Competences in focus: Rural Extensionist, a multifunctionality profession

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15503

Keywords:

Competence; Multidisciplinary; Rural extension.

Abstract

The literature presents countless works that talk about diverse attributions and possible training of rural extension agents. The present work sought to clarify the demands of the current attributions listed in the extensionists, and to answer what are the current updates postulated to the professionals of Rural Extension. The methodological option chosen was a bibliographic narrative review that involves the theme and dialogues with a pointed problem, analyzing theses, dissertations and scientific articles. All material was read, categorized and critically analyzed. This document helps to explain the historical trajectory of Rural Extension and its conclusions on the behavior of extension agents and sought to understand how institutionalized demands in the exercise of their functions. As a result, was possible have a perception that multifunctionality is a characteristic inherent to the profession of extensionists. As an agent for the implementation of public politics, the theory that defines street-level bureaucrats glimpses the importance of the rural agent executing government programs. Even though Rural Extension professionals were guided only by regulations, the reality of the field in such a diverse and dynamic Brazil, does not allow demanding such multifunctionality from this professional, fact that requires the formation of multidisciplinary teams, since the contribution of an extension agent it can be complemented by the training of other. Regarding the new conditions in face of the global health crisis, a remote ATER gives rise to a new portfolio of skills, and it is necessary that future studies also address evaluations on these competencies.

References

Associação Brasileira de Agroecologia – ABA. (2013). Moção de repúdio ao processo de criação e concepção da ANATER. III Encontro Internacional de Agroecologia. Recuperado de: http://www.eiabotucatu2013.blogspot.com.br/p/mocao-de-repudioao-processo-de.html.

Axinn, G. (1988). Guide on Alternative Extension Approaches. Rome: FAO.

Bresser-Pereira, L. C. (2003). Desenvolvimento e crise no Brasil: história, economia e política de Getúlio Vargas a Lula. São Paulo: Editora 34.

Caporal, F. R..(2011). Lei de Ater: exclusão da Agroecologia e outras armadilhas. Cadernos de Agroecologia, v.6, nº 2, dez/2011.

Caporal, F. R. (2006). Política Nacional de Ater: primeiros passos de sua implementação e alguns obstáculos e desafios a serem enfrentados. In: Tavares, J.R.; Ramos, L. (Org.). Assistência técnica e extensão rural: construindo o conhecimento agroecológico. Manaus: Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Amazonas – IDAM, p.9-34.

Carnwell, R. & Daly, W. (2001). Strategies for the construction of a critical review of the literature. Nurse Educ Pract 1: 57–63. Recuperado de: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1471595301900083?via%3Dihub.

Domit, L. A., Lima, D.; Adegas, F.S.; Dalbosco, M.; Gomes, C.; Oliveira, A.B. & Campanini, S. M. S. (2007). Manual de implantação do treino e visita (T&V). Ed. Embrapa. Londrina. 86 p.

Fleury, M. T. L. & Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Revista De Administração Contemporânea, 5(spe), 183-196. Recuperado de: https://doi.org/10.1590/S1415-65552001000500010.

Fonseca, M. T. L. (1985). Extensão Rural: uma educação para o capital. Edições Loyola, São Paulo.

Franco, M. H. M., Romarco, M. L., Borges, T. L., & Gomes, M. C. (2019). O discurso institucional das entidades públicas de ATER. DRd - Desenvolvimento Regional Em Debate, 9, 263-283.

Freire, P. (1983) Extensão ou Comunicação. Rio de Janeiro: Paz e terra.

Gonçalves, L. C.; Ramirez, M. A.& Santos, D. dos. (2016) Extensão Rural e conexões. Belo Horizonte: FEPMVZ. 164 p.

Jornal Folha de São Paulo. (1986). 77 MILHÕES passam fome - Sarney recebe do sociólogo Hélio Jaguaribe um plano para combater a miséria no país. São Paulo, publicado em 9 de abril de 1986. Acervo online. Recuperado de: http://almanaque.folha.uol.com.br/brasil_09abr1986.htm#:~:tex t=São%20trezentas%20páginas%20datilografadas%2C%20onde,segundo%20o%20relatório%20%20é%20prioritária.&text=Pelo%20Censo%20de%201980%2C%20a,conforme%20levant amentos%20efetuados%20pelo%20IBGE.

Kreutz, I. J.; Pinheiro, L. G. & Cazella, S. A. A. (2005). A construção de novas atribuições para a assistência técnica e Extensão Rural: a mediação com reconhecimento da identidade. Revista Extensão Rural, DEAER/CPGExR – UFSM, Ano XII, Jan – Dez de 2005.

Lazzari, F. M. & Souza, A. S. (2017). Revolução Verde: Impactos sobre os conhecimentos tradicionais. 4º Congresso Internacional de Direito e Contemporaneidade. Santa Maria – RS.

Lei nº 11.326, de 24 de julho de 2006.(2006). Lei da Agricultura Familiar. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. Portal da Câmara dos Deputados. Recuperado de: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2006/lei-11326-24-julho-2006-544830-norma-pl.html

Lei nº 12.188, de 11 de janeiro de 2010. (2010). Institui a política nacional de assistência técnica e Extensão Rural para a agricultura familiar e reforma agrária - PNATER e o programa nacional de assistência técnica e Extensão Rural na agricultura familiar e na reforma agrária - PRONATER, altera a Lei no 8.666, de 21 de junho de 1993, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 11 jan. 2010a. Recuperado de: http:// www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12188.htm.

Lei nº 12.897, de 18 de dezembro de 2013. (2013). Autoriza o Poder Executivo Federal a instituir serviço social autônomo denominado Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural - ANATER e dá outras providências. Portal da Câmara dos Deputados. Recuperado de: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2013/lei-12897-18-dezembro-2013-777703-norma-pl.html

Lima, T. L. B., & Oliveira, M. L. R. de. (2020). Implementação do Mercado Institucional do Programa Nacional de Alimentação Escolar em Patos de Minas-MG. Desenvolvimento Em Questão, 18(52), 159–177.

Lipsky, M. (2019). Burocracia de nível de rua: dilemas do indivíduo nos serviços públicos. Brasília: Editora ENAP-Escola Nacional de Administração Pública.

Lusa, M. G. (2013). Política nacional de assistência técnica e Extensão Rural e serviço social: o campo como desafio. Cadernos Ceru v.24, nº 1, 06-2013.

Maniglia, E. (2009). As interfaces do direito agrário e dos direitos humanos e a segurança alimentar. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica. 277 p.

Medida Provisória nº 870 de 2019. (2019). Estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos Ministérios, definindo suas competências e sua estrutura básica. Recuperado de: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2190288.

Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA (2012). 1ª Conferência Nacional sobre Assistência Técnica e Extensão Rural: Ater para a agricultura familiar e reforma agrária e o desenvolvimento sustentável do Brasil rural. Documento-base, Versão Nacional. Recuperado de: http://www.mda.gov.br/sitemda/sites/sitemda/files/user_img_1068/Documento%20Base%201%C2%AA%20CNATER%2020Vers%C3%A3o%20Nacional.pdf.

Peixoto, M. (2008). Extensão Rural no Brasil – uma abordagem histórica da legislação. Textos para discussão 48. Consultoria Legislativa do Senado Federal – Coordenação de Estudos. Brasília.

Olinger, G. (2020). Aspectos históricos da Extensão Rural no Brasil e em Santa Catarina. Florianópolis, SC: Epagri, 2020. 84p. (Epagri Documentos, 306).

Ramos, C. L. F. & Caporal, F. R. (2011). Contribuição da Educação a Distância para a formação de Extensionista Rural Agroecológico. Resumos do VII Congresso Brasileiro de Agroecologia – Fortaleza.

Rocha Junior, C. J. G. & Cabral, R. M. (2016). O processo de transição de empreendimentos rurais tradicionais para as agroindústrias associativas no estado de Pernambuco: desafios para construir competências empreendedoras. Gestão & Regionalidade (Online), v. 32, p. 68/94-83, 2016. Recuperado de: https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_gestao/ar ticle/view/3156.

Rother, E. T. (2007). Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v.20, n.2, p.v-vi, Junho 2007. Recuperado de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002007000200001&lng= en&nrm=iso.

Sabato, J. & Mackenzie, M.(1981). Tecnologia e Estrutura Produtiva. São Paulo, IPT Publicações, (10), 1981.

Silva, P. L. B. & Melo, M. A. B. de.(2000). O processo de implementação de políticas públicas no Brasil: características e determinantes da avaliação de programas e projetos. Caderno NEPP/UNICAMP, Campinas, n. 48, p. 1-16. Recuperado de: https://governancaegestao.files. wordpress.com/2008/05/teresa-aula_22.pdf

Simões, A. (2004). Ensaio acerca da construção de novas competências para assistência técnica e Extensão Rural (ATER): do agente ao mediador de desenvolvimento. In: Encontro da Sociedade Brasileira de Sistemas de Produção, n.4, Aracaju.

Stavenhagen, R. (1985). Etnodesenvolvimento: Uma Dimensão Ignorada no Pensamento Desenvolvimentisto. Anuário Antropológico. N.84. p. 11-44.

Sulaiman V, R. & Davis, K. (2012). El “Nuevo Extensionista”: Roles, Estrategias y Capacidades para Fortalecer los Servicios de Extensión y Asesoría. Global Forum for Rural Advisory Services - GFRAS, Lindau, Suiça.

Wanderley, M. N. B. (2009). O mundo rural como um espaço de vida: reflexões sobre a propriedade da terra, agricultura familiar e ruralidade. Série Estudos Rurais. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Porto Alegre:.

Zarnott, A. V.; Dalbianco, V. P.; Neümann, P. S. & Verardi, M. A. F. (2015). Avanços e retrocessos nas políticas de Extensão Rural: análise crítica sobre a ANATER. In: 53º Congresso Brasileiro da SOBER – Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. João Pessoa.

Published

08/06/2021

How to Cite

SILVA, N. A. F. da; SILVA, N. T. C. da; OLIVEIRA, M. L. R. de. Competences in focus: Rural Extensionist, a multifunctionality profession . Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e51110615503, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15503. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15503. Acesso em: 20 jun. 2021.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences