1980-265X-tce-26-01-e6680015.pdf

Camargo, A. R., & Melo, I. M. N. (2017). A percepção profissional sobre o gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde em unidades básicas e ambulatórios de saúde em um município da Região Metropolitana de Sorocaba, SP, Brasil. Mundo Saúde, 41(4), 633-643. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/mis-40083

Conselho Nacional do Meio Ambiente [CONAMA]. (2005). Resolução nº 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Conama.

Corrêa, L. B., Lunardi, V. L., & Conto, S. M. (2007). O processo de formação em saúde: o saber resíduos de saúde em vivências práticas. Revista Brasileira de Enfermagem, 60(1), 21-35. https://www.scielo.br/pdf/reben/v60n1/a04v60n1.pdf

Costa, T. F., Felli, V. E. A., Sanchez, M. C. O., Ferreira, S. C. M., Silvino, Z. R & Souza, D. F. (2018). Gerenciamento intra-hospitalar dos resíduos químicos perigosos manuseados pela enfermagem. Revista Enfermagem UERJ, 26, e19376. https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/19376

Coswosk, E. D., Rosa, C. G. S., Caldeira, A. B., Silva, N. C. R., & Rocha, J. M. (2018). Educação continuada para o profissional de saúde no gerenciamento de resíduos de Saúde. Revista Brasileira de Análises Clínicas, 50(3),288-296. http://www.rbac.org.br/wp-content/uploads/2019/01/RBAC-vol-50-3-2018-ref-645-final.pdf

Dias, G. L., Sarturi, F., Camponogara, S., Lima, S. B. S., Lopes, L. F. D., & Trevisan, C. M (2017). Análise da taxa de geração de resíduos de serviços de saúde em um hospital universitário. Journal of Research: fundam. Care, 9(1), 92-98. http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/4889/pdf_1

Freitas, I. M., & Silva, M. A. (2012). A importância do gerenciamento de resíduos do serviço de saúde na proteção do meio ambiente. Revista Estudos, 39(4),493-505. http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/viewFile

Garcia, L. P., Ramos, B. G. Z. (2004). Gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde: uma questão de biossegurança. Cadernos de Saúde Pública,20(3),744-752. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102311X2004000300011&script=sci_abstract&tlng=pt

Giarola, L. B., Baratieri, T., Costa, A. M., Bendendo, J., Marcon S. S., & Waidman, M. A. P. (2010). A infecção hospitalar na perspectiva dos profissionais de enfermagem: um estudo bibliográfico. Cogitare Enferm UEM, 17(1),151-157. https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/26390

Gomes, A. M. P., Garbin, A. J. I., Arcieri, R. M., Rovida, T. A. S., & Garbin, C. A. S.(2017). Sustentabilidade ambiental: gerenciamento de resíduos odontológicos no Serviço. Revista Cubana de Estomatología, 54(2), 1-11. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-901031

Maders, G. R., & Cunha, H. F. A. (2015). Análise da gestão e gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde (RSS) do Hospital de Emergência de Macapá, Amapá, Brasil. Revista Engenharia Sanitária Ambiental, 20(3), 379-388. https://www.scielo.br/pdf/esa/v20n3/1413-4152-esa-20-03-00379.pdf

Massaroli, A., & Saupe, R. (2008). Distinção conceitual: educação permanente e educação continuada no processo de trabalho em saúde. PIBIC. http://www1.saude.rs.gov.br/dados/1311947098405educa%E7%E3o%20continuada%20 e%20permanente.pdf

Mendes, W., Figueiredo, M., Salmito, M., Araújo, E., Araújo, T., & Andrade, E. (2015). Knowledge and practice of workers, professionals and managers on waste of health services. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 7(4), 3216-3226. http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/3684

Ministério da Saúde. (1998). Portaria nº 2616/MS/GM, de 12 de maio de 1998. Programa de Controle de Infecção Hospitalar. Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde. (2006). Gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/manual_gerenciamento_residuos.pdf.

Ministério da Saúde. (2018). Resolução da Diretoria Colegiada - RDC nº 222, de 28 de março de 2018. Regulamenta as boas práticas de Gerenciamento dos Resíduos de serviços de saúde e dá outras providências. Ministério da Saúde.

Ministério do Trabalho e Emprego. (2017). Portaria nº 870, de 06 de julho de 2017. Aprova a Norma Regulamentadora nº 6 (EPI – Equipamento de Proteção Individual). Ministério do Trabalho e Emprego.

Neves, B. C., & Lima, E. P. P. (2019). Condições da prestação dos serviços ambientais de coleta e destinação de resíduos de serviços de saúde em unidades básicas de saúde na cidade de Pelotas, RS, Brasil. Revista Engenharia Sanitária Ambiental, 24(1),61-69. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-41522019000100061&tlng=pt

Pedrosa, K. K., Oliveira, I. C. M., Feijão, A. R, & Machado, R. C. (2015). Enfermagem baseada em evidência: caracterização dos estudos no Brasil. Cogitare Enfermagem, 20(4):733-774.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J, & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. Editora UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Porto, M. A. O. P., Sanchez, M. C. O., Xavier, M. L., Chrizostimo, M. M., Brandão, E. S., & Rosa, M. V.(2019). Educação Permanente em saúde: Estratégia de prevenção e controle de infecção hospitalar. Revista Nurs, 22(258), 3362-3370. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1053418

Rizzon, F., Nodari, C. H., & Reis, Z. C. (2015). Desafio no gerenciamento em serviços públicos de saúde. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, 4(1), 40-54. http://www.revistargss.org.br/ojs/index.php/rgss/article/view/141

Santos, C. M. C., Pimenta, C. A. M., & Nobre, M. R. C. (2007). A estratégia PICO para a construção da pergunta de pesquisa e busca de evidências. Revista Latino-Americana de Enfermagem,15(3), 508-11. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0104-11692007000300023&lng=en&nrm=iso&tlng=en

Sasso, M. K. D., Pereira, S. R. C. C., & Maria G. C. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Revista Texto Contexto – Enfermagem, 17(4), 758-764. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018.

Silva, N. F. C., Vianna, C. M. M., Oliveira, F. S. G., Mosegui, G. B. G., & Rodrigues, M. P. S. (2017). Fuzzy Visa: um modelo de lógica fuzzy para a avaliação de risco da Vigilância Sanitária para inspeção de resíduos de serviços de saúde. Physis, 27(1), 127-46. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312017000100127

Silva, R. M. (2019). Gestão hospitalar e meio ambiente: uma reflexão sobre os processos de gerenciamento de efluentes em lavanderias hospitalares. https://www.monografias.ufop.br/bitstream/35400000/1951/1/monografia_Gest%C3%A3o HospitalarAmbiente.pdf.

Sodré, M. S., & Lemos, C. F. (2017). O cenário do gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde no Brasil. Fórum Internacional de Resíduos Sólidos.

Tavares, S. M. T., Dias, S. M., & Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: o que é e como fazer. Revista Einstein, 8(1), 102-106. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S167945082010000100102&lng=en. https://doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134.

Teixeira, M. V., Echevarría Guanilo, M. E., Knuth F. G. & Ceolin, T. (2018). Avaliação da gestão dos resíduos em Unidades Básicas de Saúde em um município Sul- Brasileiro. Journal of Research: fund. Care, 10(3), 824-831. http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/viewFile/6237/pdf_1

Uehara, S. C. S. A. (2019). Gerenciamento de resíduos de serviços de saúde em hospitais de Ribeirão Preto (SP), Brasil. Revista de Engenharia Sanitária Ambiental, 24(1), 121-130. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-41522019000100121

World Health Organization. (2018). Health-care waste. https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/health-care-waste

Published

03/04/2021

How to Cite

SENA, R. M. de .; SANCHEZ , M. C. O. .; MORAES , Érica B. de .; XAVIER, M. L. .; BRAGA, A. L. de S. .; PORTO, M. A. de O. P. Health management in Brazil: Challenges of managers and health professionals waste. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e14510413960, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13960. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13960. Acesso em: 11 apr. 2021.

Issue

Section

Health Sciences