Emotional repercussions in mothers of children with microcephaly due to Zika Virus

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15444

Keywords:

Zika virus infection; Mothers; Microcephaly; Family relationships; Mental health.

Abstract

Objective: this study aims to report and analyze how mothers experience, from the diagnosis of microcephaly, of the child, as a result of Zika Virus infection. Materials and methods: this research is a descriptive study, with a qualitative approach, carried out with two mothers of children with microcephaly, living in a municipality located in the Midwest region, in Mato Grosso, in Brazil. The accounts were carried out in 2018 and analyzed through content analysis, in the thematic modality. Results: as mothers, who experience the experience of having a child with microcephaly, they reacted to the diagnosis with surprise and despair and to grief with anguish and pain. In addition, as parents of little knowledge about the disease and prognosis. This investigation evidences the change in the family dynamics, facing the disease, and the difficulties in the interaction of the family with the basic health sector. Conclusion: the records indicate that there is an urgent need for permanent and comprehensive care for mothers, so that health care is extended, not only to children, but also to the family unit.

References

Azevedo, T. L., Cia, F., & Spinazola, C. C. (2019). Correlação entre o relacionamento conjugal, rotina familiar, suporte social, necessidades e qualidade de vida de pais e mães de crianças com deficiência. Revista Brasileira de Educação Especial, 25(2), 205-218. doi: 10.1590/s1413-65382519000200002

Barros, S. M. M. D., Monteiro, P. A. L., Neves, M. B., & Maciel, G. T. D. S. (2017). Fortalecendo a rede de apoio de mães no contexto da síndrome congênita do vírus zika: relatos de uma intervenção psicossocial e sistêmica. Nova Perspectiva Sistêmica, 26(58), 38-59. Recuperado de: https://revistanps.com.br/nps/article/view/296

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. (2019). Síndrome congênita associada à infecção pelo vírus Zika: situação epidemiológica, ações desenvolvidas e desafios, 2015 a 2019. Boletim Epidemiologico, 50 (n.esp.), 1-31. Recuperado de: http://www. saude.gov.br/boletins-epidemiologicos

Bulhões, C. D. S. G., Silva, J. B., Moraes, M. N. D., Reichert, A. P. D. S., Dias, M. D., & Almeida, A. M. (2020). Repercussões psíquicas em mães de crianças com Síndrome Congênita do Zika Vírus. Escola Anna Nery, 24(2), e20190230. doi: 10.1590/2177-9465-EAN-2019-0230

Buscaglia, L. F. (2010). Os deficientes e seus pais: um desafio ao aconselhamento, 6ª Edição. Rio de Janeiro: Record.

Costa, E. D. S., Bonfim, E. G., Magalhães, R. D. L. B., & Viana, L. M. M. (2018). Vivências de mães de filhos com microcefalia. Revista Rene, 19(e3453), 1-8. doi:10.15253/2175-6783.2018193453

Crisostomo, K. N., Grossi, F. R. S., & Souza, R. S. (2019). As representações sociais da maternidade para mães de filhos/as com deficiência. Revista Psicologia e Saúde, 11(3), 79-96. doi: 10.20435/pssa.v0i0.608

Fantinato, F. F. S. T., Araújo, E. L. L., Ribeiro, I. G., Andrade, M. R., Dantas, A. L. M., Rios, J. M. T., Silva, O. M. V., Silva, M. S., Nóbrega, R. V., Batista, D. A., Leite, P. L., Saad, E., Percio, J., Resende, E. A., Souza, P. B., & Wada, M. Y. (2016). Descrição dos primeiros casos de febre pelo vírus Zika investigados em municípios da região Nordeste do Brasil, 2015. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 25(4), 683-690. doi: 10.5123/S1679-49742016000400002

Felix, V. P. S. R., & Farias, A. M. (2017). Microcefalia e dinâmica familiar: a percepção do pai frente à deficiência do filho. Cadernos de Saúde Pública, 34(12), e00220316. doi: 10.1590/0102-311X00220316

Hamad, G. B. N. Z., & Souza, K. V. (2020). Síndrome congênita do Zika vírus: conhecimento e forma da comunicação do diagnóstico. Texto & Contexto Enfermagem, 29, e20180517. doi: 10.1590/1980-265X-TCE-2018-0517

Lesser, J., & Kitron, U. (2016). A geografia social do zika no Brasil. Estudos Avançados, 30(88), 167-175. doi: 10.1590/S0103-40142016.30880012

Lopes, B. G., Martins, A. R., Carletto, M. R., & Borges, P. K. O. (2019). A dor de perder um filho no período perinatal: uma revisão integrativa da literatura sobre o luto materno. Revista Stricto Sensu, 4(2), 29-40. doi: 10.24222/2525-3395.2019v4n2p029

Melo, C. T. V., & Vaz, P. R. G. (2019). Perda gestacional e neonatal, um sofrimento como outro qualquer. Revista Matrizes, 13(2), 91-112. doi: 10.11606/issn.1982-8160.v13i2p91-112

Melo, D. G. S., Silva, H. F., Moura, I. T. T., & Barbosa, S. S. (2017). Aceitação paterna diante o diagnóstico de microcefalia. Psicologia pt - O Portal dos Psicólogos, 1-14. Recuperado de: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1109.pdf

Menezes, M. G. V., Mendes Neto, J. M., Leal, C. N. L., Vasconcelos, A. P. L., Aragão, H. T., Silva, N. V., & Luz, L. K. T. (2019). Dificuldades E Estratégias Da Família No Cuidado Da Criança Portadora De Microcefalia. Revista Enfermagem Atual in Derme, 88(26), 1-7. Recuperado de: http://revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/158

Minayo, M. C. S. (2012). Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde

Coletiva, 17(3), 621-626. Recuperado de: https://www.scielo.br/pdf/csc/v17n3/v17n3a07.pdf

Nascimento IP, Gomes RM, Vieira SNS, Guedes TP, Santana GJ., & Silva, F. N. (2019). Vírus zika e microcefalia: a mãe frente o diagnóstico do filho. Revista Interscientia, 7(1), 54-65. Recuperado de: https://periodicos.unipe.edu.br/index.php/interscientia/article/view/918

Oliveira, É. B. C., Pereira, R. C. M., Apis, A., Germano, C. M. R., Pilotto, R. F., & Melo, D. G. (2019). Qualidade de vida de famílias de filhos com deficiência intelectual moderada. Journal Brasileiro de Psiquiatria, 68(2), 101-109. doi:10.1590/0047-2085000000233

Oliveira, M. C., & Sá, S. M. (2017). A experiência parental após o diagnóstico da microcefalia por zika vírus: um estudo de caso. Revista Pesquisa em Fisioterapia, 7(4), 511-517. doi: 10.17267/2238-2704rpf.v7i4.1602.

Oliveira, M. C., Moreira, R. D. C. R., Lima, M. M., & Melo, R. O. (2018). Vivências de mães que tiveram filhos com microcefalia. Revista Baiana de Enfermagem, 32, e26350. doi:10.18471/rbe.v32.26350

Oliveira, P. S. D., Lamy, Z. C., Guimarães, C. N. M., Rodrigues, C. B., Silva, A. A. M. D., Simões, V. M. F., & Sousa, P. S. (2019). Experiências de pais de crianças nascidas com microcefalia, no contexto da epidemia de Zika, a partir da comunicação do diagnóstico. Cadernos de Saúde Pública, 35(12), e00226618. doi: 10.1590/0102-311X00226618

Pedrosa, R. K. B., Guedes, A. T. A., Soares, A. R., Vaz, E. M. C., Collet, N., & Reichert, A. P. S. (2020). Itinerário da criança com microcefalia na rede de atenção à saúde. Escola Anna Nery, 24(3), e20190263. doi: 10.1590/2177-9465-EAN-2019-0263.

Pimenta, M., Pereira, S., Clode, N., & Graça LM. (2016). Vírus Zika e gravidez. Acta obstétrica ginecológica Portuguesa, 10(2), 92-94. Recuperado de: http://www.scielo.mec.pt/pdf/aogp/v10n2/v10n2a02.pdf

Sá, F. E., Andrade, M. M. G., Nogueira, E. M. C., Lopes, J. S. M., Silva, A. P. É. P., & Assis, A. M. V. (2017). Produção de sentidos parentais no cuidado de crianças com microcefalia por vírus Zika. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 30(4), 1-10. doi: 10.5020/18061230.2017.6629

Sá, S. A. A. G. D., Galindo, C. C., Dantas, R. S., & Moura, J. C. D. (2020). Dinâmica familiar de criança com a síndrome congênita do Zika vírus no Município de Petrolina, Pernambuco, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 36(2), e00246518. doi: 10.1590/0102-311X00246518

Sá, S. M. P., & Rabinovich, E. P. (2006). Compreendendo a família da criança com deficiência física. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 16(1), 68-84. Recuperado de: https://www.revistas.usp.br/jhgd/article/view/19782/21850

Santos, D. B. C., Prado, L. O. D. M., Silva, R. S., Silva, E. F., Cardoso, L. C. C., & Oliveira, C. C. C. (2019). Sensibilização das mães de crianças com microcefalia na promoção da saúde de seus filhos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 53, e03491. doi: 1590/S1980-220X2018022903491

Santos, D. B. C., Silva, E. F., Lima, S. O., Reis, F. P., & Oliveira, C. C. C. (2019). Rede de atenção à saúde: percepção materna quanto à qualidade de atendimento de crianças com microcefalia. Esc Anna Nery, 23(4), e20180335. doi: 10.1590/2177-9465-EAN-2018-0335

Santos, D. S. S., Mercês, M. O., Souza, R. L., & Santana, A. L. (2018). Cuidados a criança com síndrome congênita do zika: Revisão sistemática. Revista Brasileira de Saúde Funcional, 6(1), 81-92. Recuperado de: http://www.seer-adventista.com.br/ojs/index.php/RBSF/article/view/1015/788

Vale, P. R. L. F., Alves, D. V., Amorim, R. C., & Carvalho, E. S. S. (2020). A rosácea do cuidado às crianças com síndrome congênita por zika: atitudes cuidativas dos familiares. Escola Anna Nery, 24(3), e20190268. doi: 10.1590/2177-9465-EAN-2019-0268

Published

27/05/2021

How to Cite

MARTINS, F. R.; FRANCO, S. E. de J.; SANTOS, A. C. C. dos; GUIMARÃES, A. L.; OLIVEIRA, P. R. de. Emotional repercussions in mothers of children with microcephaly due to Zika Virus. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e18410615444, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15444. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15444. Acesso em: 18 jun. 2021.

Issue

Section

Health Sciences