The perceptions of students and instructor in a graduate mathematical modeling class: An experience with remote education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15223

Keywords:

Active methodology; New technologies for teaching; Mathematical modeling; Graduate teaching.

Abstract

Difficulties with adequately teaching mathematics is a challenge not yet overcome by teachers. It is an important subject that directly involves educators and teachers, and indirectly society. New proposals for teaching mathematics have not been completely implemented and must be tested among the many levels of student life. One possibility for bringing teachers in accord with new teaching strategies is by pedagogical development, such as attending specific courses for teaching, to at least become aware of new methodologies and to learn how to apply them. The purpose of this work was to analyze the use of the Mathematical Modeling methodology in a course offered in a graduate Environmental Sciences curriculum using the active methodologies. The aim was to assess the development of cognitive abilities, favoring reflection and questioning into mathematical modeling, that occurred during remote teaching due to the pandemic. A structured questionnaire was given to students and the responses were used to interpretate their perception of the discipline/course and active methodology proposed. The problems cited by other authors, such as limited time and a culture engrained in traditional teaching, were observed by the present study, indicating the need in to introduce mathematical modeling and problem solving in the initial phases of teaching mathematics.

Author Biographies

Karolyne Cordeiro-de-Oliveira, Universidade Federal de Alfenas

Student of Master degree in Environment Sceinces

Samuel Vitor Assis Machado de Lima, Universidade Federal de Alfenas

Student of Master degree in Environmental Sciences

Wellington Felipe dos Santos, Universidade Federal de Alfenas

Student of Master degree in Environment Sciences

Carla Aparecida Costa, Universidade Federal de Alfenas

Student of Ph.D. degree in Environment Sciences

Evelyn Bastos Resende, Universidade Federal de Alfenas

Student of Master degree in Environment Sciences

Julia Soares de Moraes-Siqueira, Universidade Federal de Alfenas

Student of Master degree in Environment Sciences

Janaína Piza Ferreira, Universidade Federal de Alfenas

Student of Ph.D. degree in Environment Sciences

Juliana Mafra Salgado Andrade, Universidade Federal de Alfenas

Student of Ph.D. in Environment Sciences

References

Allevato, N. S. G. & Onuchic, L. R. (2009). Ensinando matemática na sala de aula através da resolução de problemas. Boletim Gepem, 55: 133-154. costalima.ufrrj.br/index.php/gepem/article/download/77/228#page=131

Almeida, L. W.; Silva, K. P. & Vertuan, R. E. (2012). Modelagem Matemática na educação básica. Contexto.

Almeida, L. M. W. & Silva, K. A. P. (2014). O significado em atividades de modelagem matemática: um olhar sobre pesquisas brasileiras. Revista Eletrônica de Educação Matemática, 9:124-145. https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/viewFile/1981-1322.2014v9nespp124/27397

Almeida, L. M. W.; Araújo, J. L. & Bisognin, E. (2015). Práticas de modelagem matemática: relatos de experiências e propostas pedagógicas. Eduael.

Alves, P. A. & Aversi-Ferreira, T. A. (2019). Comments on the problems solving methodology in education of civil engineering in Brazil. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 12: 134-53.

Barbosa, J. C.; Caldeira, A. D & Araújo, J. (2007). Modelagem matemática na educação matemática brasileira: pesquisas e práticas educacionais. Sbem.

Barros, R. & Sousa, C. (2015). Estratégias de resolução de problemas de matemática em estudantes do ensino superior. Ciências & Cognição, 20(1): 123-132. http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/download/1000/pdf_55

Massa, M. (2015). A formação didático pedagógica do docente da área de computação: um estudo de caso em uma Universidade Brasileira. In Anais do XXIII Workshop sobre Educação em Computação, (pp. 196-205). SBC. 10.5753/wei.2015.10236

Belhot, R. V. & Oliveira Neto, J. D. (2006). A soluçao de problemas no ensino de engenharia. In Anais do XIII Simpósio de Ensino de Engenharia de Produção, (pp. 1-9). Bauru: UNESP.

Belloni, M. L. (2008). Educação à distância. Autores Associados, 2008.

Biembengut, M. S. (2014). Mathematics modeling & problem solving, projects, and ethnomathematics: merging points. Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 7(2):197-219. https://hal.archives-ouvertes.fr/hal-01287247/document

Biembengut, M. S. & Hein, N. (2009). Modelagem matemática no ensino. Contexto.

Burak, D. & Kluber, T. E. (2008). Educação matemática: contribuições para a compreensão de sua natureza. Acta Scientiae, 10, 93-106.

Brasil. (1998). Secretaria de Educacao Fundamental. Parametros Curriculares Nacionais: Matematica. 3o e 4o ciclos. Brasilia, DF: MEC/SEF. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/matematica.pdf.

Caon, A. P. & Cardona, T. S. (2015). A resoluçao de problemas no ensino da matemática: análise da compreensão do conceito de MDC (Máximo Divisor Comum). In anais do VII Encontro Mineiro de Educação, (pp.1-5). UFU.

Carraher, T. N. (1986). Aprender pensando: contribuições da psicologia cognitiva. Vozes.

Chiréia, J. V. (2010). Trabalhando com a resolução de problemas na Educação Básica. Portal dia a dia educação. http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/74-4.pdf

Cintra, M. A. H. & Oliveira, V. F. (2001). Aprendizagem organizacional e educação em engenharia. In Anais do XXIX Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia, (pp. 1-7). ABENGE.

Clement, L. & Terrazzan, E. A. (2011). Atividades Didáticas de Resolução de Problemas e o Ensino de Conteúdos Procedimentais. Revista electrónica de investigación en educación en ciencias, 6(1): 87-101. https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/4460252.pdf

D’ Ambrósio, U. (2008). Educação matemática: da teoria à prática. Papirus.

D’ Ambrósio, U. (1998). Etnomatemática: arte ou técnica de explicar e conhecer. Ática.

Dante, L. R. (1998). Didática da resolução de problemas de matemática. Ática.

D’Avila, C. (2008). Formação docente na contemporaneidade: limites e desafios. Revista FAEEBA, 17(30): 33-41. https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/issue/view/227

Faccin, E. L. (2018). Modelagem matemática na dinâmica de MEMS baseados em deformação elástica utilizando modelos polinomiais contínuos, Novas Edições Acadêmicas.

Felder, M. & Silverman, L. K. (1998). Learning and teaching styles in engineering education. Engineering education, Oxfordshire, 78(7): 674-681. https://www.academia.edu/download/31039406/LS-1988.pdf

Fernandes, C. M. B. (1998). Formação do Professor Universitário: tarefa de quem? In Masetto, M. (Eds). Docência Universitária. (1998). Papirus.

Ferraz, H. (1983). A formação do engenheiro: um questionamento humanístico. Ática.

Ferreira, L. L.; Silva, L. B. & Nunes, C. B. (2015). O ensino da matemática através da resolução de problemas no curso de engenharia civil. In Anais do VII Encontro Mineiro de Educação Matemática, (pp. 1-5).: UFU.

Freitas, J. Q. P.; Goi, M. E. J. & Giullianni, O. F. (2015). Resolução de problemas no ensino da matemática: Uma Introdução à Geometria Fractal no Ensino Fundamental. Degree in Exact Sciences dissertation, UNIPAMPA.

Frizzarini, S. T. & Cargnin, C. (2016) Prática de ensino: modelagem matemática e resolução de problemas. UniCEsumar.

Garcia, C. M. (2013). Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto Editora.

Godoy, A. S. (1983). Professor universitário da área de agronomia: o problema na formação pedagógica. Master dissertation, University of São Paulo. Brazil.

Groenwald, C. L.; Silva, C. K. & Mora, C. D. (2004). Perspectivas em Educação Matemática/Perspectives in Mathematics Education. Acta Scientiae, 6(1): 37-56.

Lesh, R. & Zawojewski, J. S. (2007). Problem solving and modeling. In Lester, F. (Eds). Second handbook of research on mathematics teaching and learning, information age publishing (pp. 763-802). CT.

Lester, J. & Koehler Jr, W. C. (2003). Fundamentals of information studies: understanding information and its environment. New York, NY: Neal-Schuman Publishers.

Lima, S. S. & Alves Neto, F. R. (2015). Desafios na prática pedagógica do docente iniciante em instituições de ensino superior. Revista Saberes FAMETA, 2: 1-10. Retrieved from https://unimeta.edu.br/por-que-a-fameta/revista-saberes/edicao-2/

Lupinacci, M. L. V. & Botin, M. L. M. (2004). Resolução de problemas no ensino de matemática. In Anais do VIII Encontro Nacional de Educação Matemática, (pp. 1-5). Recife: UFPE.

Luria, A. R. (1937). The working brain: an introduction to neuropsychology. Basic Books.

Machado, L. J. (1987). Matemática e realidade: análise dos pressupostos filosóficos que fundamentam o ensino de matemática. Cortez.

Mansfield, D.F. & Wildberger, N. J. (2017). Plimpton 322 is babylonian exact sexagesimal trigonometry. Historia Mathematica, 44(4): 395-419. doi.org/10.1016/j.hm.2017.08.001

Massa, M. (2015). A formação didático pedagógica do docente da área de computação: um estudo de caso em uma Universidade Brasileira. In Anais do XXIII Workshop sobre Educação em Computação, (pp. 196-205). Porto Alegre: SBC. 10.5753/wei.2015.10236

Mendes, I. A. (2009). Matemática e investigação em sala de aula: tecendo redes cognitivas na aprendizagem. Livraria da Física.

Moraes, M. C. & Torres, S. (2004). Sentipensar: fundamentos e estratégias para reencantar a educação. Vozes.

Nosella, P. (2004). Trabalho e educação: do tripalium da escravatura ao labor da burguesia à poiésis socilista. In Gomez, C. M. (Eds). Trabalho e conhecimento: dilemas na educação do trabalhador (pp. 27-41). Cortez, 2004.

Onuchic, L. R. (2013). A resolução de problemas na educação matemática: onde estamos? E para onde iremos? Revista Espaço Pedagógico, 20(1): 88-104. http://seer.upf.br/index.php/rep/article/download/3509/2294/

Onuchic, L. R. & Morais, R. S. (2013). Resolução de problemas na formação inicial de professores de matemática. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, 15(3): 671-691. https://revistas.pucsp.br/emp/article/download/16951/pdf

Piaget, J. & Beth, E.W. (1980). Epistemologia matemática e psicologia. Crítica S.A.

Pimenta, S. & Anastasiou, L. (2010) Docência no ensino superior. Cortez.

Prediger, J.; Berwangner, L. & Mörs, M. F. (2009). Relação entre aluno e matemática: reflexões sobre o desinteresse dos estudantes pela aprendizagem desta disciplina. Revista Destaques Acadêmicos, 1(4). http://www.univates.com.br/revistas/index.php/destaques/article/viewFile/39/37

Ravagnani, J. A. D. C. & Marques, A. C. T. L. (2017). George Polya e ensino de matemática por meio da resolução de problemas nas diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores de matemática. Pós-Graduação em Revista, 1(2): 30-58. https://repositorio.unesp.br/bitstream/ handle/11449/102122/nunes_cb_dr_rcla.pdf?sequence=1

Rodrigues, A. & Magalhaes, S. C. (2012). A resolução de problemas nas aulas de matemática: diagnosticando a prática pedagógica. Secretaria da Educaçao do Estado do Paraná. http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/setembro2012/matematica_artigos/artigo_rodrigues_magalhaes.pdf

Rosa, M. & Orey, D. C. (2012). A modelagem como um ambiente de aprendizagem para a conversão do conhecimento matemático. Bolema: Boletim de Educação Matemática, 26(42a), 261-290. https://dx.doi.org/10.1590/S0103-636X2012000100012

Silva, L. A. (2012). Ensino-aprendizagem da matemática através da resolução de problemas no ensino fundamental II. Rios Eletrônica- Revista Científica da FASETE, 6(6): 49-55. https://www.unirios.edu.br/revistarios/internas/conteudo/?id=8

Smaniotto, C. L. D. & Gentil, V. K. (2014). O campo complexo da iniciaçao na docencia. In Anais do Congresso Internacional sobre Professorado Principiante e Inserção Profissional à Docencia. (pp. 134-153). Curitiba: UFPR.

Stanic, G. M. A. & Kilpatrick, J. (1989). Historical perspectives on problem solving in the mathematics curriculum. In: Charles, R. I. & Silver, E. A. The teaching and assessing of mathematical problem solving (pp. 1-22). Reston, VA: NCTM/Lawerance Erlbaum Associates.

Utsuimi, A. G. (2020). Utilização de metodologia ativa de aprendizagem na disciplina de Sistemas de Informações Geográficas. Research, Society and Development, 9(7), e904975014. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v97.5014

Vygotsky, L. S. (1991). A Formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Martins Fontes, 1991.

Downloads

Published

19/05/2021

How to Cite

AVERSI-FERREIRA, T. A. .; CORDEIRO-DE-OLIVEIRA, K. .; LIMA, S. V. A. M. de .; SANTOS, W. F. dos .; COSTA, C. A. .; RESENDE, E. B. .; MORAES-SIQUEIRA, J. S. de .; FERREIRA, J. P. .; ANDRADE, J. M. S. . The perceptions of students and instructor in a graduate mathematical modeling class: An experience with remote education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e2310615223, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15223. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15223. Acesso em: 15 jun. 2021.

Issue

Section

Education Sciences