The use of experimental activities as a resource for environmental education: a case of water reuse at school

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14199

Keywords:

Environmental education; Water reuse; Experimental activities.

Abstract

With the increase in water waste and pollution of the environment, human activity has become a major generator of waste, causing numerous environmental consequences. The scarcity of water resources is one of the main consequences found in our current scenario. In view of the scarcity of water, several alternative actions for the treatment of wastewater are being developed. One technique that can favor the decontamination of water is electroflocculation, which causes the agglutination of impurities through oxidation reactions. Based on this assumption, the main objective of this work is to analyze how the development of experimental activities in the teaching of chemistry can promote awareness for the preservation of water resources. The research included 28 students enrolled in the 2nd grade of high school at a state public school in Colatina-ES in 2019, presenting a methodology with a qualitative and experimental approach. The data were analyzed using the Observational Analysis Method, allowing us to conclude that the use of experimentation in the teaching process when linked to Environmental Education can generate incentives to curiosity and research, enhancing knowledge of the relationship between man and the environment.

Author Biographies

Joselia Cristina Siqueira da Silva, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática da Universidade Federal do Paraná (2020 - até o momento). Membro do Grupo de Pesquisa Alfabetização Científica e Tecnológica na Educação em Ciências (UFPR). Mestre em Ensino na Educação Básica pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), área de concentração em Ensino de Ciências Naturais, linha de pesquisa Ensino de Química (2018- 2019). Especialização em Metodologia no Ensino de Química pela Faculdade de Tecnologia São Francisco- FATESF (2016). Licenciada em Química pela Universidade Nove de Julho- UNINOVE- SP (2011-2014). Desenvolve pesquisas e estudos na área de Educação em Ciências, Ensino de Química, Metodologias Alternativas no processo de Ensino e Educação de Jovens e Adultos.

Gilmene Bianco, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduação em Quimica pela Universidade Federal de Santa Catarina (1994), mestrado em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997) e doutorado em Química (Físico-Química) pela Universidade de São Paulo (2001). Atualmente, professora associada da Universidade Federal do Espírito Santo e pertence ao programa de Pós-graduação em Ensino na Educação Básica como professora permanente na área de Ensino de Química e Ensino de Ciências. Tem experiência na área de Química, com ênfase Polímeros, atuando principalmente nos seguintes temas: polimerização, energia de ativação, degradação térmica, fibras vegetais e isotermas de adsorção.

Dieison Prestes da Silveira, Universidade Federal do Paraná

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática da Universidade Federal do Paraná (2020 - até o momento). Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. Membro do Grupo de Pesquisa Alfabetização Científica e Tecnológica na Educação em Ciências (UFPR). Membro do Grupo de Pesquisa EArte - Estado da Arte da Pesquisa em Educação Ambiental no Brasil (Unicamp, USP, UNESP). Mestre em Práticas Socioculturais e Desenvolvimento Social pela Universidade de Cruz Alta - Unicruz (2018 - 2020). Especialista em Meio Ambiente e Sustentabilidade pela Faculdade Futura (2017 - 2019). Especialização em andamento: Ensino de Ciências e Docência no Ensino Superior pela Faculdade Futura (2020). Licenciado em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus Júlio de Castilhos/RS - IFFar (2014 - 2017). Desenvolve pesquisas e estudos na área de Educação Ambiental, Educação Ambiental Crítica, Alfabetização Científica, Educação em Ciências, Formação de Professores, Ensino e aprendizagem e Práticas Socioculturais. Atua como revisor de periódico: GEDECON - Gestão e Desenvolvimento em Contexto (Universidade de Cruz Alta); Revista Missioneira (URI - Santo Ângelo); Revista Di@logus; Revista Ilustração; Research, Society and Development (Vargem Grande Paulista).

Rodrigo da Vitória Gomes, Universidade Federal do Paraná

Vencedor do Prêmio de Shell Educação Científica 2020. Licenciado em Química pela Universidade Federal do Espírito Santo/UFES (2017) com período sanduíche pelo programa Erasmus Mundos na University of Patras/UPATRAS na Grécia (2014-2015). Licenciado em Pedagogia pelo Centro Universitário UniFaveni/FAVENI (2020). Especialista em Práticas Assertivas em Didática e Gestão da Educação Profissional Integrada à EJA pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte/IFRN (2020). Mestre em Ensino na Educação Básica sub área Ensino de Química pela Universidade Federal do Espírito Santo, Campus São Mateus/Ceunes/UFES (2020), com pesquisa em História da Ciência no Ensino de Química e Formação de Professores. Doutorando em Educação em Ciências e em Matemática pela Universidade Federal do Paraná/UFPR. Desenvolve pesquisa em Educação em Ciências atuando principalmente nos seguintes temas: História da Química, Relações entre Ciência e Técnica na História e Interfaces entre História da Ciência e Ensino. Atualmente desenvolve trabalho docente pela Secretaria Estadual de Educação do Espírito Santo/SEDU atuando na Educação de Jovens e Adultos em Espaços de Privação de Liberdade (Penitenciária Regional de Linhares/PRL e Centro de Ressocialização de Linhares/CDRL) e em Ensino Regular com menores Infratores (Unidade de Internação Provisória - UNIP/NORTE e Unidade de Internação Socioeducativa - UNIS/NORTE). Durante a graduação participou de projetos Iniciação Científica e Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação em Físico-química e química orgânica com ênfase em Polímeros atuando no desenvolvimento de pesquisas com os seguintes temas: Obtenção de poliésteres, compósitos de fontes renováveis, biodegradação, caracterização de materiais e extração de produtos naturais.

Deivid Jonas Silva da Veiga, Universidade de Cruz Alta

Pós-graduando em Direito de Família e Sucessões pela Fundação Escola Superior do Ministério Público - FMP (2021 - até o momento). Bacharel em Direito pela Universidade de Cruz Alta - UNICRUZ (2016 - 2021), tem experiência na área jurídica e na área da Tecnologia de Informação. Foi estagiário do Ministério Público Estadual (2019 - 2021). Foi estagiário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul - Comarca de Tupanciretã-RS (2017 - 2019) e do Instituto Nacional de Seguridade Social - Agência da Previdência Social de Tupanciretã-RS (2016 - 2017). Pesquisa o seguintes temas: crimes cibernéticos no Brasil, violência infantil e os direitos humanos da criança e adolescente. 

Lielle Serafim, Universidade Federal do Espírito Santo

Possui graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011) e mestrado em Ensino na Educação Básica pela Universidade Federal do Espírito Santo (2020). Atualmente, professora de educação física da Prefeitura Municipal de São Mateus.

References

Aljoni-alário, A & Wartha, E. J. (2005). A contextualização do ensino de Química através do livro didático. Seção Pesquisa no ensino de Química. Química Nova na Escola, nº 22.

Asano, T. (2002). Water from (waste) water – the dependable water resource. Water Science and Technology. v. 45, p 23-33, IWA Publishing.

Ausubel, D. P, Novak, J. D & Hanesian, H. (1983). Psicología Educativa: un punto de vista cognoscitivo. México: Trillas.

Barros, J. G. C. (2010). Origem, distribuição e preservação da água no planeta terra. Revista GT Águas, ano 6, n. 11, fev.

Benite, C.R.M. (2006). Avaliação de Tecnologias Educacionais no Ensino de Química em Nível Médio. Monografia (Especialização no Ensino de Ciências). UFRJ.

Brasil. (1999). Lei nº 9.795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília.

Carvalho, V. S. (2008). A ética na Educação Ambiental e a ética da Educação Ambiental. In: Machado, C. et al. Educação Ambiental consciente. Rio de Janeiro: WAK Editora, p. 29-46.

Carvalho, D & Souza, M. A. C. (2015). Utilização do método eletrofloculação para tratamentos de efluentes industriais. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v.03, n. 14, p.14-28, ago.

Carvalho, A. M. (2013). Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning.

Cerqueira, A. A & Marques, M. R. C. (2011) Avaliação do Processo Eletrolítico em Corrente Alternada no Tratamento de Água de Produção. Química Nova na Escola, Vol. 34, N°1, 59 - 63.

Galiazzi, M. C & Gonçalves, F. P. (2004). A natureza pedagógica da experimentação: uma pesquisa na licenciatura em química. Química Nova, v. 27, n. 2, p. 326-331.

Gerhardt, T. E & Silveira, D. T. (organizadores). (2009). Métodos de Pesquisa. Coordenado pela Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS e SEAD/UFRGS. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Gobbi, L. C. A. (2013). Tratamento de água oleosa por eletrofloculação. Dissertação- Curso de mestrado em Energia, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, Universidade Federal do Espírito Santo, São Mateus.

Guimarães, C. C. (2009) Experimentação no ensino de química: caminhos e descaminhos rumo à aprendizagem significativa. Química Nova na Escola; Vol. 31, N° 3, ago.

Hodson, D. (1988). Experiments in science and science teaching. Educational Philosophy and Theory, v. 20, n. 2, p. 53-66.

Moraes, R, Ramos, M. G & Galiazzi, M. C. (2012). Aprender química: promovendo excursões em discursos da química. In: ZANON, L. B.; MALDANER, O. A. (Org.). Fundamentos e propostas de ensino de química para a educação básica no Brasil. Ijuí: Unijuí.

Moreira, M. A. (2012). O Que é Afinal Aprendizagem Significativa? Qurriculum, La Laguna, n. 25, p.29-56.

Moreira, M.A & Masini, E.A.F. (1982). Aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Editora Moraes.

Neto, A. (2011). Tratamento de resíduos de corante por eletrofloculação: um experimento para cursos de graduação em Química. Química Nova, São Paulo, v. 34, p. 1468-1471, maio.

Penin, S.T.S. (2001). Didática e Cultura: O Ensino Comprometido com o Social e a Contemporaneidade. In: Castro, A.D.; Carvalho, A.M.P. (org). Ensinar a Ensinar – Didática para a Escola Fundamental e Média. São Paulo: Pioneira/Thomson.

Penteado, H. D. (2012). Meio ambiente e formação de professores. São Paulo: Cortez.

Silva, A. P. (2009). Educação ambiental em resíduos sólidos nas unidades escolares municipais de Presidente Prudente–SP. 207f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente-SP.

Silva, R. R, Machado, P. F. L & Tunes, E. (2010). Experimentar sem medo de errar. In: SANTOS, W. L. P.; MALDANER, O. A. (Org.). Ensino de Química em Foco. Ijuí: Unijuí.

Sousa, P. A. A & Sousa, H. R. (2011). Estimulando o ensino de química através de ilustrações. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE QUÍMICA, 55., 2015, Goiânia. Anais. Goiânia, CBQ.

Tundisi, J. G. (2003). Água no século XXI: enfrentando a escassez. 2. ed. São Carlos: RIMA.

Published

18/04/2021

How to Cite

SILVA, J. C. S. da; BIANCO, G.; SILVEIRA, D. P. da .; GOMES, R. da V.; VEIGA, D. J. S. da; SERAFIM, L. The use of experimental activities as a resource for environmental education: a case of water reuse at school. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e48110414199, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14199. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14199. Acesso em: 11 may. 2021.

Issue

Section

Exact and Earth Sciences