Affectivity as a methodological practice in children's education: A narrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14053

Keywords:

Affectivity; Teaching; Learning; Child education.

Abstract

Affection promotes transformations in education, allowing to stimulate pleasure during learning, favoring the child to better adapt to the environment, and its insertion as a pedagogical practice becomes necessary. The aim of this study was to investigate the importance of affectivity in early childhood education. This is a narrative, descriptive and exploratory bibliographic review. Based on the theme "Affectivity as a methodological practice in early childhood education: a narrative review", he formulated the following guiding question: What is the importance of affectivity as a methodological practice in teaching children? And online research databases such as ScieLO, ERIC, Google Scholar were consulted. In all, nineteen articles (19) were selected, according to the inclusion and exclusion criteria. The studies addressed the concepts of affectivity and its relationship with teaching, affectivity in the family context, the role of the teacher in the use of affectivity in the classroom, and the importance of affectivity in the teaching of early childhood education for the development and learning of children. kids. Affection must be seen as a practical approach in teaching children as a positive strategy in the learning process, strategies that can be developed by the teacher in the school environment, and also in the family context, as the bond between the student and his family provides benefits as for sociability and learning.

Author Biographies

Kaio Germano Sousa da Silva, Centro Universitário de Ciências e Tecnologias do Maranhão

Centro Universitário de Ciências e Tecnologias do Maranhão, Brasil

Nilzete Lima Costa dos Santos, Universidade Estadual do Maranhão

Universidade Estadual do Maranhão, Brasil

Francisca Thawanny de Souza Silva, Centro Universitário de Ciências e Tecnologias do Maranhão

Centro Universitário de Ciências e Tecnologias do Maranhão, Brasil

Solange Gonçalves Nunes de Sousa, Universidade Estadual do Maranhão

Universidade Estadual do Maranhão, Brasil

Cristiane Dutra do Nascimento, Centro Universitário Leonardo da Vinci

Centro Universitário Leonardo da Vinci, Brasil

Conceição de Maria Machado Costa Primo, Centro Universitário Leonardo da Vinci

Centro Universitário Leonardo da Vinci, Brasil

Saleia Soares Leitão Silva, Universidade Federal do Piauí

Universidade Federal do Piauí, Brasil

Ranna Johara de Cunha Bacelar de Oliveira Sousa, Centro Universitário Leonardo da Vinci

Centro Universitário Leonardo da Vinci, Brasil

Jânio Oliveira Lima, Universidade Estadual do Maranhão

Universidade Estadual do Maranhão, Brasil

Marta Alves de Oliveira Silva, Faculdade do Vale do Itapecuru

Faculdade do Vale do Itapecuru, Brasil

Marise Silva Lima de Mesquita, Faculdade do Vale do Itapecuru

Faculdade do Vale do Itapecuru, Brasil

Apollo Habacuque dos Santos Cunha, Faculdade São Marcos

Faculdade São Marcos, Brasil

Simone Neves Queiroz de Freitas, Universidade Federal do Piauí

Universidade Federal do Piauí, Brasil

Christyanne de Jesus Pereira Oliveira , Universidade Anhanguera

Universidade Anhanguera, Brasil

Karine Costa Melo, UniFacema

Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão, Brasil

References

Almeida, L. R., & Mahoney, A. A. (2007). Afetividade e aprendizagem: Contribuições de Henri Wallon (4a. ed.) São Paulo: Editora Loyola.

Arantes, V. A. (Org.). (2003). Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Editora Summus.

Ariés, P. (1987). História Social da Criança e da Família (2a. ed). Rio de Janeiro: Zahar.

Bock, A. M. B., Furtado, O., & Teixeira, M. L. T. (2009). Psicologias: uma Introdução ao Estudo de Psicologia (14a. ed.). São Paulo: Saraiva.

Carvalho, L. O. R., Duarte, F. R., Menezes, A. H. N., & Souza, T. E. S. (2019). Metodologia científica: teoria e aplicação na educação a distância. Petrolina: Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Casarin, N. E. F., & Ramos, M. B. J. (2007). Família e aprendizagem escolar. Rev. Psicopedagogia, 24(74), 182-201.

Fontana, R. A. C., & Cruz, M. N. (1997). Psicologia e trabalho pedagógico. São Paulo: Atual.

Freire, P. (2019). Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, K. S. (2000). Uma Inter-relação: políticas públicas, gestão democrático-participativa na escola pública e formação da equipe escolar. Em Aberto, 17 (72), 47-59.

Lakatos, E. M., & Marconi, M. A. (2010). Fundamentos de metodologia científica (7ª. ed). São Paulo: Atlas.

Leite, S. A. S. (2012). Afetividade nas práticas pedagógicas. Temas em Psicologia, 20 (2), 355 – 368. 2012.

Lisboa, A. M. J. (2003). O seu filho no dia-a-dia: dicas de um pediatra experiente (2a. ed.) Rio de Janeiro: Record.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm, 17(4), 758-64.

Murgo, C. M., Alves, W. A., & Francisco, M. V. (2016). A afetividade na relação professor-aluno: perspectivas de estudantes de Pedagogia. Rev. educ, 21(2), 211-220.

Ornellas M. L. S. (2009). Educação, afeto e representação social. In: Nascimento, A. D., Hetkowski, T. M (Orgs.), Educação e contemporaneidade: pesquisas científicas e tecnológicas (pp. 277-293). Salvador: EDUFBA.

Piaget, J. (1985). A construção do real na criança. Rio de Janeiro: Zahar.

Rego, M. C. (2013). Vygotsky: Uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis: Vozes.

Ribeiro, M. L. (2010). A afetividade na relação educativa. Estudos de Psicologia, 27(3), 403-412.

Saltini, C. J. P. (1997). Afetividade e inteligência. Rio de Janeiro: Wak.

Sousa, P. B., Santos, F. C., & Valverde, C. (2016). A influência da afetividade no processo de aprendizagem. Pedagog. Foco, 11 (6), p. 168-179.

Souza, T. L. L., & Soares, H. C. C. (2019). A afetividade na educação infantil. Revista Científica Online, 11 (1), 01-13.

Taille, Y. L (2019). Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus.

Tiba, I. (2015). Quem Ama, Educa! Formando Cidadãos Éticos. São Paulo: Integrare.

Veras, R. S., & Ferreira, S. P. A. (2010). A afetividade na relação professor-aluno e suas implicações na aprendizagem, em contexto universitário. Educar em Revista, (38), 219-235.

Published

14/04/2021

How to Cite

SILVA, K. G. S. da .; SANTOS, N. L. C. dos .; SILVA, F. T. de S. .; SOUSA, S. G. N. de .; NASCIMENTO, C. D. do; PRIMO, C. de M. M. C. .; SILVA, S. S. L. .; SOUSA, R. J. de C. B. de O. .; LIMA, J. O. .; SILVA, M. A. de O.; MESQUITA, M. S. L. de; CUNHA, A. H. dos S. .; FREITAS, S. N. Q. de .; OLIVEIRA , C. de J. P. .; MELO, K. C. Affectivity as a methodological practice in children’s education: A narrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e36410414053, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14053. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14053. Acesso em: 11 may. 2021.

Issue

Section

Review Article