Sustainability, family farming and public policies in Brazil: a literature review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14220

Keywords:

Sustainable production; Institutional markets; Food systems.

Abstract

The present study aims to analyze the literature related to sustainability in family farming and its application in Brazilian public policies. To this end, an analysis of articles related to the theme was conducted, highlighting the main topics, in addition to secondary data from the Federal Government. Through the information collected, it was observed the existence of public policies aimed at food (school and population) and marketing, highlighting institutional channels for the distribution of food produced by these. Sustainability in these production systems also denotes a differentiating characteristic, considering the positive impacts on the environment, the reuse of waste aimed at soil fertility and the possibilities of generating income for farming families.

References

Abramovay, R., & Veiga, J. E. (1999). Novas instituições para o desenvolvimento rural: o caso do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF). IPEA.

Albuquerque Neto, H. C., Marques, C. C., Furlanetto, E. L. (2008). A aplicação das dimensões do desenvolvimento sustentável e os níveis da competitividade sistêmica: O caso do arranjo produtivo de calçados de Campina Grande. In: Relatório Parcial do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica do CNPq.

Altieri, M. A. (2012). Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Expressão Popular, AS-PTA.

Associação de Promoção dos Orgânicos – Organis (2020). Seis meses de conquistas e desafios. https://organis.org.br/

Barbosa, G. S. (2008). O desafio do desenvolvimento sustentável. Revista Visões, 4(1), 1-11.

Brandenburg, A. (1999). Agricultura familiar, ONGs e desenvolvimento sustentável. Editora da UFPR.

Brasil. (2006). Lei n. 11.326 de 24 de julho de 2006a. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. Diário Oficial da União.

Brasil. (2012). Lei Nº 12.651, de 25 de Maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa: Diário Oficial da União.

Brasil. (2012). Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar: renda para quem produz e comida na mesa de quem precisa. MDA: Brasília.

Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. (1988). Nosso Futuro Comum. Fundação Getúlio Vargas.

Costa, M. B. B., Souza, M., Júnior, V. M., Comin, J. J. & Lovato, P. E. (2015). Agroecologia no Brasil: 1970 a 2015. Agroecologia, 10(2), 63–75.

Del Fiori, D. (2017). Agricultura familiar no estado de são paulo: caracterização e problemas. Nexos Econômicos, 10.

Del Grossi, M. E. & Marques, V. P. M. A. (2010). Agricultura familiar no censo agropecuário 2006: o marco legal e as opções para sua identificação. Estudos Sociedade e Agricultura, 18(1), 127-157.

Delgado, G. C. (1997). Capital financeiro e agricultura no Brasil - 1965-1985. INCONE/UNICAMP.

Delgado, N. D. & Romano, J. O. (1999). Sistemas agrários, atores sociais e construção de políticas públicas alternativas para o desenvolvimento rural local: o caso de Rebouças/PR. In: Costa, L. F. C., Moreira, R. J. & Bruno, R. Mundo rural e tempo presente. Mauad.

Dias, R. (2011). Gestão ambiental responsabilidade social e sustentabilidade. Atlas S.A.

Dias, T. F., Nunes E. M., Torres, F. L., & Torres, A. C. M. (2013). Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA) como estratégia de inserção socioeconômica: o caso do Território da Cidadania Sertão do Apodi (RN). Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 9(3).

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. (2009). Resolução/CD/FNDE nº 38, de 16 de julho de 2009.

Garcia, D. S. S. (2011). El principio de sostenibilidad y los puertos: a atividade portuária como garantidora da dimensão econômica da sustentabilidade. Tese (Doctorado en Derecho Ambiental y sostenibilidad), Universidad de Alicante.

Goodman, D. (2017). Espaço e lugar nas redes alimentares alternativas: conectando produção e consumo. In: Gazolla, M. & Schneider, S. Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar.: Editora da UFRGS.

Grisa, C., Schmitt, C. J., Mattei, L. F., Maluf, R. S. & Leite, S. P. (2011). Contribuições do Programa de Aquisição de Alimentos à segurança alimentar e nutricional e a criação de mercados para a agricultura familiar. Revista Agriculturas, 8, 34-41.

Grisa, C. & Zimmermann, S. A. (2015). Estado e sociedade civil na promoção da segurança alimentar e nutricional no Brasil: a construção do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Agroalimentaria, 21.

Guimarães, R. P. (1998). Ater rizando una Cometa: indicadores territoriales de sustentabilidad. CEPAL/ILPES.

Gusmão, Y. J. P. (2019). Agroextrativismo, comunidades tradicionais e os desafios na comercialização dos produtos: Januária, Norte de Minas Gerais. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil. 82p.

IBGE (2017). Censo Agropecuário. www.ibge.gov.br

IBGE. Censo Agropecuário 2006. https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/agropecuaria/censoagro/agri_familiar_2006.

Lindsey, T. C. (2011). Sustainable principles: common values for achieving sustainability. Journal Cleaner Production, 19(5), 561-565.

Martins, M. F. (2008). A influência dos índices de desenvolvimento sustentável na competitividade sistêmica: Um estudo exploratório no arranjo produtivo local de confecções em Campina Grande. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal da Paraíba. Brasil.

Moldan, B., Janoušková, S. & Hak, T. (2012). How to understand and measure environmental sustainability. Indicators and targets. Ecological Indicators. 17, 4-13.

Neder, H. D. (2014). Trabalho e Pobreza Rural no Brasil. In: Buainain, A. M., Alves, E., Silveira, J. M. & Navarro, Z. O Mundo Rural no Brasil do Século 21: A formação de um novo padrão agrário e agrícola. mbrapa.

Neves, M. F. & Castro, L. T. E. (2010). Agricultura integrada: inserindo pequenos produtores da maneira sustentável em modernas cadeias produtivas. Atlas.

Oliveira, A. F. S. (2007). A sustentabilidade da agricultura orgânica familiar dos produtores associados à APOI (Associação dos Produtores Orgânicos da Ibiapaba-CE). Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Ceará, Brasil.

Ortega, A. C. (2008). Territórios deprimidos: desafios para as políticas de desenvolvimento rural. Campinas: Editora Alínea. Edufu.

Padua J. B., Schlindwein, M. M. & Gomes, E. P. (2013). Agricultura familiar e produção orgânica: uma análise comparativa considerando os dados dos censos de 1996 e 2006. Interações, 14(2), 225-235.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. UFSM.

Perez-Cassarino, J. (2013). Agroecologia, mercados e sistemas agroalimentares: uma leitura a partir da soberania e segurança alimentar e nutricional. In: Gomes, J. C. C. & Assis, W. S. Agroecologia: princípios e reflexões conceituais. Embrapa.

Queiroz, S. F. (2012). Pronaf e desenvolvimento rural sustentável: uma análise econométrica espacial dos impactos do programa nas regiões sul e nordeste, do Brasil, entre 2000 e 2006. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Brasil.

Rabelo, L. S. & Lima, P. V. P. S. (2007). Indicadores de sustentabilidade: a possibilidade da mensuração do desenvolvimento sustentável. Revista Eletrônica do Prodema, 1(1), 55-76.

Ribeiro, E. M. (2010). Histórias dos gerais. Belo Horizonte: UFMG.

Ribeiro, E. M. (2014). Produção e conservação de recursos na agricultura familiar dos gerais San franciscanos, semiárido de Minas Gerais. Rev. Econ. NE, 45.

Romeiro, A. R. (2012). Sustainable Development: An Ecological Economics Perspective. Estudos Avançados, 26(74).

Sachs, I. (2009). Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond.

Salton, J.C., Mielniczuk, J., Bayer, C., Fabrício, A. C., Macedo, M. C. M. & Broch, D. L. (2005). Matéria Orgânica do Solo na Integração Lavoura-Pecuária em Mato Grosso do Sul / Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste.

Santos, J. G. & Cândido, G. A. (2013). Sustentabilidade e agricultura familiar: um estudo de caso em uma associação de agricultores rurais. Revista de Gestão Social e Ambiental, 7(1), 69-85.

Silva, L. F. (2007). Índice de Sustentabilidade Ambiental Agrícola (ISAGRI): uma proposta metodológica. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, Brasil.

Silva, T. C. & Ferreira, P. R. (2016). O Programa de Aquisição de Alimentos sob a Ótica dos Atores Sociais Envolvidos. Desenvolvimento em Questão, 14(33), 301-329.

Siqueira, T. V. (2001). Desenvolvimento Sustentável: Antecedentes Históricos e Propostas para a Agenda 21. Revista do BNDES, 8(15), 247-288.

Soriano, J. C. (2010). Apresentação. In. Ferment, G., Fernandes, G. & Avanci, J. Seminário sobre proteção da agrobiodiversidade e direito dos agricultores: Propostas para enfrentar a contaminação transgênica do milho. Brasília: MDA.

Souza Filho, H. (2001). Desenvolvimento agrícola sustentável. In: Batalha, M. O. Gestão agroindustrial. Atlas.

Souza-Esquerdo, V. F. & Bergamasco, S. M. P. P. (2015). Políticas públicas para a agricultura familiar brasileira: um estudo sobre o Pronaf nos municípios do circuito das frutas-SP. Revista Extensão Rural, 22(1), 9-35.

Stepanyan, K., Littlejohn, A. & Margaryan, A. (2013). Sustainable e-Learning: Toward a Coherent Body of Knowledge. Educational Technology & Society, 16(2), 91-102.

Stoffel, J. A. & Colognese, S. A. (2015). O desenvolvimento sustentável sob a ótica da sustentabilidade multidimensional. Revista da FAE, 18(2), 18-37.

Szmrecsanyi, T. & Ramos, P. (1997). O papel das políticas governamentais na modernização da agricultura brasileira. História Econômica do Brasil contemporâneo, 2, 227-250.

Waquil, P. D., Schneider, S., Filippi, E. E., Conterato, M. A. & Specht, S. (2007). Avaliação de desenvolvimento territorial em quatro territórios rurais no Brasil. DF: Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Yolles, M. & Fink, G. (2014). The Sustainability of Sustainability. Business Systems Review, 3(2), 1-32.

Zanelli, F. V., Lopes, A. S., Cardoso, I. M., Fernandes, R. B. A. & Silva, B. M. (2015). Intercâmbios agroecológicos: aprendizado coletivo. Informe Agropecuário: Agricultura Orgânica e Agroecologia, 36(287).

Published

11/04/2021

How to Cite

SILVA , L. F. da .; MALTEZ, M. A. P. da F. .; OLIVEIRA, C. E. A. .; GUSMÃO , Y. J. P. .; SOUZA , M. A. de .; NASCIMENTO , J. A. C. do .; OLIVEIRA , C. P. de .; BUENO , O. C. de . Sustainability, family farming and public policies in Brazil: a literature review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e42310414220, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14220. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14220. Acesso em: 8 may. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences