Level of anxiety and depression and problems related to alcohol use in employees of a public university

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14243

Keywords:

Depression; Anxiety; Alcohol-related disorders; Worker's health; University education.

Abstract

Objective: The objective of the study was to estimate the prevalence of anxiety and depression and to identify problems related to alcohol use; in addition to verifying the existence of an association between these factors and sociodemographic and labor variables of teachers and technical-administrative employees of the Faculties of Dentistry (FO) and Veterinary Medicine (FMV) of Araçatuba - Universidade Estadual Paulista. Methods: For this, the database was analyzed from January 2013 to October 2019, referring to the questionnaires applied annually during the periodic examination of employees and teachers of the institutions. They consist of the Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS), for the assessment of anxiety and depression; in the Alcohol Identification Problems Test (AUDIT), for the identification of harmful use and alcohol dependence and in the Self-Report Questionnaire (SRQ), for tracking non-psychotic disorders, called Common Mental Disorders (CMD) . Results: In the analyzed period, 2971 periodic examinations were performed, with 569 (19.2%) showing some alteration. Of these, 429 (75.4%) had changes in the HADS anxiety questionnaire, 254 (44.6%) in HADS depression, 81 (14.2%) in AUDIT and 312 (54.8%) in SRQ. The mean age was 52.23 years (sd = 8.62). Most of the people who had changes in the psychic exam were female (57.3%), technical-administrative servers (64.3%) and the FO (67.3%). There was an association between CMD and problems related to alcohol use with sociodemographic variables. It is concluded that the prevalence of CMD and problems related to alcohol use in the studied population is relatively low. Despite this, there is an association between these factors and sociodemographic and labor variables.

References

Ayres, M., Ayres, J. M., Ayres, D. L., & Santos, A. S. (2007). Aplicações estatísticas nas áreas das ciências bio-médicas. Instituto Mamirauá, Belém, 364.

Babor, T. F., et al. (2001). The alcohol use disorders identification test. Geneva: World Health Organization, 2, 1-37.

Bastos, M. L. A., Silva Júnior, G. B., Domingos, E. T. C., Araújo, R. M. O., & Santos, A. L. (2018). Afastamentos do trabalho por transtornos mentais: um estudo de caso com servidores públicos em uma instituição de ensino no Ceará, Brasil. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, 16 (1), 53-59.

Botega, N. J., Bio, N. R., Zomignani, M. A., Garcia Jr, C., & Pereira, W. A. B. (1995). Transtornos do humor em enfermaria de clínica médica e validação de escala de medida (HAD) de ansiedade e depressão. Revista de Saúde Pública, 29, 359-363.

Botega, N. J., Pondé, M. P., Medeiros, P., Lima, M. G., & Guerreiro, C. A. M. (1998). Validação da escala hospitalar de ansiedade e depressão (HAD) em pacientes epilépticos ambulatoriais. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 47 (6), 285-289.

Braga, L. S., Pereira, V. C. L. S., Cordeiro, C. A., Moraes, M. N., Araújo, V. S., & Dias, M. D. (2013). Sofrimento psíquico em trabalhadores da Estratégia Saúde da Família. Revista de enfermagem da UFPE on line, 7 (2), 345-354.

Carlotto, M. S. (2016). Transtornos Mentais Comuns em trabalhadores de Unidades Básicas de Saúde: Prevalência e fatores associados. Psicologia Argumento, 34 (85), 133-146.

Castro, M. M.C., Quarantini, L., Batista-Neves, S., Kraychete, D. C., Daltro, C., & Miranda-Scippa, A (2006). Validade da escala hospitalar de ansiedade e depressão em pacientes com dor crônica. Revista Brasileira de Anestesiologia, 56 (5), 470-477.

Coutinho, M. C., Dal Magro, M. L. P., & Budde, C (2011a). Entre o prazer e o sofrimento: um estudo sobre os sentidos do trabalho para professores universitários. Psicologia: Teoria e Prática, 13 (2), 154-167.

Coutinho, M. C., Diogo, M. F., & Joaquim, E. P. (2011b). Cotidiano e saúde de servidores vinculados ao setor de manutenção em uma universidade pública. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 36 (124), 227-237.

Fernandes, I. M. C., Ribeiro, A. M., Gomes, R. L., Lopes, J. S.S., Vanderlei, L. C. M., & Lorençoni, R. M. R. (2019). Níveis de ansiedade, depressão e estresse em funcionários de uma instituição de ensino superior pública do interior do estado de São Paulo. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, 17 (4), 530-536.

Figlie, N. B., Pillon, S. C., & Laranjeira, R. R., & Dunn, J. (1997). Audit identifica a necessidade de interconsulta específica para dependentes de álcool no hospital geral? Jornal brasileiro de psiquiatria, 11 (46), 589-593.

Fioreze, J. M. S. (2013). Saúde autorreferida de docentes e servidores técnicos administrativos de uma universidade pública da região sudeste. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Ouro Preto.

Franco, L. C., & Monteiro, P. S. (2016). Padrão de consumo de álcool e tabaco entre professores universitários. Revista Baiana de Enfermagem, 30 (2), 1-11.

Gavin, R., Reisdorfer, E., Gherardi-Donato, E. C. S., Reis, L. N., & Zanetti, A. C. G. (2015). Associação entre depressão, estresse, ansiedade e uso de álcool entre servidores públicos. SMAD Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas, 11 (1), 2-9.

Gonçalves, D. M., Stein, A. T., & Kapczinski, F. (2008). Avaliação de desempenho do Self-Reporting Questionnaire como instrumento de rastreamento psiquiátrico: um estudo comparativo com o Structured Clinical Interview for DSM-IV-TR. Cadernos de Saúde Pública, 24 (2), 380-390.

Gorenstein, C., Andrade, L. H. S. G., & Zuardi, A. (2000). W. Escalas de avaliação clínica em Psiquiatria e Psicofarmacologia. Lemos Editorial, 89-95.

Harding, T. W., Arango, M. V., Baltazar, J., Climent, C. E., Ibrahim, H. H., Ladrido-Ignacio, L., et al (1980). Mental disorders in primary health care: a study of their frequency and diagnosis in four developing countries. Psychological medicine, 10 (2), 231-241.

Jacinto, A., & Tolfo, S. R. (2017). Fatores psicossociais de risco no trabalho e Transtorno Mental Comum: uma revisão sistemática de estudos que utilizaram os instrumentos JCQ, JSS e SRQ-20. Revista de Psicologia, 9 (2), 107-124.

Karasek, R. A. (1998). El modelo de Demandas-Control: enfoque social, emocional y fisiológico Del risco de estres y desarrollo de compartamientos activos. In: Organización Internacional Del Trabajo (OIT). Enciclopedia de Salud y Seguridad en el Trabajo. Genebra: OIT.

Karasek, R. A. (1979). Job demands, job decision latitude, and mental strain: implications for job redesign. Administrative Science Quarterly, 24 (2), 285-308.

Kerr-Correa, F., Tucci, A. M., Hegedus, A. M., Trinca, L. A., Oliveira, J. B., Floripes, T. M. F., et al (2008). Padrões de consumo de álcool entre homens e mulheres em duas comunidades brasileiras distintas. Revista Brasileira de Psiquiatria, 30 (3), 235-242.

Lopes, S. V., & Silva, M. C. (2018). Estresse ocupacional e fatores associados em servidores públicos de uma universidade federal do sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 23 (11), 3869-3880.

Macedo, J. W. L., & Silva, A. B. (2018). Afastamentos do Trabalho no Brasil por Transtornos Mentais e Comportamentais (TMC): o que revelam os números da Previdência Social? Métodos e Pesquisa em Administração, 3 (1), 39-49.

Mari, J. J., & Williams, P. (1986). Misclassification by psychiatric screening questionnaires. Journal of Chronic Diseases, 39 (5), 371-377.

Matos, I. B., Toassi, R. F. C., & Oliveira, M. C. (2013). Profissões e ocupações de saúde e o processo de feminização: tendências e implicações. Athenea Digital, 13 (2), 239-244.

Moretti-Pires, R. O., & Corradi-Webster, C. M. (2011). Adaptação e validação do Alcohol Use Disorder Identification Test (AUDIT) para população ribeirinha do interior da Amazônia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 27 (3), 497-509.

Prado CEP (2016). Estresse ocupacional: causas e consequências. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, 14 (3), 285-289.

Sadock, B. J., Sadock, V. A., & Ruiz, P. (2016). Compêndio de Psiquiatria-: Ciência do Comportamento e Psiquiatria Clínica. Artmed Editora.

Silva, E. C., & Tucci, A. M. (2018). Correlação entre ansiedade e consumo de álcool em estudantes universitários. Psicologia: teoria e prática, 20 (2), 93-106.

Silva-Júnior, J. S., & Fischer, F. M. (2015). Afastamento do trabalho por transtornos mentais e estressores psicossociais ocupacionais. Revista Brasileira de Epidemiologia, 18 (4), 735-744.

Soares, C. N., Prouty, J., & Poitras, J. (2002). Ocorrência e tratamento de quadros depressivos por hormônios sexuais. Revista Brasileira de Psiquiatria, 24 (1), 48-54.

Soares, L. S., et al (2019). Padrão de consumo de álcool entre trabalhadores de um colégio técnico-agrícola: estudo transversal. Revista de enfermagem da UFSM, 9 (e42), 1-16.

Teixeira, L. N., et al (2015). As possíveis alterações no estilo de vida e saúde de professores. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, 5 (2), 1669-1683.

Wagner, M. F., et al (2019). Empatia, sintomas de depressão, ansiedade e estresse em professores do ensino superior. Revista da SPAGESP, 20 (2), 55-67.

Zigmond, A. S., & Snaith, R. P. (1983). The hospital anxiety and depression scale. Acta Psychiatrica Scandinavica, 67 (6), 361-379.

Published

22/04/2021

How to Cite

MARTINS, R. J. .; SILVA, M. B. da; ÁVALOS, Y. R. B. .; BELILA, N. de M. .; GARBIN, C. A. S. . Level of anxiety and depression and problems related to alcohol use in employees of a public university. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e53610414243, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14243. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14243. Acesso em: 16 may. 2021.

Issue

Section

Health Sciences