Mortality due to HIV-AIDS in the state of Piauí between 2008 to 2018

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15070

Keywords:

HIV / AIDS; Mortality; Piauí; Socioeconomic inequalities.

Abstract

The present study aimed to determine mortality from HIV / AIDS in the State of Piauí and its relationship with socioeconomic indicators (Human Development Index and Gini Index) from 2008 to 2018, describing gender, age group, year and place of death and the basic cause of death according to the International Statistical Classification of Diseases and Related Health Problems, Tenth Revision (ICD-10). In a quantitative approach to obtaining data on mortality, the research used secondary data provided by the State Department of Health of the State of Piauí (SESAPI) and to obtain data on the HDI and Gini Index, platforms were used from the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) and DATASUS / TABNET, respectively. According to the data obtained, 1280 deaths were recorded in the period studied, where 70.36% occur in males, aged 30 to 39 years (33%) and mainly due to HIV resulting in infectious and parasitic diseases (64%). The prevalence of deaths occurred in the state capital, Teresina, especially in the first years analyzed. With regard to the HDIm and the average Gini index by development territory, there is a relationship with the deaths that occurred in the State. There was an increase in the mortality rate in the period studied, observing a slight drop in 2010, confirming a public health problem in the State of Piauí.

Author Biography

Evaldo Hipólito de Oliveira, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal da Paraíba (1990), graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal da Paraíba (1991), graduação em Direito pela Universidade Federal do Piauí (1999), Doutorado em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários (2010), mestrado em Administração pela Universidade Federal da Paraíba (2002), especialização em Vigilância Sanitária e Epidemiológica (1997) e Citologia Clínica (2005). Foi Diretor do Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Piauí-LACEN-PI (2003 a 2007). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal do Piauí de microbiologia clínica e imunologia clínica (1994). Tem experiência na área de Farmácia (Interdisciplinaridade), atuando principalmente nos seguintes temas: análises clínicas ( bacteriologia, virologia, imunologia, citologia e hematologia ) e Vírus Linfotrópico de Células T Humanas-1/2-HTLV-1/2, HIV, HBV e HCV (Epidemiologa, Imunologia e Análise Molecular).

References

Abbas, A. H., Lichtman, S. P. (2019). Imunologia celular e molecular. 9 ed., Rio de Janeiro: Elsevier.

Almeida, P. D., Brito, R. C. T., Araújo, T. M. E., Oliveira, F. B. M., Sousa, A. F. L., Filho, A. C. A. A. (2015). Aids no Piauí: análise do perfil epidemiológico. Revista de Enfermagem UFPE online, 9(6), 8660-8664. doi: https://doi.org/10.5205/1981-8963- v9i6a10642p8660-8664-2015.

Alves, D. N., Bresani-Salvi, C. C., Batista, J. D. L., Ximenes, R. A. A., Filho, D. B. M., Melo, H. R. L., Albuquerque, M. F. P. M. (2017). Uso do Coding Causes of Death in HIV na classificação de óbitos no Nordeste do Brasil. Revista de Saúde Pública, 51(88). doi: https://doi.org/10.11606/s1518-8787.2017051000124.

Brasil. IBGE, Cidades. Piauí. (2010). https://www.ibge.gov.br/cidades- e-estados.html?view=municipio.

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2019). Disponível em:<https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pi/panorama>.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais. (2019). Boletim epidemiológico. Número especial, Brasília.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais. (2019). Panorama epidemiológico da coinfecção TB-HIV no Brasil. Boletim epidemiológico, 50(26).

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Informática do SUS (2020). Informações de saúde (TABNET) – Índice de Gini da renda domiciliar per capita Piauí. <http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/ibge/censo/cnv/ginipi.def>

Bueno, P. H. C., LIMA, A. J. (2015). Centralidade dos serviços de saúde de Teresina (PI): constituição e dinâmica. Qualit@s Revista Eletrônica, 17(1), 7-25.

Cândido, L. C. O. (2020). Farmocogenética de antirretrovirais em pessoas com HIV/AIDS. Dissertação de Doutorado. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Carvalho, P. P., Barroso, S. M., Coelho, H. C., Penaforte, F. R. O. (2019). Fatores associados à adesão à Terapia Antirretroviral em adultos: revisão integrativa de literatura. Ciência & Saúde Coletiva, 24(7), 2543-2555. doi: https://doi.org/10.1590/1413- 81232018247.22312017.

Castro, S. S., Scatena, L. M., Neto, A. M., Nunes, A. A. (2020). Tendência temporal dos casos de HIV/aids no estado de Minas Gerais, 2007 a 2016. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 29(1). doi: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742020000100016.

Cavalcante, J.P.L. (2019). Estudo temporal da mortalidade por HIV/aids no brasil: evidências para preocupação? Repositório Institucional UFC (Fortaleza, online), 1-10.

Delves, P. J., Martin, S. J., Burton, D. R., Roitt, I. M. (2013). Fundamentos de imunologia. 12 ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Ferreira, T. C. R., Souza, A. P. C., Rodrigues Júnior, R. S. (2015). Perfil clínico e epidemiológico dos portadores do HIV/Aids com coinfecção de uma unidade de referência especializada em doenças infecciosas parasitárias especiais. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 13(1), 419-431.

Fundação CEPRO. (2019). Piauí em números. 11. ed., Teresina: Fundação CEPRO.

Guimarães, M. D. C., Carneiro, M., Abreu, D. M. X., França, E. B. (2017). Mortalidade por HIV/Aids no Brasil, 2000-2015: motivos para preocupação?. Revista Brasileira de Epidemiologia, 20(1),182-190. doi: https://doi.org/10.1590/1980-5497201700050015.

Lima, R. L. F. C., Moreira, N. R. T. L., Medeiros, A. R. C., Moraes, R. M., Nascimento, J. A., Vianna, R. P. T., Santos, S.R. (2017). Estimativas da incidência e mortalidade por Vírus da Imunodeficiência Humana e sua Relação com os Indicadores Sociais nos Estados do Brasil. Revista brasileira de Ciências e Saúde, 21(2),139-144. doi: https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2017v21n2.28569.

Lins, M.E.V.S., Jesus, J.B., Oliveira, J.F., Rêgo, G.G., Matos, A. V. M., Wanderley, N.B. (2019). Perfil epidemiológico de óbitos por HIV/AIDS na região Nordeste do Brasil utilizando dados do sistema de informação de saúde do DATASUS. Brazilian Journal of Health Review, 2(40), 2965-2973. doi: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n4- 061.

Lui, L., Leal, A. F. (2018). Instituições participativas e seus efeitos nas políticas públicas: estudo do Comitê de Mortalidade por Aids de Porto Alegre. Saúde e Sociedade, 27(1), 94-105. doi: https://doi.org/10.1590/s0104-12902018170425.

Maranhão, T. A. (2018). Distribuição espacial e temporal dos casos e óbitos por aids no Piauí e sua relação com determinantes sociais da saúde. Dissertação de Doutorado. Universidade Estadual Do Ceará, Fortaleza.

Melo, G. C., Oliveira, E. C. A., Leal, I. B., Silva, C. P. M. F. S., Beltrão, R. A., Santos, A. D. S., Reis, R. K., Nunes, M. A. P., Araújo, K. C. G. M. (2020). Spatial and temporal analysis of the human immunodeficiency vírus in an área of social vulnerability in Northeast Brazil. Geospatial Health, 15(2), 210-216. doi: https://doi.org/10.4081/gh.2020.863

Melo, M. C. (2016). Incidência e mortalidade por AIDS em crianças e adolescentes: desafios na região sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 21(12), 3889-3898. doi: https://doi.org/10.1590/1413-812320152112.11262015.

Melo, M. C., Ferraz, R. O., Nascimento, J. L., Donalissio, M. R. (2016). Incidência e mortalidade por AIDS em crianças e adolescentes: desafios na região sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 21(12), 3889-3998. doi: https://doi.org/10.1590/1413- 812320152112.11262015.

Oliveira, R. S., Pimentel, K. B. A., Magalhães, F. J. S., Nascimento, G. C., Santos, L. L. L., Barros, L. A. A., Pinheiro, V. C. S. (2019). Ocorrência da coinfecção leishmaniose tegumentar americana/HIV no Estado do Maranhão. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 11(11), 1-8. doi: https://doi.org/10.25248/reas.e487.2019.

Paiva, S. S., Pedrosa, N. L., Galvão, M. T. G. (2019). Análise espacial da AIDS e os determinantes sociais de saúde. Revista Brasileira de Epidemiologia (Fortaleza, online), 22. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1980-549720190032.

Paula, A. A., Pires, D. F., Filho, P. A., Lemos, K. R. V., Veloso, V. G., Grinsztejn, B., Pacheco, A. G. (2020). Perfis de mortalidade em pessoas vivendo com HIV/aids: comparação entre o Rio de Janeiro e as demais unidades da federação entre 1999 e 2015. Revista brasileira de epidemiologia, 23. doi: https://doi.org/10.1590/1980- 549720200017.

Pereira, G. F. M., Shimizu, H. E., Bermudez, X. P., Hamann, E.M. (2018). Epidemiologia do HIV e aids no estado do Rio Grande do Sul, 1980-2015. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 27(4). doi: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742018000400004.

Portaria n° 1.271 (2014, 06 junho). Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território nacional, nos termos do anexo, e da outras providências. Diário Oficial da União, n° 108, Brasília-DF.

Programa Das Nações Unidas Para O Desenvolvimento. (2016) Desenvolvimento humano nas macrorregiões brasileiras, Brasília.

Rodrigues, L. C. B., Façanha, A.C. (2016). A dinâmica do setor de saúde em Teresina-PI: considerações sobre a produção do espaço urbano. Revista de geografia e interdisciplinaridade, 2(5), 221-237.

Santos, N. J. S. (2019). Mulher e negra: dupla vulnerabilidade às DST/HIV/aids. Saúde e Sociedade, 25(3), 602-618. doi: https://doi.org/10.1590/s0104-129020162627.

Silva, L. R., Araújo, E. T. T., Carvalho, M. L., Almeida, A. P. L., Oliveira, A. D. S., Carvalho, P. M. G., Rodrigues, T. S., Campelo, V. (2018). Epidemiological situation of acquired immunodeficiency syndrome (AIDS)-related mortality in a municipality in northeastern Brazil. A retrospective cross-sectional study. São Paulo Medical Journal, 136(1), 37-43. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1516-3180.2017.0130100917.

Sousa, L. R. M. S., Cruz, M. C. M. A., Caldeira, N. M. V. P., Gir, E. (2018). Terapia com antirretrovirais: grau de adesão e a percepção dos indivíduos com HIV/Aids. Acta Paulista de Enfermagem, 31 (3), 327-333. doi: https://doi.org/10.1590/1982-0194201800046.

Souza, A. C. S. V., D`Albuquerque, A. C. C., Araújo, R. A., De Oliveira, S. F., Carvalho, C. G. N. (2020). Características clínico-epidemiológicas da coinfecção por tuberculose e HIV no Estado do Piauí, Brasil. Research, Society and Development, 9(9). doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7415.

Souza, L. R. S. (2019). Mortalidade e incidência por HIV / Aids na população idosa brasileira entre os anos 1996 a 2015: uma análise dos efeitos idade, período e coorte. Dissertação de Doutorado. Universidade Estadual De Campinas, Campinas.

Published

09/06/2021

How to Cite

MOTA, . I. C. da S. .; OLIVEIRA, E. H. de . Mortality due to HIV-AIDS in the state of Piauí between 2008 to 2018. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e56310615070, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15070. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15070. Acesso em: 14 jun. 2021.

Issue

Section

Health Sciences