An analysis of the issues of gender and machismo present in the short story The Right to not Love, by Lygia Fagundes Telles, based on the didactic sequence model proposed by Cosson

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i6.15731

Keywords:

Speech; Feminism; Gender; Chauvinism.

Abstract

Issues related to gender, in recent times, have been prominent in social discussions and in the strengthening of women’s struggle for their rights, especially those that make direct reference to equality between men and women and the non-acceptance of violence. As a result of a society marked by chauvinism arising from a patriarchal culture, violence has been very common in affective relationships, something that must be constantly combated. In the meantime, the objective of this work is to analyze the issues of gender and chauvinism present in the short story The right to not love, by Lygia Fagundes Telles, and the discursive positions that emerge in it. For this, we make use of bibliographic research, from the literary review, and the didactic sequence model proposed by Cosson (2011). From the analysis of the short story, in the light of the theory used, the results indicate that, although we are in the 21st century, in a society totally opposite to the patriarchal society, remnants of patriarchy are still quite evident in the relations between men and women, as can be seen infer from the daily scenes that take place in relationships, as shown in the figures in the didactic sequence. As a conclusion, the study indicates that, although the laws are in favor of women, they still need to fight hard to fully enjoy their social rights.

Author Biographies

Anne Alessandra Cruz Ribeiro, Secretaria de Educação do Estado da Bahia

Mestre em Letras pela Universidade Federal de Sergipe. Professora das Redes Municipal e Estadual da Bahia.

José Batista de Souza, Faculdade do Nordeste da Bahia

Mestre em Letras pela Universidade Federal de Sergipe - UFS. Professor das Redes Municipal e Estadual da Bahia e da Faculdade do Nordeste da Bahia. Membro do Grupo de Pesquisa Educação e Contemporaneidade (EDUCON)/UFS, do Grupo de Estudos e Pesquisas em Formação de Professores e Tecnologias da Informação e Comunicação/FOPTIC/UFS, e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Paidéia/FANEB.

Tainah dos Santos Carvalho, Faculdade do Nordeste da Bahia

Graduada em Pedagogia pela Faculdade do Nordeste da Bahia, graduanda em Letras pela Universidade do Estado da Bahia e Especializanda em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela Faculdade Venda Nova do Imigrante - FAVENI. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Paideia – Faneb.

References

Almeida, Jane Soares de. (2011). As relações de poder nas desigualdades de gênero na educação e na sociedade. Série-Estudos - Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, (31), 165-181.

Bakhtin, Mikhail. (2011). Estética da Criação Verbal. Martins Fontes.

Bandeira, Lourdes. (2009). Três décadas de resistência feminista contra o sexismo e a violência feminina no Brasil: 1976 a 2006. Sociedade e Estado, v. 24, (2), 401-438.

Beauvoir, Simone de. (1970). O Segundo Sexo: fatos e mitos. Tradução de Sérgio Milliet. Difusão Europeia do Livro.

Beauvoir, Simone de. (1967). O Segundo Sexo: a experiência vivida. Tradução de Sérgio Milliet. Difusão Europeia do Livro.

Bourdieu, Pierre. (2012). A dominação masculina. Tradução de Maria Helena Kühner. Bertrand Brasil.

Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Centro Gráfico.

Brasil. (2006). Lei nº. 11.340, de 7 de ago. de 2006. Lei Maria da Penha. Cria Mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm.

Cosson, Rildo. (2011). Texto literário: teoria e prática. Contexto.

Fiorin, José Luiz. (2002). Linguagem e Ideologia. Ática.

Gil, Antonio Carlos. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas.

Gregori, Juciane de. (2017). Feminismos e resistência: trajetória histórica da luta política para conquista de direitos. Caderno Espaço Feminino, v. 30, (2), 47-68.

Guimarães, Elisa. (2013). Texto, discurso e ensino. Contexto.

Mageste, G. S., Melo, M. C. L. & Ckagnazaroff, I. B. (2008). Empoderamento de mulheres: uma proposta de análise para as organizações. V Encontro de Estudos Organizacionais da ANPAD. http://www.anpad.org.br/admin/pdf/EnEO548.pdf.

Martins, Ana Paula Antunes. (2017). Violência no namoro e nas relações íntimas entre jovens: considerações preliminares sobre o problema no Brasil. Gênero, v. 17 (2), 9-28.

Oliveira, Rebeca Nunes Guedes de & Fonseca, Rosa Maria Godoy Serpa da. (2019). Amor e violência em jogo: descortinando as relações afetivo-sexuais entre jovens à luz de gênero. Interface, 23 (e180354), 1-16.

Rodrigues, Maria Lucia & Limena, Maria Margarida Cavalcanti (Orgs.). (2006). Metodologias multidimensionais em Ciências Humanas. Líber Livros Editora.

Santana, Rosane da Silva et al. (2020). Violência contra as mulheres: caracterização dos casos acompanhados em um centro de referência municipal. Research, Society and Development, v. 9 (11), 1-22.

Severino, Antonio Joaquim. (2007). Metodologia do Trabalho Científico. Cortez.

Silva, E. L. da & Menezes, E. M. (2005). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. UFSC.

Telles, L. F. (1980). A disciplina do amor. Nova Fronteira.

Published

29/05/2021

How to Cite

RIBEIRO, A. A. C.; SOUZA, J. B. de; CARVALHO, T. dos S. An analysis of the issues of gender and machismo present in the short story The Right to not Love, by Lygia Fagundes Telles, based on the didactic sequence model proposed by Cosson. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 6, p. e25810615731, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i6.15731. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15731. Acesso em: 20 jun. 2021.

Issue

Section

Education Sciences