Practices adopted by nursing to promote developmental care for premature newborns

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13993

Keywords:

Intensive Care; Neonatal; Neonatal Nursing, Infant; Growth and Development; Nursing care.

Abstract

Objective: To describe the knowledge and practices adopted by the nursing team to promote the developmental care of preterm newborns assisted in the Neonatal Intensive Care Unit. Methodology: Study with a qualitative approach. The study site took place at the Neonatal Intensive Care Unit of a public hospital in the Federal District-Brazil, in which participated 12 nursing professionals who work at the unit. For data collection, the semi-structured interview and the participants' characterization form were used. Data analysis was thematic. Results: Three thematic units were identified: Understanding of nursing professionals about developmental care, nursing care in handling the preterm newborn and influence of the environment on the neurodevelopmental evolution of the preterm newborn. Conclusion: We concluded with this study that the NICU nursing team has knowledge about promoting the development of preterm newborns within a neonatal intensive care unit. They are also aware of the negative physiological repercussions that can affect PTNB, in case the implemented nursing care does not follow the philosophy of developmental care.

Author Biographies

Thiago Camilo Vaz de Sousa Lima, Universidade de Brasília

Nurse graduated from the University of Brasilia - UnB

Aline Oliveira Silveira, Universidade de Brasília

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora da Universidade de Brasília.

Camila Camargo Medeiros, Universidade de Brasília

Mestranda no Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade de Brasília

Elainne Motta, Hospital Universitário de Brasília

Enfermeira Supervisora da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital Universitário de Brasília

References

Anversa, R. S. M., Ubessi, L. D., & Stumm, E. M. F. (2011). Perfil de profissionais de terapia intensiva neonatal relacionado com estresse. Revista Baiana de Enfermagem, 25(3), 269-276.

Barradas, J. et al. (2006). A relação entre posicionamento do prematuro no Método Mãe-Canguru e desenvolvimento neuropsicomotor precoce. J. Pediatr, 82(6), 475-480.

Câmara, T., Pereira, N., & Silva, R. (2019). Enfermagem e o manuseio do recém-nascido na unidade de terapia intensiva neonatal. Revista Uningá, 56(S2), 222-233.

Costa, M., & Calado, G. (2020). O ambiente terapêutico e o desenvolvimento do recém-nascido prematuro: uma revisão integrativa da literatura. Revista Ibero-Americana de Saúde e Envelhecimento, 5(3), 1934.

Kegler, J. J., Paula, C. C., Neves, E. T., & Jantsch, L. B. (2016). Manejo da dor na utilização do cateter central de inserção periférica em neonatos. Escola Anna Nery, 20(4), e20160099.

Lisanti, A. J., Cribben, J., Connock, E. M., & Medoff-Cooper B. (2016). Developmental care rounds: an interdisciplinary approach to supportdevelopmentally appropriate care of infants born with complex congenital heart disease. Clinics Perinatology, 43(1), 147-56.

Magalhães, F. J., Lima, E. E. T., Rolim, K. M. C., Cardoso, M. V. L. M., Scherlock, M. S. M, & Albuquerque, N. L. S. (2011). Respostas fisiológicas e comportamentais de recém-nascidos durante o manuseio em unidade de terapia intensiva neonatal. Revista Rene, 12(1):136-143.

Maki, M. T., Orsi, K. C. S. C., Tsunemi, M. H., Hallinan, M. P., Pinheiro, E. M., & Avelar, A. F. M. (2017). O efeito da manipulação sobre o sono do recém-nascido prematuro. Acta Paulista de Enfermagem, 30(5), 489-496

Marques, L. F., Ribeiro R. V., Rocha, C. R., Carreiro, M. A., & Santiago, L. C. (2017). Cuidado ao prematuro extremo: mínimo manuseio e humanização. Revista de Pesquisa: Cuidado e Fundamental (online), 9(4), 927-931.

Marski, B. S. L., Facio, B. C., Ichisato, S. M. T., Barba, P. C. S. D., & Wernet, M. (2018). Developmental Care: assistance of nurses from Neonatal Intensive Care Units. Revista Brasileira de Enfermagem, 71(6), 2758-2766.

Martins, L. A., Silveira, S. P. X., Avila, I. M. F. T., Moraes, J. A. S., Santos, D. S. S., Whitaker, C. O. M., & Camargo, C. L. (2019). Implantação do protocolo de termorregulação para recém-nascido em procedimentos cirúrgicos. Revista Gaúcha de Enfermagem, 40, e20180218.

Mestrovic, J., Polic, B., Mestrovic, M., Kardum, G., Marusic, E., & Sustic, A. (2008) Desfecho funcional de crianças tratadas em unidade de terapia intensiva. Jornal de Pediatria, 84(3): 232-236.

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. Hucitec Editora.

Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Decreto de Delegação de Competência. Diário Oficial da União 13 jun 2013, seção 1.

Ministério da Saúde. Dados do Sistema Único de Saúde-DATASUS. Informações em Saúde. Nascidos vivos: Brasil. http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sinasc/cnv/nvuf.def

Monteiro, L., Geremias, F., Martini, C., Vargas Makuch, D., & Tonin, L. (2019). Benefícios do Toque Mínimo no Prematuro Extremo: Protocolo Baseado em Evidências. Revista Enfermagem Atual In Derme, 89(27).

Moody, C., Callahan, T. J., Aldrich, H., Gance-Cleveland, B., & Sables-Baus, S. (2017). Early Initiation of Newborn Individualized Developmental Care and Assessment Program (NIDCAP) Reduces Length of Stay: A Quality Improvement Project. Journal of Pediatric Nursing, 32, 59–63.

Nascimento, L. C. N., Souza, T. V., Oliveira, I. C. S., Moraes, J. R. M. M., Aguiar, R. C. B., & Silva, L. F. (2018). Theoretical saturation in qualitative research: an experience report in interview with schoolchildren. Revista Brasileira de Enfermagem, 71(1), 228-233

Nazario, A. P., Santos, V. C. B. J., Rossetto, E. G., Souza, S. N. D. H., Amorim, N. E. Z., & Scochi, C. G. S. (2015). Avaliação dos ruídos em uma unidade neonatal de um hospital universitário. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, 36(1), 189-198.

Reis, L. S., Silva, E. F., Waterkemper, R., Lorenzini, E., & Cecchetto, F. H. (2013). Percepção da equipe de enfermagem sobre humanização em unidade de tratamento intensivo neonatal e pediátrica. Revista Gaúcha de Enfermagem, 34(2), 118-124.

Ribeiro, J. F., Silva, L. L. C., Santos, I. L., Luz, V. E. S., & Coêlho, D. M. M. (2016). O prematuro em unidade de terapia intensiva neonatal: a assistência do enfermeiro. Rev. enferm. UFPE on line, 10(10), 3833-3841.

Ribeiro, C. C., Pachelli, M. R. O., Amaral, N. C. O., & Lamônica, D. A. C. (2017). Habilidades do desenvolvimento de crianças prematuras de baixo peso e muito baixo peso. CoDAS, 29(1), e20160058.

Rodarte, M. D. O., Fujinaga, C. I., Leite, A. M., Salla, C. M., Silva, C. G., & Scochi, C. G. S. (2019). Exposição e reatividade do prematuro ao ruído em incubadora. CoDAS, 31(5), e20170233.

Rolim, K. M. C., Araújo, A. F. P. C., Campos, N. M. M., Lopes, S. S. M. B., Gurgel, E. P. B., & Campos, A. C. S. (2010). Cuidado quanto à termorregulação do recém-nascido prematuro: o olhar da enfermeira, Rev. RENE, 11(2): 44-52.

Santana, L. S. R., Silva, L. S., Silva, R. R., Carvalho, J. E., Santana, W. S., Rossi-Barbosa, L. A. R., & Ruas, E. F. G. (2015). Quantificação dos ruídos sonoros em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Revista Mineira de Enfermagem, 19(2), 27-31.

Santos, A. M. G., Viera, C. S., Toso, B. R. G. O., Barreto, G. M. S., & Souza, S. N. D. H. (2018). Clinical application of the Standard Operating Procedure of Positioning with Premature Infants. Revista Brasileira de Enfermagem, 71(3), 1205-1211.

Tong, A., Sainsbury, P., & Craig J. (2007). Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ): a 32-item checklist for interviews and focus groups. International Journal for Quality in Health Care, 19(6), 349 – 357.

Published

15/04/2021

How to Cite

LIMA, T. C. V. de S.; MORAIS, R. de C. M. de; SILVEIRA, A. O.; MEDEIROS, C. C. .; MOTTA, E. Practices adopted by nursing to promote developmental care for premature newborns . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e39010413993, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.13993. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/13993. Acesso em: 11 may. 2021.

Issue

Section

Health Sciences