Nursing care for pregnant women diagnosed with HIV during prenatal care: An integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15504

Keywords:

Pregnant HIV; Nursing; Prenatal care.

Abstract

The objective of this study was to find out how nursing care is provided to pregnant women diagnosed with HIV during prenatal care and identify the nursing actions developed for pregnant women diagnosed with HIV during prenatal care and their contributions. This is an integrative literature review study, with a quantitative approach, with a search conducted between February and March 2021 in the databases of the Scientific Electronic Library Online, Latin American and Caribbean Literature on Health Sciences, Nursing Database and Medical Literature Analysis and Retrieval System Online using the Descriptors in Health Sciences: HIV Pregnant Woman, Nursing Care and Prenatal Care, through the PICo acronym. At first, 535 studies were retrieved, however, after applying the inclusion criteria (original research that answered the research question and published in Portuguese, English and Spanish) and exclusion (duplicate studies, theses, dissertations, monographs, manuals, editorials, review studies), 21 studies were retrieved. The importance of beginning the assistance during planning and not only during prenatal care is perceived, this being an opportune moment to investigate the couple's clinical history, possible situations of risk and vulnerability in order to plan a safe pregnancy for mother and fetus. Furthermore, it is observed that the integral, holistic and humanized assistance to pregnant women diagnosed with HIV during prenatal care has contributed to the reduction of vertical transmission of the disease.

References

Almeida, M. F. G., Borges, M. M. & Oliveira, C. M. (2020). Percepções sobre adesão ao tratamento e variáveis psicológicas de gestantes soropositivas para o HIV/AIDS. Refacs, 2-5.

Bellotto, P. C. B., Lopez, L. C; Piccinini, C. A. & Gonçalves, T. R. (2019). Entre a mulher e a salvação do bebê: experiências de parto de mulheres com hiv. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 23, 2-3.

Brasil. (2019) Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2019/relatorio- de-monitoramento-clinico-do-hiv-2019.

Brasil. (2018). Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV em Adultos e Crianças. Ministério da Saúde, 4 (50), 1-20. http://www.aids.gov.br/pt-br/node/57787.

Brasil. (2020). HIV/Aids, Secretaria de vigilância em saúde | ministério da saúde. Boletim Epidemiológico Especial, 9-11. http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2019/boletim-epidemiologico-de-hivaids-2019.

Brasil. (2019). Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para prevenção da transmissão vertical de hiv, sífilis e hepatites virais. Ministério da Saúde,2(1), 31-34. http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2015/protocolo-clinico-e-diretrizes-terapeuticas-para- prevencao-da-transmissao-vertical-de-hiv.

Brasil.(2017). Testes iniciais na gestação reduzem para menos de 1% risco de transmissão do HIV para o bebê: Ministério da saúde. Gov.Br: Presidencia da República- Secretária Geral. https://www.gov.br/secretariageral/pt- br/noticias/2017/dezembro/testes-iniciais-na-gestacao-reduzem-para-menos-de-1-risco-de- transmissao-do-hiv-para-o-bebe.

Carvalho, C. F. S., et al. (2012). Perfil sociodemográfico e de saúde de mulheres soropositivas em um pré-natal de alto risco. Cogitare Enfermagem, 292, (19),1-7.

Coelho, D. F., et al. (2002). Cuidado a mulher soroposit iva no ciclo gra vido-puerperal: percepcoes de enfermelras. Revista de Brasileira Enfermagem, 55 (1), 92-100.

Fernandes, P. K. R. S.,et al.(2017). Revelação diagnóstica para o HIV no pré-natal: dificuldades e estratégias de enfrentamento das mulheres hiv diagnostic disclosure in prenatal care. Revista Enfermagem Uerj, 25,3-4.

Ferreira, J., Antônio, R., et al. (2017). O enfermeiro no pré-natal de alto risco: papel profissional. Revista Baiana de Saúde Pública, 41 (3), 652-653.

Figueiredo, J., Adilson, M.,et al. (2019). Perfil epidemiológico de gestantes/puérperas soropositivas para o HIV em uma maternidade de referência em Belém- PA. Revista Eletrônica Acervo Saúde / Electronic Journal Collection Health, 11 (1294),2-3.

Friedrich, L.,et al.(2016). Transmissão vertical do HIV: uma revisão sobre o tema Vertical transmission of HIV: a review. Boletim Cientifico de Pediatria, Rio Grande do Sul, 5(3), 1- 6.

Jasso, P. Y. P., et al. (2012). Evaluación de un medio comunicacional sobre una prueba para detectar seropositividad al vih en gestantes. Hacia La Promoción de La Salud, 18(1), 57-68.

Knauth, D. R., et al. (2002). Cultura médica e decisões reprodutivas entre mulheres infectadas pelo vírus da Aids. Interface-Comunicação,Saúde,Educação, 6,(11),39-54.

Langendorf, T. F., et al. (2016). Profilaxia da transmissão vertical do HIV: cuidado e adesão desvelados por casais. Revista Brasileira de Enfermagem-Reben, 2(69), 276- 277.

Macedo, B. A. F., et al. (2017). Avaliação das ações de prevenção da transmissão vertical do HIV e sífilis em maternidades públicas de quatro municípios do Nordeste brasileiro. Cad. Saúde Pública, 35 (2), 181- 189.

Maia, M. M. M., et al. (2015). Prevalência de infecções congênitas e perinatais em gestantes HIV positivas da região metropolitana de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 9(37), 421-427.

Medeiros, D. S., & Joge, M. S. (2018). A invenção da vida na gestação: viver com HIV/aids e aprodução do cuidado. Revista Latina Americana: Sexualidad, Salud y Sociedad, 1 (30), 242-261.

Moimaz, S. A. S., et al. (2018). Estudo quanti-qualitativo sobre amamentação exclusiva por gestantes de alto risco. Ciência & Saúde Coletiva, 9(25), 3658- 3668.

Nascimento, C. S., et al. (2013). Desejo de maternidade frente ao diagnóstico de síndrome da imunodeficiência adquirida. Revista Baiana de Enfermagem, 27(3), 239-249.

Nemer, C. R. B. et al. (2019). Hiv e teste rápido: representações sociais de gestantes. Revista de Enfermagem UFPE On Line, 5 (239280), 2-3.

Nunes, J. T. et al. (2016). Qualidade da assistência pré-natal no Brasil: revisão de artigos publicados de 2005 a 2015. Cad. Saúde Coletiva: Qualidade da assistência pré-natal no Brasil, 1 (3), 253-256.

Paris, G. F., et al. Qualidade da assistência pré-natal nos serviços públicos e privados. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 10(35), 447- 452.

Rahim, S. H. et al. (2017). Gestantes e puérperas soropositivas para o hiv e suas interfaces de cuidado hiv-positive pregnant and puerperal women and their interfaces of care gestantes y puérperas seropositivas para el vih y sus interfaces de cuidado. Revista de Enfermagem: UFPE, 11(10), 4059-4060.

Ribeiro, A. C. O. et al. (2017). Assistência de enfermagem a mãe e bebê portadores de hiv/aids. Cie-Congresso Internacional de Enfermagem: Desafios contemporâneos para sustentabilidade e equidade em saúde, 1 (1), 3-4.

Santos, S. M. et al.(2017). Transmissão vertical do hiv: dificuldade na adesão ao pré-natal transmission of hiv: difficulty in prenatal to membership. Revista Enfermagem Contemporânea, 1 (1), 56-61.

Sehnem, G. D. et al. (2019). Violência contra as mulheres: atuação da enfermeira na atenção primária à saúde. Revfsm: Revista de Enfermagem da UFSM, 9 (62), 3-4.

Souza, F. L. P. et al. (2019). Sentimentos e significados: hiv na impossibilidade de amamentar feelings and meanings: hiv in the impossibility of breastfeeding. Revista de Enfermagem UFPE On Line. 1(20), 2-5.

Spindola, T., et al. (2015). Maternity perception by pregnant women living with HIV. Investigación y Educación En Enfermería, 3(33), 440- 448.

Tejada, R., et al. (2012). Asociación entre el estado de infección por vih y complicaciones infecciosas poscesárea electiva. Rev Peru Med Exp Salud Publica, 29(4), 444-451.

World, H. O. (2017). HIV/AIDS. https://www.who.int/news-room/q-a-detail/hiv-aids.

Published

18/05/2021

How to Cite

FORTES, J. M. da S. .; SILVA , B. A. da; ARAÚJO, R. V. . Nursing care for pregnant women diagnosed with HIV during prenatal care: An integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e0710615504, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15504. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15504. Acesso em: 24 jun. 2021.

Issue

Section

Review Article