The role of the National Health Surveillance Agency in the regulation of vaccines

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.14512

Keywords:

Regulation; Immunization; Risk reduction; Public health.

Abstract

Vaccines are substances used in the prevention and control of diseases, and even though they are effective and safe, they can cause adverse events that can be multifactorial. In this context, the means of regulation in the country have improved over the years, and bodies such as the National Health Surveillance Agency (ANVISA) have emerged, which, through resolutions and regulations, carry out the regulation and registration of vaccines. This article is a narrative bibliographic review where articles with publications between 2014 and 2020 were used, in addition to official documents with historical and legal value, in order to demonstrate the role of ANVISA in the process of vaccine regulation. Through resolutions and norms, the aforementioned agency carries out the regulation and registration of vaccines, playing an extremely important role in the inspection of the clinical studies process, verifying compliance with all current regulations, acting in the inspection of good manufacturing practices, in order to regularize the commercialization of vaccines, still having a fundamental role in the applicability of these vaccines in view of the regulation of minimum standards for vaccination sites. With this, the present study provides a broad view about the role of ANVISA in the process of regulation of vaccines, thus contributing to the knowledge of its regulations that view the safety of population health.

Author Biographies

Caroline Severo de Jesus, Faculdade Guaraí

Discente do curso Bacharel em Enfermagem na Faculdade Guaraí- Instituto Educacional Santa Catarina - IESC/FAG.

Mairy Ferreira Melo Rezende, Faculdade Guaraí

Discente do curso Bacharel em Enfermagem na Faculdade Guaraí- Instituto Educacional Santa Catarina - IESC/FAG.

Adriana Keila Dias, Faculdade Guaraí

Enfermeira. Mestra em Ciências Ambientais. Doutoranda em Engenharia Biomédica.

Giullia Bianca Ferraciolli do Couto, Faculdade Guaraí

Enfermeira. Mestra em Bioengenharia com Ênfase em Saúde. 

Glaucya Wanderley Santos Markus, Faculdade Guaraí

Enfermeira. Mestra em Bioengenharia com Ênfase em Saúde. 

Reobbe Aguiar Pereira, Faculdade Guaraí

Bacharel em Enfermagem. Mestre em Ciências Ambientais.

References

Delgado, J. S. (2017). Limites ao poder regulatório da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. 2017. 143 f. Dissertação (Mestrado em Direito) - Instituto CEUB de Pesquisa e Desenvolvimento, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2017.

Maia, C., & Guilhem, D. (2016). A regulação sanitária brasileira como parte da política de saúde: lacunas e desafios. Rev Panam Salud Publica. 2016;39(5):226–31.

Mendes, G. L. (2020). Ações de vigilância sanitária na área de produtos e serviços farmacêuticos do município de Fortaleza, Ceará. 2020. 104 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2020.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução Normativa n° 45, de 21 de agosto de 2019. Dispõe sobre as boas práticas de fabricação complementares a medicamentos experimentais. Diário Oficial da União 2019; 22 ago.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 80, de 18 de março de 2002. Regulamento técnico de registro, alterações e inclusão pós-registro e revalidação dos produtos biológicos. Diário Oficial da União 2002; 19 mar.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 315, de 26 de outubro de 2005. Regulamento técnico de registro, alterações pós-registro e revalidações dos produtos biológicos terminados. Diário Oficial da União 2005; 27 out.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 55, de 16 de dezembro de 2010. Dispõe sobre o registro de produtos biológicos novos e produtos biológicos e dá outras providências. Diário Oficial da União 2010; 17 dez.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 49, de 20 de setembro de 2011. Dispõe sobre a realização de alterações e inclusões pós-registro, suspensão e reativação de fabricação e cancelamentos de registro de produtos biológicos e dá outras providências. Diário Oficial da União 2011; 22 set.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 134, de 13 de julho de 2001. Determina a todos os estabelecimentos fabricantes de medicamentos, o cumprimento das diretrizes estabelecidas no regulamento técnico das boas práticas para a fabricação de medicamentos. Diário Oficial da União 2001; 14 jul.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 210, de 4 de agosto de 2003. Atualiza as boas práticas de fabricação de medicamentos, com o objetivo de acompanhamento do desenvolvimento de novas tecnologias, nos últimos anos, e a relevância de documentos nacionais e internacionais a respeito do tema. Diário Oficial da União 2003; 14 ago.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 17, de 16 de abril de 2010. Dispõe sobre as boas práticas de fabricação de medicamentos. Diário Oficial da União 2010; 17 abr.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 301, de 21 de agosto de 2019. Dispõe sobre as boas práticas de fabricação de medicamentos. Diário Oficial da União 2019; 22 ago.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 219, de 20 de setembro de 2004. Aprova o regulamento para elaboração de dossiê para a obtenção de comunicado especial (CE) para realização de pesquisa clínica com medicamentos e produtos para a saúde. Diário Oficial da União 2004; 21 set.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 39, de 5 de junho de 2008. Aprova o regulamento para a realização de pesquisa clínica e dá outras providências. Diário Oficial da União 2008; 6 jun.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada n° 9, de 20 de fevereiro de 2015. Dispõe sobre o regulamento para a realização de ensaios clínicos com medicamentos no Brasil. Diário Oficial da União 2015; 21 fev.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada nº 348, de 17 de março de 2020. Define os critérios e os procedimentos extraordinários e temporários para tratamento de petições de registro de medicamentos, produtos biológicos e produtos para diagnóstico in vitro e mudança pós-registro de medicamentos e produtos biológicos em virtude da emergência de saúde pública internacional decorrente do novo Coronavírus. Diário Oficial da União 2020; 18 mar.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada nº 197, de 26 de dezembro de 2017. Dispõe sobre os requisitos mínimos para o funcionamento dos serviços de vacinação humana. Diário Oficial da União 2017; 28 dez.

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

Ministério da Saúde. Vacinas: as origens, a importância e os novos debates sobre seu uso. Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos, BioManguinhos/ Fiocruz. 2016.

Pereira A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Presidência da República/Casa Civil-Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 9.782, de 26 de janeiro de 1999. Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e dá outras providências.

Stávale, M. C. M., Leal, M. L. F., & Freire, M. S. (2020). A evolução regulatória e os desafios na perspectiva dos laboratórios públicos produtores de vacinas no Brasil. Cad. Saúde Pública. vol. 36 supl. 2 Rio de Janeiro 2020.

Published

01/06/2021

How to Cite

JESUS, C. S. de .; REZENDE, M. F. M. .; DIAS, A. K. .; COUTO, G. B. F. do .; MARKUS, G. W. S. .; PEREIRA, R. A. The role of the National Health Surveillance Agency in the regulation of vaccines. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e35010614512, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.14512. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14512. Acesso em: 24 jun. 2021.

Issue

Section

Review Article