Occupational stress in professionals of the oral health teams in the family health strategy

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14065

Keywords:

Occupational stress; Public health dentistry; Primary health care; Occupational health.

Abstract

Objective: The study aimed to analyze the occupational stress conditions in which the professionals of Oral Health Teams of the Sanitary District II of Recife are submitted. Methods: Cross-sectional descriptive study conducted with 66 Family Health Strategy dental professionals, analyzing stress and reward situations at work from the Effort-Reward questionnaire. Results: According to the calculation of the effort-reward imbalance ratio, 90.3% of the sample are in a balance between effort spent at work and reward received. However, 45.5% have high effort at work, 53% have low reward and 47% have high excessive commitment, which reveals a population that experiences situations of occupational stress and is prone to well-being disorders in the workplace. occupational health and health. Conclusion: The adoption of practices that strive for equal treatment and appreciation of professionals should be prioritized, in addition to the legitimation of surveillance and health care measures for workers in the municipality.

References

Almeida, M. A. (2016). Análise da qualidade de vida e trabalho dos agentes comunitários de saúde de Sobral - Ceará. Dissertação (Mestrado em Saúde da Família) - Universidade Federal do Ceará, Sobral.

Altafim, C. A. C. (2018). Absenteísmo dos servidores de diferentes regimes de trabalho da Atenção Básica de Saúde em um município de médio porte. Dissertação (mestrado profissional) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Piracicaba, SP.

Brasil. Ministério da Fazenda. Secretaria de Previdência. (2017). 1º Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade de 2017. Adoecimento Mental e Trabalho: a concessão de benefícios por incapacidade relacionados a transtornos mentais e comportamentais entre 2012 e 2016. Brasília.

Cardoso, A. C., & Morgado, L. (2019). Trabalho e saúde do trabalhador no contexto atual: ensinamentos da Enquete Europeia sobre Condições de Trabalho. Saúde e Sociedade, 28, 169-181.

Chor, D., Werneck, G. L., Faerstein, E., Alves, M. G. D. M., & Rotenberg, L. (2008). The Brazilian version of the effort-reward imbalance questionnaire to assess job stress. Cadernos de Saúde Pública, 24:219-224.

Costa, D. G. S., & Soares, N. (2018). Envelhecimento e velhices: heterogeneidade no tempo do capital. Serviço Social & Realidade, 25(2).

de Brito, G. E. G., Mendes, A. D. C. G., dos Santos Neto, P. M., & de Farias, D. N. (2016). Perfil dos trabalhadores da Estratégia Saúde da Família de uma capital do nordeste do Brasil. Revista de APS, 19(3).

de Oliveira A. M. N., & de Araújo T. M. (2018). Situações de desequilíbrio entre esforço-recompensa e transtornos mentais comuns em trabalhadores da atenção básica de saúde. Trabalho, Educação e Saúde, 16(1):243-262.

do Prado, C. E. P. (2016). Estresse ocupacional: causas e consequências. Rev Bras Med Trab, 14(3), 285-9.

do Prado Tostes, M. F., da Silva, A. Q., Garçon, T. L.; Maran, E., & Teston, E. F. (2017). Dualidade entre satisfação e sofrimento no trabalho da equipe de enfermagem em centro cirúrgico. Revista SOBECC, 22(1), 3-9.

dos Santos, J. D., Fillipiaki, C. K., Bermudes, D. F., Savaris, C. B., Rossa, L., & Garrastazu, M. D. (2016). Suicídio dos profissionais e estudantes de odontologia associado às altas taxas de síndrome de Burnout – revisão de literatura. Ação Odonto, (1).

Hirschle, A. L. T., & Gondim, S. M. G. (2020). Estresse e bem-estar no trabalho: uma revisão de literatura. Ciência & Saúde Coletiva, 25, 2721-2736.

Iora, I. M. L. (2020). Alienação e exploração do trabalho em Karl Marx: atualidade e contribuições à sociologia contemporânea. Revista Contraponto, 7(3).

Lima, A. S., Farah, B. F., & Bustamante-Teixeira, M. T. (2018). Análise da prevalência da síndrome de burnout em profissionais da Atenção Primária em Saúde. Trabalho, Educação e Saúde, 16(1), 283-304.

Maia, S. I. D. S. (2016). Suicídio (ou tentativa): acidente de trabalho ou doença de trabalho? Dissertação (mestrado). Universidade do Minho, Braga, Portugal.

Marcelino Filho, A., & Araújo, T. M. D. (2015). Estresse ocupacional e saúde mental dos profissionais do centro de especialidades médicas de Aracaju. Trabalho, Educação e Saúde, 13:177-199.

Oliveira, I. V. P., de Braz, M. C. A., Urbano, S. C. F., dos Santos, I. C., & Araki, A. T. (2018). Conhecimento de alunos e professores sobre medidas ergonômicas. Arquivos Em Odontologia, 54.

Schnall, P.L., Landsbergis, P. A., & Baker, D. (1994). Job strain and cardiovascular disease. Annual Review of Public Health,15(1):381-411.

Siegrist, J., Starke, D., Chandola, T., Godin, I., Marmot, M., Niedhammer, I., & Peter, R. (2004). The measurement of effort–reward imbalance at work: European comparisons. Social science & medicine, 58(8):1483-1499.

Trindade, L. L., & Lautert, L. (2010). Síndrome de Burnout entre os trabalhadores da Estratégia de Saúde da Família. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 44(2), 274-279.

Zenkner, K. V., Denardin, E. F., de Jesus, A. A., Strom, B. R., da Silva, E. S., & Carlesso, J. P. P. (2020). Saúde mental dos profissionais da saúde: o adoecimento de quem se dedica a cuidar a doença do outro. Research, Society and Development, 9(7), e916974747-e916974747.

Published

04/04/2021

How to Cite

CARNEIRO, C. D. A.; PEIXOTO, S. S.; ALBUQUERQUE, L. C. de. Occupational stress in professionals of the oral health teams in the family health strategy . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e17610414065, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14065. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14065. Acesso em: 5 may. 2021.

Issue

Section

Health Sciences