Music, Cultural Industry and the regression of hearing: Contributions of Critical Theory to human emancipation

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14123

Keywords:

Critical theory; Cultural industry; Consumer music; Regression of hearing.

Abstract

Currently, music is present in almost all social spaces, but this does not mean that it contributes to increase the quality of thought formation and aesthetic feeling of people. Music is used to entertain and to pass the time, but it hardly promotes fruition. In light of the above, this study aims to examine how music has been used by the cultural industry to format men's hearing, contributing to the regression of hearing. It is a qualitative research and the method used is the critical-dialectical of theoretical nature, based on bibliographic sources that support the discussion of the concepts. First, it discusses musical taste, which is often conditioned by production relations, emphasizing how music - as well as other artistic languages - has been co-opted by instrumental reasoning. In sequence, it shows how music on an industrial scale has contributed to format the hearing of individuals, who are used to the same musical chords, with no variation of timbers, pointing out the negativity of this situation, because it can also contribute to the aesthetic formation. It is concluded that there is a distance between musical success and its aesthetic quality. Philosophically, music has a negative potentiality that makes it possible not only to be heard in moments of leisure, but it can also provide an aesthetic experience, resulting in a formative act.

Author Biography

Luiz Roberto Gomes, Universidade Federal de São Carlos

É pós-doutor em ciências da educação pela J. W. Goethe Universität em Frankfurt am Main (Alemanha); é doutor em Educação na área de Filosofia, História e Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP; mestre em Educação na área de Filosofia e História da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP e licenciado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC-Campinas. Autor de livros, capítulos de livros e artigos publicados no Brasil e no Exterior. É professor Associado do Departamento de Educação da Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR, professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação PPGE/UFSCar (mestrado e doutorado). É líder do Grupo de pesquisa "Teoria Crítica e formação ético-política" (UFSCar/CNPq); membro pesquisador doutor do grupo de pesquisa "Teoria Crítica e Educação" CNPq e participa, como pesquisador doutor, do Projeto de Pesquisa "O que significa educar hoje?" pelo convênio trilateral (UNICAMP, UPF e Universidade de Tandil na Argentina). Tem experiência em cursos de pós-graduação (Stricto Sensu) e (Lato Sensu), no Ensino Superior, na Educação Básica e em EAD; tendo atuado nas áreas de Filosofia, Educação e Ciências Humanas. Os projetos de pesquisas em andamento versam sobre as seguintes temáticas: "teoria crítica, política e formação" e "a reconstrução empírica da aula a partir do referencial teórico-metodológico da Hermenêutica Objetiva&quot

References

Adorno, T. W. (1970) Teoria Estética. Frankfourt: Edições 70.

Adorno, T. W. Sociologia. (1986a) In: COHN, G. (Org.). Coleção Grandes Cientistas Sociais. São Paulo: Ática, p. 81-98.

Adorno, T. W. Sobre Música Popular.(1986b) In: COHN, G. (Org.). Coleção Grandes Cientistas Sociais. São Paulo: Ática, p. 115-146.

Adorno, T. W. O Fetichismo na Música e a Regressão da Audição. (1991) In: Horkheimer, M.; Adorno, T. W. Textos Escolhidos. São Paulo: Nova Cultural, p. 79-185 (Os Pensadores).

Adorno, T. W. (2007) Filosofia da Nova Música. São Paulo: Perspectiva.

Adorno, T. W.(2009) Dialética Negativa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Adorno, T. W. (2011) Introdução à Sociologia da Música. São Paulo: Unesp.

Adorno, T. W &; Horkheimer, M. (1985) Dialética do Esclarecimento: Fragmentos Filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Arzua, G. (2001) Reificação e Autonomia: A Dupla Face da Razão na Estética Musical de Adorno. In: Oliveira, N. R, Zuin, A. A. S, Pucci, B. (Org.) Teoria Crítica, Estética e Educação. Campinas, SP: Autores Associados. p. 175-184.

Bertram, G. W. (2019). Teoria estética de Adorno e a questão da eficácia social da arte. Dissonância: Revista de Teoria Crítica, v. 3 n.2, Dossiê Theodor W. Adorno, 2º semestre de 2019, pp. 85-111.

Colarusso, O. Carmine Burana. Os Segredos de um dos Hits da Música Clássica. Gazeta do Povo, Curitiba, 17 jul. 2013. http://www.gazeta dopovo.com.br/blogs/falando-de-musica/carmina-burana-os-segredos-de-um-dos-hit s-da-musi ca-classica/.

Duarte, R. (2001) Mundo “Globalizado” e Estetização da Vida. In: Oliveira, N. R.; Zuin, A. A. S.& Pucci, B. (Org.).Teoria Crítica, Estética e Educação. Campinas, SP: Autores Associados. p. 27-42.

Fabiano, L. H . (2001) Bufonices Culturais e Degradação Ética: Adorno na Contramão da Alegria. In: Oliveira, N. R., Zuin, A. A. S., Pucci, B. (Org.).Teoria Crítica, Estética e Educação. Campinas, SP: Autores Associados. p. 135-146.

Fianco, F. (2020) Arte e sociedade em "teoria estética" de Theodor Adorno. Art Research Journal, vol 7, n. 1.

Hartmann, H. R. Adorno. (2001) Arte e Utopia. Entre o Pessimismo Político e o Otimismo Estético. In: Oliveira, N. R., Zuin, A. A. S., Pucci, B. (Org.). Teoria Crítica, Estética e Educação. Campinas, SP: Autores Associados. p.75-92.

Kiihl,R. N. (2019) Experiência Estética e Educação: a contribuição histórica de Theodor Wiesegrund Adorno, Vitória: Universidade Federal Espírito Santo, dissertação Mestrado, 99 f.

Loureiro, E. C. V. (2016) Schoenberg/Boulez: Ideia/Sistema. Per musi, Belo Horizonte, n. 33, p. 25-58, jan./abr.

Lüdke, M. (1986) Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU. P. 35-44.

Marcuse, H. (1967) A Ideologia da Sociedade Industrial. Rio de Janeiro: Zahar.

Marcuse, H. (1977) A Dimensão Estética. São Paulo: Martins Fontes.

Moreira, P. L.& Silva, R. T. M. (2018) Teoria Crítica e Indústria Cultural: Apontamentos sobre Educação e Cinema. Goiânia: Novas Edições Acadêmicas.

Nogueira, M. A. (2001) Música, Consumo e Escola: Reflexões Possíveis e Necessárias. In: Oliveira, N. R., Zuin, A. A. S., Pucci, B. (Org.).Teoria Crítica, Estética e Educação. Campinas, SP: Autores Associados. p. 185- 195.

Palangana, I. C. (1998) Individualidade: Afirmação e Negação na Sociedade Capitalista. São Paulo: Plexus/EDUC.

Penna, M. (2012) Música(s) e Seu Ensino. Porto Alegre: Sulinas.

Pucci, B. (1997) Filosofia Negativa e Educação: Adorno. Filosofia, Sociedade e Educação, Marília, v. 1, n. 1, p. 163-192.

Ribeiro, E. C. S. R., Spbral, K. M., Jataí, R. P. (2016) Omnilateralidade, Politecnia, escola unitária e educação tecnológica: uma análise marxista. In: JORNADA INTERNACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ANTONIO GRAMSCI, 1.; JORNADA REGIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS SEM ANTONIO GRAMSCI, Práxis, Formação Humana e a Luta por uma Nova Hegemonia. 7., 2016. Fortaleza. Anais... Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; JOINGG. p. 1-11.

Santana, L. (2017) Cantor brasileiro. e-biografia. https://www.ebiografia.c om/luan_santana/.

Vilela. A, R. A. T. A (2012 Pesquisa Empírica da Sala de Aula na Perspectiva da Teoria Crítica: Aportes

Metodológicos da Hermenêutica Objetiva de Ulrich Oevermann. In: Pucci, B.; Costa, B. C. G. (Org.).

Teoria Crítica e Crises: Reflexões sobre Cultura, Estética e Educação. Campinas, SP: Autores Associados p. 157- 180.

Triviños, A. N. S. (1987) Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Published

14/04/2021

How to Cite

SILVA, R. T. M. da; GOMES, L. R. . Music, Cultural Industry and the regression of hearing: Contributions of Critical Theory to human emancipation. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e36710414123, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14123. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14123. Acesso em: 7 may. 2021.

Issue

Section

Human and Social Sciences