Influence of the BR-020 duplication on the number of traffic accidents between Planaltina/DF and Formosa/GO

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15636

Keywords:

Traffic-accidents; BR-020; Speed control; Highway duplication; Road transport.

Abstract

The federal radial highways are all that originate in Brasília/DF and head to the ends of the country. An example of this type of highway is the BR-020, which departs from Brasília/DF and ends in Fortaleza/CE, with an extension of 2,038 km. In December 2009, the duplication of BR-020 on the stretch that connects Planaltina/DF to Formosa/GO (Km 24 to Km 58) was completed. The safety of the track, while simple, was of great concern due to the number of frontal and rear collisions between vehicles. Thus, this research aims to compare the number and types of accidents on that highway before and after the duplication of the road. For this, data obtained through the National Department of Transport Infrastructure (DNIT) and the Federal Highway Police Department (DPRF) were analyzed. After the duplication, there was a reduction in these type of accidents, however, others appeared, such as lane departure and rollover. The type of accident has been modified, but the statistics have increased substantially. It was possible to conclude that the causes of the increase in the number of accidents are related to the high speed of traffic by drivers and the number of sequential curves on the route.

Author Biographies

André Augusto Nóbrega Dantas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2012), mestrado em Engenharia Civil - Geotecnia também pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2015) e doutorado em Geotecnia pela Universidade de Brasília. É professor efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Geologia de Engenharia, Geotecnia Ambiental, Geotecnia Aplicada à Mineração e Pavimentação, atuando principalmente nas seguintes áreas: barragens de rejeito, estabilidade, ensaios de laboratório, caracterização geotécnica e tecnológica de solos, resíduos industriais e de mineração, reciclagem e reaproveitamento de resíduos e gestão de pavimentos.

Yuri Sotero Bomfim Fraga, Universidade de Brasília

Doutorando e mestre (2019) em Estruturas e Construção Civil pela Universidade de Brasília - UnB. Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Candido Mendes - UCAM (2018), pós-graduando em Especialização em Engenharia de Estruturas de Concreto Armado pela Faculdade Única de Ipatinga - FUNIP, graduado em Engenharia Civil pela Universidade Tiradentes - UNIT (2016) e em Inglês pelo Fisk (2012). Possui experiência na construção, orçamento e planejamento de conjuntos habitacionais populares, edificações verticais de alto padrão e Obras de Arte Especiais - OAEs, além de atuação como docente nas disciplinas Geometria Construtiva, Projeto Arquitetônico, Hidráulica, Hidrologia Geral, Instalações Elétricas, Instalações Hidráulicas, Prevenção e Combate de Incêndio e SPDA e Materiais de Construção I e II. Em 2019 atuou como professor substituto do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da UnB na área de sistemas construtivos e materiais de construção e atualmente desenvolve projetos de engenharia (arquitetônico, elétrico, hidrossanitário e combate a incêndio) com auxílio dos softwares Revit, QiElétrico e QiHidrossanitário. Os principais temas de pesquisa são: materiais cimentícios suplementares, nanomateriais, concreto de alto desempenho, microestrutura do concreto e tecnologia BIM.

Felipe Barbosa Cobalchini Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Graduando em Engenharia Civil no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG).

Geovanna Santos Pignata, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Graduanda em Engenharia Civil no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG)

References

Abreu, V. (2019). Radares de BR2 em Goiás estão sem previsão de voltar a operar. Disponível em: https://www.opopular.com.br/noticias/cidades/radares-de-brs-em-goi%C3%A1s-est%C3%A3o-sem-previs%C3%A3o-de-voltar-a-operar-1.1751182.

Borba, O. D. F., Milagres, G. F. & Barreira, C. C. M. A. (2012). Anápolis/GO e suas interfaces com a região urbana do eixo Goiânia/GO-Brasília/DF. Observatório Geográfico América Latina. Disponível em: http://www.observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal14/Geografiasocioeconomica/Geografiaurbana/060.pdf

Bozoky, M. J., Oliveira, A. A. P., Deliberador, L. R., Formigoni, A. & Jacubavicius, C. (2014). Análise do modal ferroviário no transporte de soja do centro oeste aos portos. INOVAE – Journal of Engineering, Architecture and Technology Innovation, 2(1), 50-61.

Confederação Nacional de Transportes. (2016). Pesquisa CNT de rodovias 2016: Relatório Gerencial. 20 ed. Brasília: CNT: SEST SENAT.

Confederação Nacional dos Municípios. (2015). Estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre mortes por acidentes de trânsito em 128 países é base para década de ações para segurança. Disponível em: https://www.cnm.org.br/comunicacao/noticias/estudo-da-oms-sobre-mortes-por-acidentes-de-transito-e-base-para-a-decada-de-acoes-para-a-seguranca-no-transito.

Correio Braziliense. (2009). Trecho duplicado na BR-020 é liberado aos motoristas. Disponível e: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2009/12/21/interna_cidadesdf,162298/trecho-duplicado-na-br-020-e-liberado-aos-motoristas.shtml

Deimling, M. F., Parizotto, D., Pauleck, E. C. & Santos, T. A. (2016). Análise da Influência da Logística de Transportes Rodoviários no Custo Brasil. Revista de Admnistração do Unifatea – FAF, 13(13), 166-188.

Departamento de Polícia Rodoviária Federal. (2006). Condições das obras nas rodovias federais: plano emergencial de trafegabilidade nas rodovias federais – PETRF. Disponível em: https://www1.dnit.gov.br/imprensa/relatorio_petrf.pdf

Departamento de Polícia Rodoviária Federal. (2020). Dados abertos – acidades. Disponível em: https://portal.prf.gov.br/dados-abertos-acidentes.

Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. (2019). Estatísticas de acidentes. Disponível em: http://www.dnit.gov.br/rodovias/operacoes-rodoviarias/estatisticas-de-acidente.

Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. (2020). Planilhas 2011-Atual. Disponível em: http://servicos.dnit.gov.br/dnitcloud/index.php/s/oTpPRmYs5AAdiNr?path=%2FSNV%20Planilhas%20(2011-Atual)%20(XLS).

Engelke, D. C. & Núñez, W. P. (2017). Influência da melhoria da infraestrutura na interseção de uma avenida com uma rodovia federal na redução de acidentes. XXIX SIC. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS.

Estrela, C. (2018). Metodologia Científica: Ciência, Ensino, Pesquisa. Editora Artes Médicas.

Filippo, J. S. C. (2017). Avaliação do programa BR-LEGAL e a elevação da segurança viária nas Rodovias Federais Brasileiras (Estudo de Caso: BR-020/DF). Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

Kubitschek, J. (2000). Por que construí Brasília. Senado Federal. Disponível em: https://static.poder360.com.br/2020/04/livro-por-que-construi-brasilia.pdf

Lima, I. M. O. (2005). Retrospectiva do transporte brasileiro: as conquistas e os entraves na transição dos séculos XX e XXI. Série de notas de referência. Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Lopes, N. L. (2009). O desenvolvimento da indústria automobilística e o transporte rodoviário no Brasil no século XX. Monografia. Departamento de Ciências Econômicas. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS.

Ludke, M. & Andre, M. E. D. A. (2013). Pesquisas em educação: uma abordagem qualitativa. São Paulo: E.P.U.

Programa de Aceleração do Crescimento. (2009). Distrito Federal 2 anos. Disponível em: http://www.pac.gov.br/pub/up/relatorio/81a9e47eba4f5b5a456ce094aa3d7fad.pdf

Piazera, A. B. (2017). Estudo Comparativo entre Tecnologias Inovadoras em Superestrutura Ferroviárias. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Departamento de Engenharia Civil. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

Rodrigues, M. S., Santos, R. L. C. & Almeida, J. C. M. M. (2019). Perspectivas futuras para o modal rodoviário: avanços estruturais na baixada santista. Revista e-F@tec, 9(1), 1-13.

Salvador, D. M. (2009). Análise dos tipos de acidentes de trânsito em rodovias: estudo de caso na rodovia BR-101 em Santa Catarina. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil). Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

Santana, A. T., Deus, J. B., Martins, E., & Chaveiro, E. F. (2016). A rodovia BR-060 no Centro-Oeste brasileiro: dinâmica territorial e legendas espaciais. Geo UERJ, (29), 105-132.

Werchajzer, C. C. O. (2004). Análise da influência da duplicação de uma rodovia no tipo e gravidade dos acidentes de trânsito: estudo de caso na Rodovia SC-401. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil). Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

Published

29/05/2021

How to Cite

DANTAS, A. A. N.; FRAGA, Y. S. B.; SANTOS, F. B. C. .; PIGNATA, G. S. . Influence of the BR-020 duplication on the number of traffic accidents between Planaltina/DF and Formosa/GO. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e25010615636, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15636. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15636. Acesso em: 20 jun. 2021.

Issue

Section

Engineerings