Evaluation of the physical fitness of elderly people in a Program of Physical Activities

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14260

Keywords:

Physical Aptitude; Quality of Life; Physical Exercise; Elderly.

Abstract

Linked to a good physical activity program, there are usually methods to assess the functional capacities of individuals who participate in it. The information generated by this evaluation makes it possible to know the characteristics of the elderly from simple and useful tools, assisting in the diagnosis of the specific limitations of each individual and in the definition of strategies for health promotion, aiming to delay or prevent the disabilities resulting from aging. Thus, the objective of this research was to analyze, in different age groups, the levels of functional physical fitness of elderly women participating in a physical activity program. The study was quantitative and descriptive. The research was carried out in the municipality of Crato – Ceará, in which 47 elderly members of the Health, Fire and Society program participated. For data collection, a questionnaire was applied and an anthropometric assessment and an assessment of physical fitness was carried out, this measured through the battery of tests by Rikli and Jones. It was noticed that all of them presented below average results for the “Six-minute walk” test; the age group with the highest number of tests below the average was between 60 and 64 years, followed by the age group of 74 to 79 years, with two tests. In the general analysis of the results, it can be seen that, regarding aerobic endurance, agility and dynamic balance, the participants showed unsatisfactory results or below average, indicating a deficit in these valences.

Author Biographies

Vitor Viana da Costa, Universidade Federal do Ceará

Especialista em Ciência do Treinamento de Força

André Accioly Nogueira Machado, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Fisiologia. Professor do curso de Educação Física da Universidade Estadual do Ceará.

Francisco Sérgio Lopes Vasconcelos-Filho, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Ciências Fisiológicas

Nielpson Dias Carvalho, Universidade Estadual do Ceará

Especialista em Ciência do Treinamento de Força

Mabelle Maia Mota, Universidade Estadual do Ceará

Mestre em Educação

Welton Daniel Nogueira Godinho, Universidade Estadual do Ceará

Mestre em Ciências Fisiológicas

Paula Matias Soares, Universidade Estadual do Ceará

Pós-doutorado em Microscopia/Morfofuncional

Alex Soares Marreiros Ferraz, Universidade Federal do Ceará

Doutor em Biotecnologia

References

Ats. (2002). Committee on Proficiency Standards for Clinical Pulmonary Function Laboratories. ATS statement: guidelines for the six-minute walk test. Am J Respir Crit Care Med, 166(1), 111-7. https://doi.org/10.1164/ajrccm.166.1.at1102.

Batista, R. A. & Almeida, E. A. (2020). Motivos para a adesão e permanência do idoso nas atividades de hidroginástica. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) – Centro Universitário São Lucas - UniSL, 2020.

Barbosa, B. R., Almeida, J. M., Barbosa, M. R. & Barbosa, L. A. R. R. (2014). Avaliação da capacidade funcional dos idosos e fatores associados à incapacidade. Ciência & Saúde Coletiva, 19(8), 3317-3325. https://doi.org/10.1590/1413-81232014198.06322013.

Bezerra, F. C., Almeida, M. I. & Nóbrega-Therrien, S. M. (2012). Estudos sobre envelhecimento no Brasil: revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 15(1),155-167. https://doi.org/10.1590/S1809-98232012000100017.

Bicalho, P. G., Géa-Horta, T., Moreira, A.D., Gazzinelli, A. & Velasquez-Melendez, G. (2018). Associação entre fatores sociodemográficos e relacionados à saúde com a prática de caminhada em área rural. Ciênc. saúde colet, 23(4), 1323-1332. https://doi.org/10.1590/1413-81232018234.18242016.

Binotto, M. A., Borgatto, A. F. & Farias, S. F. (2010). Nível de atividade física: questionário internacional de atividades físicas e tempo de prática em mulheres idosas. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol, 13(3), 425-434. https://doi.org/10.1590/S1809-98232010000300009.

Brasil. (2012). Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília.

Brasil. (2013). Vigitel Brasil 2009: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Brasília, DF, Brasil.

Cabrera, M. A. S., Wajngarten, M., Gebara, O. C. E., & Diament, J. (2005). Relação do índice de massa corporal, da relação cintura-quadril e da circunferência abdominal com a mortalidade em mulheres idosas: seguimento de 5 anos. Cad Saúde Pública, 21(3), 767-775. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000300010.

Caetano, L. M. (2006). O Idoso e a Atividade Física. Horizonte: Revista de Educação Física e desporto, 11(124), 20-28.

Cipriani, N. C. S., Meurer, S. T., Benedetti, T. R. B. & Lopes, M. A. (2010) Aptidão funcional de idosas praticantes de atividades físicas. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum, 12(2),106-111. https://doi.org/10.5007/1980-0037.2010v12n2p106.

Costa, V.V., Soares, L. R., Gomes, A. N. & Machado, A. A. N. (2018). Avaliação da Aptidão Física Funcional em Idosos e Implicações Para a Prescrição de Exercícios. Atuação Profissional em Educação e Saúde: Conceitos e Procedimentos. Curitiba: CRV, 2018. Coedição: Fortaleza, CE. Editora da Universidade Estadual do Ceará.

Cunha, H. A. V., Alves Júnior, A. J. T., Scabello, H. P. L., Figueiredo, R. R., Oliveira, I. L. G. & Costa, J. B. (2010). Associação da obesidade à presença de comorbidades decorrentes em trabalhadores do Hospital e Maternidade Celso Pierro. Rev. Ciênc. Méd., 19(1-6), 23-31.

Cyarto, E. V. Brown, W. J., Marshall, A. L. & Trost, S. G. (2008). Comparison of the effects of a homebased and group-based resistance training program on functional ability in older adults. American journal of health promotion, 23(1),13-17. https://doi.org/10.4278/ajhp.07030120.

Furtado, H. L., Pereira, F. D., Moreira, M. H. R. & Dantas, E. H. M. (2008). Perfil da Resistência Cardiorrespiratória em mulheres idosas com sobrepeso do programa de atividade física no SESC de Nova Friburgo/ RJ/Brasil. Revista Motricidade, 4(1), 22-27.

Gomes, K. V. & Zazá, D. C. (2009). Motivos de adesão à prática de Atividade Física em idosas. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, 14(2), 132-138.

Guedes, T. A., Martins, A. B. T., Acorsi, C. R. L. & Janeiro, V. (2005). Estatística descritiva, Projeto de ensino aprender fazendo estatística. Maringá: Universidade Estadual de Maringá.

Hauser, E., Martins, V. F., Teixeira, A. R. & Gonçalves, A. G. (2015). ConScientiae Saúde, 14(2), 270-276. https://doi.org/10.5585/conssaude.v14n2.5512.

Heyward, V. H. & Stolarczik, L. M. (2000). Avaliação da composição corporal aplicada. Manole.

Inouye, K. & Pedrazzani, E. S. (2007). Nível de instrução, status socioeconômico e avaliação de algumas dimensões da qualidade de vida de octogenários. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 15(spe), 742-747.

Leite-Cavalcanti, C., Rodrigues-Goncalves, M. C., Rios-Asciutti, L. S. & Leite-Cavalcanti, A. (2009). Prevalência de doenças crônicas e estado nutricional em um grupo de idosos brasileiros. Revista de Salud Pública, 11(6), 865-877.

Li, A.M., Yin, J., Yu, C. C., Tsang, T., So, H. K. & Wong, E, Chan, D., Hon, E. K. L. & Sung, R. (2005). The six-minute walk test in healthy children: reliability and validity, Eur Respir J .25(6),1057-60.

Loureiro, N. S. L., Amaral, T. L. M., Amaral, C. A., Monteiro, G. T. R. M., Vasconcellos, M. T. L. & Bortolini, M. J. S. (2020). Relação de indicadores antropométricos com fatores de risco para doença cardiovascular em adultos e idosos de Rio Branco, Acre. Revista de Saúde Pública, 54, 24. Epub March 16, 2020.

Mazo, G. Z., Lopes, M. A. & Benedetti, T.B. (2009). Atividade física e o idoso: concepção gerontológica. (3ª Ed.). Sulina.

Meurer, S. T., Beneditti, T. R. B. & Mazo, G. Z. (2012). Fatores motivacionais de idosos praticantes de exercícios físicos: umestudo baseado na teoria da autodeterminação. Estudos de Psicologia (Natal), 17(2), 299-304. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2012000200014.

Morales-Blanhir, J. E., Vidal, C. D. P., Romero, M. J. R., Castro, M. M. G., Villegas, A. L. & Zamboni, M. (2011). Teste de caminhada de seis minutos: uma ferramenta valiosa na avaliação do comprometimento pulmonar. Teste de caminhada de seis minutos: uma ferramenta valiosa na avaliação do comprometimento pulmonar. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 37(1), 110-117. https://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132011000100016.

Morgado, R. A. (2013). Atividade Física na Terceira Idade. Relatório de estágio profissional de Mestrado, Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Portugal.

Nunes, M. E. S. & Santos, S. (2009). Avaliação funcional de idosos em três programas de atividade física: caminhada, hidroginástica e Lian Gong. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 9(2-3), 150-159.

Paschoal, S. M. P. (2004). Qualidade de vida do idoso: construção de um instrumento de avaliação através do método do impacto clínico. Tese de Doutorado, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Ramos, L. R. (2009). Saúde Pública e envelhecimento: o paradigma da capacidade funcional. BIS. Boletim do Instituto de Saúde (Impresso), (47), 40-41.

Ribeiro, F., Gomes, S., Teixeira, F., Brochado, G. & Oliveira, J. (2009). Impacto da prática regular de exercício físico no equilíbrio, mobilidade funcional e risco de queda em idosos institucionalizados. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 9(1), 36-42.

Ribeiro, R. M., Tribess, S., Santos, A. S., Pinto, L. L. T., Ribeiro, M. C. L., Roza, L. B. & Virtuoso Júnior, J. S. (2015). Barreiras no engajamento de idosos em serviços públicos de promoção de atividade física. Ciência & Saúde Coletiva, 20(3), 739-749. https://doi.org/10.1590/1413-81232015203.03702014.

Rikli, R. E. & Jones, C. J. (1999). Development and validation of a functional fitness test for community-residing older adults. J Aging Phys Activity, 7(2),129-161.

Rikli, R. E. & Jones, C. J. (2001). Senior Fitness Test Manual. Champaign, IL: Human Kinetics.

Rogers, M. E., Rogers, N. L. Takeshima, N. & Islam, M. M. (2003). Methods to assess and improve the physical parameters associated with fall risk in older adults. Prev Med, 36(3), 255-64. https://doi.org/10.1016/S0091-7435(02)00028-2.

Silva, C. A. P. (2017). Avaliação do nível de aptidão física funcional em idosos praticantes de Ginástica Para Todos (GPT). Mais60 - Estudos sobre Envelhecimento, 28(69), 74-89.

Miyasike-da-Silva, V., Villar, R., Zago, A. S., Polastri, P. F. & Gobbi, S. (2002). Nível de agilidade em indivíduos entre 42 e 73 anos: efeitos de um programa de atividades físicas generalizadas de intensidade moderada. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 23(3), 65-79.

Martins, R. J. (2016). Aptidão física, atividade física e qualidade de vida relacionada com a saúde de idosos. Dissertação de Mestrado, Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, Portugal.

Sousa, A. I., & Silver, L. D. (2008). Perfil sociodemográfico e estado de saúde auto-referido entre idosas de uma localidade de baixa renda. Escola Anna Nery, 12(4), 706-716. https://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452008000400015.

Squarcini, C. F. R. (2015). Programas de atividade física para idosos: avaliação da produção científica brasileira utilizando o modelo RE-AIM. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., 18 (4), 909-920.

Vila, C. P., Silva, M. E. M., Simas, J. P. N., Guimarães, A. C. A., & Parcias, S. R. (2013). Aptidão física funcional e nível de atenção em idosas praticantes de exercício físico. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 16(2), 355-364. https://doi.org/10.1590/S1809-98232013000200015.

Who. (1995). World Health Organization. Physical Status: The Use and Interpretation of Anthropometry. Technical Report Series 854. Geneva: WHO.

Who. (2011). World Health Organization. Global recommendations on physical activity for health. Geneva: WHO.

Who. (2005). World Health Organization. Organização Mundial de Saúde. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde.

Who. (2000). World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Geneva: WHO.

Xavier, F. Xavier, F., M. P., Bisol, L. W., Fernandes, D. D., Schwanke, C. & Moringuchi, E. H.. (2000). Octagenários de Veranópolis: as condições psicológicas, sociais e de saúde geral de um grupo representativo de idosos com mais de 80 anos residentes na comunidade. Rev AMRIGS, 44(1/2), 25-9.

Published

12/04/2021

How to Cite

COSTA, V. V. da; MACHADO, A. A. N.; VASCONCELOS-FILHO, F. S. L.; CARVALHO, . N. D.; MOTA, M. M.; GODINHO, W. D. N.; SOARES, P. M. .; FERRAZ, A. M. Evaluation of the physical fitness of elderly people in a Program of Physical Activities . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 4, p. e50610414260, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i4.14260. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14260. Acesso em: 7 may. 2021.

Issue

Section

Health Sciences